FecharNotificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

FecharNewsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Como criar uma lista de emails para enviar email marketing?

BUSCA...

Como criar uma lista de emails para enviar email marketing?

Tudo o que você precisa saber para criar uma lista de emails eficiente, transparente e que te ajude a ter sucesso na promoção de seus produtos ou serviços.

O email marketing é uma estratégia que pode gerar excelentes resultados quando usada de forma correta e bem planejada. No entanto, o que muitos não sabem é que, além de considerar a qualidade e a frequência do conteúdo que será enviado, também é necessário ser muito ético ao trabalhar com esse tipo de mensagem.

Por isso, neste post vamos mostrar tudo o que você precisa saber para criar uma lista de emails eficiente e transparente que, de fato, vai te ajudar a obter sucesso na divulgação de seus produtos ou serviços.

No entanto, cuidado! Já vou te adiantando que a sua lista de contatos não vai cair do céu, ok? Você precisará trabalhar muito para obter uma boa lista de emails! Mas te garanto que, se você fizer tudo certinho, seu esforço valerá a pena!

Vamos ver tudo com detalhes para que não fique nenhuma dúvida no final deste post.

Índice
O que é email marketing?O que é uma lista de emails?Você pode comprar uma lista de emails pronta?Como criar sua própria lista de emails?Dicas finais

O que é email marketing?

Antes de começar com nossas dicas, é muito importante esclarecer o que é o email marketing.

O email marketing é uma estratégia de marketing direto que se baseia no envio de emails para clientes ou clientes em potencial, com o objetivo de promover sua marca, produtos ou serviços e manter um relacionamento ativo e próximo com seu público-alvo.

Certamente, hoje mesmo você recebeu muitos emails desse tipo em sua caixa de entrada. Então vamos fazer um exercício super prático e que te ajudará a entender melhor do que estou falando?

Abra seu email, veja as mensagens que você recebeu nos últimos dias, e tente identificar quais são emails marketing, ou seja, conteúdos enviado por empresas, marcas ou pessoas com fins comerciais, mesmo que não estejam diretamente relacionados à venda de um produto ou serviço.

Dê uma olhada nesses emails, veja qual o tipo de título que eles colocam na mensagem, o idioma que usam, como é o layout, que tipo de imagens utilizam, qual é o seu objetivo, qual call to action usam, o que te chamou mais a atenção em cada um, etc. Isso te ajudará a entender melhor como esse tipo de estratégia funciona e quais técnicas você pode usar quando for o remetente e não o destinatário.

Voltando um pouco para a definição, você percebeu que eu falei sobre “marketing direto”? Se você não sabe o que é isso, calma, vou te explicar!

O que é marketing direto?

O marketing direto é um tipo de marketing que tem 3 características fundamentais:

  1. É direcionado a um destinatário específico.
  2. Apresenta conteúdos segmentados e direcionados.
  3. É possível medir seus resultados.

Vamos ver um exemplo? Imagine que você é um produtor digital e vende cursos de inglês online. Você tem 3 tipos diferentes de cursos: para iniciantes, para estudantes de nível intermediário e para estudantes de nível avançado.

Agora imagine que uma das pessoas em sua lista de emails é Cristina, uma estudante universitária que tem inglês avançado e quer melhorar seu conhecimento para participar de um programa de intercâmbio.

Se Cristina receber um email seu, ela estará recebendo um contato direto, enviado para a sua caixa de entrada. Ou seja, o conteúdo será direcionado diretamente para ela e não transmitido em uma mídia “genérica” ​​(como televisão, jornal ou outdoor).

No caso das mídias tradicionais, não existe uma pessoa específica para a qual a mensagem deve ser enviada: qualquer pessoa que ligue sua televisão no momento em que a propaganda for veiculada, que abra o jornal na página do anúncio ou que atravesse uma rua onde há um outdoor verá a mensagem, mesmo que não tenha nada a ver com seu perfil ou com seus interesses. Percebeu a diferença?

Além disso, no marketing direto a mensagem será enviada para Cristina, seu conteúdo será segmentado e direcionado especificamente para ela. Em outras palavras, se você tem a informação de que Cristina já possui inglês avançado, obviamente, não irá enviar uma mensagem falando sobre seu curso de inglês para iniciantes, certo?

O fato de você enviar seu conteúdo diretamente para uma pessoa permite que você personalize o que irá dizer, isso significa que você pode ter um sucesso muito maior em comparação com um texto escrito ou vídeo gravado para um público genérico e muito heterogêneo.

Agora, vamos abrir um pequeno parênteses, antes de continuar. Você pode estar se perguntando: “Mas, como vou saber se a Cristina tem um nível avançado de inglês?”. É possível saber isso, sim, e em breve te diremos como. Eu sei que você deve estar curioso, mas não precisa se preocupar com isso, por enquanto.

O último ponto relacionado ao marketing direto é a capacidade de medir resultados. Se você colocar uma propaganda em uma revista, por exemplo, como saberá quantos leitores terão acesso à mensagem? É totalmente impossível ter essa informação, porque mesmo se você souber quantas pessoas compraram a revista (algo que já é bastante complicado), você nunca saberá quem abriu a página onde está o seu conteúdo e, muito menos, quem comprou o produto baseado naquele anúncio. O mesmo vale para um outdoor: você nunca saberá quantas pessoas passaram em frente ao seu anúncio.

No entanto, o marketing direto é totalmente diferente: quando você envia um email usando um bom sistema de envio, você sabe exatamente quem abriu sua mensagem e quando isso foi feito. Além disso, você pode saber se o destinatário clicou em um link que você incluiu em sua mensagem. Tudo isso permite que você meça seus resultados e desenvolva estratégias de acordo com as ações de seus destinatários.

O que é uma lista de emails?

Agora que você sabe o que é o email marketing, também é bom esclarecer o que é uma lista de emails. Imagine que você possui um supermercado e tem um depósito onde armazena a comida que vende.

Para encontrar os produtos que irão para as gôndolas, é necessário que eles estejam muito bem organizados de acordo com suas características (biscoitos doces, biscoitos salgados, macarrão, molhos, frutas, carnes, queijos, sobremesas, etc.).

No entanto, se essas mercadorias estiverem desorganizadas (cada uma em um lugar, todas misturadas e sem qualquer tipo de classificação), é muito provável que você fique louco toda vez que precisar procurar um produto em seu depósito, não é?

A lista de emails é como se fosse o depósito, e as informações de seus clientes ou potenciais clientes são como os alimentos que sempre devem ser bem armazenados e organizados para que, na hora de encontrá-los, você possa fazer isso facilmente.

Quais informações você deve ter em sua lista de emails?

As informações armazenadas em sua lista de emails dependem do seu nicho de mercado e da sua empresa. Por exemplo, se você tem cursos de inglês on-line para diferentes níveis, é importante saber o nível de conhecimento de cada contato da sua lista de emails, para que você possa oferecer conteúdos de acordo com o seu perfil.

Nesse caso do curso de inglês, saber o gênero dos seus leads não é algo muito importante. Mas, se você oferecer um programa fitness de alimentação e exercícios físicos, por exemplo, essa informação será muito estratégica, porque os conteúdos podem ser muito diferentes para homens e mulheres, que têm diferentes tipos de metabolismos.

A única informação obrigatória que você deve ter para criar sua lista de emails é o endereço de email do seu lead. Mas, é claro: quanto mais informações você tiver, melhores conteúdos você poderá enviar, porque serão muito mais personalizados (e terão maior probabilidade de sucesso!).

Nome, idade, gênero, profissão, nacionalidade e número de telefone são algumas das informações que podem ser interessantes para o seu negócio. Além disso, outros dados mais específicos (como no caso do nível de inglês) podem ser muito úteis de acordo com cada nicho de mercado.

Mas tenha cuidado para não colocar muitas informações, que são mais difíceis de conseguir e, também, de controlar. Geralmente, 3 ou 4 dados são suficientes para enviar emails segmentados para seus leads.

Mais adiante, vamos te mostrar algumas ideias para obter esses dados, mas já te adianto que, para fazer isso, você deverá criar formulários e incluir as informações mais estratégicas para seu negócio. Mas tome cuidado, pois formulários muito longos também passam a ideia de um processo muito burocrático, o que pode assustar o usuário.  

Onde você deve armazenar as informações?

As informações dos seus leads devem ser armazenadas em um local onde estejam seguras e bem organizadas. Para começar, você pode colocar os dados em um Google Sheets, por exemplo.

No entanto, o ideal é que você armazene as informações diretamente na ferramenta de envios de email que você usa; as principais do mercado têm um espaço específico para que você coloque os dados e crie sua lista de contatos. Ter o BD integrado na ferramenta pode facilitar muito o seu trabalho na hora de enviar os emails marketing.

Se você usa o MailChimp, por exemplo, você tem muitas opções para criar sua lista; você pode importar contatos, adicionar assinantes manualmente, criar formulários de inscrição, segmentar suas listas e muito mais. Veja, por exemplo, uma tela da ferramenta para adicionar um assinante:

lista de emails - imagem da tela de add subscriber

[Observe que, nesse caso, uma informação importante é o sabor de sorvete favorito da pessoa; poderia ser útil para alguém que tenha uma sorveteria!].

Você pode comprar uma lista de emails pronta?

Se você escrever no Google “comprar listas de email”, aparecerão muitas opções. Agora mesmo, no momento de escrever este texto, fizemos o teste e encontramos vários exemplos. Selecionei apenas alguns para que você veja que eu não estou mentindo:

Lista de emails - exemplos de sites de compra

No começo, pode parecer uma boa ideia comprar uma lista que já esteja pronta, certo? Mas, não se engane! Há muitas (muitíssimas) razões pelas quais você NÃO PRECISA COMPRAR UMA LISTA DE EMAILS (em negrito e maiúscula). Agora eu explico o porquê.

Por que você nunca deve comprar uma lista de emails?

Como mencionei, se você quer ser bem-sucedido em sua estratégia de marketing, não recomendo, de forma alguma, comprar uma lista de emails pronta. Veja os principais motivos:

1.    Porque isso afeta a sua reputação

Imagine que você receba um email de uma marca ou empresa que não conhece, em sua caixa de entrada. Você nunca viu o site deles, você não sabe o que é, você não sabe se é confiável, e o pior de tudo: você nunca autorizou que enviassem uma mensagem. Você abriria o email? Provavelmente não, certo? Muito menos se você não precisa do produto ou serviço que estão oferecendo.

Toda vez que você receber uma mensagem dessa marca, principalmente se acontecer com frequência, você a colocará em sua lixeira. E, depois de um tempo, você provavelmente ficará muito chateado com o montão de conteúdos indesejados que essa empresa envia. É bem provável que você denuncie os conteúdos como spam. Resumindo: a reputação do remetente será completamente afetada e, provavelmente, você não comprará nada dele.

Agora, imagine que você está interessado em gastronomia sem glúten e encontrou um blog que fala sobre esse assunto. Você lê alguns materiais, assiste alguns vídeos e depois se inscreve para receber um ebook gratuito com receitas para o Natal.

Quando faz o download, você recebe uma solicitação de autorização para entrar na lista de emails do blog e receber novidades e atualizações. Como é algo que te interessa, você aceita.

Se você receber um email deste blog dizendo que publicaram um vídeo com 10 receitas sem glúten para a Páscoa, é muito provável que você abra a mensagem e acesse o conteúdo, não é verdade? Primeiro, porque o tópico te interessa. Segundo, porque você já conhece o blog e, terceiro, porque você autorizou o envio da mensagem.

No primeiro exemplo, a marca comprou uma lista de emails, o que gera um marketing invasivo e ineficiente, que afeta a reputação do remetente. No segundo exemplo, a marca construiu sua própria lista de contatos, o que garante um bom relacionamento com seu público e uma estratégia muito mais bem-sucedida. Viu como é diferente?

2. Porque você pode se tornar um spam

Como falamos no item anterior, quando você compra uma lista de emails, é muito comum que os destinatários marquem seu email como “spam”, porque eles não escolheram receber seu conteúdo e não estão interessados em ler sua mensagem (por mais original e interessante que ela seja!).

Além disso, quando você compra uma lista de emails, é muito provável que vários dos contatos estejam desatualizados, sejam inválidos e nem existam mais. Isso também pode fazer você se tornar um spam, o que prejudica sua marca e coloca você em uma espécie de “lista negra” de emails.

Há também outro ponto: a maioria das ferramentas de envio de email, como MailChimp, Aweber e GetResponse, sabem muito bem quando você está fazendo algo que não está certo e podem alertá-lo quando você tentar enviar mensagens para uma lista comprada.

3. Porque é antiético

Em alguns países, existem leis relacionadas ao comércio eletrônico e à publicidade que deixam bem claro que, para enviar emails, o destinatário deve ter dado sua autorização para receber as mensagens. Ou seja, o destinatário deve concordar com essa estratégia. Se você envia uma mensagem para alguém que não te autorizou a fazer isso, você pode ser considerado antiético!

Como criar a sua própria lista de emails?

Como vimos, para que sua estratégia de marketing por email seja realmente eficaz, é essencial criar sua própria lista de emails. E agora chegou a hora de te dar o que prometemos no título deste texto.

Você verá que é possível criar uma lista ética, que não te fará cair na caixa de spam e que pode gerar excelentes resultados para o seu negócio. Vamos ver algumas ideias:

1.   Ofereça materiais gratuitos

Uma estratégia que se usa muito e que funciona muito bem é oferecer materiais gratuitos no seu site ou blog. Certamente, você já viu algum site que faz isso e já tenha feito o download de algum arquivo desse tipo.

Você se lembra do exemplo que mencionei sobre o ebook de receitas de Natal sem glúten? Quando você oferece um material com conteúdo interessante, que seja útil e que agregue valor ao seu público, você fortalece o relacionamento com seus potenciais clientes e gera confiança.

Para fazer o download, a pessoa deve informar seus dados, como nome e endereço de email. Ou seja, estamos falando de uma troca de alto valor: você entrega um conteúdo que a pessoa precisa ou quer, em troca de um dado para incluir em sua lista. Mas, atenção! É bom deixar bem claro que, ao deixar suas informações, a pessoa receberá seus emails.

Veja este exemplo do site do SEM Rush. Eles oferecem um ebook gratuito (Pesquisa de palavras-chave: O que é e como fazer) e, para isso, você deve informar seu nome e seu email.

lista de emails - imagem da tela da semrush

E quais tipos de conteúdos você pode oferecer? Aí vão algumas ideias:

  •     Ebooks
  •     Templates
  •     Vídeos
  •    Cursos online
  •     Checklists
  •     E muito mais!

Se você gostou da ideia, sugiro que vejaeste vídeo cheio de dicas:

 

2. Crie uma newsletter

Esta opção é um pouco semelhante à anterior, mas em vez de oferecer um material para download, você convida a pessoa a se inscrever em sua newsletter para receber os conteúdos do seu blog e estar sempre informada sobre as últimas novidades.

Aqui, no blog da Hotmart, enviamos um email semanalmente para nossos assinantes com sugestões de posts no nosso blog. Veja um exemplo:

lista de emails - imagem exemplo do e-mail de newsletter da Hotmart

Aproveite e se inscreva para receber!

3. Realize promoções

Outra ideia para que seus potenciais clientes informem seu endereço de email é fazer promoções em sua página.

Por exemplo: se você tem um blog de música clássica e vende um curso on-line que ensina como tocar violino para iniciantes, você pode sortear uma assinatura gratuita entre seus leitores. Para participar, eles devem informar seu nome e email (e também outras informações, se você achar que são necessárias).

Uma boa prática é deixar claro que, ao inserir suas informações, a pessoa autoriza você a enviar mensagens para esse endereço.

4. Peça aos seus compradores o email

Alguém que já é seu cliente e está satisfeito com os resultados, provavelmente estará disposto a comprar outro produto ou serviço de você.

Portanto, enviar email marketing para esse tipo de pessoa é uma excelente estratégia. Quando o cliente fizer uma compra, lembre-se de pedir seu endereço de email, caso a compra seja feita em uma loja física.

5. Realize pesquisas de satisfação

Esta é uma opção muito boa, principalmente para negócios físicos. A realização de pesquisas de satisfação com clientes é uma estratégia utilizada com sucesso por grandes empresas, como o restaurante Outback e a loja de roupas Gap.

Depois que o cliente fizer uma compra, convide-o a responder uma pesquisa de satisfação online, onde eles irão compartilhar sua experiência e ajudá-lo a melhorar o seu serviço. Na hora de colocar as respostas, o cliente também deverá preencher o formulário com o email.

Em troca, você oferecerá alguma vantagem, como um desconto na próxima compra ou um presente gratuito (um prato, uma peça de roupa, uma assinatura de um curso on-line, um ebook ou qualquer outro artigo que seja interessante para o seu público).

Dicas finais

Espero que você tenha gostado das dicas para criar uma lista de emails eficiente. Antes de terminar, quero dar a você algumas dicas finais:

  • Ao enviar seu conteúdo, certifique-se de incluir uma opção para que as pessoas que não desejem mais receber seus emails sejam excluídas de sua lista.
  • Cuidado para não enviar muitos conteúdos, porque você pode se tornar um spam. 1 ou 2 emails por semana são suficientes!
  • Em vez de focar em fazer publicidade, foque em oferecer conteúdo de qualidade, o que trará resultados muito melhores.

Se você gostou deste texto e quer mais dicas, veja o nosso Guia Completo para vender pela Internet. Se você tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários!  

Até logo!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.