FecharNotificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

FecharNewsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Vender cursos online: o guia para ganhar dinheiro ensinando [+ VÍDEO]

BUSCA...

Vender cursos online: o guia para ganhar dinheiro ensinando [+ VÍDEO]

Vender cursos online é uma alternativa para transmitir conhecimento de maneira rápida e simples. Se você tem vontade de empreender na internet, continue lendo para aprender agora como criar e vender seu próprio conteúdo.

Vender cursos online se tornou uma prática muito acessível e rentável para todos que desejam divulgar conteúdos interessantes pela internet.

Talvez, você seja da época em que, para fazer um trabalho de escola ou de faculdade, era preciso procurar informações na Barsa.

Bateu uma nostalgia, aí?

De uns anos para cá, as coisas mudaram muito.

Você já parou para pensar que cada vez mais temos todo tipo de informação e serviços em nossas mãos?

Hoje, você já consegue fazer compras de supermercado pelo celular, e também estudar e pesquisar tudo que imaginar pela internet. E é sobre esse último tópico que vamos conversar hoje.

Neste post super completo, vamos ensinar tudo sobre como vender cursos online e gerar renda com seu conhecimento. Acompanhe!

Aprenda todos os passos para vender cursos online:

Índice
1. Escolha seu segmento de mercado2. Conheça seu público3. Defina o formato de seu curso online4. Pesquise sobre o tema5. Produza seu conteúdo6. Hospede seu curso online em uma boa plataforma7. Divulgue seu curso na internet

Provavelmente, você precisará de informações mais detalhadas e, por isso, desenvolvemos todo o passo a passo para criar e vender cursos online desde o desenvolvimento do material até a primeira venda. 

1. Escolha o segmento mais lucrativo para criar um curso online

Depois que você decidiu começar seu negócio, esse é o primeiro passo que irá guiar todo seu planejamento. A escolha de um nicho deve ser baseada em sua afinidade com aquele segmento e, é claro, na oportunidade lucrativa do mercado.

Para assistir nossa aula no YouTube sobre escolha de nichos, clique aqui. 

Nesse passo, você deve ampliar suas possibilidades analisando aqueles nichos que mais podem te trazer resultados positivos.

Comece listando assuntos de seu  interesse e abra espaço também para aqueles que, mesmo que você não se identifique tanto a princípio, podem atrair uma boa audiência.

Não atenha-se ao que você acredita que pode ser lucrativo. Utilize recursos que o auxiliem nessa decisão. Ferramentas para pesquisa de palavras-chave são essenciais nesse processo.

Você pode utilizar o SemRush, Keywordtool.io e Keyword Planner, que irão oferecer o volume de buscas para cada termo pesquisado. Você ainda pode utilizar o Google Trends para descobrir como está a evolução desses termos  ao longo dos anos.

google trends de cursos online

Em geral, quanto mais genérico for o tema, maior será o volume de pesquisas, bem como sua concorrência. Então, quanto mais segmentado o assunto de seu curso online, mais facilidade você terá para ganhar autoridade naquele nicho.

A vantagem de se trabalhar com nichos de mercado muito específicos é que você consegue ser mais assertivo na oferta para seu público.

Para ler mais sobre o assunto, acesse nosso post completo sobre como escolher o nicho ideal para seu primeiro curso online. 

2. Descubra seu público ideal: análise de personas

Tão importante quanto definir um nicho lucrativo é entender exatamente as características do público ao qual você irá oferecer seu produto.

Além de identificar aspectos representativos gerais, como sexo e idade, devemos analisar particularidades específicas de seu cliente ideal. É aí que lhes apresento as personas.

Mas o que são personas?

Personas são personagens semi-fictícios que representam um cliente ideal para seu negócio e são baseadas na análise de clientes reais daquele mercado.

Além de dados demográficos, você deverá registrar padrões de comportamento, objetivos profissionais, pessoais, eventuais problemas que elas enfrentam e que seu produto poderia resolver.

Quando você entende exatamente o público com o qual está lidando, mais preciso você poderá ser em suas ações de  divulgação de seu curso online.

Dê uma olhada em um de nossos exemplos de persona:

um gráfico mostrando como definir personas

Dica: Se você vai começar um negócio do zero, recomendamos que mapeie apenas uma persona, assim, você poderá focar seus esforços. À medida que for amadurecendo seu empreendimento digital, eventualmente, você descobrirá outros perfis de compradores que também precisam de sua atenção. Nesse momento, você poderá identificar novas personas.

Se você já tem um negócio e  pretende transformá-lo em um curso online, entreviste seus próprios clientes/alunos e entenda qual é o padrão entre eles para traçar sua persona.

Leia também nosso post completo que vai te ensinar como criar uma persona para seu negócio.

3. Defina o formato de seu curso online

Um dos grandes benefícios, além dos já citados acima, é a diversidade de formatos que a internet possibilita para a criação de cursos online.

Não existe formato ideal no universo dos produtos digitais, mas sim aquele que transmite melhor o conteúdo de seu curso ao seu público.

Antes de entrar em detalhes, vamos conhecer os principais tipos de infoprodutos existentes no mercado:

Ebooks: é um formato bastante popular entre os cursos online, pois são simples de serem criados e acessados.

O ebook se adapta facilmente a qualquer aparelho que tenha um leitor digital compatível e não há necessidade de internet para acessá-lo, caso ele já tenha sido salvo no dispositivo.

Em poucos passos, é possível aprender como criar um ebook, confira em nosso post.

Videoaulas: este formato de curso online também é muito prático e fácil de ser produzido, mesmo que você não tenha experiência com ferramentas de vídeos.

Os próprios smartphones possuem câmeras de excelente qualidade, capazes de captar um vídeo em alta resolução para produzir videoaulas atraentes para seus alunos.

Esse formato combina, principalmente, com assuntos que precisam de algum tipo de demonstração, como aulas de culinária ou de exercícios físicos.

Para as pessoas mais tímidas, a recomendação é treinar bastante em frente ao espelho, gravar alguns rascunhos ou convidar um especialista que tenha mais desenvoltura diante das câmeras.

Screencasts: são vídeos capturados da tela de um computador. Basta um software de captura de tela, de edição e um microfone para narrar comandos de voz enquanto você faz alguma demonstração em seu computador.

Eles são ideais para apresentações em planilhas, como um curso sobre finanças, ou qualquer modelo que necessite de alguma simulação no computador.

Audiobooks: o audiobook tem ganhado popularidade por permitir que o conteúdo seja absorvido enquanto a pessoa está fazendo outra atividade: dirigindo, cozinhando ou praticando atividade física, por exemplo.

Além disso, os audiobooks são extremamente úteis e importantes para deficientes visuais. Para conhecer mais sobre esse formato, clique aqui e aprenda como narrar um audiobook com maestria.

Podcasts: são modelos similares ao audiobook, e suas vantagens são exatamente as mesmas. A diferença é que um podcast pode ser um conteúdo mais interativo, até mesmo descontraído, como em um programa de rádio.

As vantagens são que, no podcast, o ouvinte escolhe os assuntos que mais lhe interessam e ele poderá ouvir o conteúdo quando achar conveniente.

Assinatura mensal: a assinatura mensal possui um formato muito interessante, pois nela você pode disponibilizar conteúdos periódicos e cobrar uma mensalidade pelo acesso.

Um exemplo prático:

Você pode comercializar um combo único de videoaulas ensinando técnicas de culinária a um preço mais elevado e, todo mês, você terá que conquistar novos clientes para manter sua renda. Ou você pode criar uma assinatura mensal e disponibilizar vídeos semanais (ou com a periodicidade que preferir) com novas técnicas a um preço mais baixo e acessível.

Esse formato é vantajoso para o aluno, que absorverá o conteúdo com o tempo ideal para aprender e praticar, e para você, que terá um negócio mais sólido, pois garantirá receita recorrente durante os próximos meses.

Esse modelo é ideal para quem tem um grande volume de conteúdo sobre um nicho. O que você precisará para implementar esse tipo de curso digital é de uma plataforma que comporte uma área de membros, como o Hotmart Club faz atualmente.

Através de um programa para membros, você consegue acompanhar a progressão dos alunos, responder a eventuais dúvidas na própria plataforma e deixar o conteúdo mais interativo.

e-Magazines: são revistas eletrônicas e possuem uma periodicidade definida, da mesma forma que as revistas impressas. Esse modelo tende a, cada vez mais, substituir o formato físico.

Kits: são combinações de diversos tipos de produtos digitais que podem se complementar para transmitir o conteúdo completo. Dessa forma, é possível transmitir um curso online da maneira mais completa possível, de acordo com a necessidade do assunto.

O produtor digital deve entender muito bem seu mercado e público para definir o melhor formato para o produto.

Esperamos que, com os exemplos citados acima, você já tenha ideia do formato para produzir seu curso online.

4. Pesquise sobre o tema (o máximo que puder!)

O próximo passo é aquele no qual você deverá mergulhar no tema escolhido para garantir que terá muita propriedade sobre o assunto para, então, compartilhá-lo com outras pessoas.

Não se atenha a seus conhecimentos, mesmo que você seja um especialista no assunto escolhido. Se esse for o caso, você pode buscar novas fontes e referências que ainda não conhecia sobre o tema para ter ainda mais conhecimento.

Já se você decidiu vender cursos online sem ser um especialista na área escolhida, terá que se dedicar ainda mais para conseguir passar todo o conteúdo de forma confiante e fidedigna.

O Google será seu grande companheiro nessa etapa. Identifique as maiores referências sobre seu tema, leia materiais de fontes estrangeiras, metodologias de ensino, entreviste especialistas no assunto e fale a respeito do conteúdo para adquirir segurança em suas explicações.

Agora, vamos iniciar, de fato, o processo de produção de um curso online.

Preparado?

5. Produza seu curso online

Finalmente, vamos colocar a mão na massa!

Agora que você já está completamente por dentro de seu nicho, conhece muito bem seu público e definiu o formato de seu curso digital, você deve fazer o rascunho do que será seu produto.

Independentemente se vai ser um vídeo ou ebook, o outline, como também é chamado o rascunho, é o que vai te guiar até o produto final.

Rascunho do curso

Esse é o momento de fazer seu brainstorm. Escreva todas as ideias que vierem à sua mente. Seja criativo e imagine qual forma seu curso online irá tomar.

Recomendamos que você utilize o Google Docs, pois como ele salva o arquivo em nuvem, você tem acesso fácil sempre que precisar – inclusive pelo celular. E acredite, quando menos esperar, você terá alguma ideia legal para incluir em seu material.

Busque referências de outros cursos, mesmo que não tenha relação alguma com seu assunto.

Dito isso, vamos ao próximo passo!

Produção do conteúdo

Com o rascunho em mãos, é hora de escrever ou gravar seu conteúdo. Providencie todo o material para a produção do curso: computador, câmeras, microfone, iluminação e o que mais for necessário.

Se você for gravar vídeos e não tiver experiência alguma com o equipamento, contrate um videomaker que possa realizar a produção para você, ou opte pela versão mais econômica pedindo ajuda para algum amigo.

Garanta que o áudio de seu material seja claro, sem ruídos. O público tolera imagens de baixa qualidade, mas um áudio ruim certamente será alvo de críticas.

Lembre-se também de pensar em um título interessante para seu produto.

Revisão

O ideal é aguardar algumas horas ou um dia depois que tudo foi finalizado, para evitar um olhar viciado sobre aquele conteúdo. Outra ideia é pedir ajuda para algum amigo sincero e com olhar crítico suficiente para te dar um feedback sobre seu material.

Edição/diagramação

Depois de produzido e revisado, você deve pegar aquele material bruto e transformá-lo em um conteúdo refinado, tecnicamente falando. No caso de um ebook, ele deverá ser diagramado com um design rico para seu público.

O mesmo acontece com os vídeos. Se você não tiver habilidade para fazê-lo, novamente, peça ajuda ou contrate alguém capacitado.

Quer aprender sobre edição de vídeos? Não deixe de ler nosso post com 9 programas de edição de vídeo para você começar a usar agora mesmo.

6. Hospede seu curso online

Essa é o momento em que os empreendedores de primeira viagem geralmente ficam em dúvida:

Como eu coloco meu curso na internet?

Uma das grandes vantagens de se tornar um empreendedor digital é que existem plataformas completas e gratuitas, como a Hotmart, que estão prontas para hospedar produtos digitais.

Isso significa que você não precisa saber elaborar uma linha de código sequer para manter seu produto na internet. O processo é simples: você acessa o site da plataforma escolhida, faz seu cadastro e envia seu produto para aprovação. Sim. É só isso.

Depois de aprovado, seu produto estará disponível para ser comercializado. Mas é claro que a gente não vai te deixar apenas com essas informações na mão.

Entenda, agora, os principais aspectos que você deve considerar na hora de escolher a plataforma mais adequada para seu curso online:

Facilidade para organizar seu conteúdo

Seu conteúdo precisa ser organizado de uma maneira didática para seus clientes e futuros alunos. E, enquanto produtor digital, você será responsável por essa tarefa.

Então, busque um sistema intuitivo que facilite esse processo, principalmente se você for utilizar uma área de membros.

Gerenciador automático de listas de e-mails

Lembra daquele ditado: menos é mais?

Pois é, ele vale também para os processos que envolvem a administração de seu produto: se você pode gerenciar seus emails e contatos em um só lugar, por que se dar ao trabalho de dividir esta tarefa entre dois ou mais sistemas?

Por isso, pesquise plataformas que ofereçam alguma forma de integração entre seu sistema de disparo de emails e o que gerencia e hospeda seu produto.

Um dos aspectos mais importantes de um produto, seja ele físico ou digital, é o relacionamento com seus clientes. Afinal, são eles que definirão o sucesso ou fracasso de sua empreitada.

Por isso, invista tempo na pesquisa de um bom serviço de suporte. E melhor ainda se ele já for oferecido pela plataforma que hospeda seu curso ou produto, porque, assim, você centraliza sua atenção e não adiciona novos passos na jornada de seu cliente.

Para fazer a escolha certa, uma dica é analisar bem a reputação das empresas que te interessam, assim como sua experiência no mercado, e usar este item como fator primordial na escolha do serviço de hospedagem.

Lembre-se que ele será seu porta-voz e representará a imagem que você quer transmitir como produtor.

Suporte ao produtor digital

Todo mundo sabe que é normal ter dúvidas quando se começa algum projeto. E com produtores digitais, isso não é diferente.

Leva um tempo até entender cada processo, detalhe, terminologia… Mas esse processo não precisa ser tão penoso quanto pode parecer; basta garantir que seu serviço de hospedagem te ofereça um bom suporte.

Pense que você pode precisar de ajuda com algo importante para manter seu produto em pleno funcionamento e, por isso, deve optar por uma empresa que possa te responder com agilidade, além de ser capaz de te oferecer dicas, ferramentas e conselhos úteis.

Checkout simples e customizável

Garantir que seu comprador tenha uma experiência agradável do começo ao fim é um passo importante na história de seu produto digital.

Isso explica a razão para que você use um checkout simplificado, exigindo apenas os dados e ações essenciais de seus clientes e customizado, o que permite que seu público identifique, logo de cara, que se trata de seu produto. Isso gera mais confiança e segurança.

exemplo de checkout customizável

Garantia de segurança

Em algum momento de sua vida, você provavelmente já ouviu algum comentário de alguém que tem receio de fazer compras pela internet.

Dada a facilidade para se apossar de dados no mundo virtual, esse medo tem fundamento e é mais um motivo para  tratar com cuidado as informações financeiras de seus clientes.

Para garantir que todos os dados estejam em boas mãos, é essencial usar um sistema que atue de acordo com padrões mundiais de segurança digital, como o PCI Compliance e o CSE Security, por exemplo.

Se você não está familiarizado com os termos ou os fatores de segurança, clique aqui para entender como funciona uma plataforma segura.

Assim, você e seus clientes terão a tranquilidade de saber que todas as informações e transações estão criptografadas e em segurança.

Entrega automática de conteúdo

Imagine que o número de vendas de seu produto se multiplique rapidamente. Se você microgerenciar cada detalhe, como o envio do curso a cada comprador, ficará exausto e nem mesmo conseguirá ter tempo para aproveitar o sucesso de seu negócio, não é?

É por essa razão que é essencial otimizar os processos e adicionar recursos e ferramentas que te ajudem a simplificar sua experiência e a de seus usuários!

Por isso, exija uma plataforma que ofereça a entrega automática do conteúdo que você vende e um sistema intuitivo para que você controle todos seus processos. Assim, seus clientes terão acesso imediato a seu produto e se sentirão ainda mais seguros em relação à compra.

Pagamento automatizado

Quando um consumidor compra algum produto, ele espera uma aprovação e entrega rápidas, certo?

Com a internet, não é diferente. Quanto mais tempo você demora para aprovar e finalizar uma compra, mais insatisfeito e frustrado seu cliente fica.

Então, pesquise antes se a plataforma que vai hospedar seu produto tem um sistema de pagamento inteligente que oferece uma aprovação automática.

Se sim, ótimo!

Agora, outro aspecto importante a considerar, caso você pense em expandir seu negócio para o mundo – e por que não? -: é bom escolher um sistema que tenha a capacidade de aceitar moedas de diversos países. Assim, você já terá o suporte necessário para conquistar cada vez mais territórios! 

Para te ajudar em seu processo de escolha, leia sobre o Hotpay, o sistema de pagamento próprio da Hotmart. Ele contém todas as integrações citadas e outras funcionalidades que serão muito úteis para você – como pagamentos com dois cartões.

Relatório de vendas

Como dados são essenciais para saber mais a respeito de seu público, o que ele espera de você e para onde você deve direcionar sua comunicação, é importante dispor de um serviço que ofereça ferramentas de mensuração de resultados.

Dessa forma, você será capaz de conhecer a fundo seus compradores e, assim, poderá atendê-los melhor.

7. Divulgue seu curso online

Parafraseando o ditado quem não é visto, não é lembrado, no mundo digital, produto que não é visto, não é comprado. Simples assim!

Depois de hospedar seu produto em sua plataforma de confiança, é fundamental mostrar para seu público que seu curso online é a melhor solução para os problemas deles. E você pode fazer isso de diversas maneiras.

Partindo do princípio de que você nunca trabalhou com internet, você precisará traçar uma estratégia de marketing digital para seu negócio.

Em nosso curso gratuito sobre negócios digitais, o Hotmart Academy, temos várias aulas sobre marketing e estratégia digital. E de acordo com nossos números, as pessoas que tiram todos os certificados desse curso têm até duas vezes mais chances de realizar vendas.

Separamos, aqui, algumas sugestões de ações com as quais você pode começar para promover seu curso online:

Blog

O blog faz parte de uma das grandes estratégias utilizadas no Marketing de Conteúdo.

O marketing offline tradicional visa, em geral, uma abordagem mais direta, oferecendo o produto ao público logo no primeiro contato.

Em uma estratégia de Marketing de Conteúdo, você deve falar 80% sobre temas de interesse de sua persona e apenas 20% sobre sua marca.

Atraindo tráfego orgânico com um conteúdo valioso e interessante, você gera autoridade em torno de seu nome ou marca e aumenta a chance de efetuar vendas por ser um especialista naquele nicho.

O propósito é que o público se convença sozinho de que seu produto é a melhor solução para ele naquele momento.

Partindo para a prática:

Imagine que você está inserido no nicho de idiomas e ensina pessoas a aprenderem inglês em um período mais curto do que as escolas tradicionais. Você pode escrever posts sobre todo o universo que envolve esse assunto:

  • O que são phrasal verbs?
  • Quanto tempo demora para aprender inglês?
  • Principais diferenças do inglês britânico para o americano
  • Como acelerar o processo de aprendizado do inglês?
  • Quais países do mundo falam inglês?

Perceba que nenhum desses artigos fala, necessariamente, sobre seu produto, mas são assuntos que sanam as dúvidas de quem está pesquisando sobre o tema.

Quanto mais posts de qualidade você puder publicar, com consistência, maior a chance de seu público encontrar seu blog como referência sobre aquele nicho.

Você ainda não sabe como começar um blog? Não se preocupe, pois temos um post que te ensina o passo a passo para criar um blog hoje mesmo.

E falando em tráfego orgânico, é inevitável não mencionar o próximo tópico:

SEO e busca orgânica

Search Engine Optimization ou Otimização para motores de busca (SEO) reúne estratégias para melhorar o posicionamento de sites e blogs nas ferramentas de busca, como o Google e o Bing. Essa estratégia é voltada, exclusivamente, para aprimoramento da busca orgânica

Busca orgânica são os resultados naturais para determinada pesquisa nas ferramentas de busca, ou seja, aqueles que não foram pagos para aparecerem.

busca orgânica e busca paga

Você mesmo pode constatar que, na maioria das vezes que faz uma pesquisa no Google, se atém aos resultados da primeira página, principalmente, aos três primeiros sites da busca orgânica.

E esse é o processo comum da maioria dos usuários: o primeiro resultado orgânico recebe, em média, 34% dos cliques, enquanto o segundo recebe 17% e o terceiro, 12% – dados recolhidos de um estudo realizado pela empresa Advanced Web Ranking.

Atualmente, um dos principais fatores de rankeamento do Google são as indicações que outros sites fazem para seus conteúdos por meio de backlinks.

Se seu site é mencionado em algum portal relevante, seu domínio ganha força e o Google entende que ele é relevante para o usuário, o que pode fazer seu site/blog subir nas buscas da ferramenta.

Para conseguir que outros sites te indiquem, você deve produzir conteúdos valiosos, que sirvam de referência em seu segmento.

Como fazer isso? Com um blog!

Aproveite também as redes sociais e email marketing para disseminar seus blog posts. E falando em email marketing, entenda, agora, como você pode utilizá-lo a seu favor.

Email marketing

Desmistificando aquela história de que ninguém mais usa email, essa ferramenta é uma das mais preciosas em uma estratégia de Marketing Digital. Isso porque você pode estabelecer vínculo direto com seu público e promover seu produto de forma eficaz.

Para isso, você precisará de uma ferramenta de disparo de emails (existem versões gratuitas, como o MailChimp) que se integre com a plataforma escolhida para hospedar seu produto. Assim, você também poderá disparar emails para quem já adquiriu seu produto.

Você pode ofertar materiais ricos gratuitos, como ebooks e infográficos, em seu site e blog e solicitar o email dos visitantes para fazerem download deste conteúdo.

A partir daí, você terá uma base interessada em seu tema e poderá nutrí-la com outros conteúdos, até ofertar seu produto no momento mais propício.

Anúncios pagos

Quem está começando e ainda não tem muita visibilidade online, pode pagar para aparecer nos motores de busca em sites anunciantes e redes sociais.

Com boas imagens e um texto interessante, você pode direcionar o público para seu site, blog ou diretamente para a página de vendas em que fará a oferta de seu produto.

Com o texto correto e a segmentação adequada para seu público, é possível atrair pessoas que realmente se interessarão em seu anúncio e, possivelmente, em seu produto.

imagem correta para anúncios

Página de vendas

Diferente de um blog, as páginas de vendas (que podem ser hospedadas em seu próprio site) têm o objetivo de direcionar o usuário até o momento da compra e convencê-lo de que aquele produto é ideal para ele.

Pensando nisso, sua página deve responder algumas perguntas para que sua proposta fique bem clara ao visitante, como:

  • O que é o produto?
  • Por que esse produto é para você?
  • Como confiar nesse produto?
  • Como você irá recebê-lo?

E outras perguntas objetivas que possam influenciar na decisão de compra.

Observe um modelo padrão simples de uma página de vendas:

Redes sociais

As redes sociais são ótimos canais para se aproximar de seu público e entender melhor o comportamento de clientes e prospects de seu produto.

Um ponto de atenção, porém, é descobrir quais redes sociais sua persona realmente utiliza e elaborar estratégias inteligentes para falar diretamente com ela.

Dessa forma, ao invés de criar perfis em todas as novas redes que surgem, o ideal é descobrir quais são aquelas que você realmente deve focar seus esforços, assim, você consegue construir uma base forte de relacionamento com seu público.

Vale lembrar que, principalmente nas redes sociais, não é interessante falar o tempo todo de sua marca (a regra 80/20 também é válida!), mas sim sobre assuntos de interesse de seu público, que possam levar seus seguidores a querer conhecer seu produto.

Materiais ricos

Ebooks, infográficos, white papers, planilhas, guias, todos esses são ótimos exemplos de materiais ricos que você pode usar para atrair leads para sua base e realizar uma boa estratégia de email marketing.

Aqui é importante ressaltar que, por mais que seja um conteúdo gratuito, ele deve ser rico – como o próprio nome diz – e ter valor suficiente para que seu lead se interesse por seu produto principal.

Disponha seu material rico em uma landing page, em seu site, blog, redes sociais, e crie estratégias de email para manter o contato com seu público e, no momento propício, fazer uma oferta de compra.

Webinários e transmissões ao vivo

De tempos em tempos, transmitimos webinários ao vivo com nosso alunos do Hotmart Academy para batermos um papo em tempo real, sanarmos possíveis dúvidas, dar dicas sobre o mercado digital e oferecer o maior apoio possível para quem deseja se tornar um empreendedor digital.

Transmissões ao vivo são como seminários, nos quais você reúne pessoas interessadas em um tema para ensinar, debater e,consequentemente, se posicionar como uma autoridade no assunto.

Essa pode ser, também, uma ótima ferramenta para criar uma base de emails com leads interessados em seu assunto.

Para saber tudo sobre essa estratégia, leia nosso post completo sobre Webinar: todos os passos para utilizar essa técnica e impulsionar seu negócio.

Programas de afiliados

Se, por um lado, existem os produtores, responsáveis por transmitir conhecimento através de um curso online, existem também profissionais focados na divulgação desses materiais: os afiliados.

Eles funcionam como uma ponte entre produto e consumidor final e recebem comissões por cada venda realizada.

O produtor que participa de um programa de afiliados tem ainda mais chance de escalar seu negócio e gerar oportunidades de venda.

Os programas de afiliados disponibilizam diversos produtos de diferentes nichos para que os afiliados escolham aqueles que acharem mais adequados para promover.

É válido lembrar que o produtor é quem define o percentual de comissão de seu produto.

A divulgação será um processo constante em seu negócio, principalmente se você deseja fazer muitas vendas e alcançar ótimos resultados com seu curso online – o que acreditamos que seja seu maior objetivo.

Quem pode vender cursos online?

Educar é uma arte nobre e cada um que se propõe a transmitir conhecimento tem uma importante missão para com quem recebe o ensinamento. E não só professores são capazes de abraçar essa missão, mas qualquer pessoa que possa contribuir com sua experiência profissional ou pessoal para ensinar e ajudar outras pessoas.

Pode parecer clichê afirmar que todo mundo é capaz de fazê-lo, mas a verdade é que, se você parar para pensar, por sermos simultaneamente plurais e singulares, absorvemos diferentes percepções do mundo. E é aí que tudo acontece. Como já disse nosso CEO, João Pedro Resende:

O mundo evoluiria mais rápido se todas as pessoas pudessem compartilhar sempre o que elas têm de mais valor!

Dito isso, esperamos que você tenha se convencido de que você pode se tornar um produtor digital – hoje mesmo, inclusive. E os primeiros passos você vai encontrar nos próximos tópicos.

Vantagens de produzir e vender cursos online

Se você ainda está em dúvida se vale ou não a pena criar seu próprio curso e talvez ter a possibilidade de trabalhar em casa ou de onde preferir, trouxemos as principais vantagens que os cursos online podem lhe proporcionar:

Ter mais flexibilidade: uma vez que você decide criar um negócio online, é possível definir onde e quanto tempo irá dedicar ao seu negócio, mesmo que você venda cursos digitais apenas para conquistar renda extra.

Escalar alcance e lucros: se em um emprego comum você recebe por hora, através da internet, você rompe a barreira de espaço e tempo e pode realizar vendas simultâneas para pessoas do mundo inteiro que tenham interesse em seu material digital.

Ter versatilidade: você escolhe como deseja transmitir conhecimento para seu público.

Por existirem diversos formatos de cursos online (já falamos sobre eles neste texto), você tem várias opções para produzir o material ideal para o nicho de seu mercado.

Obter uma logística prática: ao contrário dos produtos físicos, a entrega de seu curso online para o comprador é muito mais simples e, o melhor, imediata!

No mesmo momento em que o pagamento for aprovado, o comprador terá acesso ao curso adquirido.

Isso tudo é possível graças às plataformas de hospedagem de produtos digitais.

Essa facilidade poupa seu tempo e permite que você invista mais esforço na divulgação de seu curso online.

Produzir material com baixo custo: a produção em si de um curso digital é exponencialmente mais baixa do que materiais físicos, que são comercializados por unidade.

Um curso online será produzido uma única vez e distribuído milhares de vezes, para milhares de pessoas.

A partir do momento que você alcança o breakeven sobre os gastos de produção, todos seus ganhos serão lucro e capital para reinvestir em seu negócio, seja em estratégias de Marketing Digital ou em contratação de serviços que automatizem seu trabalho.

Adquirir mais qualidade de vida: esse ponto é muito relativo, pois existem muitas pessoas extremamente felizes em seus empregos, que têm ótima qualidade de vida.

Para todas as outras que estão insatisfeitas com seus trabalhos, que não conseguem ter o lazer que gostariam, ou que não conseguem passar tempo suficiente com a família, esse é um motivo muito importante para se tornar um produtor digital.

Ter um negócio próprio significa muito empenho e trabalho, mas também quer dizer que, com o tempo, você conseguirá usufruir de benefícios como os que citamos anteriormente.

Ainda é válido lembrar que, mesmo administrando um negócio de casa, seu curso online exigirá muito trabalho e dedicação, principalmente na fase inicial, quando ninguém o conhece ainda.

Finalmente…

Imaginamos que sejam muitas informações para digerir de uma só vez e esperamos que este material seja útil sempre que surgir alguma dúvida enquanto você estiver produzindo e vendendo seu curso online.

E apesar deste ser um material completo para vender cursos digitais, você deve sempre se atualizar com novos conteúdos e, é claro, pode contar conosco por aqui no blog e em nossos outros canais para aprender muito mais sobre o mercado de produtos digitais e marketing digital.

E aí? você deseja criar e vender seu curso online, mas não sabe por onde começar? Conheça o Desafio 30 Dias, um curso totalmente gratuito, com tudo o que você precisa saber para entrar no mercado de produtos digitais em apenas um mês!