Facebook Pixel

7 práticas para ter independência financeira

7 práticas para ter independência financeira

Ter independência financeira é o grande sonho da maioria das pessoas, mas você sabe o que precisa fazer para conquistar essa autonomia? No post de hoje, vamos te mostrar 7 práticas fundamentais para que você consiga alcançar essa meta.

Muitas pessoas acreditam que ter independência financeira significa ter um emprego estável que pague um ótimo salário ou não depender de outros para conseguir pagar suas despesas diárias. É claro que exercer uma função que proporciona um ganho mensal justo ao ponto de você não passar dificuldades para arcar com suas despesas é muito importante. Porém, saiba que isso não resume a tão sonhada independência financeira.

A verdade é que o essencial é você conseguir manter o seu padrão e qualidade de vida com o dinheiro que tem disponível, sem precisar desistir de certos sonhos e planos por não conseguir arcar por eles. Ou seja, ter independência financeira é muito mais do que faturar milhares de reais (mesmo porque, quanto mais ganhamos, mais nosso estilo de vida muda e, com isso, pode ser que nossos gastos também aumentem).

O que você precisa entender é que independentemente de quanto você ganha agora, para conseguir ser independente, há uma série de práticas que você precisa começar a fazer, e é sobre isso que será o nosso post hoje.

Quer descobrir quais são as 7 práticas para ter independência financeira?

Índice
Controle seus gastos Utilize planilhas organizadoras Tome cuidado com cartões de crédito Procure melhorar profissionalmente Pense em atividades lucrativas extras Crie metas alcançáveis Aprenda a investir seu dinheiro

Leia este post até o final e você aprenderá o que é fundamental para alcançar esse status tão desejado.

1. Controle seus gastos

Como dissemos no início deste post, ter independência financeira é conseguir manter uma boa qualidade de vida com os seus rendimentos. Por isso, a primeira prática que você precisa começar a ter agora mesmo é controlar seus gastos de acordo com seus ganhos.

O que isso significa?

Quando pensamos em controle, a tendência é acreditar que devemos parar de gastar com aquilo que parece supérfluo ou que sirva apenas para nossas satisfação pessoal. Mas não é isso que queremos dizer.

Todos nós merecemos poder gastar um pouco do que ganhamos com aquilo que nos faz bem, seja comer em um restaurante diferente, comprar um sapato novo, investir em um hobby ou fazer alguma viagem. Porém, sempre que for gastar, lembre-se dos seus rendimentos.

O cálculo é sempre o mesmo, independentemente se você tem um ganho muito alto ou baixo. Você nunca pode gastar mais do que recebe. Isso parece óbvio, não é? Mas na prática, pode ser mais difícil do que nós imaginamos.

Na maioria das vezes, o que nós fazemos é o seguinte: vamos supor que você tenha um ganho mensal de R$2.000,00. Quando pensamos em utilizar esse dinheiro para gastos pessoais, lembramos que temos o valor cheio e, por isso, acabamos gastando mais do que deveríamos. A verdade é que, antes de decidir quanto você tem para investir em algo que não seja extremamente necessário, você precisa analisar seus gastos primordiais.

Pense primeiro nos descontos que você terá ao receber essa quantia de R$2.000,00, como imposto de renda, previdência social ou privada, contribuição sindical, etc. Depois desses descontos, separe o valor que você gasta mensalmente com aluguel ou prestação de imóvel, água, luz, alimentação e todos os tipos de despesas para manter uma casa. É o valor que sobrar depois de você conseguir pagar todos os gastos essenciais que você precisa controlar melhor.

Antes de sair por aí gastando tudo, separe um pouco para guardar ou investir (falaremos mais sobre isso nos próximos tópicos), e defina uma porcentagem para gastar com você mesmo. Pode ser que você não consiga fazer aquela tão sonhada viagem em 3 meses, porém, se você souber controlar bem suas economias, a viagem pode chegar em 8 meses ou um pouco mais, por exemplo.

2. Utilize planilhas organizadoras

Planilhas são ótimas para nos mostrar a realidade do que temos gastado. E para ter independência financeira, é muito importante saber quanto você ganha e quanto você gasta.

Na primeira prática, falamos sobre aprender a controlar seus gastos. A dica número 2 é um complemento da primeira. Quando você monta planilhas para organizar suas contas , sejam elas diárias, semanais ou mensais, você consegue ter mais controle sobre seu rendimento financeiro.

Crie uma tabela com todos os valores que você gasta ao longo do mês, mesmo que seja apenas uma bala de poucos centavos. Quando você consegue documentar todo o dinheiro que sai, fica mais fácil para criar estratégias que possam te ajudar a economizar mais.

Se você não tem certeza de quanto gasta mensalmente, é bem provável que você esteja financeiramente descontrolado e não consiga pensar em uma maneira de dosar mais seus gastos. Por isso, documente todo o seu fluxo de caixa, mesmo que a princípio seja apenas pessoal.

3. Tome cuidado com cartões de crédito

Um grande erro de muitas pessoas é pensar que o limite do cartão de crédito é o valor que elas podem gastar mensalmente. Porém, isso não é verdade, afinal, quando você compra no crédito, significa que não tem o valor para gastar naquele momento e terá que pagá-lo no mês seguinte.

Vamos dar um exemplo:

Imagine que seu ganho mensal líquido (já depois de todos os descontos) seja R$2.500,00. Você já sabe aonde precisa gastar esse dinheiro e consegue pagar suas despesas essenciais todo mês. Porém, não sobra muito dinheiro para gastar com você mesmo, e o que sobra, você investe ou guarda.

Por algum motivo, você tem um cartão de crédito com o limite de R$1.000,00. Como você não tem mais nada do seu ganho mensal para gastar, decide então utilizar o cartão e acredita que pode utilizar todo o limite dele.

É aí que mora o grande problema. Algumas pessoas conseguem controlar os gastos pensando em quanto ganham, mas quando o assunto é o cartão de crédito, acabam saindo da linha e gastando o dinheiro que não têm. E quanto mais você usa o cartão de crédito, mais dívidas acumula. Isso sem contar com os juros bancários muito altos, o que aumentará ainda mais o seu débito.

Então, não faça compras no cartão de crédito por impulso. Sempre que precisar usá-lo, analise com precisão se você terá o dinheiro para pagar a fatura do cartão no próximo mês sem precisar retirar o valor de suas economias.

4. Procure melhorar profissionalmente

Todas as vezes que subimos mais um degrau na escala profissional, conseguimos uma recompensa, e quando ela é salarial, é ainda melhor. Então, tente sempre melhorar profissionalmente para conseguir aumentar seus ganhos.

Invista em sua educação: faça cursos que podem te ajudar na função que você exerce (uma boa oportunidade para quem não tem tempo para frequentar uma instituição educacional física são os cursos online), participe de eventos do seu mercado de atuação, assista palestras voltadas para o seu nicho.

Não tenha medo de crescer e mudar de função. É sempre bom ter um novo desafio, e isso pode ser um passo a mais para você conseguir alcançar sua independência financeira. Mas tome cuidado para não querer mudar apenas por causa do salário mais alto, porque você pode acabar fazendo algo que não gosta, o que gera desmotivação. (Caso você esteja desmotivado, temos aqui no blog um texto que ensina 9 maneiras de se automotivar).

5. Pense em atividades lucrativas extras

Se você tem um dom natural para tocar um instrumento, fazer artesanato, decorar ambientes ou qualquer outra atividade diferente do que você faz diariamente, que tal pensar em uma atividade lucrativa extra?

É claro que isso não pode ser um peso a mais para a sua rotina. É por isso que você precisa procurar algo que já saiba fazer e que não te prejudicará. Mas se você conseguir conciliar uma atividade extra nos finais de semana com as suas tarefas semanais, você terá uma outra fonte de renda no final do mês.

E como você já consegue fazer tudo o que precisa com a renda fixa que você recebe, utilize esse dinheiro extra para investir ou guardar para ter independência financeira futuramente (mesmo porque, se você não ganhou na loteria, é pouco provável que tenha essa independência da noite para o dia).

6. Crie metas alcançáveis

É muito bom criar metas específicas para alcançarmos algo que queremos. Quando falamos sobre independência financeira, isso também é importante.

Pense no que você quer alcançar economicamente a curto, médio e longo prazo, mas lembre-se de estabelecer metas alcançáveis. Assim, você pode economizar com foco e, quando chegar o momento de aplicar seu dinheiro naquilo que você planejou, não haverá grandes surpresas. Você já estará preparado para gastar o que precisa.

Porém, um fato muito importante é você nunca relaxar em suas metas. Não é porque você conseguiu fazer aquela viagem tão sonhada que já pode parar de economizar. Assim que você alcançar uma meta, crie novos objetivos.

Dessa forma, você terá sempre um motivo para se manter financeiramente estabilizado e controlado, o que te ajudará a ter independência financeira.

7. Aprenda a investir seu dinheiro

A última prática que você precisa começar a ter para alcançar sua independência financeira é aprender a investir suas economias.

Não é muito comum fazer investimentos financeiros, porém, você precisa começar a pensar em como o dinheiro que você está guardando pode render. Pode até ser que você prefira deixar o seu dinheiro parado em uma caderneta de poupança rendendo alguns juros. Mas o problema é quando começamos a utilizar muito o valor que colocamos nessa poupança.

Não estamos querendo dizer aqui como você deve investir suas economias, mas se você tem interesse nesse tema, procure pessoas que saibam aplicar seu dinheiro em algum investimento que possa ser lucrativo para você. Pense sempre como empreendedor e procure novas oportunidades que possam te fazer crescer.

É hora de ter independência financeira

É sempre válido dar o alerta: independência não chega de uma hora para a outra.

Nós mesmo já dissemos que para que isso aconteça, você precisa ter muito foco nos seus objetivos, saber gastar com cautela e aprender a controlar todos os valores que entram e saem da sua conta. E lembre-se do mais importante: mantenha sempre os seus ganhos maiores do que os seus gastos.

Tem alguma prática que você faz para buscar sua independência financeira? Compartilha aqui nos comentários!

Hotmart