Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Três dias imperdíveis para aprender tudo sobre o mercado digital!

Três dias imperdíveis para aprender tudo sobre o mercado digital!

Garanta seu ingresso

Aprenda como validar uma ideia por meio dos protótipos

Aprenda como validar uma ideia por meio dos protótipos

Você sabe como validar uma ideia?

Provar para você mesmo e para o mercado que seu produto digital vale a pena é sua primeira tarefa como empreendedor. Sem isso, lançar seu produto no mercado é extremamente arriscado. Por mais que você precise investir tempo e dinheiro no protótipo, tem muito mais a perder se não construir um.

Mesmo assim, muita gente não sabe como validar uma ideia e acaba pulando essa parte, confiando demais no próprio tato. Não caia nessa. Prefira fazer testes de validação antes e lançar algo mais moldado e útil para seu público.

Para quem não tem muita noção de como fazer isso, pode ser um grande desafio. Assim, trouxemos para você uma receita básica com o caminho das pedras. Baseamos os ensinamentos no livro Inspired, de Marty Cagan.

Na obra, ele foca na validação por protótipo, que tem o objetivo de criar uma solução rápida por meio do testes de hipóteses. Feito para avaliar quantas ideias forem possíveis e testá-las com usuários reais, esse teste é diferente do conceitual, que acontece por meio de pesquisas, grupos focais e formulários.

Pronto para aprender como validar uma ideia?

Como validar uma ideia de acordo com Marty Cagan

Cagan participou do desenvolvimento de produtos em empresas como Ebay e AOL. Além disso, participa do Silicon Valley Product Group e, por meio dele, trabalhou em outras centenas de projetos.

Ele acredita que as empresas erram muito na hora de escolher um gerente de produtos. Não entendem muito bem quais são os atributos desse profissional e, por isso, acabam perdendo oportunidades no mercado.

Em seu livro, ele mostra um pouco quais são essas qualidades da função e como um bom produto digital pode ser lançado. O primeiro passo é identificar a ideia e o segundo é já partir para o protótipo.

Avaliação da oportunidade

Antes de aprender sobre como validar uma ideia, a gerência da empresa deve fazer as seguintes perguntas:

– Que problema essa oportunidade irá solucionar?

Quem é afetado pelo problema e o quão grande é esse mercado?

– Quais alternativas os concorrentes oferecem?

– Por que nós poderemos ter sucesso nisso?

– Que fatores são críticos para o sucesso?

– Quais métricas usaremos para medir nosso sucesso?

– Por que esse é o tempo certo para entrar no mercado?

– Qual a nossa estratégia de entrada?

Com as respostas das perguntas acima, todos podem ter uma visão sobre a possibilidade de exploração daquela oportunidade. Assim, sem precisar recorrer a métodos muito burocráticos de pesquisa, os executivos da empresa podem definir se aquela ideia pode ser priorizada.

Se a decisão for afirmativa, é hora de começar a construir um protótipo de seu produto.

UX – User Experience

Um produto de sucesso precisa ter um ótimo design de experiência do usuário. Realizar pesquisas nesse sentido é essencial e, segundo Cagan, é trabalho do designer de interação, que cria um protótipo, ou wireframe, para testar o produto.

Junto com o designer visual, o designer de interação deve participar de todas as fases do projeto. É trabalho dele compreender desde a estratégia e ir até a entrevistas com clientes. Só assim é possível criar um protótipo que cumpra a necessidade que um produto se propõe a suprir.

Depois que o wireframe é testado e comprovado, é hora de criar o protótipo navegável do produto. Ele permite testes funcionais, que demonstram as interações possíveis. Nessa hora, já é essencial encontrar clientes que estejam dispostos a realizar os testes.

Ao final, seu produto deve ter três atribuições:

  1. Os engenheiros devem ser capazes de construir o produto;
  2. Os consumidores devem ser capazes de usá-lo;
  3. E o produto deve ser valioso para que os consumidores queiram comprá-lo.

É por isso que você precisa de um protótipo validável para testar. Só com esses fatores é possível ter segurança para lançar para o mercado. Uma vez que o teste de layout foi feito, é hora de desenvolver.

Sua mentalidade deve sair do processo de descoberta para entrar no processo de execução. Procure não realizar mudanças nas especificações do produto depois disso. Caso isso seja exigido, uma ideia é começar um novo processo de descoberta para a versão 2.0 de seu produto, rodando em paralelo a versão 1.0.

Como validar uma ideia com protótipos de alta fidelidade

Marty Cagan também defende a ideia de que protótipos de produtos digitais devem ser de alta fidelidade, para que os testes gerem resultados confiáveis. Isso significa que a experiência do usuário deve ser realista.

Imagine que uma pessoa que não entende sua ideia deve conseguir interagir com o produto sem precisar olhar para suas especificações. Lance mão de todas as fontes que puder para encontrar pessoas a fim de testar: amigos, família, classificados, influenciadores digitais.

Você deve definir algumas tarefas básicas para eles e não interferir enquanto o teste acontece. Observe e tome notas do que acontecer. No fim, se o produto for bom, as pessoas vão encontrar o que estão procurando e completar as tarefas. Se isso não ocorrer, conserte os erros e teste novamente.

Evite levar em conta as opiniões, que tendem a ser positivas. Nem todo mundo se sente confortável criticando algo na frente da pessoa que criou aquilo. Um jeito inteligente de ouvir a opinião de um testador é perguntando o que ele acha que aquele produto faz. Assim, você consegue relacionar as primeiras impressões e como elas batem com as funções.

Lembre-se de que é preciso desenvolver um produto que funcione para todo seu mercado-alvo, não para um usuário ou outro. Por isso, na hora de executar melhorias, avalie o que todos ou pelo menos a maioria das pessoas precisa.

Evite ficar apenas em modo de corrigir bugs e adicionar funcionalidades, mas também não tente agradar clientes específicos. Procure combinar as melhorias com os objetivos do negócio e os resultados que deseja alcançar com o produto.

Implemente mudanças aos poucos e informe os clientes sobre elas com antecedência. Considere também executar versões antigas e novas de seu produto em paralelo inicialmente, permitindo que os usuários optem pela mudança quando preferirem.

O jeito Marty Cagan de validar uma ideia

Como você viu, o teste de validação por protótipo é uma forma rápida de ganhar segurança para o lançamento de seu produto. Em alguns casos, isso exige o envolvimento de uma equipe, mas o investimento pode valer muito a pena.

Agora, para o próximo produto digital que você for lançar, procure realizar o teste de protótipo. Busque uma oportunidade, crie a solução e a modele de acordo com a forma como as pessoas que testaram interagiram com aquilo.

Uma outra dica de ouro: para conseguir testadores, procure fazer uma “venda prévia” de seu produto. Mostre que eles terão acesso a algo totalmente novo, em primeira mão, e o quanto aquilo pode ser interessante.

Se você quiser saber mais sobre o lançamento de produtos digitais, recomendamos a leitura de Launch, do Jeff Walker. Ele é um guia para quem quer lançar um produto novo com poucos recursos ou apenas potencializar seu negócio.

E, se você ainda não é um empreendedor digital, vale procurar saber mais sobre abrir um negócio.

Guest post produzido pela equipe de conteúdo do 12Minutos.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.