Sparkle app icon

Sparkle App
Participe da comunidade exclusiva do nosso blog!
Grátis -

VER

Descentralizando a educação: o futuro do ensino com João Pedro Resende

Descentralizando a educação: o futuro do ensino com João Pedro Resende

O futuro do ensino é agora! Descubra como a descentralização da educação vai revolucionar o aprendizado com o CEO e cofundador da Hotmart.

É preciso repensar o sistema de ensino, disponibilizando novas alternativas e tecnologias que ajudem a superar as limitações do que já existe.

Foi com esse argumento que João Pedro Resende, CEO e cofundador da Hotmart, abriu a sua palestra no TEDxSavassi Vivendo e Aprendendo 2020.

E a força motriz dessa transformação no sistema de ensino, segundo JP, é a tecnologia de cursos online.

Quer saber como a educação online e o uso de novas tecnologias podem ajudar a transformar a maneira como entendemos o ensino? Então, assista à palestra completa do CEO da Hotmart no vídeo abaixo e continue lendo este post.

A curva da adoção de novas tecnologias e inovações

Trabalhando com o desenvolvimento de tecnologia para a educação e inovação há mais de 10 anos, João Pedro Resende conhece de perto o processo de adoção de soluções e produtos inovadores.

Segundo ele, sempre que uma nova tecnologia é desenvolvida e aprovada pelos early adopters (grupo de usuários que estão abertos à experimentação de novidades) e entusiastas, precisa passar por um processo de maturidade até que seja adotada pelo grande público.

O problema, como ele destaca, é que muitas inovações não são capazes de superar o abismo que existe entre os early adopters e o público de massa.

gráfico mostrando o abismo existente entre os early adpters e o público em geral

A curva de adoção de inovação mostra que muitos produtos e soluções acabam não superando o abismo entre os early adopters e o público em geral.

E a grande vantagem é que a educação online e a distância é capaz de superar as deficiências do ensino tradicional.

Os limites do ensino tradicional

“Avançar em educação profissionalizante é extremamente difícil, muito em função das limitações do modelo atual.”

João Pedro Resende — CEO e cofundador da Hotmart

Mas quais são essas limitações do modelo atual de ensino? JP elenca cinco obstáculos para a inovação na educação tradicional:

1. Custo e tempo de formação

O modelo tradicional de ensino, baseado na educação presencial, como em escolas e universidades, é caro e demorado. Os alunos investem uma grande quantia no início da vida acadêmica e demoram, no mínimo, quatro anos para se graduarem em um curso de ensino superior.

Essa característica dificulta escalar o ensino, atrasando o aproveitamento de mais oportunidades de aprimoramento e qualificação de muitas pessoas.

2. Mesmo método, sequência e ritmo para todos

O CEO da Hotmart compara o ensino tradicional a uma linha de produção, na qual todos os estudantes são obrigados a aprenderem em um mesmo ritmo e seguindo uma mesma metodologia, ignorando a individualidade de cada aluno.

JP pontua que é comum que alguns estudantes tenham mais facilidade com uma matéria específica e aprendam mais rápido, enquanto outros alunos apresentam um ritmo mais lento de aprendizado.

A solução seria um modelo assíncrono, com o qual seja possível pausar as aulas ou assistir aos conteúdos novamente. Respeitar o ritmo de cada aluno, segundo JP, permitiria aprimorar a qualidade do ensino e potencializar o aprendizado.

3. Profissionais se formam já obsoletos

A terceira limitação que o CEO da Hotmart cita é o pouco espaço no mercado de trabalho que muitos profissionais enfrentam ao final da graduação, mesmo após anos de esforço e investimento.

Ele explica que muitos graduados não encontram trabalho em suas áreas de formação, gerando uma massa de profissionais atuando em outros setores ou, até mesmo, desempregados. Com isso, a responsabilidade pela qualificação desses profissionais acaba recaindo sobre as empresas.

4. Limitação geográfica e física

João Pedro lembra que o modelo tradicional de ensino se baseia na presença física, em um mesmo espaço e horário, de alunos e professores.

Muitas pessoas, tanto em grandes centros ou no interior, precisam se deslocar por grandes distâncias e enfrentar engarrafamentos para chegar aos locais de aula.

Essa rotina afeta negativamente a capacidade de aprendizado dos alunos e o rendimento dos professores, que ficam mais cansados e desmotivados.

Além disso, o próprio espaço de aulas apresenta deficiências, como superlotação ou falta de vagas, limitando o acesso à educação para mais pessoas.

5. Obsolescência cada vez mais rápida

Por fim, JP pontua que a velocidade com que os profissionais estão se tornando obsoletos está aumentando cada vez mais.

Segundo ele, os currículos dos cursos de graduação não conseguem acompanhar as mudanças no mercado de trabalho e os avanços tecnológicos.

Com isso, os estudantes saem das universidades já defasados e, muitas vezes, sem a qualificação teórica e técnica necessária para ocupar os novos postos de trabalho que a transformação digital está criando.

Por isso, de acordo com JP, é muito importante reduzir os ciclos de educação e fazer com que os métodos de ensino estejam mais alinhados com as necessidades e inovações do mercado.

Uma nova fase para a educação profissionalizante

“Eu acredito que empreendedorismo e educação são as duas maiores forças transformadoras de qualquer sociedade.”

João Pedro Resende — CEO e cofundador da Hotmart

A solução, para o CEO da Hotmart, não significa abandonar o modelo tradicional de educação, mas oferecer alternativas sem as mesmas limitações.

E esse novo modelo, como destaca JP, precisa ter três características principais: educação descentralizada, em comunidade e pensada de baixo para cima.

Descentralizada

A nova educação precisa ser mais online e assíncrona, dando a oportunidade para que cada aluno aprenda em seu próprio ritmo e independente de limitações geográficas.

Além disso, é fundamental que o conhecimento seja entregue em ciclos menores. Ou seja, o aluno precisa sentir que aprendeu algo novo e está preparado para o mercado em um tempo menor.

Em comunidade

Outro aspecto importante da educação do futuro é a construção do conhecimento de maneira coletiva, com a formação de comunidades em que estudantes ajudem outros estudantes a aprenderem.

João Pedro ressalta que a tecnologia para o ensino em comunidade já existe, com aplicativos que unem estudantes e permitem a construção compartilhada do conhecimento mesmo após o fim das aulas.

Essa troca de experiências, além de potencializar o aprendizado, ainda auxilia na formação de laços entre os estudantes, que são essenciais para a vida profissional.

De baixo para cima

Por fim, o último pilar está relacionado à valorização e empoderamento dos professores.

O CEO da Hotmart explica que as tecnologias de ensino online permitem que professores tenham acesso a ferramentas e didática de qualidade, ajudando a levar a educação para mais pessoas e dando mais qualidade de vida para esses profissionais.

Ele pontua que o ensino remoto pode, inclusive, dar a oportunidade para que mais pessoas compartilhem seu conhecimento. Sem a necessidade de ligação com uma instituição, os próprios professores podem ensinar diretamente aos alunos, democratizando o ensino.

Faça parte do futuro da educação

Na Hotmart, acreditamos que a educação, a tecnologia e o empreendedorismo são as bases dessa transformação e ajudam a fazer do mundo um lugar melhor.

E você pode fazer parte dessa revolução e transformar a sua vida e a de outras pessoas, seja aprendendo uma nova habilidade ou ensinando.

Quer saber como? Então, clique no banner abaixo e conheça histórias reais de transformação.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.