Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar

Como usar o Canvas pessoal para impulsionar seu desenvolvimento

Como usar o Canvas pessoal para impulsionar seu desenvolvimento

Veja como você pode usar essa metodologia em sua vida profissional e pessoal!

O Canvas é uma ferramenta usada para desenhar modelos de negócios. Ele ajuda a criar empresas diferenciados, rentáveis e que alcançam o coração dos clientes.

No entanto, também é possível usar essa ferramenta para o desenvolvimento próprio, o chamado Canvas pessoal.

Nós reunimos tudo o que você precisa saber sobre o tema. Nos próximos tópicos, explicamos o que é, quais os benefícios e como usar o Canvas para acelerar a carreira profissional. Continue!

O que é e os benefícios do Canvas pessoal

O Business Model Canvas (BMC) é um quadro de modelo de negócios. Ele é usado para desenhar e ter uma visão sistêmica das empresas.

Com o tempo, graças à grande popularidade e eficácia da plataforma, a ferramenta foi aplicada à vida profissional das pessoas.

Em suma, o Canvas pessoal é uma ferramenta de gestão que visa identificar pontos fortes e fracos dos indivíduos, bem como oportunidades para fortalecer e impulsionar trajetórias profissionais

Canvas pessoal - quadro 1

Há muitos benefícios relacionados ao uso da ferramenta. Em primeiro lugar, permite uma autoavaliação. O profissional se conhece melhor, por exemplo, ao entender quais são seus recursos disponíveis e quais suas atividades, duas importantes colunas do Canvas.

Também permite olhar para o ambiente externo de uma maneira diferente, identificando os parceiros-chave, os clientes (isto é, quem se ajuda) e os canais que podem ser usados para iniciar um relacionamento. Assim, dá para trabalhar com acerto.

Os 9 passos para fazer o Canvas pessoal

O quadro Canvas pessoal é subdividido em 9 principais colunas. Nos próximos tópicos, vamos mostrar como essas colunas se relacionam e a ordem correta do seu preenchimento.

Canvas pessoal - quadro 2 - modelo de negócios

 

1. Valor provido

A questão-chave para esse primeiro bloco é: como você vai ajudar as pessoas?Imagine-se como um negócio, no qual você deve produzir algo e suprir determinada demanda existente. Mas o quê?

Você pode criar uma ou mais propostas de valor, mas o ideal é focar em poucas (até quatro) e de maneira objetiva. Um exemplo é “ajudar pessoas que têm dificuldades para se alimentar bem”.

2. Clientes

Agora que entende o que fazer, é hora de definir para quem: os seus clientes.

Se você é um profissional autônomo ou liberal, é provável que seu cliente seja uma pessoa física. Aproveite para definir suas principais características: idade, região, escolaridade etc.

Por outro lado, se você é empregado, é provável que seu cliente seja sua atual empresa e outras do mesmo segmento.

Então, aproveite para estudar e definir esses negócios em poucas palavras.

3. Canais

Uma terceira questão é: como seus clientes chegam até você?

É preciso criar canais para que você tenha contato com o público-alvo, possa fechar novas vendas e iniciar uma relação.

Seus clientes podem chegar até você por meio das suas redes sociais, por exemplo? Ou é mais útil o atendimento no escritório? Que tal o contato em coworking? Pense nos melhores canais.

4. Relação

Se você é seu próprio negócio, vai desejar vender para o maior número de clientes possível. Porém, vender não é suficiente — é preciso arquitetar um relacionamento longo e rentável.

No quarto passo, tente responder a seguinte pergunta: como vocês vão interagir, mesmo após a venda?

Você pode ter uma estratégia de email marketing ou social media, por exemplo.

5. Fontes de receita

A fonte de receita refere-se a como você vai capitalizar ao suprir as demandas dos seus clientes. Em outros moldes, a ideia é entender os meios pelos quais poderá ganhar os recursos desejados.

Se você é empregado, a fonte de receita é o salário, mas também podem ser as horas-extras e serviços avulsos aos colegas de trabalho.

Se você é um profissional autônomo ou liberal, é preciso pensar em outros serviços que garantam novas fontes de receitas.

6. Recursos-chave

Agora, imagine que está criando uma videoaula por conta própria, para atender às demandas dos seus clientes e gerar receita. Quais são os recursos necessários para tornar isso realidade?

É provável que você precise de uma câmera ou smartphone de boa resolução, um tripé e um microfone profissional. Esses recursos, os mais importantes ao trabalho, são descritos no sexto bloco.

7. Atividades-chave

Imagine que seu valor é ajudar as pessoas a emagrecer por videoaulas, dando dicas e ensinando alguns truques diferentes. A questão é: quais são os principais passos nesse processo?

Você precisará criar um roteiro, gravar o vídeo, editar, eliminar as falhas e dispor aos clientes por meio de plataformas digitais. Veja que, em poucas palavras, você consegue descrever uma atividade.

8. Parceiros

Todo fornecedor pode ser considerado um parceiro-chave?

Essa dúvida é comum, e a resposta é não. Parceiro-chave é alguém mais próximo, exclusivo e que gera vantagens mútuas.

Imagine um arquiteto que fecha parceria com um engenheiro elétrico para trabalharem juntos em obras, ou um padeiro que compra seu queijo de um único fornecedor. Nesses casos, há uma parceria.

Descubra quais parceiros podem te ajudar a crescer na carreira, e inclua-os nesse bloco.

9. Estrutura de custos

No último bloco, você vai definir quais são as fontes de custos, isto é, quais serão os gastos necessários à oferta e manutenção da sua proposta de valor.

Os custos podem ser os mais diversos, como o de aluguel de uma sala de filmagens, compra de máquinas, móveis para escritório, impressão de cartões de visitas etc. Defina os mais relevantes.

Como o Canvas pessoal pode promover avanços

Não há muito segredo para preencher seu quadro no Canvas. Siga o passo a passo definido até o fim, e depois será possível ter uma visão muito mais abrangente do seu perfil profissional.

Existem muitas vantagens nisso. Primeiro, você pode usar a criatividade para criar propostas de valor, definir novos clientes e novos canais de receita.

Imagine um publicitário que está preenchendo o Canvas: ele pode incluir nos canais de receita o serviço de publicidade, mas também videoaulas e ebooks que ensinem outras pessoas a serem mais criativas.

Outra vantagem é que o quadro é algo visual, você está visualizando a construção e poderá fazer mudanças com facilidade. É diferente de um plano de carreira, que tem vários dados e páginas escritas.

Enfim, agora você está por dentro do tema. Aproveite para preencher seu quadro Canvas, descobrir novas oportunidades de carreira e alavancar seus resultados.

Ao longo do processo, seja criativo e imagine novas formas de gerar receita. Assim, você e seus clientes serão beneficiados.

E aí, gostou do nosso artigo? Aproveite para assinar nossa newsletter (no fim desta página) e ficar sempre por dentro das novidades. Vamos lá!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.