Autogestão: o que é, benefícios e melhores dicas

Saiba tudo sobre a autogestão e descubra como esse modelo de trabalho oferece mais autonomia e influência no desenvolvimento de todos os colaboradores!

Uma mulher trabalhando realizando autogestão

Saiba como a autogestão funciona e conheça os seus benefícios para o futuro do trabalho!

O bom profissional é aquele que não precisa de supervisão. Este aspecto está sendo mais valorizado nas empresas, especialmente nas mais modernas, que tentam proporcionar um maior nível de autonomia  para os colaboradores.

Portanto, investir em habilidades de autogestão é algo que pode te beneficiar muito. E não só na carreira, mas também na vida pessoal. Afinal, qualquer forma de desenvolver mais autoconhecimento pode ser positiva.

Neste artigo, vamos explicar o que é autogestão e como esse conceito pode te beneficiar. Por isso, trazendo vamos trazer dicas que vão te ajudar a melhorar a sua autogestão. Confira abaixo!

O que é Autogestão?

Em primeiro lugar, precisamos explicar o que é autogestão. Nesse modelo de trabalho, os funcionários não precisam reportar todas as decisões tomadas, nem mostrar todos os serviços executados para os seus supervisores.

A ideia é que cada colaborador tenha autonomia dentro da cultura organizacional e seja responsável pelos resultados do que entrega.

Neste cenário, a figura do chefe surge para esclarecer dúvidas e, se preciso, resolver problemas mais complexos. Porém, no dia a dia, cada um é responsável pelo que faz.

Esse modelo está cada vez mais comum nas empresas. Quem exerce trabalho freelancer, por exemplo, precisa dominar essa habilidade para se organizar melhor.

Quais são as maiores vantagens da Autogestão?

Agora que você já sabe o que é autogestão, chegou a hora de entender quais são as principais vantagens desse modelo e por qual razão ele é tão aderido no mundo.

De forma geral, a grande vantagem da autogestão é oferecer mais oportunidades de crescimento e desenvolvimento aos colaboradores, especialmente para os mais jovens.

Ao se tornarem responsáveis por tudo o que fazem, as pessoas acabam desenvolvendo a maturidade mais rápido, mesmo que estejam mais expostas ao erro.

Confira agora outras vantagens da autogestão!

Melhor desempenho 

A autogestão melhora o desempenho de diversas organizações, independentemente do segmento de mercado.

Um estudo divulgado pelo The Commonwealth Fund traz um exemplo  interessante sobre esse fenômeno. O artigo mostra o sucesso de uma empresa que presta atendimento domiciliar de saúde, na Holanda.

Ao implementar a autogestão, a empresa se tornou a mais bem avaliada do país, com enfermeiras autônomas que prestavam serviços de alta qualidade.

Quando as pessoas possuem autonomia para agir, elas costumam tomar decisões mais rápidas e assertivas, sem a presença de dúvida. 

Maior engajamento da equipe

Ao implementar a autogestão, é possível construir uma equipe mais engajada.

No modelo organizacional antigo, os colaboradores interagem e dependem muito dos líderes para tomar decisões. Já com a autogestão, as pessoas de mesmo nível hierárquico convivem cada vez mais, trocando experiências e dicas.

Portanto, se você deseja ter uma equipe mais unida, é importante deixar que eles interajam entre si, sem qualquer interferência.

Gestão horizontal

Outro conceito importante, que está diretamente associado à autogestão, é o modelo de gestão horizontal. 

Nesse contexto, a empresa não conta com funções hierárquicas, mas sim com colaboradores com o mesmo nível de poder de decisão.

Quando aplica a em alguns contextos, a gestão horizontal se torna uma grande vantagem da autogestão, já que ela dá mais igualdade de condições para os membros de uma empresa ou organização.

Maior maturidade dos envolvidos

Existem funcionários que demoram a desenvolver maturidade. Muitos precisam de um “empurrãozinho” para chegar lá e a autogestão pode exercer esse papel.

Colocar pessoas em posições de responsabilidade, sem alguém com cargo acima para ajudar, provoca uma necessidade de amadurecimento precoce, que pode ajudar muitos profissionais.

É por meio do erro que aprendemos e atingimos a maturidade. E para errar, precisamos tentar. De preferência, sozinhos.

Desenvolvimento de metas pessoais

A autogestão também é positiva para a valorização de metas pessoais.

Se você quer que seus funcionários trabalhem com metas voltadas para o próprio trabalho, oferecer mais autonomia pode ser o caminho.

Assim, cada um vai avaliar o próprio trabalho de forma criteriosa.

Estímulo do trabalho em equipe

Apesar de parecer, a autogestão não é um conceito individualista. É exatamente o contrário.

Esse modelo de gestão incentiva os colaboradores a trocarem experiências em dado nível de igualdade.

Desta forma, todos podem trabalhar juntos, dividindo responsabilidades de forma igualitária.

Quais são os maiores mitos da Autogestão?

Apesar de ser uma ideia já bem aceita, a autogestão também possui alguns mitos que precisam ser quebrados.

Existem muitas ideias equivocadas sobre a prática, que não condizem com a realidade. Abaixo, vamos listar alguns desses mitos!

Não existem métricas a serem avaliadas

A verdade é que a autogestão é um modelo super baseado em dados.

Além de metas em equipe, esse modelo permite que sejam estabelecidas metas individuais, com métricas claras de avaliação de desempenho e que estimulam a autonomia.

As decisões costumam ser mais lentas

Isso também não é verdade. Na autogestão, as decisões são ainda mais rápidas.

Em um modelo tradicional, todas as decisões passam por analistas, supervisores, gestores e, em alguns casos, até mesmo por diretores. Na autogestão, apenas uma pessoa pode decidir, avançando o fluxo de aprovações de ideias.

Há um nível maior de desorganização

Se bem aplicada, a autogestão não se torna um modelo de organização sem ordem.

Basta que os funcionários tenham a quem recorrer em caso de problemas, de modo que sejam   munidos de informações importantes e necessárias para o negócio.

As informações são perdidas frequentemente

Outro mito é em relação às informações, que supostamente são perdidas com frequência. Não é bem assim.

Quando bem aplicada, a autogestão também tem regras de registro e armazenamento de informações. É importante que todos os colaboradores sejam organizados, e registrem suas demandas em um planner, computador, ou aplicativos variados.

Como colocar em prática a Autogestão?

Beleza, já falamos de todas as principais vantagens da autogestão, mas como é possível colocá-la em prática de forma eficiente?

Como podemos driblar os mitos que listamos acima, evitando que dificuldades de organização surjam no processo? 

Listamos algumas medidas que você pode tomar para colocar a autogestão em prática. Veja agora!

Defina metas pessoais e também para o time

Uma boa forma de motivar a equipe é definir metas pessoais e metas para todo o time.

Assim, todos vão ter métricas para avaliare dados para analisar, avaliando a própria performance – de forma analítica.

Tenha uma comunicação clara e objetiva

Para evitar problemas de desorganização, é importante que seu modelo de autogestão seja acompanhado por informações claras e objetivas.

Todos os colaboradores devem receber informações importantes sobre a empresa e seus clientes. Evite ruídos e “telefone sem fio”. Fale com todos diretamente.

Realize acordos formais com a equipe

Se todos os colaboradores são iguais, eles precisam ser capazes de fazer combinados.

A autogestão só funciona quando todos entendem seu nível de responsabilidade, estabelecendo acordos formais para que cada um cumpra a sua parte.

Como o desenvolvimento pessoal auxilia na Autogestão?

Não existe autogestão sem desenvolvimento pessoal. Para se tornar uma pessoa mais autônoma no trabalho, é preciso ter a capacidade de organizar a própria vida e compreender as responsabilidades dela.

Invista no seu desenvolvimento pessoal conhecendo os conteúdos do nosso Marketplace!

Autor
Equipe Hotmart

Equipe Hotmart

A Hotmart é a plataforma completa para quem quer aprender novas habilidades e adquirir cursos digitais em poucos cliques. No universo da Hotmart, as possibilidades são infinitas.