Sparkle app icon

Sparkle App
Participe da comunidade exclusiva do nosso blog!
Grátis -

VER

Como o mercado de trabalho vê o diploma EaD?

Como o mercado de trabalho vê o diploma EaD?

Modalidade de ensino vem tendo crescimento elevado na preferência dos estudantes, ao mesmo tempo que vem crescendo de qualidade

Nos últimos anos, o modelo de ensino a distância, popularmente conhecido como EaD, vem crescendo de maneira elevada na preferência dos alunos. Juntar a possibilidade organizar seu horário da forma como bem entender, economizar com mensalidade e conciliar mais facilmente os estudos com o trabalho são alguns dos motivos para cada vez mais pessoas optem por essa modalidade. Mas a grande dúvida é: como o mercado de trabalho vê o diploma EaD? Ele aceita da mesma maneira que o tradicional? Existe algum preconceito com ele?

Ao longo desse artigo, produzido em parceria com o Quero Bolsa, vamos descobrir se essa modalidade é tão bem vista como a tradicional e qual é a situação do EaD no Brasil, atualmente. Também listamos os 30 cursos com maior número de inscritos na modalidade em 2018. Confira!

Antes, qual é a situação do EaD no Brasil, atualmente?

Os dados de 2018 do Censo do Ensino Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), apontam que a modalidade EaD corresponde a 40% das novas matrículas, chegando a 1,3 milhão de calouros por ano.

Se aumentarmos o escopo da análise e focarmos em todas as matrículas do ensino superior (não apenas dos novatos), é possível enxergar que 18,6% estão localizadas no ensino a distância, atingindo quase 1,5 milhão de estudantes. Em 2010, o índice era de 17,43%.

Focando no público com idade ideal para adentrar na faculdade, que é considerada entre os 17 e 24 anos (logo após sair do ensino médio) o interesse também vem subindo bastante. Em 2010, entre os ingressantes com essa faixa etária, apenas 7,27% correspondiam ao EaD. Em 2018, esse percentual mais que triplicou, chegando até 22,09%. 

Isso significa que, no geral, o preconceito do público em relação ao ensino a distância vem, cada vez mais, sumindo. Isso acontece, ao mesmo tempo, que a percepção dos órgãos avaliadores vem melhorando em relação à modalidade. 

Em 2019, pela primeira vez, o EAD teve, proporcionalmente, mais cursos com nota máxima no Conceito Preliminar de Curso (CPC) do INEP do que o ensino presencial. Segundo a avaliação, 2,7% dos cursos da modalidade EaD receberam nota 5 contra 1,6% da presencial. Em 2017, a proporção era de 0,4% e 2,4%, respectivamente. 

Por que as pessoas vêm preferindo o EaD?

O notável crescimento dos cursos a distância se deve, principalmente, segundo os alunos, à flexibilidade da carga horária (44%), mensalidades mais acessíveis (27%) e localização do polo de apoio presencial (11%). A informação foi coletada no “Panorama Quero Bolsa do Ensino Superior Privado no Brasil”, estudo que mensura os principais indicadores do setor. O levantamento, que contou com a participação de 3.400 estudantes da modalidade, também constatou que 79% deles consideram a qualidade de ensino excelente ou boa, 17% aprovam de forma moderada e somente 2% apresentam insatisfação. 

Apesar das facilidades e do alto nível de satisfação dos matriculados, antes de optar fazer um curso a distância, o interessado precisa saber se tem o perfil adequado para esta modalidade, que possui exigências específicas. É importante, que o aluno faça testes de perfil para verificar a compatibilidade compatibilidade. 

Qual é a diferença entre um curso EaD e Presencial?

Mesmo com a popularidade deles aumento, ano após ano, muitos ainda desconhecem quais são as principais as diferenças entre o curso a distância e o da modalidade presencial. A seguir, listamos algumas delas:

  • Na modalidade presencial, os alunos se encontram na maioria dos dias para realizar as aulas em uma instituição de ensino físico, em um horário pré-acordado;
  • No caso da modalidade EaD, boa parte das aulas são gravadas previamente, havendo possibilidade de algumas serem feitas via transmissão simultânea ao vivo;
  • No EaD, podem ocorrer alguns encontros presenciais nos polos, principalmente para a realização de provas;
  • Na modalidade presencial, a troca de experiências com o professor e os outros alunos tende a ser melhor aproveitada, mesmo que no ensino presencial isso tenha avançado nos últimos anos com tecnologias mais assertivas;
  • Alguns cursos, como Medicina e Direito, só existem na modalidade presencial, por enquanto;
  • No EaD, é demandado maior organização, já que cabe ao aluno encontrar horários na agenda para a realização das atividades solicitadas;
  • A habilidade interpessoal e saber trabalhar em equipe tende a ser mais desenvolvido na modalidade presencial;
  • Por demandar menos recursos, a faculdade EaD tende a ter mensalidades menores que as tradicionais, cabendo melhor no orçamento;

Existe diferença entre o diploma EaD e o diploma tradicional?

Antes de entrar na maneira que o mercado de trabalho enxerga o diploma EaD, vale ressaltar uma coisa: o MEC não discrimina dentro do diploma qual modalidade de ensino o curso foi realizado. 

Ou seja, tanto se o aluno fez uma faculdade presencial, quanto se ele optou pelo ensino a distância, o diploma indicará a mesma coisa, que é um curso de graduação. Dessa maneira, ele garante que não haverá distinção no papel. 

Mas, mesmo assim, existem maneiras da empresa ou organização que o candidato está se candidatando a uma vaga de emprego saber a modalidade de ensino do curso superior. Então, o que acontece? Como o mercado de trabalho vê o diploma EaD? Da mesma maneira?

Como o mercado de trabalho vê o diploma EaD?

Da mesma maneira que a percepção das bancas de avaliação e do público melhorou em relação aos cursos de ensino superior EaD, o mercado de trabalho também vê com melhores olhos a modalidade com o passar dos anos. 

O primeiro fato diz como as próprias empresas acabaram realizando os treinamentos para o desenvolvimento dos funcionários internamente. Antigamente, era normal reunir um grande número de profissionais em uma sala e, com um instrutor externo, passar o conteúdo e ensinando a esse grupo. Hoje, os treinamentos são feitos normalmente com EaD, garantindo que cada um possa fazer no tempo que achar livre durante o expediente. Se eles não achassem esse diploma válido, porque usariam o mesmo método?

Por fim, quais as principais características de um estudante EaD? Ele precisa ser proativo, organizado, agir com independência e ser completamente autônomo. Essas são as principais que as empresas procuram hoje em dia para desempenhar as atividades no dia a dia dela. 

Dessa maneira, é possível entender que a aceitação dessa modalidade vem aumentando, ano após ano, tanto pelo público, como pelos órgão do governo e pelas empresas. 

Quais são os 30 cursos EaD mais procurados pelos alunos?

Entre os cursos da modalidade EaD, não há tanta diferença em relação a presencial. Pedagogia, Administração e Contabilidade acabam aparecendo nas primeiras colocações, também. O curso de Sistemas de Informação também ganha bastante destaque, já que boa parte dos matriculados optam por esse modo. 

Entretanto, há a falta do curso de Direito, já que este não permite o ensino superior a distância. Todos os dados foram compilados utilizando o Censo da Educação Superior, de 2018. Confira quais são os 30 cursos de Ensino Superior a Distância com mais matriculados:

  1. Pedagogia – 478103 matriculados;
  2. Administração – 221602 matriculados;
  3. Contabilidade – 132401 matriculados;
  4. Gestão de pessoas – 98838 matriculados;
  5. Serviço social – 86447 matriculados;
  6. Formação de professor em educação física – 72190 matriculados;
  7. Gestão de negócios – 59110 matriculados;
  8. Educação física – 58361 matriculados;
  9. Sistemas de informação – 50708 matriculados;
  10. Logística – 45429 matriculados;
  11. Formação de professor em matemática – 44129 matriculados;
  12. Gestão pública – 40311 matriculados;
  13. Formação de professor em história – 39692 matriculados;
  14. Gestão comercial – 35263 matriculados;
  15. Marketing – 32527 matriculados;
  16. Gestão financeira – 31104 matriculados;
  17. Formação de professor em letras, no idioma português – 30954 matriculados;
  18. Engenharia de produção – 30194 matriculados;
  19. Formação de professor em geografia – 23693 matriculados;
  20. Gestão ambiental – 22122 matriculados;
  21. Enfermagem – 21635 matriculados;
  22. Formação de professor em biologia – 20930 matriculados;
  23. Gestão da tecnologia da informação – 17558 matriculados;
  24. Engenharia civil – 16205 matriculados;
  25. Formação de professor em letras, nos idiomas português e inglês – 15911 matriculados;
  26. Teologia – 15785 matriculados;
  27. Administração pública – 13887 matriculados;
  28. Segurança pública – 13763 matriculados;
  29. Formação de professor em artes visuais – 12480 matriculados;
  30. Gestão hospitalar – 12003 matriculados.

Como ingressar em uma faculdade EaD

Se você, após ler esse texto, decidi cursar o ensino superior na modalidade EaD, existem algumas formas para entrar em uma faculdade. A partir de 2020.2, o Sisu começou a oferecer, dentro da plataforma, faculdades EaD. No geral, a modalidade em instituições de ensino público chegou a 173 mil estudantes em 2018, representando um crescimento de 45% desde 2016.

Além disso, no ensino público no estado de São Paulo, existe a Univesp, que tem mais de 50 mil estudantes matriculados em seus curso. Além destes, é possível também se utilizar de programas privados de bolsas de estudo, como o caso do Quero Bolsa, que conectam estudantes e instituições de ensino, oferecendo até 75% de desconto. 

E você? Se interessou por alguma faculdade de Ensino a Distância? Qual curso pretende prestar? Conta para a gente! 

Se você já é matriculado ou concluir um curso, nos diga como o mercado de trabalho vem enxergando essa maneira de ensino! Queremos saber a sua percepção.

Este artigo foi escrito por Heitor Facini, jornalista do Quero Bolsa, empresa especializada em bolsas de estudo em escolas e faculdades de todo o Brasil.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.