Como montar uma loja virtual do zero? Descubra tudo que é preciso

O e-commerce é um segmento do mercado que só cresce a cada ano que passa. Segundo dados da Ebit|Nielsen, no primeiro trimestre de 2020, o setor teve a maior alta em 20 anos, com crescimento de 47%. De fato, esses dados mostram um cenário animador para quem quer montar uma loja virtual! Além disso, empreender […]

como montar uma loja virtual - imagem de uma mulher colocando produtos que vende em sua loja virtual em embalagens para serem entregues aos clientes

O e-commerce é um segmento do mercado que só cresce a cada ano que passa. Segundo dados da Ebit|Nielsen, no primeiro trimestre de 2020, o setor teve a maior alta em 20 anos, com crescimento de 47%. De fato, esses dados mostram um cenário animador para quem quer montar uma loja virtual!

Além disso, empreender no comércio eletrônico é muito mais simples e barato do que criar uma loja física. Com as tecnologias atuais, as plataformas e facilidade do acesso à informação, qualquer pessoa consegue começar um empreendimento online.

Se este é o seu caso, você chegou no lugar certo para dar o “play” no seu negócio! Com sua motivação e sua ideia, mais as informações que vamos te passar neste post, você terá o que é necessário para montar sua loja virtual!

Vamos te contar um pouco sobre os custos de começar um negócio nesse setor e o passo a passo prático de como planejar, estruturar e colocar seu comércio virtual no ar. Acompanhe!

Qual o custo para montar uma loja virtual?

Apesar de ser mais em conta abrir uma loja virtual, é necessário ter um bom investimento inicial, já que o lucro não vem a tão curto prazo e existem gastos necessários para fazer com que o negócio realmente funcione.

Primeiramente, deve-se pensar nos gastos com o desenvolvimento da loja, como:

  • domínio e hospedagem;
  • plataforma;
  • e intermediadores de pagamento;

Depois, nos custos de funcionamento e operacionais:

  • colaboradores e outros profissionais (ex: contador, técnico em informática);
  • abastecimento do estoque;
  • frete;
  • e embalagem.

Além disso, é importante separar uma parte do investimento para marketing e propaganda, já que são ações imprescindíveis para o crescimento do negócio.

Os valores gastos vão variar um pouco de acordo com o porte da empresa. Um Microempreendedor Individual (MEI), por exemplo, consegue dar o pontapé inicial com aproximadamente R$5.000. No entanto, esse modelo é um pouco limitado.

Se você for começar com uma Micro Empresa, que já abrange maior faturamento e mais funcionários, o investimento inicial pode ir até uns R$50.000, por exemplo.

Sendo assim, os custos são variáveis de acordo com os objetivos de cada um. Mas todos devem ter em mente que os gastos que citamos são essenciais para a criação de um e-commerce. Portanto, deve-se incluí-los no planejamento financeiro.

O que é preciso para abrir uma loja online?

Agora que você já tem uma ideia de quanto terá que desembolsar ou conseguir de investimento, chegou o momento de saber exatamente como montar sua loja virtual do zero. Veja só!

1. Quais produtos irá vender?

Parece óbvio, mas é sempre bom lembrar que, antes de tudo, você precisará pensar nos produtos que irá vender.

Afinal, eles serão a base de seu comércio, não é mesmo?

Por isso, têm que ser considerados com carinho. Se você ainda não tem ideia do que vender, comece fazendo uma pesquisa de mercado para descobrir as tendências e as oportunidades.

Para executar essa pesquisa:

  • analise os concorrentes;
  • compare o crescimento de diferentes nichos pelo Google Trends;
  • faça pesquisas de palavras-chave (pelo Google Keyword Planner, SEMrush ou Answer the public)
  • acesse dados e estatísticas sobre o desempenho e faturamento dos segmentos de e-commerce;
  • e considere a possibilidade de atuar em micro nichos pouco explorados.

Mas não desconsidere o que você gosta e sabe vender. A escolha do nicho e dos produtos tem que ser um meio termo entre seu ideal e o que o mercado precisa!

2. Registro do nome e domínio da loja

É muito importante montar uma loja virtual de forma legal. Portanto, abra um CNPJ e registre sua marca. Com isso, você terá mais tranquilidade e poderá comprar um domínio com o nome de seu negócio.

O domínio será a identidade e o endereço virtual de seu e-commerce. Por isso, é super importante investir em um domínio próprio.

O Registro.br, como o próprio nome diz, é o site indicado para registrar domínios com o final “.br”. Já se você quer outros finais, como “.com” ou “.net”, por exemplo, a Hostgator oferece várias opções a diferentes preços.

3. Servidor de qualidade

Além do domínio, o site da sua loja virtual precisa de um servidor de hospedagem. Ou seja, um serviço que irá armazenar todos os dados do site.

Alguns sites de compra de domínio também oferecem a compra integrada de um servidor, como é o caso do Hostgator, que citamos anteriormente. E também de outras, como a GoDaddy e a Hostinger.

4. Plataforma da loja virtual

Existem plataformas próprias para montar uma loja virtual, que oferecem diversas ferramentas que facilitam a vida do empreendedor.

Além disso, muitas delas permitem alta customização, o que é muito vantajoso para criar um e-commerce personalizado e com o estilo da sua loja!

Na hora de escolher a plataforma para criar seu comércio virtual, considere as seguintes características:

  • integração com outros sistemas, como meios de pagamento, empresas de logística, softwares de marketing e vendas;
  • boa usabilidade, responsividade e automações inteligentes;
  • suporte técnico;
  • e oportunidade para escalar as operações.

Das que abrangem tudo isso, as mais recomendadas são:

No entanto, existem muitas outras opções, cada uma com um foco diferente. A escolha vai do gosto e objetivo de cada um. 

5. Design do site

A maioria das plataformas de loja virtual já oferecem layouts prontos, tanto gratuitos quanto pagos. O design desses layouts pode ser customizado da forma que você preferir e com facilidade, pois as plataformas possuem uma interface intuitiva e simples de usar.

Mas se você procura por algo mais personalizado, como construir o design da sua loja do zero, você precisa optar por plataformas que oferecem a função open source.

Essa função permite que o site seja construído inteiramente por um programador e o código inserido na plataforma para fazer o gerenciamento. Nesta opção, existe um custo adicional, para quem precisar, de contratar um designer e um programador.

Plataformas como o WordPress com o plugin WooCommerce e a Magento são open source. Portanto, são ótimas escolhas para quem quer essa liberdade de montar uma loja virtual super personalizada!

6. Formas de pagamento

A escolha das formas de pagamento é crucial para o sucesso de seu e-commerce. A dica aqui é ter uma certa variedade de opções para oferecer aos clientes.

Quanto mais abrangente e versátil for seu checkout, maiores são as chances de concluir as vendas.

A seguir, veja quais são as principais formas de pagamento que você pode incluir na hora de montar sua loja virtual!

  1. Cartão de crédito
  2. Boleto bancário
  3. PayPal
  4. PagSeguro
  5. Mercado Pago
  6. Pix

Os métodos de pagamento direto: Cartão de crédito e boleto bancário, são contratados por meio de Adquirentes (Rede e Cielo, por exemplo). Apesar de mais burocráticos, contratar esses métodos vale a pena pois são os que mais convertem vendas.

Já os intermediários, como PayPal, PagSeguro e Mercado Pago, são adicionados por meio das integrações da plataforma, o que é bem mais simples para os lojistas. Por isso a importância de escolher plataformas com integrações.

Por fim, mas não menos importante, a novidade da vez: Pix! Ele chegou em 2020 e chegou para revolucionar os pagamentos, já que é um método que traz vários benefícios para empreendedores.

As vantagens do Pix para quem vai montar uma loja virtual são: liquidação imediata da transação, diminuição dos casos de reserva do estoque gerados por boletos, diminuição de custos e atingimento de um novo público de clientes em potencial!

Por isso, você não pode deixar de colocar o Pix como um método de pagamento em seu e-commerce. Para os clientes, é uma forma mais simples e rápida de pagar. Quando o consumidor selecionar essa opção, um QR code é aberto e o pagamento pode ser feito ao escanear ou copiar o código e colar no app do banco.

7. Forma de entrega

Para fazer a entrega, é essencial ativar os Correios em sua loja virtual, já que essa é a principal empresa de entrega do país.

Mas pode ser que você também precise optar por transportadoras ou outros meios personalizados, como Motoboy ou retirar na loja.

Essa necessidade surge porque os Correios têm algumas limitações: tamanho máximo de 2 metros e peso máximo de 30 kg. Então, se você oferece produtos que vão além dessas medidas, é interessante contratar uma transportadora.

8. Divulgação da loja

Loja virtual pronta, agora só falta divulgá-la para atrair clientes e ganhar reconhecimento no mundo online!

Começando pelo próprio site da loja, há como usar estratégias que favorecem a divulgação orgânica. Ou seja, fazem com que as pessoas encontrem seu e-commerce por meio de buscas.

Essas são as estratégias de SEO, que envolvem diversas técnicas de conteúdo e estruturais do site, como:

  • títulos e descrições da página e dos produtos com as palavras-chave que os representam e que possuem muitas buscas;
  • utilização de imagens de qualidade com metatags com as palavras-chave;
  • usabilidade do site otimizada;
  • uso de backlinks e links internos;
  • e criação de um blog com conteúdos relacionados ao negócio e otimizados.

São ações que basicamente não têm custo e vão gerar resultados muito bons para seu comércio.

O email marketing também é um grande aliado para estratégias de divulgação de e-commerces. Isso porque é uma forma mais intimista e personalizada de dialogar com os clientes, mandar ofertas, novidades e manter uma relação próxima mesmo.

Além disso, invista em anúncios online! Esta é uma das melhores formas de aumentar o alcance e as vendas a curto prazo. O Google Ads e os Social Ads são ferramentas essenciais para você executar essa estratégia.

Por fim, não deixe de estar presente nas redes sociais (Facebook, Instagram, Pinterest, YouTube…). Elas são ótimas para divulgar a marca, produzir conteúdo que engaja e obter novos clientes!

Rumo às vendas!

Tudo certo para lançar sua loja virtual?

Agora você já sabe tudo que precisa! Passamos dicas sobre custos, criação do site, escolha da plataforma e as principais etapas para montar uma loja virtual.

Com todas as oportunidades de crescimento atuais, basta você se dedicar à sua ideia e seguir essas dicas para lançar um e-commerce de sucesso!

Existem diversas ferramentas que te ajudam a fazer vendas online. Uma delas é a função Shopping do Google, que possibilita que comércios virtuais exibam produtos nos resultados de pesquisa gratuitamente.

É uma oportunidade incrível para seu negócio! Clique aqui e descubra mais sobre como usar o Google Shopping!

Autor
Marcos Pereira

Marcos Pereira