Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

BERT: conheça o novo algoritmo do Google e o que ele significa para a SERP

BERT: conheça o novo algoritmo do Google e o que ele significa para a SERP

Conheça o BERT, a nova tecnologia de inteligência artificial do Google que promete revolucionar os resultados de busca!

Provavelmente, você ainda não ouviu falar do BERT, o novo sistema de inteligência artificial do Google. Mas, muito em breve, ele afetará os resultados de muitas das buscas feitas no serviço e a estratégia online de seu negócio.

Com uma certa frequência, o Google implementa mudanças em seu sistema de busca. Algumas dessas alterações são sutis, enquanto outras viram o mundo do SEO e do marketing digital de cabeça para baixo.

Agora, a empresa prepara sua maior mudança em cinco anos, desde a introdução do  RankBrain. Estima-se que o novo algoritmo afetará 1 em cada 10 páginas de resultados, alterando drasticamente quais páginas ranqueiam para essas buscas.

O BERT foi lançado no fim de outubro deste ano para buscas em inglês e, em breve, começará a ser disponibilizado para o restante dos usuários.

Continue lendo este artigo para conhecer mais detalhes do Google BERT, como ele funciona, seu impacto na SERP e quais as maiores mudanças que o SEO sofrerá daqui para a frente.

O que é Google BERT e como ele funciona?

BERT é um acrônimo para Bidirectional Encoder Representations from Transformers. O nome parece complicado, mas o conceito é até simples de entender.

Trata-se de uma tecnologia de rede neural criada para melhorar o processamento de linguagem natural. Ou seja, ela ajuda os robôs do Google entenderem a linguagem de um jeito mais parecido com os humanos.

Atualmente, a plataforma usa um sistema de indexação e rastreio que leva em conta basicamente as palavras-chave utilizadas pelo usuário. Entretanto, com o BERT, o Google passa a considerar também a sequência e o contexto da frase.

Para ficar ainda mais fácil de entender:

O atual modelo leva em conta a ordem dos termos na frase que o usuário usa para pesquisar. Com o BERT, o Google será capaz de analisar a totalidade da frase, levando em consideração o contexto de uma palavra a partir dos termos que vêm antes e depois dela (daí o “bidirecional” do nome).

É como se, a partir de agora, o Google passasse a entender a intenção do usuário ao realizar uma busca.

BERT em ação

No anúncio oficial da tecnologia, o Google apresentou alguns exemplos do impacto do BERT na SERP.

O primeiro deles mostra dois resultados para a busca “2019 brazil traveler to usa need a visa” (algo como “2019 brasil turista para EUA precisa de visto”).

bert - print comparando os resultados de uma pesquisa antes e depois da implementação do BERT

Nessa frase, a palavra “to” (para) indica que o usuário quer saber se um turista brasileiro precisa de visto para viajar para os EUA.

Antes, o Google simplesmente não entendia essa relação e exibia resultados sobre cidadãos norte-americanos viajando para o Brasil. O exato oposto do que o usuário queria pesquisar.

Outro exemplo da tecnologia em ação mostra resultados para a pesquisa “can you get medicine for someone pharmacy”, ou “você pode pegar remédios para alguém farmácia”.

bert - print comparando os resultados de uma pesquisa antes e depois da implementação do BERT

Provavelmente, o usuário do exemplo acima queria saber se existe algum problema em comprar um medicamento com prescrição sem a presença do paciente. Mas os resultados parecem não estar alinhados com essa dúvida.

Atualmente, o buscador escolhe palavras-chave como “remédio” e “farmácia”, ignorando totalmente o contexto. Dessa forma, os resultados serão sobre como conseguir uma prescrição médica, por exemplo.

Já com o BERT, toda a sequência de palavras é considerada e os resultados mudam completamente. O primeiro lugar, por exemplo, já informa se é ou não possível pegar remédios com prescrição para outra pessoa.

Ou seja, agora o Google é capaz de compreender com mais precisão a intenção por trás de uma busca. E, assim, pode oferecer resultados mais precisos.

Como fica o RankBrain?

Para quem não sabe, o RankBrain foi o primeiro método baseado em Inteligência Artificial desenvolvido pelo Google para compreender melhor as buscas realizadas pelos usuários.

Analisando os termos utilizados para a pesquisa, o conteúdo dos sites indexados e o comportamento do usuário nos cliques dados na página de resposta, o RankBrain pretende entender o que o usuário quis dizer com aquela busca e o que ele realmente quer.

Além disso, esse algoritmo também ajusta os resultados de acordo com a performance de cada página em pesquisas similares realizadas anteriormente.

Como deu para perceber, o objetivo do RankBrain é muito parecido com o do BERT: compreender a intenção de busca dos usuários e oferecer resultados mais precisos.

Apesar disso, as duas tecnologias não são excludentes. Pelo contrário, são complementares.

Dessa forma, o BERT pode funcionar como um método suplementar para analisar e entender conteúdos e buscas.

Assim, dependendo da situação, o Google pode usar o RankBrain, o BERT ou uma combinação de ambos para oferecer os melhores resultados possíveis para o usuário.

Impactos do BERT em outros produtos do Google

O anúncio do BERT feito pelo Google se refere apenas à ferramenta de busca da empresa. Entretanto, é provável que outros produtos da marca sejam afetados pela nova tecnologia.

Um deles é o Google Assistente. Quando alguma busca realizada com a assistente virtual retornar algum Featured Snippets ou resultados da busca, esses resultados podem ser influenciados pelo BERT.

Além disso, a expectativa é que plataformas como YouTube e Google Maps também sejam impactadas, já que ambas são bastante utilizadas para pesquisar conteúdo na internet.

Como otimizar conteúdos para o BERT?

Agora, a pergunta que não quer calar: como otimizar suas páginas e conteúdos para o BERT? Será que isso é possível?

A resposta foi dada por Danny Sullivan, porta-voz do Google sobre assuntos relacionados a busca:

Tradução: “Não há nada para ser otimizado como BERT ou alguma coisa que precise ser repensada. Nossa busca por recompensar conteúdos de qualidade continua inalterada”

Ao longo dos anos, o conselho do Google para ranquear bem na SERP tem sido a criação de conteúdos relevantes, de qualidade e que respondam às dúvidas dos usuários.

E como o BERT foi criado para interpretar a intenção por trás de cada busca, faz sentido que oferecer conteúdo de qualidade continue sendo a principal recomendação do Google.

Agora, produtores de conteúdo podem se preocupar mais em escrever da melhor maneira possível, em vez de focar na escrita para máquinas e algoritmos.

Agora você já conhece as principais novidades do BERT, a nova tecnologia de inteligência artificial do Google. Então, aproveite para conhecer mais de perto a rotina diária de SEO, com todas as principais tarefas que você precisa para conquistar a SERP.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.