Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar

Como se manter ativo depois da aposentadoria? Comece a se planejar!

Como se manter ativo depois da aposentadoria? Comece a se planejar!

Está se preparando para sair do mercado de trabalho? Confira algumas dicas para se manter ativo depois de se aposentar.

Muitas pessoas passam a vida toda esperando a aposentadoria chegar, mas quando isso acontece, a experiência acaba não sendo tão boa quanto se imaginava. E existem algumas explicações para isso.

Uma delas é que o indivíduo que trabalhou por muitos anos demora a se acostumar com o seu novo papel social. Se antes ele tinha a rotina de sair para trabalhar todos os dias e sustentar o lar, agora, ele é “inútil” para o mercado de trabalho.

Outra razão é que a aposentadoria ainda está muito associada ao envelhecimento e, consequentemente, ao fim da vida. Basta ver a quantidade de estabelecimentos que ainda não estão preparados para receber idosos, como se estas pessoas só pudessem ficar em casa sentadas em uma cadeira de balanço.

Apesar da pressão social, especialistas afirmam que a terceira idade é o melhor momento para cuidar de si mesmo, estar perto dos familiares e realizar sonhos que foram adiados por falta de tempo.

A seguir, compartilhamos algumas dicas para os profissionais que desejam continuar ativos depois da aposentadoria. Boa leitura!

1. Mantenha o corpo saudável e a mente sã

Você trabalhou a sua vida quase toda e não vê a hora de desacelerar a rotina, certo? Nada mais justo!

Mas isso não significa passar o dia inteiro em casa, sentado em frente à tv ou dormindo. Lembre-se que o seu corpo estava acostumado a se movimentar, portanto, ir de um extremo ao outro pode prejudicar sua saúde e ainda fazer com que você aparente ter uma idade bem acima da qual realmente tem.

Além dos benefícios para a saúde, se exercitar ajuda a manter a mente sã e, consequentemente, aumenta seu foco para desenvolver novos projetos. Pense da seguinte maneira: praticar atividades físicas requer disciplina e motivação, que são dois fatores determinantes para os aposentados que desejam se manter ativos.

É claro que você não precisa correr uma maratona ou escalar o Monte Everest. Qualquer atividade física que você inserir no seu dia a dia, aliado a uma boa alimentação e algumas horas de sono, trará os mesmos benefícios.

Ainda não sabe o tipo de exercício mais adequado para você? Listamos algumas modalidades que são bastante recomendadas para pessoas com 50 anos ou mais.

Uma dica importante: antes de começar a se exercitar, procure um profissional de educação física ou um médico ortopedista para mais informações. Eles te ajudarão a escolher a atividade mais adequada para as suas necessidades.

Yoga

Quando falamos a palavra “Yoga”, provavelmente veio a sua mente a imagem de uma pessoa super jovem e magra, encostando os pés na cabeça. Mas não se deixe desanimar pelo estereótipo! Yoga não têm limitações de idade, e assim como qualquer outro exercício, a prática é fundamental para alcançar bons resultados.

Apesar de não ser exatamente uma modalidade esportiva (muitos praticantes defendem que Yoga está mais para uma filosofia de vida), esta é uma excelente opção para quem quer ter domínio do próprio corpo e trabalhar a flexibilidade.

Caminhada

A caminhada é um dos exercícios mais democráticos. Bastam 15 minutos de prática todos os dias para enxergar os benefícios para a saúde. Se você não se sente à vontade saindo só para se exercitar, pode ir visitar um amigo, conhecer um ponto turístico perto da sua casa, dar um passeio com o cachorro ou qualquer outro compromisso que exija que você caminhe.

Com o tempo, fazer caminhadas maiores estará tão inserido na sua rotina que você nem perceberá que está se exercitando.

Natação

Já a natação é o esporte mais recomendado se você também tem a intenção de ter um corpo atlético. Pode ser praticada na piscina do seu prédio, casa ou no clube que você frequenta (se este for o caso), mas alertamos que participar de aulas coletivas pode trazer mais benefícios, pois estimula a socialização com pessoas com a mesma idade e que podem compartilhar os mesmos problemas que você.

2. Invista em um hobby

A segunda dica pode parecer um pouco óbvia, mas muita gente ainda ignora a importância de ter atividades paralelas ao trabalho, que sejam relaxantes e proporcionem satisfação pessoal. Depois da aposentadoria, ter um hobby é ainda mais importante para manter sua mente ativa e funcionando.

Você pode customizar itens, costurar, pintar, cuidar do seu jardim, cozinhar, entre outras possibilidades. A boa notícia é que essa atividade pode se tornar uma fonte de renda:

imagine comercializar seu serviço para terceiros ou criar cursos online para compartilhar o seu conhecimento (fique atento, pois falaremos mais sobre essa possibilidade ainda neste post).

Se  não existe uma atividade que você goste de realizar com frequência, aproveite seu tempo livre para listar suas habilidades e pontos fortes. Nesse processo, você pode descobrir algo que sabe fazer bem e que tem potencial para se tornar um hobby no futuro.

3. Estabeleça metas que você quer realizar durante a aposentadoria

Sabe aquele projeto que você nunca teve tempo para colocar em prática ou aquela viagem que deixou de fazer por causa do trabalho? Essa é a sua oportunidade para recuperar o tempo perdido!

Mas, para isso, é importante estabelecer metas a curto, médio e longo prazo. No caso da viagem, por exemplo, primeiro, você precisa definir o destino e a data, depois, fazer uma pesquisa de preço, comprar passagens e reservar a sua estadia, e por último, viajar.

As metas nada mais são do que isso: um conjunto de ações e conquistas que mostram que você está rumo a um objetivo. Mas para não se frustrar pelo caminho, você precisa se assegurar que suas metas são específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais. Essa metodologia se chama metas SMART, e nós já falamos sobre ela aqui no blog.

O mais importante na hora de definir metas é pensar em atividades que estejam fora da sua zona de conforto e que estimulem qualidades como criatividade e resiliência.

4. Use o tempo livre para aprender algo novo

Manter a mente ocupada com algum aprendizado novo ainda é a melhor maneira de utilizar o seu tempo, afinal, quem nunca ouviu aquela frase “conhecimento nunca é demais”?

De acordo com neurologistas, aprender um novo idioma ajuda a manter o raciocínio afiado e claro, mesmo com o avanço da idade.

Mas essa não é a única opção para quem deseja aprender algo novo, você pode se dedicar a tocar um instrumento, fazer trabalhos manuais, canto e, quem sabe, até descobrir uma nova profissão. E não se preocupe em voltar ao mercado de trabalho, pois existem inúmeras profissões que você pode exercer sem sair de casa.

5. Dedique-se ao trabalho voluntário

Se por um lado, o trabalho voluntário não gera renda, em contrapartida, ele representa ganhos pessoais, como a possibilidade de ajudar o próximo enquanto você mantém a mente ocupada.

Existem diversas modalidades de trabalho voluntário para se dedicar: você pode dar aulas para adultos, ensinar alguma habilidade manual que tenha, distribuir roupas, alimentos e toda e qualquer ação que agregue valor à vida de outras pessoas.

Procure, na sua vizinhança,  instituições e ONGs que realizem esse tipo de trabalho. Normalmente, esses grupos estão sempre em busca de novos voluntários para participarem de suas ações.

Se você estiver disposto a dedicar mais tempo ao trabalho voluntário, existem organizações de maior porte, como a Cruz Vermelha, Médicos Sem Fronteiras e LBV, que aceitam inscrições de voluntários pela internet.

6. Abra um negócio próprio

Depois de anos dedicados ao mercado de trabalho, chegou a hora da “tão sonhada” aposentadoria. Enquanto algumas pessoas preferem aproveitar a ausência de rotina para viajar, outras só querem estar com a família e descansar.

No entanto, a necessidade de se manter produtivo leva muitas pessoas a montarem o próprio negócio, conforme mostrou a Pesquisa dos Profissionais Brasileiros da Catho, realizada em 2015.

Após ouvir mais de vinte mil profissionais, de todas as regiões do país, foi constatado que mais de 50% dos entrevistados pretendem ter um negócio próprio após a aposentadoria. A pesquisa também mostrou que:

  • Aumentou em 15% o número de profissionais que querem atuar como consultor independente, em relação a 2014;
  • 15,10% dos profissionais querem ser autônomos;
  • 7% não querem trabalhar após a aposentadoria;
  • 1,6% não pretendem fazer nada depois de aposentados;
  • E 6% não soube responder quais eram os seus planos para o futuro.

Para aqueles que têm vontade de continuar trabalhando, criar um negócio próprio pode ser satisfatório, mas; ao mesmo tempo; desafiador, pois implica em fazer escolhas, assumir riscos e; muitas vezes, estudar um mercado antes desconhecido.

Mas, a partir do momento que você entende o que o seu cliente deseja e oferece um produto/serviço de qualidade; é possível escalar os seus lucros e ter um retorno financeiro bem superior ao valor investido inicialmente.

Trabalhe com cursos online

Cursos online são uma boa opção para empreendedores que estão começando, pois você pode criar o seu material com um investimento baixo e usando equipamentos que você já tem em casa ou que são fáceis de ser encontrados, como uma câmera portátil (que pode ser a de um smartphone) e um microfone de lapela, para captação do som.

Independentemente dos equipamentos que você utilizará, preocupe-se em oferecer um conteúdo de qualidade para a sua audiência. Essa é a estratégia mais efetiva para quem deseja criar autoridade para sua marca e gerar vendas.

Primeiro passo: a escolha do nicho

O nicho de mercado é o segmento no qual você atuará, que tem particularidades próprias e um público bem definido. Vídeoaulas sobre emagrecimento, maternidade e culinária saudável são exemplos de produtos de nicho.

O ideal é que o nicho escolhido por você esteja em sinergia com as suas habilidades, pois assim é mais fácil criar um conteúdo completo e que agregue valor para quem estiver assistindo.

Segundo passo: a definição do cliente ideal

Depois que você escolheu o tema do seu curso online, identifique qual é o seu cliente ideal, ou seja, aquela pessoa que pode ter suas necessidades atendidas pelo seu produto. Isso é importante, pois esse público delimitado por meio de pesquisas será sua referência na hora de criar seu produto e divulgá-lo.

Além das características demográficas, como idade, gênero e localização, tente responder às seguintes perguntas:

  • Quais são os interesses e hobbies desse usuário?
  • Em quais canais ele busca informação?
  • Quais são os problemas que ele enfrenta no dia a dia?
  • Como o meu curso online pode ajudá-lo?

Para encontrar essas respostas, você pode realizar pesquisas de opinião e utilizar ferramentas gratuitas, como o Analytics, Google Trends e o relatório da sua fanpage no Facebook, entre outras  disponíveis na internet.

Veja um guia completo para criar a sua persona.

Terceiro passo: escolha o formato do seu curso online

A lista de formatos para disponibilizar o seu conteúdo é longa: entre eles, e-book, infográficos, apresentação de slides, audiobook, mas o formato que tem se mostrado mais eficiente é o vídeo.

De acordo com relatório da Cisco Visual Networking Index, os vídeos serão responsáveis por 82% do tráfego de todos os usuários na internet até 2020, ou seja, agora é o melhor momento para começar a investir nesse formato.

“Mas eu tenho vergonha de gravar, o que posso fazer?”. Muitos profissionais de vídeo já estiveram no lugar que você está hoje, e o único fator que está separa vocês é a prática. A boa e velha história de que só é possível aprender, fazendo!

A boa notícia é que existem várias técnicas que você pode utilizar para melhorar a sua presença em frente às câmeras e criar um conteúdo atrativo para o seu público.

Criar o seu curso online é o primeiro passo para começar a gerar venda na internet, fazendo algo que gosta. Mas você ainda terá que dominar técnicas de divulgação e vendas que abordamos em outros posts aqui no blog.  Um bom passo para quem deseja começar é ler este guia super completo sobre o tema.

Botão para clicar e baixar o ebook com o case da Paula Abreu

Dicas para quem deseja abrir o próprio negócio

Use sua experiência prévia

Mesmo que você tenha escolhido um segmento completamente diferente daquele no qual você atuava antes, ainda é possível aproveitar a sua experiência prévia para o desenvolvimento do seu novo negócio.

Pense nos seus pontos fortes e nas habilidades que você exercitou em cargos anteriores. Como eles podem te ajudar a solucionar problemas nessa nova empreitada?

Um exemplo: um médico aposentado decide se tornar um cozinheiro e abrir o próprio restaurante. Ele pode utilizar sua experiência de anos lidando com pessoas para criar um ambiente acolhedor e oferecer uma experiência mais próxima para seus futuros clientes.

Outra opção é usar seus conhecimentos para criar um cardápio com diversas opções saudáveis, que é um micro nicho que tem crescido bastante nos últimos anos. Tudo dependerá da sua criatividade!

Escolha uma atividade que te dê prazer

Uma das maiores vantagens de empreender após a aposentadoria é que, a essa altura, você já sabe bem o que gosta e o que não gosta de fazer. Mesmo que o objetivo principal seja ganhar dinheiro, opte por uma atividade que te dê prazer, pois você passará a maior parte do seu tempo imerso nela.

Invista em um nicho que tenha demanda

Antes de criar um negócio, é preciso pensar se existe demanda pelo seu produto ou serviço. Para isso, você pode utilizar ferramentas como o Google Trends e pesquisar os assuntos que estão em alta. Se não existe muita pesquisa pelo item que você está pensando em vender, é provável que não tenha muito procura, portanto, as chances de ganhar dinheiro são menores.

Conclusão

De acordo com especialistas, existem inúmeros benefícios em trabalhar, como:

  • Ser apreciado pelo o que faz;
  • Aprender coisas novas diariamente;
  • Socializar com pessoas diferentes;
  • Estabilidade financeira.

A chave para uma aposentadoria feliz é descobrir como você pode continuar usufruindo desses benefícios durante esta nova fase da sua vida, seja realizando um trabalho voluntário, passando mais tempo com a família ou, até mesmo, descobrindo uma nova profissão.

Independentemente da sua escolha, não se intimide pela idade. Pessoas passam por crises de identidade em diferentes momentos da sua vida profissional.

O importante é reconhecer que a vida não termina na aposentadoria e que existem inúmeras possibilidades para as pessoas que desejam continuar ativas, inclusive a de criar um produto digital sobre um tema que te interessa e gerar renda a partir disso.

Para saber mais sobre o assunto, leia como funciona a Hotmart.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.