Como escrever para blog: 9 dicas fundamentais para criar conteúdos atraentes!

Como escrever para blog: 9 dicas fundamentais para criar conteúdos atraentes!

Ter um blog é essencial para uma boa estratégia de marketing digital. Por isso, conheça 9 dicas fundamentais que irão te ajudar a escrever no seu blog de maneira completa.

Escrever no seu blog é um elemento muito importante nas estratégias de marketing de conteúdo. É através dele que você gera conteúdo relevante e envolve sua audiência em torno de sua marca. Por isso, é fundamental saber como escrever conteúdos completos.

Porém, ótimas pautas e conhecimento da língua portuguesa não fazem de alguém um excelente redator. Algumas técnicas são necessárias para que seus textos fiquem cada vez mais assertivos para seu público.

Então, surge aqui um grande desafio: como escrever no seu blog bem?

Neste post, vamos te ajudar a entender os principais pontos que você precisa pensar quando for criar conteúdo para seu blog.

Você está preparado para uma jornada no mundo da construção de textos para a web?

Então, vamos lá!

1. Conheça bem seu público-alvo

Boas ideias para pessoas erradas são apenas assuntos sem importância.

O principal quando você escrever no seu blog é ter um conteúdo completo entregue na hora certa e para pessoas interessadas. Ou seja, crie textos que tenham uma finalidade, com conteúdo e contexto.

Não adianta você pesquisar e escrever um post completo se ele não for lido por pessoas que queiram saber mais sobre aquele assunto.

E como você sabe quem tem interesse?

Defina sua persona!

Entenda os problemas dos seus possíveis leitores e coloque-se no lugar deles. Ao fazer isso, você consegue escrever no seu blog com objetivos reais.

2. Defina as palavras-chave

Se você já tem a persona bem definida, este é o momento ideal para pesquisar palavras-chave.

Use termos relacionados ao nicho do seu blog e que são sempre procurados. Para isso você pode utilizar ferramentas como o Google Keyword Planner e o Keyword Tool. Elas mostram termos relacionados ao que você está pesquisando e indicam o volume médio de busca no Google por aquela palavra.

Em geral, você trabalhará com dois tipos de palavras-chave: head tail e long tail.

  • Head tail são palavras mais abrangentes. Elas descrevem o nicho do seu post de uma maneira geral. Por exemplo: você quer escrever um texto sobre violinos. No desenvolvimento, você pretende mostrar músicas para tocar no violino. Uma palavra-chave head tail poderia ser: “músicas para violino”.
  • Long tail são termos bem específicos. Por descreverem mais o seu tema, é provável que o texto chegue aos primeiros lugares de busca com menos competição. Ainda no exemplo do tema violinos, você pode ser bem específico. “Músicas românticas para solar no violino em casamentos” é um exemplo que poderia ser usado.

Lembre-se de escolher palavras-chave com base nos tópicos sobre os quais a sua persona está tentando aprender mais. Mas evite escrever a mesma palavra repetidamente.

Logo no início da criação e utilização do Google, na década de 1990, os resultados das pesquisas eram dados de acordo com a palavra-chave exata. Os mecanismos de busca não conseguiam analisar semanticamente. Ou seja, eles não entendiam que palavras do mesmo campo semântico falavam de um só assunto.

A análise para colocar textos como primeiros colocados no Google era feita apenas pela sintaxe. Isso quer dizer que os textos que repetiam a palavra-chave várias vezes eram mostrados no topo da primeira página dos mecanismos de busca.

Percebendo essa falha, os donos de sites e blogs que estudavam técnicas de SEO começaram a escrever o mesmo termo repetidamente ao longo do texto. Isso fazia com que os textos ficassem bem colocados como resultados de pesquisas. Então, os mecanismos de busca perceberam que era necessário evitar que as melhores posições fossem ocupadas por textos repetitivos.

Por isso, ao longo dos anos, os algoritmos que calculam o percentual de vezes que uma palavra aparece no texto foram aprimorados. Por volta de 2007, já não era mais levado em conta a quantidade de palavras-chave repetidas para ranquear bem o texto. O importante agora é a relevância do assunto e palavras no texto relacionadas a esse conteúdo.

Algumas das atualizações do algoritmo são Panda, Penguim e Humming bird. Elas são responsáveis por relacionar o título ao restante do texto. Então, se você escreve sobre “Como fazer uma festa de aniversário”, os algoritmos procuram por sinônimos e palavras do mesmo campo semântico, por exemplo “balões”, “salão de festa”, “decoração”. Então, usando termos semelhantes e da mesma área semântica é possível evitar o keyword stuffing (repetição desnecessária de palavras).

Assim, os robôs de busca identificam textos que usam muito a mesma palavra-chave. Eles são penalizados e não aparecem mais como primeiros colocados no Google.

Agora, os mecanismos de busca tentam entender a intenção de quem pesquisa cada assunto. Com isso, os resultados mostrados são os mais úteis e relacionados à palavra-chave.

Então, os textos mais valorizados nas buscas são aqueles que permitem uma boa experiência ao usuário. Por isso o conteúdo é muito importante. Ao escrever no seu blog, seus textos precisam ser educativos e completos para os usuários.

Além disso, repetir faz com que o texto fique cansativo. Os leitores podem deixar de ler até o final por causa disso.

3. Tenha boas ideias

Pode parecer fácil, mas ter boas ideias é mais do que apenas pensar em assuntos que você conhece.

Escrever no seu blog é uma maneira de educar os leitores. Por isso, você precisa de conteúdos relevantes.

É claro que, sempre que você pensar em um assunto, é importante anotar sua ideia. Mas depois disso, você precisa analisar se aquilo pode ser útil para o blog.

Então:

  • Pesquise os conteúdos que você imaginou. Veja se eles são assuntos procurados e desenvolvidos na internet.
  • Mantenha-se sempre atualizado. Leia blogs, revistas, jornais e livros diferentes.
  • Crie uma rotina de estudos. Aprenda a buscar informações sobre assuntos que você ainda não domina ou não conhece.

4. Seja claro e objetivo

“E a imaginação dela, como as cegonhas que um ilustre viajante viu desferirem o voo desde o Ilisso às ribas africanas, sem embargo das ruínas e dos tempos, — a imaginação dessa senhora também voou por sobre os destroços presentes até às ribas de uma África juvenil…” (Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas)

Foi fácil entender todas as palavras do Machado de Assis?

Quando a escrita é muito rebuscada, a compreensão do texto não é completa.

Palavras de difícil entendimento, pouco utilizadas e que não estão de acordo com o vocabulário da sua persona não são recomendáveis.

Seu post tem como objetivo solucionar possíveis problemas dos leitores do blog. Então, seja claro e apresente as informações de uma maneira fácil para elas serem consumidas.

5. Crie um bom título

O título é o primeiro contato do leitor com o seu post. Ele guia o conteúdo e é o que atrai visitas ao seu site. Principalmente se estiver concorrendo com outros conteúdos na primeira página dos motores de busca, como o Google.

Por isso, o título precisa ser bem adequado ao tema. É nele que você fará um resumo de todo o conteúdo desenvolvido no texto.

Um ótimo título precisa:

  • Ser atrativo.
  • Convencer o leitor.
  • Ter a palavra-chave.
  • Despertar a curiosidade.
  • Ter de 55 a 67 caracteres (para que ele apareça por inteiro nos resultados de busca).
  • Fazer promessas que possam ser realizadas. Porém, tome cuidado para não exagerar. Não prometa uma solução que o texto não apresentará.

Além disso, você pode:

Não se esqueça: o título é o que faz as pessoas lerem o seu texto para chegar à sua promessa. Desenvolva seu conteúdo pensando nisso.

6. Pense no formato digital

O canal de comunicação entre você e o leitor é a internet. Então, você precisa pensar em textos que funcionam aqui!

Geralmente, as pessoas procuram leituras rápidas e dinâmicas. Por isso, é importante que você construa parágrafos e frases pequenas.

Escrever no seu blog é diferente de redações para a escola. Você não precisa fazer um artigo ou um texto para passar no vestibular. As regras gramaticais ainda são importantes, mas o formato do texto é diferente.

Acalme seu coração, respire fundo e pense se o seu post é mesmo ideal para um blog.

E acredite: fazer parágrafos curtos faz com que as pessoas leiam com muito mais prazer e agilidade.

Você pode também usar alguns artifícios como:

  • Dividir o conteúdo por intertítulos.
  • Fazer listas ao longo do texto.
  • Usar bullets para mostrar pontos destacados.
  • Fazer perguntas e estabelecer um diálogo com o leitor.

Esses pontos ajudam a melhorar a escaneabilidade do seu texto. Isso quer dizer que o leitor olhará o post e entenderá o assunto de uma só vez.

Mas não pense que fazer frases menores significa escrever menos. Você precisa fazer um material completo e mostrar tudo o que sabe a respeito do assunto. Ter um conteúdo que responda todas as questões que o seu título propõe é um fator muito positivo.

7. Escreva o melhor texto

Dependendo do seu segmento de mercado, é provável que já existam conteúdos a respeito dos mesmos assuntos que você deseja abordar.

Não fique apavorado!

Pesquise sua palavra-chave no Google (em uma aba anônima) e investigue os três primeiros colocados para aquele termo. O seu objetivo agora é escrever no seu blog um texto mais completo e interessante do que seus concorrentes.

Elementos interativos geram uma boa experiência para a sua persona e ajudam a educá-la mais. Por isso, acrescente imagens, vídeos e infográficos. Quando necessário, também insira hiperlinks em seu texto para outros posts de seu blog, e por que não, sites e blogs externos. A intenção é que o leitor tenha o mais rico acervo de informações a respeito do tópico abordado.

8. Distribua o texto

Depois dessas 7 dicas, já é possível escrever no seu blog um conteúdo completo!

Então, agora é hora de promover seu material.

Divulgue o post nas suas redes sociais e mostre a razão para as pessoas lerem seu texto. Seja criativo e compartilhe o que você fez.

Tenha em mente que nem todas as pessoas leem posts através do computador. Então, pense na experiência do usuário.

Antes de distribuir seu conteúdo, lembre-se de adaptá-lo para dispositivos diferentes. Isso estenderá o alcance do seu material.

Para isso, você precisa pensar em sites responsivos. Isso significa criar um blog que se encaixa automaticamente em qualquer tipo de dispositivo (computador, tablet, celular, etc.). Esse tipo de site muda a disposição e a aparência dos elementos do seu texto de acordo com o tamanho de cada tela utilizada pelo leitor.

O WordPress é uma boa opção para criar um blog. É possível encontrar layouts responsivos para WordPress já prontos para uso. E assim que finalizar a criação do blog, você pode fazer um teste de compatibilidade de dispositivos móveis que o próprio Google oferece.

9. “O pulo do gato!”

Você já ouviu a expressão acima?

Ela diz respeito a uma descoberta particular que faz a pessoa se salvar em uma determinada situação. Basicamente, é quando você muda de patamar, consegue sair na frente de pessoas que fazem a mesma coisa que você.

O “pulo do gato” para escrever no seu blog diz respeito aos seus conteúdos.

Quando for desenvolver suas ideias, você pode pensar em dois tipos de conteúdos: pontual e perene.

Conteúdo pontual

É aquele assunto atrelado a um momento específico do tempo. Como exemplo, temos as notícias diárias e conteúdos sazonais.

Esse tipo de informação é bem útil para escrever no seu blog. Porém, o tráfego em seu post será apenas durante uma época do ano. Você terá picos de acesso, mas o texto pode ficar obsoleto depois.

Conteúdo perene

Os assuntos escolhidos aqui não têm vida útil limitada. Os exemplos são tutoriais, formas de entretenimento e definições específicas.

Com esse tipo de informação, você acumula visitas ao seu blog. Seus posts serão úteis durante todo o tempo.

Por isso, pense no tráfego que você quer no blog para decidir o tipo de conteúdo que desenvolverá.

Você já está pronto para começar a escrever no seu blog? Deixe seu comentário sobre suas dicas ou dúvidas a respeito desse assunto.