Como mudar de carreira aos 30?

Como mudar de carreira aos 30?

Mudar de carreira pode ser desafiador, especialmente a partir de uma certa idade. Veja algumas dicas para fazer uma transição bem-sucedida.

A partir do momento que começamos a andar e falar, já somos questionados sobre “o que queremos ser quando crescer”. Essa pressão social para descobrir a nossa vocação para o mercado de trabalho continua até que escolhemos uma carreira, na maioria das vezes, com menos de 18 anos.

Na ansiedade de escolher a profissão certa e até mesmo de agradar a família, muitas pessoas escolhem carreiras inadequadas e sem sinergia com suas habilidades. Com isso, cresce o número de profissionais insatisfeitos com o próprio trabalho, de acordo com pesquisa da Isma Brasil, são cerca de 72% dos brasileiros.

Mas o dado acima não é o único que chama atenção!

Segundo outra pesquisa encomendada pela Pactive Consultoria, 58% dos entrevistados já pensaram em “abandonar tudo” para começar outra carreira, mas têm dificuldades em abrir mão de suas conquistas profissionais, principalmente da estabilidade financeira.

Pensando nessas pessoas, separamos algumas dicas para profissionais que desejam fazer uma transição em suas carreiras: afinal, o que é preciso levar em consideração antes de dar um passo tão importante?

No post de hoje, falaremos sobre a mudança de carreira aos 30 anos. Fique de olho nas nossas dicas e sinta-se à vontade para compartilhar este texto com amigos que possam estar passando pelo mesmo problema!

A vida profissional aos 30 anos

Apesar de parecer um pouco cedo para ter uma crise profissional, é bem comum pessoas buscarem alternativas para suas carreiras com essa idade, principalmente quando falamos da geração conhecida como “millennials”, que cresceu com acesso à internet e mais atenta à novos mercados de atuação.

Essa geração já tem alguma experiência no mercado de trabalho, mas ainda não alcançou cargos de chefia em suas áreas de atuação, o que pode ser desmotivador. Também são adeptos à ideias como trabalhar em casa, ser freelancer ou ter um negócio próprio, pois valorizam a liberdade profissional.

Outro fator que motiva a mudança de carreira nessa idade é que muitos profissionais de 30 anos ou mais já constituíram família ou estão pensando em se casar e ter filhos. Portanto, eles têm outros aspectos da sua vida disputando atenção com suas carreiras, além de sentirem uma necessidade maior de ganhar dinheiro e ter um plano de carreira a médio e longo prazo.

Se antes, esse profissional aceitava ganhar menos, em troca do aprendizado e da oportunidade de trabalhar em empresas promissoras, agora, o reconhecimento financeiro tem um papel importante em suas negociações de trabalho e ele começa a se preocupar mais com o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Empregos com jornadas longas ou que exigem que o profissional viaje constantemente deixam de ser a primeira opção para esse grupo a partir do momento que eles percebem que querem passar mais tempo com a família.

É claro que para toda regra existe uma exceção, ou seja, existem profissionais na casa dos 30 anos que não se identificam com o perfil descrito acima. Mas se você se identificou, sugerimos que  leia mais sobre o assunto para tomar uma decisão bem informada.

Como descobrir se você precisa mudar de carreira?

“Tenho 30 anos, isso significa que preciso mudar de carreira?”. Não, necessariamente. A mudança só faz sentido se você estiver insatisfeito com o que faz.

É possível que você esteja cansado fisicamente. Nesse caso, tirar férias já é suficiente para voltar com as energias renovadas.

Mas se você retomou a suas atividades depois de alguns dias de descanso, e mesmo assim não consegue se adaptar à sua rotina, talvez seja o momento de prestar atenção em alguns sinais cotidianos.

  • Você se sente valorizado na sua empresa?
  • Tem dificuldade de levantar para ir  ao trabalho?
  • Seu trabalho está te trazendo mais tristeza do que alegria?
  • Você exerce sua profissão por uma pressão social?

As respostas para essas perguntas te ajudarão a definir se você precisa de um descanso, uma mudança de cargo ou algo mais radical, como mudar de área de atuação.

Recentemente, fizemos um Hotmart Tips abordando a mudança de carreira. Dá só uma olhada!

Como se preparar para a mudança

Estar entediado, frustrado ou insatisfeito com a sua profissão são motivos legítimos para questionar se é aquilo mesmo que você quer fazer para o resto da sua vida. Mas nós garantimos que procurar o seu chefe e pedir demissão agora não é a melhor solução.

Ao invés disso, você pode ir se preparando desde já para que a sua transição profissional seja bem-sucedida e não seja necessário fazer outra mudança nos próximos dez anos. Algumas dicas ajudam bastante nessa hora:

1. Em momentos de mudanças, mais importante do que saber o que você quer, é saber o que não quer fazer

Pense naquelas atividades que você não gosta de executar no seu dia a dia ou que prefere delegar para terceiros.

2. Faça uma lista de tarefas que você realiza com facilidade

Em qual tipo de atividade  as pessoas te pedem ajuda? Quais assuntos você domina e gosta de compartilhar? Fazendo esse exercício, você pode descobrir uma nova ocupação que gere renda e te proporcione satisfação pessoal ao mesmo tempo.

3. Procure ajuda profissional

Quando estamos pensando em fazer uma mudança em nossas vidas, naturalmente, pensamos em pedir conselhos para familiares e amigos, certo?

Mas você sabia que a opinião deles pode te atrapalhar, ao invés de ajudar? Isso acontece porque pessoas muito próximas são pautadas por estímulos emocionais e têm medo de que o novo desafio não dê certo, por isso elas podem te desmotivar.

O ideal é procurar a ajuda de profissionais como coachs, psicólogos ou analistas de recursos humanos, que estão mais preparados para identificar suas potencialidades e mostrar como você pode utilizá-las para alcançar o seu objetivo.

4. Não se compare a outras pessoas

Cada profissional tem uma trajetória, independentemente de suas aptidões. Pode ser que a pessoa que entrou na empresa junto com você tenha uma ascensão mais rápida, por ter as características que a empresa precisava naquele momento, mas isto não quer dizer que você seja um profissional menos qualificado.

Acredite, se você é o profissional certo para aquela função e trabalha focado na satisfação do seu cliente final, eventualmente será recompensando.

O que nós queremos dizer com esse exemplo hipotético é que você nunca deve se comparar com outros profissionais. Além de ser uma prática mal vista, se preocupar com outras pessoas prejudica a sua produtividade.

5. Prepare-se financeiramente

A formação em uma nova área e até mesmo a recolocação profissional exigem tempo e investimento, o que significa abrir mão de um certo estilo de vida, principalmente se você tem família.

Por isso, para não tomar grandes sustos na hora de fazer uma transição de carreira, você precisa estar preparado financeiramente. Existem casos de pessoas que juntam o dinheiro necessário para ficar entre seis meses a um ano fora do mercado de trabalho convencional.

Se você optar por ter um negócio próprio,  lembre-se de somar as despesas do seu negócio as suas despesas pessoais.

6. Analise o grau de adaptação que a mudança de carreira exigirá de você

Se você deseja abandonar a carreira de executivo de uma grande empresa para fazer artesanato, será um tipo de transição. Abandonar a carreira de engenheiro para se aventurar como professor universitário, a mudança se dará de outra forma.

É preciso considerar: a mudança de carreira exigirá alguma especialização? Existe alguma coisa que eu já sei que pode servir na minha nova trajetória profissional? O que nos leva ao próximo tópico.

7. Encontre áreas nas quais você possa utilizar habilidades que já tem

É claro que nada te impede de buscar uma profissão totalmente diferente de tudo o que você já fez até hoje, mas mesmo nas mudanças mais radicais, é possível aproveitar algum conhecimento adquirido em sua trajetória profissional.

Quando o profissional identifica as competências adquiridas por ele que podem ajudá-lo em sua nova profissão, ele se sente menos intimidado.

8. Construa uma rede de contatos

Disparar currículos não é muito efetivo se as pessoas só te conhecerem pelo seu passado profissional e não souberem que você está em busca de novos desafios na sua carreira. Em poucas palavras, esse é o momento de acionar aquelas conexões que você construiu no passado.

Por isso, nunca menospreze o poder do networking. Identifique profissionais que tenham valores parecidos com os seus, mesmo que eles sejam de mercados diferentes. Eventualmente, esses contatos poderão abrir portas para você na empresa na qual trabalham.

Manter contato com a sua rede é útil também  para conhecer os desafios que esses profissionais enfrentam no dia a dia.

Uma possibilidade de mercado: cursos online

Atualmente, o Google recebe mais de 40 mil pesquisas por segundo, o que significa 3.5 bilhões de pesquisas por dia. É um volume considerável, certo?

Devido a esse crescimento exponencial, cada vez mais pessoas estão vendo os motores de busca como uma grande vitrine para divulgar o seu trabalho.

E uma boa forma de fazer isso é criando cursos online. Cursos online são materiais educativos, em formato digital, vendidos ou distribuídos pela internet. Você pode ser um excelente cozinheiro e decidir capitalizar este talento ensinando para outras pessoas o básico sobre culinária e preparo de alimentos.

Não é preciso ir muito longe para encontrar pessoas que consomem esse tipo de conteúdo. Prova disso é que o ensino a distância é um dos segmentos da educação que mais crescem no Brasil, de acordo com o MEC, seja por cursos de graduação ou por temas livres.

Uma das maiores vantagens desse formato é que não é preciso ser um professor para criar o seu próprio curso online. Basta que você tenha um conhecimento e queira compartilhá-lo com outras pessoas. E a boa notícia é que é possível criar um curso online gastando pouco ou quase nada.  

Aqui no blog, nós fizemos vários posts sobre como criar e vender cursos online, fazer roteiro de videoaula, melhorar sua desenvoltura em frente às câmeras, como fazer videoaulas atraentes,  para entender se essa é a melhor opção para a sua mudança de carreira:

Conclusão

Mudar requer sair da zona de conforto, então, não existe uma fórmula pronta para isso. O que você pode fazer é se preparar emocionalmente e financeiramente para que essa mudança ocorra da melhor forma possível e, principalmente, que o resultado seja aquele que você estava esperando.

Não deixe de mudar de carreira por “medo do novo” ou por se considerar velho demais. Lembre de exemplos célebres como Leonard Cohen, Samuel L. Jackson e tantos outros profissionais renomados que só começaram suas carreiras a partir dos 40 anos.

E por último, tenha sempre em mente que qualquer passo que você der não é definitivo. Se você tomar o cuidado necessário para fazer a sua transição e preservar suas relações profissionais mais antigas, sempre terá portas abertas caso se arrependa da sua decisão.

Tem mais alguma dica que acha que pode ajudar na mudança de carreira? Compartilhe com a gente nos comentários!