Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Aprenda as melhores técnicas para aumentar os resultados de seu negócio

Aprenda as melhores técnicas para aumentar os resultados de seu negócio

Compre agora!

Aprenda como fazer um plano de aula seguindo essas 5 dicas

Aprenda como fazer um plano de aula seguindo essas 5 dicas

Passo a passo simples para criar um bom planejamento de curso.

A qualidade de um trabalho depende diretamente da organização.

Quando se trata de saber como fazer um plano de aula, ser organizado ajuda na ação docente. Sem tal habilidade, há grandes chances de você se distrair e não se aprofundar nos temas que propõe ensinar.

Nossa ideia neste artigo é justamente ajudar você a organizar suas aulas e nada melhor do que um plano de aulas para isso.

Aqui no blog, já falamos sobre esse assunto e trouxemos as principais vantagens do plano de aula para o professor.

Por isso, neste post, trouxemos um passo a passo rápido e fácil para você colocar essa ferramenta no papel e começar a usá-la.

5 passos para fazer um plano de aula

Estratégia: essa palavra é um dos elementos que regem todo o planejamento. Por isso, na hora de fazer seu plano de aula, você deve tê-la sempre como norte.

Dito isso, vamos as 5 dicas:

Índice
  1. Estabeleça quais são os melhores conteúdos para sua aula
  2. Conheça as necessidades de seu público
  3. Saiba quais são suas metas e aonde você quer chegar com suas aulas
  4. Flexibilize seu plano de aula
  5. Foque na avaliação

1. Estabeleça quais são os melhores conteúdos para sua aula

Não é por acaso que o marketing tem incorporado o conteúdo à sua estratégia. Um bom material é capaz de informar, atrair consumidores e prepará-los para que tomem suas decisões.

Assim como no mercado, quando se trata de planejamento de aulas, a preocupação com o conteúdo deve ser uma das primeiras ações. Afinal, trata-se de algo que será usado para promover o aprendizado e também para atrair os estudantes.

Diante disso, podemos dividir o conteúdo em três bases:

  1. Conceitual: foca no aprendizado de conceitos, teorias;
  2. Procedimental: voltado ao aprendizado sobre saber fazer;
  3. Atitudinal: que preza por ensinar o que o aluno deve aprender a ser.

A escolha da linha variará conforme o objetivo do seu curso ou matéria.

2. Conheça as necessidades de seu público

Outro passo importante é o conhecimento sobre as necessidades de seu público.

É preciso estudar e pesquisar sobre as pessoas que têm potencial de serem seus alunos.

Isso significa não basta só entender suas necessidades educacionais e dificuldades, mas também compreender seus anseios enquanto pessoa, ou seja, os objetivos de vida que a fizeram chegar até você.

Por exemplo:

Imagine que seu foco seja no ensino a distância (EAD). No Brasil, mais de 1,5 milhão de pessoas já estudam nessa modalidade.

Muitos desses alunos desejam flexibilizar seus horários e aprender em curto espaço de tempo. Portanto, é importante que você procure metodologias como o microlearning e incentive o grupo de alunos de seu curso a focar nessa modalidade de ensino.

3. Saiba quais são suas metas e aonde você quer chegar com suas aulas

Quais são as metas estabelecidas para seu trabalho? A maneira como você está gastando seu tempo está ligada a elas? Essas perguntas ajudam a refletir sobre a ordem de priorização das tarefas e a entender se as ações praticadas estão ligadas aos seus objetivos.

O primeiro passo é enumerar todas as metas, colocando no papel tudo o que você almeja alcançar em curto, médio e longo prazo.

Sabe aquela pesquisa sobre os anseios de seu público? Escreva-as em uma lista ao lado para conferir o nível de alinhamento de ambas.

A partir disso, determine os prazos para cada meta para colocá-las em ação.

4. Flexibilize seu plano de aula

Nem sempre o plano de aula feito será cumprido da maneira como foi estabelecido. Portanto, é importante que a metodologia esteja preparada para alterações. O ideal é deixar espaços para encaixes de novos conteúdos, por exemplo.

No entanto, observe também as críticas dos alunos. Às vezes, as mudanças precisam ser mais profundas.

Logo, esteja aberto para mudar e escutar. Isso é uma forma de crescer enquanto profissional e também de aperfeiçoar seus ensinamentos, garantindo o maior aproveitamento daquilo que você está compartilhando.

5. Foque na avaliação

Depois de todo o trabalho envolvendo o ensino de determinado assunto, chegou a hora de avaliar se os alunos absorveram o conhecimento.

Existem diferentes metodologias de avaliação, cabe a você escolher aquela que melhor atende às suas necessidades.

Suponhamos que você tenha um curso online. Agora, imagine que um dos objetivos dele é justamente fazer com que os alunos sejam criativos na resolução de cases.

Você pode propor questões para que eles respondam em um fórum, criando um espaço para interação com outros estudantes. Ao final, vocês poderão promover uma discussão para garantir uma avaliação completa.

2 modelos de planos de aula para você

Os modelos de planos de aula variam conforme o formato. Aulas particulares online, por exemplo, diferem de um curso específico.

Mas para te ajudar, mostraremos 2 modelos para que você possa embasar o seu trabalho.

1. Tradicional

Em um modelo tradicional, a primeira definição é do objetivo e tema a ser discutido.

Por exemplo: se o foco for ensino de inglês corporativo, é preciso especificar o intuito do curso, que é ensinar a língua para profissionais.

Em seguida vem o conteúdo. Ainda com foco no exemplo apresentado, especifique os assuntos a serem discutidos, como vocabulário corporativo em inglês.

Depois, é hora de definir a metodologia. Nesse caso, algumas estratégias, como aulas expositivas e simulações, são bem-vindas.

A outra parte é o recurso didático a ser utilizado.

Por exemplo: o uso de livros ou e-books como base e outros, e isso deve ser seguido do cronograma.

Em um curso online, um dos diferenciais são os vídeos curtos e concisos para que os alunos não percam o interesse no tema abordado. Assim, você poderá dividir a quantidade de vídeos de acordo com o tempo de curso.

Por último, vem o tipo de avaliação e as referências que foram utilizadas.

2. Prático

Se o ensino for algo focado na prática, você pode fazer o planejamento em módulos.

Em cada um deles, a primeira especificidade deve estar ligada aos objetivos gerais e específicos. Eles devem ser acompanhados do público que será atingido, seu perfil e suas necessidades.

Depois, temos as estratégias de desenvolvimento. Se você vai promover um curso de culinária online, por exemplo, é preciso deixar claro como avançar nas aulas e o material de apoio que será utilizado pelo aluno.

A partir disso, você pode definir pequenos testes em cada módulo como avaliação.

Não se esqueça de especificar como será feita a tutoria, as respostas a fóruns de perguntas e outros. Isso o ajudará a se organizar.

A necessidade do plano de aula

Aprender como fazer um plano de aula de qualidade deve partir do princípio da necessidade e objetivo do curso. Com a informação em mãos, você poderá seguir para as metodologias de aplicação de conteúdo, avaliações, materiais de referência e o que mais julgar necessário.

A clareza do documento é fundamental na organização, pois dá um norte para toda a ação.

O plano de aula nada mais é do que uma metodologia que consiste no modelo escolhido para realizar o ensino de um assunto ou disciplina.

A ideia é que ele sirva como um norte para que você possa alcançar seus objetivos e para que os alunos tenham consistência no aprendizado, e não que ele seja algo fixo que não pode ser modificado.

Por isso, o mais importante é que o plano conte com os principais dados da disciplina ou curso. Isso significa que devem estar registrados alguns pontos como o que será lecionado, a temática das aulas e seus respectivos objetivos, a meta geral do curso, o formato de avaliação e outros.

Por se tratar de um material que terá a previsão de tudo, é necessário contar com um documento detalhado, informativo e padronizado.

Além disso, quando o plano de aula é feito, clareza e objetividade estão presentes. Com isso, é possível utilizar todos os recursos disponíveis com maior eficiência e sistematizar as atividades de acordo com o tempo que você tem disponível.

E você, como se prepara para dar aulas? Temos um post aqui que conta tudo sobre planejamento de cursos online, não deixe de conferir.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.