8 dicas para otimizar os estudos e aprender mais em menos tempo

Quer descobrir como turbinar seus estudos e aprender mais em menos tempo? Confira 8 dicas preciosas para otimizar os estudos!

blogAprenda_otimizar-os-estudos

Não importa qual seja a prova na qual você queira ser aprovado, estudar com eficiência é quase uma obrigação. Ainda que, muitas vezes, a rotina seja um problema, principalmente se você for uma pessoa que trabalha e estuda em casa, por exemplo.

Se esse for o seu caso, você é daqueles que precisam de dicas para otimizar os estudos e ganhar tempo sem perder a eficiência, certo?

Parece algo difícil, mas não. É claro que precisa de dedicação e algum esforço. E uma ajuda, que é o que você terá com este texto!

Quer descobrir como turbinar seus estudos e aprender mais em menos tempo? Confira 8 dicas preciosas para otimizar os estudos!

Como otimizar os estudos?

Para ser produtivo, mas sem perder a qualidade dos estudos, é preciso praticidade. 

Ainda assim, é válido lembrar que essas dicas podem variar de acordo com a rotina que cada um possui em sua vida.

Essas dicas servirão para você poder dar um rumo em seus estudos e aumentar sua produtividade, mesmo com pouco tempo e adequado ao seu estilo de vida. 

1. Organize o ambiente de estudo

Para sua rotina se tornar algo prático, é preciso organização. A começar pelo local onde você estuda.

Ele precisa ter todo o material que você necessitará para estudar: livros, apostilas, cadernos e o computador, por exemplo. 

O espaço precisa facilitar o manuseio desses materiais e ainda permitir que tudo fique minimamente organizado, para que, quando você for utilizar algo, como um livro, não precise perder tempo procurando por ele.

Outros tipos de objetos que não façam parte de seus estudos, como celulares, devem ficar longe desse espaço. Eles podem atrapalhar a organização e até mesmo distrair na hora de aprender. E a distração é a inimiga principal do foco.

2. Crie um cronograma para otimizar os estudos

Todo estudo, seja qual for, precisa de um plano muito bem detalhado com metas e prazos para ser realmente efetivo e produtivo. 

Crie um cronograma em que cada dia da semana você possa estudar matérias diferentes. Coloque suas atividades fora do aprendizado, para evitar que você fique sobrecarregado ao longo de um período.

Intercale disciplinas diferentes para que você consiga absorver assuntos diversos e os correlacione. Quando você faz isso, pratica a interdisciplinaridade e o seu cérebro consegue memorizar melhor os conteúdos.

E lembre-se: o cronograma precisa ser respeitado! Não fuja dos horários e se imponha limites para não sobrecarregar sua rotina. 

3. Evite a curva do esquecimento

Esse é um fenômeno que precisa ser levado em consideração na hora de aprender, sobretudo se você quiser otimizar seu estudo.

A curva do esquecimento acontece quando perdemos a capacidade de reter 100% das informações que lidamos ao longo de um período. 

Ou seja, aprendemos alguma coisa pela primeira vez, podemos esquecer dela pouco a pouco. 

E para se evitar isso, é preciso fazer um cronograma em que você estude de tempos em tempos uma mesma matéria. Por isso, intercale matérias em sua rotina sem que haja um intervalo muito grande. 

Revise-o em períodos curtos e, ao se aproximar da prova para a qual você estuda, faça com que esses intervalos sejam mais próximos. 

Lembre-se: quando se fala em estudar a mesma matéria de tempos em tempos, significa dizer que você retorne a disciplina, sempre respeitando o seu desenvolvimento. 

Ou seja: continue progredindo e repassando as informações na revisão. 

4. Faça anotações à mão

Parece uma dica meio ultrapassada em tempos tão digitais, não é mesmo? 

Pior, parece que vai na contramão de um estudo que precisa ser otimizado, já que anotações à mão são mais demoradas.

Mas não é exatamente assim. Na verdade, quando você faz algo manual, o seu cérebro se concentra mais nessa atividade, guardando melhor as informações anotadas.

Faça essas anotações com aquelas informações que considerar mais relevante e com as que você sentir mais dificuldade em aprender. 

Sempre tente usar as suas palavras, ou seja, aquilo que você entender, não o que está exatamente no materiais. 

Crie conexões entre uma ideia e outra e se você sentir dificuldade em entender, anote algum questionamento, escrevendo a pergunta que seu cérebro está fazendo naquele momento. 

Evite fazer isso no computador, sério. Pode parecer muito antigo para a nossa modernidade hoje, mas fazer isso eletronicamente torna nosso cérebro mais “preguiçoso” e você pouco absorverá. 

5. Utilize técnicas de memorização

Antes de mais nada, um alerta: memorizar não é decorar! 

Decorar é quando você guarda uma informação e a reproduz automaticamente. Memorizar significa que você sabe o que aprendeu de forma que você possa contextualizar esse dado. 

Sabe aquelas fórmulas matemáticas que você sabia de cor, mas que depois de um tempo esquecia quando usar? Então, é porque você a decorou, não a memorizou.

Para memorizar de fato, é preciso se valer de algumas técnicas. O tópico anterior já é uma delas. Escrever à mão o que você aprende facilita a memorização da informação. 

Resumos são mais uma maneira que você pode memorizar melhor o que estuda. Faça-os de tempos em tempos e de preferência com maneira estratégica (ponha essa atividade em seu cronograma).

Uma das formas de memorizar que permitem otimizar seu estudo são as gravações de áudio. Você grava a si mesmo explicando uma determinada matéria (pode ser com o seu próprio celula) e depois o escuta – você pode fazer isso em outras horas, no trânsito, por exemplo. 

6. Respeite o seu descanso

Um bom ritmo produtivo é aquele que você aproveite ao máximo cada tempo que você possui, certo? 

Errado. 

Você precisa impor limites em sua rotina. Descansar precisa ser uma parte de sua jornada como parte importante em seu cronograma e você precisa respeitá-lo. 

Não é algo que deve ser subestimado. Ele é o momento em que seu cérebro assimila as informações que guardou ao longo do dia. 

Por isso, faça pausas entre uma matéria e outra e encerre as atividades quando você planejar a rotina de aprendizagem. Acredite: esse descanso será uma ótima ferramenta para otimizar seu estudo.

7. Faça simulados e atividades

Se você estuda para concursos, sabe que analisar as provas da mesma banca aplicadora é uma forma de antever como as questões serão abordadas no exame. 

Mas, ampliando o cenário, realizar simulados e atividades faz com que o seu cérebro fique ainda melhor “treinado” para estudar ainda mais otimizado. 

Então, pratique atividades, reserve um tempo para esses exercícios e sempre tente simular a prova, com marcação de tempo para que você esteja ainda mais preparado para um exame

8. Crie um sistema de recompensas para si mesmo

As premiações são ótimas motivadoras para sua jornada de estudos. E quando tudo der certo em sua rotina, quando uma meta for batida, dê-se um prêmio!

Isso será ótimo para seu desempenho e você poderá sempre ter algo de prazeroso em um rotina que pode ser extenuante. 

A recompensa pode ser algo que gosta muito ou mesmo um período maior de descanso. Algo que seja realmente motivador para você. 

Tenha foco e determinação!

Não importa para que você estudará. Se o tempo for escasso, otimizar os estudos será uma necessidade. 

Todas as dicas que você teve por aqui só valerão se você realmente tiver um autocontrole e um foco muito grande! 

Tenha sempre em mente aquilo que o motiva, fuja das distrações e não ache que é impossível estudar e ter outra atividade ao mesmo tempo. 

Você sempre poderá dar o máximo de si se fizer tudo com planejamento, estratégia e determinação!

E agora que você já sabe como otimizar os estudos, é hora de colocar todas as nossas dicas em prática escolhendo um curso que é a sua cara. Confira todos os cursos disponíveis e aprenda algo novo hoje mesmo!

Autor
Luiza Alexandre

Luiza Alexandre

Redatora apaixonada em aprender algo novo todos os dias.