Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar

Aprenda como trabalhar como Afiliado digital com 11 dicas

Aprenda como trabalhar como Afiliado digital com 11 dicas

Saiba quais são os 3 passos + 11 dicas para você entrar no mercado digital como afiliado!

Saber como trabalhar como Afiliado é uma de suas metas para esse ano? Pois essa é uma ótima ideia, sabia? Segundo o estudo da Cisco Visual Networking Index, o consumo de conteúdo e de vídeos pela internet crescerá 34% até 2022.

Nessa onda, é muito provável que os programas de Afiliados estejam surfando em boas marés para pescar. Mas chega de trocadilhos, vamos aos fatos. Ou melhor, à história.

O modelo de negócio digital que se vê hoje tem o Marketing de Afiliados em seus pilares. Nesse novo formato de marketing, o produtor oferece uma comissão a outras pessoas que promovam e indiquem novos clientes a ele.

É claro que sem sistemas eficientes, controlar tais indicações era um dos maiores desafios do Marketing de Afiliados. Porém, empresas como a PC Flores e Presentes, em 1989, e a Amazon, em 1996, com seu programa Associates, notaram mais vantagens do que problemas nesse modelo e investiram na ideia.

De lá para cá, outros marcos e negócios fizeram história no Marketing de Afiliado:

  • 1998: lançamento das primeiras redes de Afiliados: Comission Junction e Clickbank, que, além de mais acessíveis aos e-commerces menores, também ofereciam formas de pagamento que facilitavam as transações comerciais entre as comerciantes e seus Afiliados;
  • 2000: a Federal Trade Commission do Reino Unido estabeleceu algumas regras e diretrizes para o mercado;
  • 2008: foi a vez dos EUA emitirem leis para o setor, como o Nexus Impostos e diretrizes de divulgação dos produtos;
  • 2010: nascia a versão Alpha do Hotmart;
  • 2017: a Hotmart se tornou a maior rede de Afiliados digitais da América Latina, além de, é claro, ter solucionado diversas dores e necessidades dos produtores digitais e de seus divulgadores.

Essa história, aliás, continua evoluindo à medida que melhorias vão sendo promovidas focando nos três principais players do Marketing de Afiliados: compradores, produtores digitais e Afiliados.

Ou seja, é um mercado que está em crescimento e alinhado com nossa sociedade e com o mundo corporativo cada vez mais virtualizado, sedentos por informações de qualidade, experiências de aprendizado memoráveis e oportunidades para o empreendedorismo digital.

Você imaginou que sua pretensão de estudar mais sobre o Marketing de Afiliados teria tantos contornos históricos e estatísticas que validassem sua escolha?

Pois acredite, tem muito mais. E, neste post, te contamos tudo que você precisa saber para entender como trabalhar como Afiliado digital. Confira!

Índice
O programa de Afiliados Os 4 tipos de Afiliados mais comuns Os pilares da afiliação digital 11 dicas sobre como trabalhar como Afiliado A plataforma de Afiliados digitais O momento e o parceiro certo para colocar tudo isso em prática

O programa de Afiliados

Trata-se de um programa baseado no marketing de Afiliados que tem como objetivo usar a influência e o poder de divulgação das pessoas para promover produtos e serviços específicos.

É claro que a conversão da venda rende uma comissão para quem a facilitou.

Envolvidos no programa de Afiliado

O programa une três pontas importantes: o produtor digital, o Afiliado e o consumidor.

Produtor digital

É aquele que detém um conhecimento que gostaria de transmitir e ser remunerado por isso. Porém, nem sempre quer fazer investimentos para a divulgação e para a comercialização, mas sim dedicar seu tempo à produção de conteúdo, por exemplo.

Afiliado

É o profissional autônomo, empreendedor ou apenas interessado em desenvolver uma fonte de renda, seja a principal, seja alternativa, aproveitando de suas conexões ou conhecimentos sobre marketing e distribuição.

Na verdade, com as soluções oferecidas no mercado, essas características não são requisitos para optar por essa modalidade, e sim habilidades que podem ser adquiridas, como o que você está fazendo agora — lendo este post.

Consumidor ou cliente

É aquele que consome os produtos digitais ofertados. No entanto, para fazer isso, ele precisa encontrar o conteúdo ou ferramenta que necessita, sentir confiança e ter a facilidade de fazer a compra digitalmente.

Percebe como tudo isso se junta no programa de Afiliados?

A plataforma oferece facilidade e confiança, o Afiliado garante a curadoria dos produtos digitais que mais se adaptam ao seu público, e o produtor tem a seu favor uma força de venda muito mais poderosa do que sua tentativa individual de converter suas negociações.

Funcionamento do mecanismo sob o ponto de vista do Afiliado

O processo é bem simples e, como mencionamos anteriormente, foi evoluindo conforme os desafios e as falhas que apareciam no marketing de Afiliados, como no caso da identificação da origem da venda.

Pois bem, no caso dos programas de Afiliados digitais, esse problema foi resolvido com uma solução simples — os cookies.

Eles são pequenas extensões de um link que direcionam a navegação para uma página já armazenada no servidor. É como se fosse um endereço super secreto de uma loja que, para acessar e consumir, é preciso ser convidado antes, entende?

Assim, um programa de Afiliado tem uma série de produtos digitais cadastrados, com condições e comissionamentos diferenciados e determinados por seus produtores.

E quais são os passos a seguir?

  1. o Afiliado faz uma curadoria daqueles itens que são mais compatíveis com sua estratégia de marketing e com o público-alvo que deseja trabalhar ou que já possua, no caso de influencers, por exemplo;
  2. a partir do momento em que ele escolhe e é aceito para fazer a divulgação, recebe um link com seu cookie particular, que deverá indicar a seus clientes toda vez que for promover e realizar uma venda;
  3. Com esse link, os clientes conseguem acessar um ambiente seguro, escolhem sua forma de pagamento e concluem a compra, que, ao ser processada, terá a comissão contabilizada na fatura do Afiliado.

A forma de funcionamento é descomplicada, a experiência do Afiliado como usuário da plataforma é muito fácil, assim como é simples o ambiente de compra para o cliente final.

Já quer começar a fazer a sua curadoria? Realmente é uma etapa bem divertida e inspiradora, e te faz imaginar o sucesso que pode alcançar, certo?

Mas, antes disso, é preciso conhecer os tipos mais comuns de programas para saber como trabalhar como afiliado, quais deles são mais compatíveis com o seu perfil, e, claro, como elaborar suas próprias estratégias.

Então, vamos ao planejamento e organização que, aliás, são essenciais nesse mercado.

Os 4 tipos de Afiliados mais comuns

Podemos apontar que essa é a parte da estratégia financeira. Ao entender os 4 principais tipos de Afiliados, você entenderá como eles são remunerados, e, portanto, qual deles é mais compatível com a sua forma de trabalhar. Confira:

Remuneração por clique

Aqui, o seu objetivo é fazer com que os potenciais clientes cliquem no link informado.

Para o produtor digital, o que importa é que o cliente visualize a informação contida na página seguinte, mas não necessariamente prossiga para uma venda.

Mas para que seja rentável, é preciso que muitos cliques sejam realizados, ou seja, não basta pedir apenas aos amigos das redes sociais e aos familiares esse favor. Para se ter um bom retorno, o volume deve ser alto.

Além disso, ações claramente maliciosas são constantemente combatidas, como é o caso do click fraud ou fraude do clique.

Um programa de Afiliados muito famoso que usa o método CPC é o Google Adsense, e como é de se esperar, ele está em constante busca para combater e eliminar esses tipos de fraudes.

Muitos cliques originados de um mesmo endereço de IP, por exemplo, pode ser uma ação identificada por seus sistemas de segurança. Além de bloquear a fonte dos cliques suspeitos, essa ação também coloca o Afiliado dono do banner no foco da investigação.

Outra forma ilícita que deve ser combatida são os trojans: uma espécie de programa que usa endereços de IP de computadores diversos para praticar os cliques.

Apesar de mais difícil de ser detectada, essa fraude também é combatida pelos serviços de proteção e seus responsáveis, que muitas vezes respondem legalmente pelo dano causado.

Remuneração por mil impressões

O esforço é ainda menor, ou seja, o visitante nem ao menos precisa clicar no link com o cookie, apenas visualizá-lo. Assim, se você tem um blog, basta colocar o banner com a oferta de acesso e só.

Esse modelo normalmente paga ainda menos do que a remuneração por clique, e, analisando o mercado atual, é provável que esteja em extinção.

Remuneração por aquisição

Como é possível supor, remunera seus Afiliados a cada venda realizada. É o método mais comum e, na maioria das vezes, vantajoso, considerando o valor das comissões pagas. É também o método utilizado na plataforma Hotmart.

Esse método exige mais atenção e organização das etapas da venda. Planejar como captar seus clientes, quais canais de comunicação utilizar, qual a regularidade dos contatos, entre outros detalhes, são ações de gestão imprescindíveis.

É claro que, quando você trabalha bem os pilares da filiação digital nessas estratégias, o número de oportunidades geradas é mais interessante. Só resta converter.

Se você não sabe ou tem dúvidas de que pilares são esses, te contamos logo adiante, no tópico seguinte.

Remuneração por lead

Está entre a remuneração por clique e por aquisição, e remunera o Afiliado de acordo com o número de leads, ou melhor, potenciais clientes gerados.

Assim, se um Afiliado promove seu link com cookies e eles direcionam o usuário para uma página de cadastro, um lead foi identificado e a remuneração contabilizada.

Porém, poucos programas adotam esse método.

Os pilares da afiliação digital

Entrar no mundo do marketing de Afiliado não é complicado. A maioria das plataformas exige apenas que você seja maior de 18 anos.

Mas, então, quem quer saber como trabalhar como afiliado é só fazer o cadastro e começar a compartilhar o link? Algumas pessoas fazem isso, é verdade, e a maioria delas desiste nos primeiros dias, pois suas ofertas são elegantemente ignoradas, ou no máximo compradas pelos seus pais e amigos.

Não é um cenário sustentável. Então, para se consolidar no mercado de afiliação, é preciso trabalhar seus 4 pilares com 4 passos básicos:

1° passo: ache seu público

Se você já trabalha como influencer, é especialista em alguma área ou tem algum hobbie, por exemplo, você tem domínio em um conhecimento que algumas pessoas podem se interessar.

Será que esse conhecimento pode ajudar a solucionar as dores e necessidades desse público? Se você domina as artes culinárias e adora ensinar técnicas básicas para adolescentes e jovens casais, por exemplo, pode ter um público aí.

Pessoas que não sabem cozinhar, são jovens, recém-casadas, moram sozinhas, não conhecem os alimentos e suas propriedades — é um tipo de público, e assim você precisa descobrir qual é o seu.

Considerando áreas que você domina, fica mais fácil transmitir autoridade sobre o assunto, entender quais necessidades do seu público podem ser atendidas com os produtos digitais, saber qual a linguagem mais adequada, o canal de contato e tudo mais que a sua estratégia de segmentação permite adequar.

passo: curadoria de produtos e melhores programas de Afiliados

Com seu público definido, o momento é de escolher quais produtos digitais serão trabalhados na sua venda.

Escolher em qual programa de Afiliados você vai se registrar também é importante, afinal de contas, ele deve ser confiável e compatível, tanto com suas necessidades como as de seu público.

Avalie quais as formas de pagamento ela oferece ao cliente final, como é o sistema de gestão de vendas do Afiliado e quais as opções de saque. Se você não mora do Brasil, algumas delas oferecem o saque em moedas estrangeiras, por exemplo.

Com a plataforma ideal e a curadoria dos produtos digitais feita de acordo com as necessidades de seu público, é hora de iniciar a divulgação.

passo: crie seu conteúdo estrategicamente

É hora de construir o relacionamento e a autoridade com a oferta de conteúdos de qualidade, então, vamos lá.

Criar um blog, uma conta na rede social e criar textos que atraiam, eduquem e convençam o cliente sobre a melhor solução para seu problema é um conceito conhecido do marketing de conteúdo: o funil de vendas.

No funil, a abordagem de venda é muito menos agressiva, promove uma boa experiência de aprendizado e não demanda grandes investimentos, apenas dedicação para compartilhar conteúdos de qualidade.

Para fazer o funil de vendas, considere as seguintes etapas e proporções de incentivos:

  1. atração: você pode concentrar 80% dos seus conteúdos nessa etapa, explicando quais são as dores vividas pelo seu público, tendências do mercado, soluções fáceis, caseiras, profissionais etc. Isso chamará a atenção de um volume maior de interessados;
  2. nutrição e relacionamento: nos 10% de conteúdos seguintes, você vai inserir as vantagens e resultados que seu público colheria se resolvesse seu problema. Essa etapa filtrará o grupo inicial da etapa anterior e deixará no seu processo apenas aqueles que têm interesse em resolver o seu problema, ou seja, com maior potencial de compra;
  3. conversão da venda: na última etapa, os 10% do conteúdo apresentarão o produto, falarão dos diferenciais que sua solução oferece e, como você é uma autoridade no assunto, por que o recomenda. O link direto do Afiliado pode constar no final desses materiais, que devem ser mais ricos de detalhes, exemplos de sucesso etc.

Depois do funil, abordagens mais diretas por telefone também podem ser feitas caso a situação permita.

Também há outro ponto fundamental para quem quer saber como trabalhar como afiliado: não esquecer do pós-venda e do relacionamento frequente, pois, além de serem potenciais compradores para ofertas futuras, tais clientes também podem fazer indicações importantes para o seu negócio.

O marketing de conteúdo criará um tráfego orgânico, mas você também pode fazer pequenos investimentos para a promoção de seus conteúdos com anúncios patrocinados no Google e em redes sociais para atrair mais interessados.

Vamos continuar esse assunto nas dicas a seguir, entenda mais.

11 dicas sobre como trabalhar como Afiliado

Até agora entendemos a mecânica do negócio de Afiliados e até falamos de algumas estratégias para potencializar seus pilares, certo? Então, agora é hora de colocar um pouco mais de inteligência nas jogadas. Vamos às dicas!

1. Descreva quem seria seu cliente ideal

Também chamado de buyer persona, essa figura tem todas as características do seu cliente ideal, ou seja, ele precisa do seu produto e exatamente da forma como você o oferece.

Com essa representação, você poderá fazer todos os seus conteúdos e abordagens pensando nela. Assim, você consegue adotar as estratégias certas para atingir o seu público.

2. Pense como se fosse seu cliente

Personalização é a alma do negócio! Esse pequeno clichê é só para explicar que, quanto mais alinhado com as necessidades e com o comportamento do seu cliente, maior a probabilidade de conquistá-lo.

Assim, se seu cliente usa muito as redes sociais, prefere fazer pagamentos por cartão de crédito, não gosta de muitos emails ou coisas do tipo, personalize suas abordagens e o processo de vendas.

3. Crie conteúdos regularmente

Seu blog ou outro canal de divulgação é uma de suas principais ferramentas e a frequência de postagens é essencial para manter o relacionamento já criado ou buscar novos visitantes.

Além de mostrar que você está acompanhando o mercado e é uma autoridade no assunto, a regularidade das postagens e qualidade empregada nelas também é positivo para o ranqueamento no Google e nas redes sociais.

De forma resumida, fazer conteúdos relevantes e com boa frequência garante que seu blog esteja entre as primeiras posições do Google e receba mais visitas orgânicas. E manter o engajamento nas redes sociais faz com que as suas publicações permaneçam no feed de seus clientes. Por isso, continue interagindo!

4. Capriche no review dos produtos digitais

Quando fizer postagens ou descrever seus produtos digitais, procure fazer um review interessante, envolvente. Se for sugerir sobre um ebook de receitas culinárias, procure aguçar os sentidos do leitor.

Se o tópico é um curso de inglês, transmita as sensações de dominar a língua para o mercado de trabalho ou em viagens. Personalize a linguagem e fuja do padrão. Isso despertará ainda mais interesse no potencial comprador.

5. Use a máxima que menos é mais na hora de escolher seus produtos digitais

Na hora de escolher os produtos digitais que vai promover, não exagere nas opções.

Procure fazer uma seleção básica que permita fazer o funil de vendas com qualidade. Se dividir sua atenção com muitos itens, poderá não fazer nenhum deles bem feito.

Uma boa ideia é pensar em suas ações e campanhas periodicamente. De repente, 5 produtos digitais em cada ciclo. O que acha?

6. Aposte em newsletter e email marketing

Com o tempo, você vai perceber que sua base de clientes estará aumentando e se relacionar intimamente com cada um deles será cada vez mais difícil. Nessa hora, é importante que entre em cena a automação.

Criar newsletters e usar o email marketing é uma forma inteligente de manter um contato frequente com seus compradores.

Além disso, com uma boa organização e até mesmo a contratação de algumas ferramentas, você poderá segmentar sua base e enviar conteúdos personalizados de acordo com cada perfil.

7. Considere investir em anúncios pagos

Ações de marketing de conteúdo geram um bom tráfego orgânico, mas os algoritmos do Google e das redes sociais limitam o alcance de suas publicações com o intuito de melhorar a experiência de seus usuários.

Mas tais plataformas também oferecem soluções para quem quer ganhar destaque: os anúncios e links patrocinados.

Você pode investir uma verba para que seus anúncios estejam em destaque nos resultados de procura do Google ou no feed do público das redes sociais mais compatíveis com sua oferta.

Lembre-se, porém, que esse valor vai ser abatido nos seus lucros; por isso, precisa ser bem planejado e direcionado.

8. Avalie as ações de seus concorrentes

Todo mercado tem seus concorrentes, diretos ou indiretos. E é preciso saber o que os seus estão fazendo para convencer seus clientes de que a sua oferta é a melhor.

Nesse sentido, é preciso entender que, em alguns casos, seus concorrentes irão vender exatamente o mesmo produto digital e o seu diferencial será, essencialmente, seu atendimento e bom relacionamento.

9. Meça o resultado de suas campanhas

Se você escolheu 5 produtos para trabalhar, criou um funil de vendas para cada um deles, está trabalhando com anúncios pagos, tem um blog e redes sociais, meça e avalie o desempenho de tudo.

Escolha algumas métricas, separe os resultados de cada um desses elementos. Isso ajudará a entender o que está dando certo e o que precisa ser melhorado. É muito mais eficiência para sua gestão.

10. Saiba que relacionamento é tudo

Não pense que a venda é o fim da linha. Você que se esforçou tanto para conquistar aquele cliente e sabe que ele gostou da oferta feita, então otimize esse relacionamento ao máximo.

Mantenha uma newsletter personalizada para antigos clientes, considere fazer promoções especiais para eles, esteja sempre em contato pelas redes sociais, pergunte sobre sua satisfação com o produto e anote todas as novas informações colhidas. Isso permitirá que você encontre novas oportunidades de vendas.

11. Escolha a melhor plataforma de Afiliados digitais

Tudo isso precisará de um ambiente, um parceiro que transmita confiança e uma seleção de produtos digitais que agradem seus clientes.

Mas como fazer isso? O que avaliar? A curadoria de produtos é suficiente ou melhor concentrar sua atenção ao tamanho da comissão?

A plataforma de Afiliados digitais

A resposta para todas essas perguntas é uma avaliação completa e uma busca pela solução que traga o maior pacote de benefícios para você e para seu cliente.

É preciso lembrar que é a sua autoridade que está sendo colocada em jogo, certo? Então, uma boa ideia é estabelecer uma linha de critérios e prioridades que vão influenciar sua escolha. Entre elas, considere aquelas que:

  • tenham produtos digitais bem aceitos no mercado, o que indica que a plataforma atrai bons produtores e tem know-how para sua divulgação;
  • ofereçam suporte e base de conhecimento para seus Afiliados, garantindo que eles possam evoluir em suas estratégias e tirar dúvidas sempre que necessário;
  • ofereçam formas e métodos de pagamentos flexíveis;
  • apresentem políticas de segurança de dados para seus produtores, Afiliados e clientes;
  • disponham de uma plataforma amigável e simples de gerenciar.

O momento e o parceiro certo para colocar tudo isso em prática

Empreender digitalmente tem suas vantagens, é claro! Tudo está mais próximo de você, desde conteúdos como este que explicam detalhadamente quem são os participantes desse mercado, seus indicadores de sucesso e fórmulas para a criação de estratégias, até as ferramentas necessárias, como as plataformas de Afiliados digitais.

Então, se é possível executar o projeto, planejar seu negócio e escolher uma plataforma de Afiliados confiável, provavelmente essas sejam as chaves para o sucesso, certo?

Viu que saber como trabalhar como Afiliado não é complicado? Temos a certeza de que algumas ideias desse post devem ter te empolgado por estarem completamente alinhadas com o seu projeto digital. Então, não perca tempo! Temos um guia do Afiliado gratuito que te explica como fazer sua primeira venda. Baixe o seu e comece agora mesmo!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.