Fechar

Core Web Vitals: conheça os novos indicadores de SEO do Google

O Google acaba de lançar o Core Web Vitals, um conjunto de métricas que avalia o desempenho e a experiência do usuário. Conheça as novas métricas e descubra como otimizar o seu site.

Quem dedica tempo a otimizar a performance de sites da internet já sabe que a experiência do usuário é um dos fatores mais importantes para o posicionamento no Google. Agora, com a implementação do Core Web Vital, esse critério terá um papel ainda maior no ranqueamento.

Em atualizações anteriores de seu algoritmo, como o BERT, a gigante das buscas já dava sinais de que passaria a valorizar cada vez mais a experiência de navegação como fator de pontuação.

Quesitos como velocidade de carregamento, conteúdo responsivo e navegação segura já eram conhecidos. Agora, novas métricas entram em jogo!

Portanto, se você se preocupa com o posicionamento do seu site nos resultados de busca e no alcance da sua marca na internet, precisa conhecer os Core Web Vitals e saber como melhorar a sua pontuação.

Então, continue lendo este post e descubra tudo sobre os novos indicadores de SEO do Google!

262

O que é o Core Web Vitals?

O Core Web Vitals é uma série de fatores que o Google considera importantes para a experiência dos usuários ao navegarem por uma página da internet. Esses fatores incluem métricas relacionadas à velocidade de página e interação do usuário.

O principal objetivo dessa iniciativa é unificar os sinais de qualidade de um site, que são necessários para uma boa experiência de navegação, tanto em dispositivos móveis como desktops.

Por anos, o Google desenvolveu uma série de ferramentas para acompanhar a performance de páginas da web e gerar relatórios. Entretanto, muitas delas eram e ainda são difíceis de usar, com dados complexos e pouco acessíveis.

Pensando nisso, o buscador resolveu simplificar esse processo e ajudar os profissionais a focar nas métricas que realmente importam para a experiência do usuário. Surgiu, assim, o Core Web Vitals!

Quais as métricas do Core Web Vitals?

O Core Web Vitals é formado por três métricas principais, que refletem um aspecto único da experiência do usuário:

Largest Contentful Paint (LCP)

Essa métrica indica a velocidade de carregamento percebida pelo usuário na primeira dobra (parte do site que é exibida para o usuário sem que ele precise rolar a tela). Ou seja, o tempo que demora para o principal elemento da página aparecer.

Esse elemento pode ser o texto da página ou uma imagem e permite que o usuário consiga navegar ou interagir com o conteúdo durante o carregamento dos demais elementos do site.

First Input Delay (FID)

O segundo indicador do Core Web Vitals mede o tempo que demora para o usuário ter uma resposta depois de executar alguma ação dentro do seu site. Pode ser apertar um botão, rolar a tela, clicar em uma caixa de seleção ou escrever em uma caixa de texto.

Quanto menor for essa demora (delay, em inglês), maior será a percepção do usuário de que o carregamento da página é rápido e, portanto, melhor sua experiência.

Cumulative Layout Shift (CLS)

O último indicador dos Core Web Vitals é a métrica mais nova entre as analisadas pelo Google. O CLS mede a estabilidade da página, ou seja, a frequência com que o usuário experimenta mudanças inesperadas de layout.

Por exemplo, imagine que o seu site carrega um botão de cadastro em uma newsletter, convidando os usuários a clicarem nele. Enquanto isso, porém, a página continua carregando em segundo plano outros elementos, como imagens e textos.

O resultado é que, quando o conteúdo finalmente termina de carregar, o botão de inscrição é empurrado um pouco para baixo — e justo no momento em que o visitante decide clicar.

Logo, quanto menos mudança de layout, melhor a experiência de navegação.

Outros fatores de pontuação

Além dos três indicadores que listamos acima, vale destacar que a pontuação também passa pela interferência de outros fatores que influenciam, mesmo que indiretamente, a qualidade da experiência do usuário.

São eles:

  • Mobile Friendly: analisa se a página é otimizada para a navegação em dispositivos móveis, como smartphones e tablets;
  • Navegação segura: indicador que analisa se a página não contém conteúdos enganosos ou maliciosos;
  • Segurança com HTTPS: analisa se a página está usando o protocolo HTTPS;
  • Sem intrusões: verifica se a página não contém problemas envolvendo o conteúdo principal.

Por que o Core Web Vitals é tão importante?

A cada nova atualização de seus algoritmos e critérios de análise de desempenho, o Google deixa clara a sua intenção de aprimorar a experiência de navegação dos usuários.

E, com o Core Web Vitals, não seria diferente.

Com um número cada vez maior de pessoas acessando a internet por conexões móveis em smartphones — só no Brasil, o mobile representa 58% dos acessos — é importante que o conteúdo das páginas estejam adaptados a esses dispositivos.

Essas novas métricas servem como um parâmetro para que webmasters e donos de sites em geral consigam aprimorar o desempenho das páginas para, assim, oferecer uma navegação mais fluida e confortável para os usuários.

E você já sabe: quando o seu site oferece uma navegação de qualidade, sem travamentos, com carregamento acelerado e com conteúdos bem estruturados, o usuário fica mais satisfeito com a experiência e tem mais chances de voltar a acessar sua página e converter.

E não para por aí.

O Google já avisou que, a partir de meados junho de 2021, vai reclassificar as páginas em seu index com base no Core Web Vitals. O buscador aponta, porém, que essa nova classificação só terá um peso maior no ranqueamento a partir de Agosto.

Com isso, é esperado que páginas que não oferecem uma experiência de usuário de qualidade caiam algumas posições na SERP.

Então, se você busca manter a sua página nas primeiras posições do Google, seja para atrair mais tráfego orgânico ou aumentar o alcance de marca, precisa ficar atento ao Core Web Vitals e melhorar esses indicadores em seu site.

Como medir e aprimorar o desempenho do seu site?

Para ajudar nessa transição, o Google liberou algumas ferramentas que permitem analisar detalhadamente o desempenho de uma página para cada uma das métricas que compõem o Core Web Vitals.

Para ter acesso a esses dados, basta acessar o PageSpeed Insights e inserir a URL que você deseja analisar. Em seguida, a ferramenta exibe a pontuação alcançada pela página para cada uma das principais métricas do Core Web Vitals, como LCP, FID e CLS.

A ferramenta também permite identificar a porcentagem de elementos carregáveis do seu site (textos, imagens, botões etc.) que estão demorando a carregar e, consequentemente, prejudicando a experiência de navegação.

Logo abaixo, o PageSpeed Insights também lista algumas oportunidades de otimização que podem ajudar a página a carregar mais rapidamente.

As otimizações incluem a redução do tamanho das imagens da página, uso de imagens em formatos otimizados — como JPEG 2000, JPEG XR e WebP —, evitar redirecionamentos, eliminar recursos de JavaScript e remover alguns plugins que atrasam o carregamento.

Conclusão

Com o Core Web Vitals, o Google dá mais um passo em direção à valorização da experiência do usuário ao navegar pela internet. O foco em rapidez, estabilidade e responsividade são indicativos de que a gigante de buscas valoriza conteúdos de qualidade.

A partir do segundo semestre de 2021, todas as páginas da internet serão reclassificadas de acordo com o Core Web Vitals. Por isso, quem tem um site ou blog e quer aumentar o alcance da marca na rede, precisa ficar atento às métricas que fazem parte do Core Web Vitals e realizar as otimizações necessárias. Além, é claro, de oferecer conteúdos úteis e de valor para o público.

Mas, além de focar nessas métricas, é importante conhecer os outros fatores que influenciam no posicionamento de um site nos buscadores. Se você quer conhecer mais sobre esse assunto, aproveite para ler nosso post completo sobre SEO, a estratégia que pode ajudar o seu site a chegar ao primeiro lugar do Google.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.