Blog_Hotmart_2021_Header_Fixo_Desktop_970x75_Blue_BR
Fechar

Golden circle: em que o círculo dourado pode ajudar seu negócio?

O golden circle é a estratégia das maiores marcas do mercado e também pode ser útil para seu negócio. Confira!

Círculo Dourado - a imagem de uma lanterna em volta de um círculo dourado

O círculo dourado, ou golden circle, é um conceito relativamente novo, mas que, nos últimos anos, vem chacoalhando as empresas focadas em desenvolvimento e competitividade.

Desde que foi cunhado e divulgado por Simon Sinek, ainda em 2009, o termo tem ganhado espaço e relevância entre os gestores mais engajados.

Se você é apaixonado por inovações e quer estar sempre por dentro das novas oportunidades, não deixe de ler este texto até o final! No post, você vai entender um pouco mais sobre o conceito do golden circle e conhecer sua origem.

Além disso, também vai saber como ele funciona e por que você deve aplicar as diretrizes do método se quiser aumentar sua influência — e a do seu negócio.

Para fechar com chave de ouro (vale o trocadilho, né?), você vai ter acesso a exemplos reais de empresas que aplicaram o círculo dourado em suas estratégias e se deram muito bem com isso.

O que é o círculo dourado e como ele surgiu?

Círculo dourado ou Golden Circle é uma teoria, representada por um gráfico circular, separado em três diâmetros, com a orientação de dentro para fora, o qual expressa três indagações essenciais: por que, como e o que. 

Essa figura direciona um tipo de pensamento e comunicação que levou empresas e líderes a terem muito sucesso em suas carreiras e empreendimentos.  

A ideia do Golden Circle é começar o desenvolvimento de um projeto com esse questionamento: “por que”. 

Segundo Simon Sinek — criador desse conceito — o mais importante para que uma empresa alcance seus objetivos é entender, com clareza, o motivo pelo qual ela existe. 

E essa é a essência do Golden Circle: considerar a razão da existência de uma ideia, organização, produto ou serviço, para depois apresentar como fazê-lo e do que se trata essa solução.

Resultado de imagem para Simon Sinek ted image

Surgimento do conceito

Simon Sinek é um autor britânico-americano e palestrante motivacional. Ele criou a ideia de Golden Circle e escreveu o livro ” Start With Why (2009)”, no qual aborda essa teoria.

Além do livro, Simon explica em uma palestra exibida pelo TED Talks, como líderes e empresas inspiram ações nas pessoas, como os consumidores escolhem comprar uma ideia ou até mesmo, seguir um propósito específico.

Em sua fala, ele conta que ao observar o mundo, de modo geral, e também as empresas que se destacam no mercado, como a Apple por exemplo, percebeu que existe um padrão de comportamento dos idealizadores: todos eles pensam agem e se comunicam fundamentados em um porquê.

Seja um líder mundial ou um grande inventor ou uma grande empresa, em todos os casos, o que faz com que uma marca ou uma pessoa prospere de maneira diferenciada é justamente o fato de saberem o motivo pelo qual estão desenvolvendo aquele projeto.

E essa razão de existir é o que dá sentido ao “o que” (a solução) e ao “como” (o processo para chegar à solução). 

Portanto, levando em consideração esse princípio, existe uma grande chance dessa marca se diferenciar e se destacar no mercado.

Objetivos do círculo dourado

De acordo com Simon, o círculo dourado tem um objetivo bem claro quando aplicado à estratégia corporativa: criar ou desenvolver o valor de um novo produto, ideia ou negócio.

Na prática, o peso da tática está justamente no poder de direcionar os empreendimentos para o que é de fato importante na jornada de inspirar o mercado: conquistar consumidores fiéis e maximizar os resultados da companhia.

Uma das observações de Sinek, compartilhada durante sua palestra do TED, é emblemática para explicar a essência do golden circle:

As pessoas não compram o que você faz, elas compram o porquê você faz.

Essa citação deixa claro que um produto não é apenas um produto, mas sim, na verdade, a tradução de uma crença, de um desejo e, até mesmo, de um sonho.

A explicação das organizações bem-sucedidas, portanto, não está apenas na organização de seus processos e ou na tecnologia que aplicam — muito embora, que fique claro, tais atributos também sejam fundamentais para o bom funcionamento das operações.

O sucesso empresarial, por outro lado, está diretamente ligado à capacidade de uma marca reunir, inspirar e encantar um público cativo, valorizando a essência da organização acima de tudo. E o círculo dourado, como Sinek o propõe, é uma ferramenta importante para fortalecer esse posicionamento.

Como o círculo dourado funciona na prática?

O Círculo Dourado é um guia, que mostra a importância de se criar discursos inspiradores que partam de um propósito, de uma crença bem fundamentada. Por isso, a ideia é seguir de dentro para fora, do “porquê”, passando pelo “como” e depois apresentando o “o que”.

Na prática, podemos pensar em duas situações: uma, que acontece com maior frequência, partindo do “o que”, depois o “como” e, nem sempre, as organizações e líderes incluem o  “porquê” de fazer o que fazem.

Por exemplo, uma empresa de roupas, que não se comunica dentro dos parâmetros propostos pelo Simon, poderia ter uma abordagem assim: “Na Loja X, você encontra roupas da última moda, feitas com materiais de alta qualidade, para garantir o seu conforto e bem estar”.

Em contrapartida, imaginando essa mesma loja de roupas, o seu discurso poderia ser um pouco diferente, levando em consideração um propósito, como “Acreditamos que você não precisa escolher entre conforto e estilo. Por isso, fazemos roupas da última moda, usando materiais de alta qualidade, para que você se sinta confortável e bem vestida”.

O produto, o “o que”, continua sendo roupas, nesse caso o “como” seria feito com qualidade, mas têm um motivo, que é a crença de que “você pode estar confortável e bem vestida ao mesmo tempo”.

Pensando nessas três máximas, vamos caracterizar cada uma delas, separadamente.

O que (ou what)

É a solução que uma marca está entregando. É o produto ou serviço fim, que o consumidor vai comprar, por exemplo: o computador, a roupa, o carro, o imóvel, o serviço contratado. 

Aquilo que é tangível, direto, é o que cada marca entrega. Não é, necessariamente, o motivo pelo qual o seu consumidor se encanta ou se inspira.

Como (ou how)

O como é o processo. Ou seja, de que maneira o produto ou serviço vai beneficiar o consumidor. Quais são as atribuições ou características dessa solução, que fazem com que ele cumpra o propósito.

Por que (ou why)

E o porquê, como citado anteriormente, é justamente o propósito do negócio. É a base que sustenta a marca, o que a leva a se diferenciar das outras. 

Como aplicar o Círculo Dourado em seu negócio?

É necessário fazer um exercício de reflexão interna, para ter um autoconhecimento e encontrar essa força motriz do negócio, caso ainda não a tenha encontrado.

E essa não é uma tarefa fácil. Pois é preciso tempo e dedicação, para que essa essência seja encontrada e que, principalmente, ela seja honesta e coerente.

Em contrapartida, muitas organizações até sabem o seu propósito, mas não expressam esse “porquê” em sua comunicação. 

Portanto, por mais que elas tenham um excelente motivo para existir, se não estão mostrando isso em sua linguagem e em suas ações, é necessário repensar esses processos comunicacionais e fazer com que eles tragam essa missão à tona.

Quais empresas já adotaram o Círculo Dourado? 

Muitas empresas, mundialmente conhecidas e com grande atuação no mercado, aderiram a esse conceito e construíram suas marcas, seguindo essa orientação.

Alguns exemplos são: Nike, Apple, Disney e Coca-Cola. São organizações que têm um discurso que se conecta com o que a biologia chama de “cérebro límbico”. Essa é a região do nosso cérebro responsável pelos nossos sentimentos.

Ou seja, o que essas marcas fazem é estabelecer um vínculo emocional com os seus consumidores, fazendo com que eles se sintam mais confortáveis para comprar seus produtos e serviços.

Com isso, a escolha dos consumidores deixa de ser apenas racional e passa a ser sentimental, afetiva e é como se algo mais intrínseco influenciasse para essa decisão.

Quais resultados o círculo dourado já gerou às empresas que o adotaram?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o conceito e se aprofundou na construção da estratégia, sabendo exatamente qual é o ponto de partida e qual é o objetivo final do círculo dourado, temos certeza de que está empolgado para começar a trabalhar seu próprio propósito, certo?

Porém, antes disso, vale conhecer alguns exemplos de empresas que foram bem-sucedidas em se posicionar de acordo com seu (ou seus) porquê(s). Afinal, nada melhor do que se inspirar em quem conseguiu focar no que é realmente importante: a essência e a missão.

Apple

A empresa de Steve Jobs é, sem dúvida, uma das referências quando o assunto é propósito. De acordo com o próprio fundador, a marca foi criada para dar vazão ao pensamento criativo, investindo em design. É muito mais do que apenas fabricar computadores e dispositivos móveis.

O que Sinek reforça nesse caso específico é que, além de forte, a missão da Apple é transmitida em todos os produtos da companhia. Por isso, clientes são inspirados e motivados a desejar os itens da “maçã” — e as vendas sobem vertiginosamente.

Natura

Vale a pena ter um exemplo brasileiro, não é mesmo? A Natura é um bom parâmetro de marca coesa e que sabe bem qual é a sua missão — e cresce a passos largos em função disso.

De acordo com as comunicações da empresa e de seus líderes, a marca investe em relações. O foco é trazer harmonia às interações do indivíduo com a sociedade e satisfação consigo mesmo. A forma que ela encontrou para isso é, justamente, por meio do uso das fragrâncias.

Tesla

Tesla é uma empresa automotiva, que também tem o seu porquê bem estabelecido e leva consigo um propósito muito relacionado ao meio ambiente. Segundo a própria marca, a missão da Tesla é “acelerar a transição do mundo para a energia sustentável”. 

O modo com o qual a organização faz isso é mostrando que “veículos elétricos podem ser melhores, mais rápidos e mais divertidos de dirigir do que carros a gasolina” e, para isso, a empresa fabrica carros movidos a energia elétrica, a fim de que o mundo dependa cada vez menos de combustíveis fósseis. 

Além de carros elétricos, ela fabrica também aparelhos de geração e armazenamento de energia limpa.

Todo o seu discurso sustentável é o que dá base para que ela ofereça produtos que proporcionam essa vida menos poluente. A Tesla oferece um passo rumo a uma sociedade mais limpa, ambientalmente falando, por meio de seus produtos.

Diante disso, fica fácil perceber que, para além de uma estratégia empresarial, o círculo dourado é uma forma de encarar o mercado e tudo o que o cerca — inclusive a sociedade. A mensagem final é de que, na prática, a paixão e a missão importam e devem ser valorizadas.

Este conteúdo prendeu sua atenção e te fez repensar seu posicionamento? Excelente!

Aproveite que está por aqui e conheça 66 nichos de mercado para criar produtos digitais. Sucesso e até a próxima!