Como divulgar um produto na internet: o guia completo!

Como divulgar um produto na internet: o guia completo!

Criou um produto digital e não sabe qual o próximo passo? Fique tranquilo porque neste post você vai aprender como divulgar o seu produto na internet!

Um dos maiores desafios de quem trabalha no mercado digital é divulgar o seu produto na internet.

Isso porque não basta que o seu produto ou o produto do qual você é afiliado seja bom. Para aumentar a sua taxa de conversão, você precisará conhecer as melhores estratégias para anunciá-lo e torná-lo atrativo para a sua audiência.

Criamos este post para ajudar pessoas que querem trabalhar com vendas na internet, mas que ainda não sabem como promover produtos. Acompanhe!

Página de vendas 

A sua página de vendas muitas vezes é o primeiro contato do seu lead com o seu produto. Por isso, você deve garantir que a experiência dele seja a melhor possível.

Para isso você precisará deixar muito claro o que você está vendendo.

Por exemplo, alguns usuários ainda têm dificuldade de entender que o produto digital é disponibilizado pela internet e cabe a você informá-los sobre a entrega online em sua página de vendas.

E como você pode fazer isso?

Fornecendo informações precisas

Uma boa página de vendas é aquela que responde todas as dúvidas e objeções do seu cliente.

No caso dos cursos online, por exemplo, o usuário só se sentirá seguro para fazer a compra se entender todas as vantagens que ele terá ao adquirir aquele produto.

Para tanto, a sua descrição deve conter não só o tema que você irá abordar, como a quantidade de módulos e o que será tratado em cada um, quais são as leituras ou materiais complementares que o lead terá direito, se aquele curso conta com recursos interativos como testes, bate-papo com professores, entre outros.

Certifique-se de que a sua página de vendas apresenta as condições de pagamento:

  • Boleto ou cartão de crédito?
  • É possível dividir o valor da compra em até quantas parcelas?
  • Com juros ou sem juros?

Entendendo a sua audiência

Mais importante que o formato que você escolheu para o seu produto, é você falar a mesma língua da sua persona.

A persona é uma representação semifictícia do seu cliente ideal. Criada a partir de uma análise minuciosa do seu negócio, além de pesquisas de mercado.

Nós já falamos sobre a persona várias vezes aqui no blog, inclusive no post Glossário do empreendedor Digital, que explica o significado desse e de outros termos que são comuns no dia a dia de Produtores e Afiliados.  

Na prática, a sua missão é criar textos que gerem empatia em quem está lendo, despertando o interesse deles pela sua oferta.

Tire um tempo para conhecer a sua audiência, quais são os problemas que ela enfrenta normalmente e como você e o seu produto podem ajudá-la.

Apostando em técnicas de Copywriting

O Copywriting é a arte de convencer o seu lead a realizar alguma ação dentro do seu site, como por exemplo, adquirir o produto que você está anunciando.

A boa copy é aquela que convence o público a clicar na sua oferta, seja aguçando a curiosidade, relatando algo intuitivo, quebrando padrão, utilizando de polêmica, exibindo um problema ou criando uma solução. Conforme explicamos no post Como fazer a sua primeira venda como afiliado.

O texto 6 técnicas de venda para iniciantes também mostra técnicas de copywriting que podem ser  aplicadas por produtores e afiliados, inlcusive por pessoas que estão começando no mercado digital agora.  

Em resumo: a linguagem da sua página de vendas deve estar alinhada à sua oferta e aos interesses da sua persona.

O mesmo vale para outras páginas que você tenha como site, blog ou Fanpage.

Escolhendo imagens atrativas

Assim como a copy, a identidade visual é determinante para a performance da sua página de vendas.

O que poucos empreendedores sabem é que a escolha das imagens não se baseia apenas em critérios estéticos.

A boa imagem deve ser funcional, capaz de transmitir a mensagem principal de seu anúncio ou página, como se fosse um complemento do seu texto.

No caso do mercado de produtos digitais também é importante que a imagem materialize o produto para o usuário.

Se o produto que você está vendendo é um curso online, que tal usar a imagem de alguém lendo no tablet?

Dessa forma você ressalta duas qualidades do seu produto: a facilidade de acesso, e o fato de o comprador poder acessar aquele produto a hora que ele quiser.

Convidando o seu lead para ação  

O Call-to-Action (CTA) é o nome que damos para a ação principal da página. Essa ação irá variar de acordo com o seu objetivo.

No caso de materiais ricos, você pode se inscrever para receber ofertas de conteúdo por e-mail, já nos demais produtos o botão de Call-to-Action direciona para a sua página de checkout, onde o lead irá finalizar a compra.

Independente se o seu objetivo é a conversão ou a captura de leads, o seu CTA deve estar bem posicionado, de forma que o visitante entenda de cara qual é a ação principal dele naquela página.

Deixando claro as suas políticas de venda

Nada é mais frustrante do que comprar um produto e se sentir lesado de alguma forma.

Para garantir que o seu usuário faça uma compra bem informada, sua página de vendas precisa conter:

  •  Política de Privacidade e Termos de Uso:

Um documento que explique de que forma as informações coletadas em seu endereço serão utilizadas.

  • Disclaimer:

É um termo de isenção de responsabilidade, que visa esclarecer que os resultados prometidos pelo Produtor podem ser influenciados por diversos fatores.

  • Contato:

Canal direto entre o comprador e o Produtor em caso de dúvidas sobre o produto.

 Redes sociais    

Além da sua página de vendas, as redes sociais são suas grandes aliadas na divulgação do seu produto digital.

Apesar da variedade de redes sociais existentes, nem todas terão fit com o seu produto.

Cabe você decidir quais delas são mais adequadas para a sua estratégia, após um estudo cuidadoso do seu negócio e da sua persona.

Abaixo falamos um pouco mais sobre as mais comuns.

Linkedin

Apesar de existir desde 2003, o Linkedin ainda é pouco utilizado por empreendedores para divulgar seus produtos.

Mas se os 25 milhões de usuários ativos no Brasil não são suficientes para convencer você a investir nessa rede social, dá só uma olhada no texto que fizemos sobre Marketing no Linkedin, que, com certeza, você descobrirá outros motivos para incluir o Linkedin na sua estratégia de divulgação a partir de agora.  

Twitter

Por causa da limitação de caracteres o twitter é um ótimo espaço para compartilhar links para o seu blog.

Se você é Afiliado, pode compartilhar o link para a página de vendas onde está hospedada o seu  produto.

Você também pode veicular diferentes tipos de anúncios no Twitter, como: Tweets Promovidos, Contas Promovidas e Assuntos Promovidos.

Todos eles são identificados com o ícone “promovido” e podem aparecer para o usuário quando ele acessa ou quando ele faz logout da conta.

Instagram

O Instagram é uma das maiores redes sociais do mundo, com mais 400 milhões de usuários ativos. Desse total 8% são brasileiros.

Os vídeos curtos, histories, fotos e imagens em carrossel são ótimos formatos para falar sobre o universo do seu nicho e educar a sua audiência sobre o uso do seu produto ou serviço.

Para anunciar no Instagram você utiliza o Instagram Ads, e assim como em outras redes sociais, você pode propor diferentes CTAs para o seu usuário como: se inscrever na sua página, curtir o seu perfil ou comprar o seu produto.

Facebook

Já o Facebook é a rede social com o maior número de usuários ativos no mundo (são cerca de 1,6 bilhões de pessoas interagindo mensalmente!).

Quando utilizado da maneira correta ele pode atrair milhares de leads para conhecer o seu produto, tanto de maneira orgânica, como por meio de anúncios pagos.

Para atrair o usuário de maneira orgânica, você precisará de oferecer conteúdo de qualidade para o seu lead, antes de apresentar o seu produto.

O ideal é que as postagens da sua Fanpage/perfil estejam divididas da seguinte maneira:

  • 80% conteúdo relevante: conteúdos de topo de funil que vão educar o lead sobre determinado tema.
  • 20% anúncios: sobre o seu produto/solução.

Imagine que você é um produtor digital que vende um curso de aeróbica, você pode disponibilizar um infográfico sobre os benefícios da atividade física para a prevenção de doenças cardíacas ou um e-book com receitas específicas para o pré-treino.

Esses são apenas alguns exemplos de ofertas de conteúdo que você pode entregar para manter a sua audiência engajada na sua página.

Outra estratégia que pode te ajudar a se tornar uma referência em seu nicho de atuação, é participar de discussões em grupos no Facebook para entender quais são as principais dúvidas da sua audiência.

Os grupos e comunidades reúnem pessoas com interesses em comum, sendo excelentes canais para divulgar seus produtos digitais para uma audiência segmentada.

Anunciando no Facebook

O grande gap da estratégia orgânica no Facebook, é que o conteúdo que você compartilha na sua página não aparece na timeline de todos os seus seguidores.

Para ser mais precisa, aproximadamente 2% das suas postagens é visualizada dessa forma.

Esse número muda constantemente (Em 2012, por exemplo o alcance orgânico do Facebook era de 16%) e é influenciado por múltiplos fatores, incluindo a relevância daquele conteúdo para o usuário.

Para chegar até esses leads, e principalmente, para atrair novos seguidores, você precisará utilizar as ferramentas do Facebook Ads.

Recentemente, nós mostramos um passo a passo para anunciar no Facebook, se você não leu esse post, pode fazer isso agora acessando esse link aqui.

Materiais ricos  

Diferentemente de blog posts, que são materiais mais objetivos e simples de consumir, materiais ricos são conteúdos mais completos e, na maioria dos casos, perene.

Eles podem te ajudar a vender o seu produto, uma vez que demonstram o seu nível de conhecimento em determinado assunto.

Entre os materiais ricos o e-book é um dos mais populares, já que pode ser lido a qualquer hora do dia, de qualquer dispositivo móvel.  

Já as videoaulas e screencasts são boas opções para fazer tutoriais, pois dispõem de recursos audiovisuais que facilitam o entendimento do espectador.

Sabemos que produzir esses materiais ricos não é uma tarefa fácil.

Por isso compilamos algumas dicas simples que podem te ajudar a criar conteúdos capazes de despertar o interesse do seu público alvo.

1- Para falar com propriedade você precisa entender o assunto

Se você não quer que o seu texto seja superficial é preciso, antes de mais nada, entender daquilo que você está falando.

E eu não estou falando aqui sobre uma pesquisa rápida na internet, mas sim de conhecimento que você só adquire com vivência de mercado.

Um produtor que é considerado uma referência em games, não pode falar sobre moda e beleza, e vice versa.

A sua persona só irá fornecer algum dado à você, se ela perceber que aquele conteúdo realmente agrega valor à vida dela ou é útil para solucionar um problema que ela esteja enfrentando.

2- Pesquise antes de produzir materiais ricos

Mesmo que você já tenha conhecimento prévio sobre o assunto, pular a etapa de pesquisa não é uma opção!

Afinal, no mundo de hoje, em que novidades tecnológicas aparecem a todo o momento, você precisa estar atualizado para que o seu conteúdo não se torne descartável.

Durante a sua pesquisa, você também pode encontrar referências visuais e de texto que podem te ajudar a tornar o seu produto ainda mais rico e atrativo para o seu lead, além de descobrir os materiais que já foram publicados sobre o assunto,  e assim propor uma abordagem diferente.

3- Conheça o seu público-alvo

Ao criar um material rico o seu objetivo é ajudar alguém a solucionar um problema, certo? E aqui mais uma vez entra a figura da persona.

A partir do momento que você define a audiência qualificada para a sua página, você consegue direcionar a sua comunicação para pessoas que realmente estão interessadas nos seus produtos.

A sua persona definirá que tipo de informação o seu material rico deve conter, qual linguagem você deve utilizar, quais imagens geram maior engajamento, entre outros fatores.

E-mail marketing 

O e-mail  marketing ainda é a melhor ferramenta para manter a sua audiência engajada.

Duvida?

Dados recentes da Hubspot, empresa especialista no segmento de automação de marketing, mostram que empreendedores que utilizam e-mail marketing para nutrir seus leads geram 50% mais leads qualificados para vendas, do que aqueles que utilizam outros canais de comunicação.   

O mesmo estudo mostra que o número de usuários de e-mail irá crescer para 3 bilhões, até 2020.

Não bastasse esses dois motivos, o e-mail marketing também é o tipo de campanha com melhor custo benefício.

Basta que você tenha uma lista de e-mails, composta por pessoas que se inscreveram no seu site ou página de vendas;  e um bom serviço de disparo de e-mail, que fará toda a parte operacional por você.

Diferentemente da sua conta de e-mail pessoal, ferramentas de disparo de e-mails como o Mailchimp ou Klickmail, possibilitam o cadastro e o envio de mensagens em massa, além de fornecer relatórios com dados como taxa de abertura e tempo de permanência no e-mail, que irão te ajudar a aprimorar sua estratégia de vendas.

Enviando e-mail para as pessoas certas

Mais importante do que criar e-mails atrativos e contratar uma ferramenta de disparo eficiente, é enviar o e-mail para pessoas que já demonstraram interesse pelo seu produto.

Por isso é recomendável entrar em contato apenas com os usuários que se inscreveram no seu site, ou que fizeram alguma compra, porque assim é mais fácil que elas identifiquem do que aquele conteúdo se trata.

Sobre hipótese alguma use listas pagas, ainda que a sua meta seja atrair visibilidade para a sua marca.

E-mails enviados para listas compradas, além de não converterem, ainda configuram como SPAM, o que significa que ele pode nunca vir a ser clicado.

Algumas práticas podem te ajudar a crescer a sua base de maneira eficiente e sustentável, nós falamos sobre cada uma delas no post como utilizar o e-mail marketing de forma correta.

Segmentando sua audiência

Você seguiu nossas dicas e criou uma lista de e-mails apenas com usuários do seu site. O próximo passo: criar novas listas, segmentando os seus leads de acordo com a etapa em que eles se encontram no seu funil de vendas.

Essa segmentação é importante, porque nem sempre o e-mail que você criou, será pertinente para toda a sua base.

Calma que eu explico!

A audiência que se encontra no topo do funil, está na fase de conhecimento. Quer dizer que muitas vezes ela sequer identificou um problema e que se inscreveu na sua lista para saber mais sobre o assunto.

Os leads do meio de funil estão na fase de consideração, o que significa que eles já identificaram um problema e estão buscando por possíveis soluções.

Já os leads que estão no fundo do funil estão engajados com seu conteúdo há mais tempo e este é o momento ideal para mostrar que seu produto é a melhor solução eles, com cases e depoimentos, por exemplo.

Produto: Como cultivar produtos orgânicos em casa.

Conteúdo de topo de funil: Longevidade: 8 dicas para viver mais (aqui você pode inserir “produtos orgânicos” em um dos tópicos)

Conteúdo de meio de funil: 10 vantagens de consumir alimentos orgânicos

Conteúdo de fundo de funil: Como uma dona de casa comum mudou de vida com alimentos orgânicos (nesse tipo de email você pode apresentar um case de um cliente seu e oferecer seu produto como solução para seu lead)

Blog e site

É recomendável que você crie um canal de comunicação com o seu público, para impulsionar a sua estratégia orgânica.

Ao contrário da página de vendas, que é focada na conversão, os sites e blogs são espaços voltados para a nutrição de leads, onde você pode compartilhar conteúdo relevante para a sua base, e construir a sua reputação sobre aquele tema.

Imagine que você venda um curso online sobre Yoga e meditação, e possui um blog voltado para um estilo de vida saudável e mais zen.

É provável que alguns usuários acessem a sua página, vindos de uma pesquisa no Google.

É claro que, para aparecer nos primeiros resultados da busca orgânica, você precisará dominar técnicas de SEO e atender os padrões de qualidade de cada buscador.

No caso do Google são mais de 200 fatores considerados para rankeamento.

A boa notícia é que um dos fatores avaliados pelos motores de busca é a relevância do seu conteúdo para o usuário.

Ou seja, quanto mais conteúdo de qualidade você produzir, mais rápido aparecerá na primeira página, em pesquisas relacionadas ao seu nicho de atuação.

Por isso o blog ou o site são ferramentas fundamentais para a nutrição de leads, cumprindo um papel tão importante quanto o das redes sociais.

Em relação ao conteúdo, a regra do 80/20 que falamos no tópico sobre o Facebook, também se aplica no blog e no site: a sua produção deve ser 80% voltada para topo de funil e 20% para o meio e para o fundo.

Lembre-se que a sua página de vendas já fala sobre o seu produto e foque em criar uma relação duradoura com o seu lead e ajudá-lo a identificar um problema.

Publicidade paga 

Chegar nos primeiros lugares da pesquisa orgânica requer tempo e um trabalho árduo e contínuo de SEO, além de adequação constante do seu conteúdo para manter a sua página atualizada, e consequentemente, relevante.

Isso pode, e deve ser feito, mas até que você alcance o status de líder de mercado, é necessário ter visibilidade para o seu produto.

A opção pela publicidade paga vai te poupar tempo, enquanto você trabalha a sua estratégia orgânica.

Atualmente, existem diversas redes onde você pode anunciar o seu produto, a mais conhecida delas, com certeza, é o Google Adwords.

Para ter acesso ao painel de funcionalidade do Adwords você precisará apenas de ter uma conta ativa no Gmail.

A partir do momento que você opta pela publicidade paga, você precisará investir na aparência dos seus anúncios, o que inclui criar imagens e texto, que dialoguem com o seu consumidor potencial e que sejam convidativos para o clique.

Mas, talvez, a parte mais importante de criar um anúncio seja a segmentação: é preciso atingir o público que estará mais propenso a comprar o seu produto, de acordo com sua pesquisa de personas.

Nesse caso você ficará feliz de saber que existem diversos filtros para segmentar a sua audiência, baseados na localização do usuário, gênero, faixa etária, tipo de dispositivo, entre outros.

Você pode combinar mais de uma opção para criar um público ainda mais assertivo para o seu produto e evitar tráfego vazio.

Aqui no blog nós já fizemos diversos posts sobre como criar anúncios, tanto no Facebook como no Adwords, também falamos sobre remarketing que é outra prática adotada por anunciantes, para alcançar pessoas que já pesquisaram sobre o seu produto, mas que por algum motivo não concluíram a compra.

Boas vendas

Se você chegou até aqui já percebeu que existem diversas maneiras de anunciar o seu produto pela internet. Vai depender de você escolher aquela ou aquelas estratégias que podem trazer os melhores resultados para o seu empreendimento.

Sinta-se à vontade para consultar esse conteúdo sempre que precisar!

Gostou desse texto? Deixe suas dúvidas ou sugestões nos nossos comentários.