Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Guia do e-mail marketing: quais são as estratégias que mais funcionam e como usar essa ferramenta em seu negócio

Guia do e-mail marketing: quais são as estratégias que mais funcionam e como usar essa ferramenta em seu negócio

Aprenda como criar campanhas de e-mail marketing, desde a segmentação da lista até o envio.

Muito antes de surgirem as redes sociais, o e-mail marketing já era uma ferramenta utilizada por empreendedores e marcas para manter um relacionamento com seus clientes, alertá-los sobre novidades/promoções e prestar suporte.

Mas será que, depois de tantos anos de uso, essa ferramenta ainda tem potencial para gerar novos negócios?

A resposta curta e grossa é: sim, desde que você saiba como criar e otimizar suas campanhas.

O e-mail é democrático (a maioria das pessoas tem uma conta, nem que seja a do trabalho), é simples de automatizar, além de ter um bom custo-benefício.

No texto de hoje, entenda o que é o e-mail marketing, as estratégias que mais funcionam e como usar essa ferramenta para crescer seu negócio!   

O que é e-mail marketing?

O e-mail marketing nada mais é do que o uso do e-mail para promover produtos e serviços.

Para enviá-los, é necessário a autorização dos destinatários, que pode ser explícita, quando ele se inscreve em uma de suas listas, também conhecida como autorização opt-in, e implícita, que é quando ele adquire algum de seus produtos.

e-mail marketing - imagem exemplo de opt-in)

(Exemplo de opt-in)

Por se tratar de uma comunicação autorizada previamente, o usuário pode se descadastrar de sua lista a qualquer momento, caso ache que aquele conteúdo não é mais relevante para ele.

Muitos profissionais de marketing defendem que a lista de e-mails é o principal ativo que os empreendedores podem ter, pois concentram pessoas que já demonstraram interesse pela marca e, portanto, estão mais próximas de tomar uma ação.   

Vantagens de usar o e-mail marketing

Com a maioria das marcas entrando nas redes sociais, muita gente previu que o e-mail deixaria de ser usado. Mas o movimento foi exatamente o contrário. O excesso de ruído e as restrições impostas por outros canais fizeram do e-mail o meio perfeito para se comunicar com leads e clientes.

Pense no Facebook, por exemplo. Atualmente, a rede restringe o alcance de suas publicações orgânicas para cerca de 1% de sua audiência total. Isso significa que mesmo que você atualize sua página com frequência e se dedique a criar conteúdos de qualidade, ainda precisará utilizar outras ferramentas para que a mensagem chegue até seus clientes.  

Já no e-mail, isso não acontece. Se as pessoas se cadastraram para receber seus conteúdos, seus e-mails irão direto para a Caixa de Entrada do destinatário, a não ser, é claro, que você seja barrado por algum filtro de SPAM (não se preocupe, pois ainda falaremos sobre as melhores práticas para criar e enviar um e-mail).

Conheça outras vantagens de adotar o e-mail marketing em sua estratégia.

Todo mundo tem e-mail

Nem todo mundo tem um perfil no Facebook, mas a maioria das pessoas tem uma conta de e-mail, mesmo que seja vinculada ao trabalho.

O motivo para isso é simples: todos os serviços oferecidos online (Uber, Netflix, Spotify, etc.) exigem uma conta de e-mail para se cadastrar. O e-mail também é exigido para comprar em  e-commerces e criar perfis nas redes sociais, como uma forma de comprovar que o usuário é uma pessoa e não uma máquina e, consequentemente, tornar a internet um ambiente mais seguro.

Resumindo, todo mundo que tem rede social tem um e-mail, mas nem todo mundo que tem e-mail tem rede social, portanto, você atingirá mais pessoas se utilizar o e-mail marketing.

É uma ferramenta barata

O e-mail marketing é barato quando comparado a campanhas de anúncios, por exemplo.

Você precisará apenas contratar uma ferramenta de disparo que fará todo o trabalho para você. A maioria delas conta com várias opções de template que permitem personalizar sua comunicação.  

Fácil mensuração

O e-mail marketing possui vários índices que servem para mensurar se a campanha foi bem-sucedida ou não, como Taxa de abertura, Taxa de clique, Taxa de descadastramento, etc. A partir dessas informações, você pode fazer testes no assunto e no corpo do e-mail até descobrir o que funciona mais para sua audiência.  

Funciona para todos os modelos de negócio

O que o Produtor, o Afiliado, o dono de e-commerce e o digital influencer tem em comum?

Todos eles precisam falar com sua audiência e mantê-la interessada. Portanto, o e-mail marketing é uma ferramenta que funciona para todos os modelos de negócio.

Você pode segmentar sua audiência e programar uma sequência de e-mails prevendo conteúdos para os diferentes estágios em que seu lead se encontra. Segmentar nada mais é que “separar” seus consumidores baseado em suas preferências e semelhanças, também falaremos mais sobre isso no texto.  

À medida que seu usuário perceber que você conhece suas dores e desejos, mais ele vai engajar.     

e-mail marketing - infográfico com estatísticas do e-mail marketing

Confira outras estatísticas no blog da Hubspot (texto em inglês).

Como construir sua base de contatos: o que fazer e o que evitar

Não adianta nada escrever bons e-mails se você está se comunicando com o público errado.

Existem algumas estratégias que você pode colocar em prática para aumentar sua base de e-mails e garantir que só permaneçam ali os usuários que estão realmente interessados. Falaremos um pouco delas a seguir, além de mostrar os erros mais comuns.

Ter um blog e mantê-lo atualizado

Criar uma lista de e-mails é um “trabalho de formiguinha” e pode levar tempo até que você tenha uma base engajada.

O primeiro passo para atrair esses usuários é mostrar o que eles ganharão em troca, que no caso é seu conteúdo.

Nossa dica é que você tenha um blog e mantenha-o atualizado. Essa é uma forma de mostrar seu trabalho e construir autoridade no nicho em que você atua. Para isso, você precisará de um conteúdo alinhado às expectativas de sua persona, além de um trabalho contínuo de otimização de sua página para os motores de busca, conhecido como SEO (Search Engine Optimization).  

Algo que pode ser feito para “acelerar” esse processo é buscar parcerias com blogs e páginas que abordem o mesmo assunto que você e propor troca de guest posts. O objetivo dessa estratégia é atrair leitores que tenham interesses parecidos com seu público-alvo e aumentar a quantidade de links referenciando para seu conteúdo.

Você ainda pode criar campanhas de anúncios, direcionando as pessoas para seu blog. Mas vale ressaltar que a quantidade de tráfego não é a mesma que leads gerados. Se os visitantes entrarem em sua página e não encontrarem um conteúdo que seja relevante, é pouco provável que eles queiram deixar o e-mail.  

Tenha uma newsletter

Seguindo a mesma linha do blog, também é interessante que você tenha uma newsletter para estreitar o relacionamento com sua base. Por meio dessa ferramenta, você pode compartilhar informações relevantes para seu público e novidades de seus outros canais.  

Antes de mais nada, é importante lembrar que a newsletter não é o mesmo que o e-mail promocional, portanto, ela nunca deve ser focada em vendas e sim em gerar valor para quem está recebendo.

Olhe menos para você e seu produto e pense no tipo de informação que o leitor gostaria de receber, que pode ser útil e ajudá-lo a resolver um problema.  

Ofereça materiais ricos

Os materiais ricos são conteúdos mais extensos e aprofundados que um blog post, como e-books e infográficos. Assim como nos exemplos anteriores, eles são excelentes para gerar valor para seus seguidores e nutrir um relacionamento com eles.

Vamos a um exemplo para você entender como funcionam os materiais ricos:

Um empreendedor digital que tem um curso online sobre moda pode criar um e-book sobre como se vestir para uma entrevista de emprego e disponibilizar gratuitamente.

“Mas por que gratuitamente?” Talvez você esteja se perguntando.

Parece algo contraintuitivo, afinal, não gera renda, mas é preciso pensar na quantidade de pessoas que vão se cadastrar para receber esse conteúdo, pois esses usuários podem se tornar clientes, no futuro, se o e-book agregar valor à vida deles.

Vamos a mais um exemplo.

Quando algum site ou aplicativo te oferece um serviço gratuito, em troca de você experimentá-lo, qual é sua reação? Ou você desconfia daquilo e nega, ou cede seus dados de contato em troca da oportunidade, certo?

Com o passar do tempo, quando você conhece melhor o serviço, se sente mais confiante para pagar por ele e, inclusive, para indicá-lo para amigos.

Isso é o que chamamos de gatilho mental da reciprocidade, que é quando um empreendedor ou empresa oferece um produto sem pedir nada em troca, e o usuário se sente inclinado a retribuir esse “favor”.  

Percebe que, mesmo não pagando, o lead ainda pode trazer algum retorno financeiro para a empresa?  

Para disponibilizar o material rico, você pode criar uma landing page usando umas das 11 ferramentas que recomendamos em um dos posts do blog.

O que evitar  

Comprar listas de outras pessoas

Um erro clássico dos empreendedores é comprar uma lista de e-mails pronta, porque não têm paciência de construir uma base do zero.

Isso não só é antiético, como não traz resultados financeiros, nem em visibilidade, simplesmente porque aqueles destinatários nunca demonstraram interesse por você ou pelo seu produto.

Não deixar claro como a pessoa pode se descadastrar de sua lista

Por mais que você crie bons e-mails e entregue valor para sua audiência, terá sempre um usuário que não quer continuar recebendo suas mensagens, seja pela frequência com a qual elas são enviadas, seja porque não querem ter contato com sua marca naquele momento.

De acordo com o artigo 2 do Código de Autorregulamentação para prática de E-mail Marketing, faz parte das obrigações da empresa deixar claro o botão de optout para que o usuário exerça o direito de descadastramento da respectiva base de destinatários.

email marketing - imagem com a opção de descadastramento

(opção de descadastramento)

Mas não se preocupe, pois os usuários que acharem seu conteúdo realmente valioso  permanecerão em sua lista de e-mails, e você ainda poderá usar as respostas daqueles que se descadastraram para otimizar seus funis.

Enviar conteúdo sem segmentação

A lista de e-mails nunca é homogênea, existem vários perfis de usuários, desde a pessoa que acabou de se inscrever, até aquela que já fez uma compra. Essas pessoas estão em etapas diferentes na jornada do comprador, portanto, precisam de conteúdo alinhado a suas necessidades.

Também é importante levar em consideração o perfil demográfico de seus contatos. Um usuário com menos de 20 anos não deve ser bombardeado com campanhas sobre vida na terceira idade, assim como um lead do gênero masculino não é o público mais indicado para receber e-mail marketing divulgando produtos para maternidade.  

Segmentar seu conteúdo mostra para seus clientes que você realmente se preocupou em entregar algo que seja relevante para eles, o que, consequentemente, aumenta o engajamento de sua base.

Como segmentar sua lista

Para segmentar sua lista, você precisará de algumas informações de seu lead e de uma boa ferramenta de automação de marketing.

Certifique-se de usar formulários de opt-ins apenas com os dados que você precisará daquele usuário em um primeiro momento, e inclua dados obtidos em pesquisas.   

Você também precisará desenhar seus funis de e-mails antes de começar os disparos. Se você quer criar uma campanha especial para o Dia das Mães, precisa definir quantos e-mails serão enviados, com qual objetivo e em qual período de tempo.

Esse usuário que não fez uma compra no Dias das Mães pode voltar para outro funil para receber ofertas que não sejam sobre maternidade, afinal, esse não é seu único interesse.

Parece muita informação, mas não se desespere!

A maioria das ferramentas de disparo de e-mail possibilita segmentar sua lista, fazer o envio das mensagens, além de entregar métricas do desempenho de sua campanha de maneira automatizada.

Tipos de segmentação

Perfil demográfico

A forma mais simples de segmentar sua lista é usando os dados demográficos de seu clientes e potenciais clientes, como idade, gênero e localidade. Aproveite todas as interações para alimentar sua base de contatos com informações sobre os interesses de seus leads.  

Comportamento

O comportamento do usuário em sua página diz muito sobre o tipo de informação que pode ser relevante para ele. Monitore as dúvidas mais comuns de seus clientes e identifique o grau de interesse que eles demonstram por seus produtos e serviços, para criar campanhas específicas para cada necessidade.  

Desempenho

Essa forma de segmentação é baseada nas métricas de suas campanhas anteriores. Realize teste A/B para descobrir quais títulos convertem mais, qual e-mail teve mais cliques e qual gerou mais resultados em vendas.

O que é nutrição de leads e como colocá-la em prática em suas campanhas de e-mail marketing?  

Nutrir leads significa manter um relacionamento com clientes em potencial até que estes usuários sintam-se seguros para efetuar uma compra.

A técnica consiste em enviar uma sequência de e-mails com conteúdos pertinentes ao estágio em que o lead encontra-se no funil, com o objetivo de estabelecer sua autoridade naquele segmento e mostrar que sua solução é ideal para o problema que o usuário enfrenta.

Esse processo começa logo no e-mail de boas vindas, quando alguém se cadastra para receber uma newsletter ou faz o download de um material rico. É quase como se a empresa estivesse dizendo: “Ei, estou aqui caso você precise de ajuda”.   

Para criar um fluxo de nutrição de leads, você precisará saber qual é seu objetivo, quem é sua persona e definir os conteúdos que serão entregues em cada etapa. Vale lembrar que esse fluxo pode ser alterado ao longo da campanha, conforme você perceber quais são os e-mails que estão performando melhor.

Recentemente, falamos sobre nutrição de leads, sugerimos que você leia o texto também, depois que acabar aqui.

Quais são os tipos de e-mail que você pode enviar?

Newsletters

As newsletters são boletins informativos enviados de maneira periódica para toda sua base de contatos ou para aqueles que demonstraram interesse em recebê-la.

E-mails promocionais

E-mail promocional é aquele cujo objetivo é divulgar uma promoção ou produto. Ele pode ser usado tanto para produtos pagos quanto para materiais ricos. Diferente da newsletter, são e-mails focados na conversão e demandam uma ação do leitor.

E-mails transacionais

Confirmação de pagamento, solicitação de reembolso, confirmação de download, troca de senha, término do free trial são exemplos de e-mails transacionais.

E-mails de nutrição

São e-mails enviados com o objetivo de avançar o lead para a próxima etapa do funil de vendas. Também podem ser usados para recuperar usuários que ainda não estão engajados.

Boas práticas para o e-mail marketing  

Você só saberá se sua campanha de e-mail marketing é boa quando testá-la, mas existem algumas práticas que você pode observar quando estiver criando seus e-mails, como:

1. Seja informal  

Ninguém quer sentir que está conversando com um robô. E não estamos falando apenas de falar o nome do usuário no início do e-mail, mas sim de usar uma linguagem mais próxima e abordar as dores e temas que sejam do interesse de sua persona.

2. Tenha conteúdos para oferecer

Criar um fluxo para seus e-mails é fundamental para saber que tipo de material você pode oferecer.

Suponha que você utilizou um e-book como oferta digital para sua lista, qual será o próximo passo? Será que esse usuário gostaria de receber um infográfico sobre o mesmo assunto?

Prever essa jornada é importante, pois você precisa ter os materiais ricos prontos quando surgir uma oportunidade para enviá-los. Isso reforça sua autoridade no assunto e ajuda a manter sua lista “quente” para você introduzir uma oferta.

3. Tenha um CTA em todos os e-mails

O call to action é fundamental para orientar seus usuários sobre os próximos passos e é essencial em todos os e-mails que você enviar, independentemente se é sobre uma oferta gratuita ou paga.

No caso de uma newsletter, o CTA deve indicar o leitor para páginas nas quais ele pode encontrar conteúdos mais aprofundados sobre aquele assunto.

4. Crie títulos chamativos

Muita gente defende que o título é responsável por 90% dos resultados de seu e-mail marketing, afinal, se a pessoa não se interessar pelo assunto, ela sequer abrirá para ler o resto. Portanto, gaste o tempo que precisar para criar bons títulos para seu e-mail.

Um bom título deve instigar a curiosidade do lead e fomentar urgência, pois você quer que o usuário abra o e-mail assim que recebê-lo. Para isso, existem os gatilhos mentais.

Outra dica é que você use termos que despertem conexão imediata entre a mensagem e seu produto. Assim, o destinatário não fica em dúvida se o e-mail é confiável.

5. Evite textos longos

Não é segredo para ninguém que o mobile cresceu muito nos últimos anos. Hoje em dia, qualquer um tem um smartphone, e mais da metade da população brasileira acessa a internet pelo celular. Esse número é ainda maior entre os jovens.

Por causa disso, é óbvio concluir que as pessoas que leem seus e-mails estão fazendo isso de telas menores. Para acompanhar a tendência, você deve evitar textos longos demais e inserir alguns espaços de respiro entre as informações, de preferência com imagens.

Isso não só deixa o e-mail mais original, como contribui para a experiência de seus usuários.

Em quais índices você deve prestar atenção?

Nada é tão bom que não possa ser melhorado. Por isso, acompanhar o desempenho de suas campanhas é fundamental para otimizar os próximos envios e garantir resultados ainda melhores. Confira as taxas nas quais você deve ficar de olho.

Taxa de cliques

A taxa de cliques representa o público que clicou nos links do corpo do texto. Se você está tentando vender um produto, a taxa de cliques corresponde ao número de pessoas que leram o e-mail e foram até a página de vendas.

Taxa de conversão

A taxa de conversão é o percentual de destinatários que clicaram em seu link e concluíram a ação que você esperava deles que pode ser baixar um conteúdo, comprar um produto, se inscrever em um curso, etc.  

Taxa de cancelamento

A taxa de cancelamento representa os usuários que pediram para ser retirados de sua lista. Para uma campanha de e-mail marketing ser considerada boa, a taxa de cancelamento deve ser inferior a 1%.

Você também pode usar ferramentas de heatmap para descobrir em quais áreas de seu e-mail as pessoas estão clicando mais. Essas métricas, quando analisadas em conjunto, ajudam a determinar se o conteúdo que você está entregando é apropriado para o público que você segmentou.

O que uma boa ferramenta de e-mail marketing deve conter?

1) Simplicidade para mexer

Você tem conhecimentos de linguagem HTML para criar seus e-mails? Se sua resposta foi não, então você precisará de uma ferramenta intuitiva e fácil de operar, de preferência com a opção de clique e arraste (drag and drop).

2) Configuração de remetente

Para enviar e-mail marketing é necessário ter um domínio autenticado, pois isso ajuda a passar credibilidade na mensagem. Certifique-se de que sua ferramenta permite configurar um domínio próprio como remetente para suas campanhas, assim fica mais fácil para os destinatários associarem aquele conteúdo a você.  

3) Altas taxas de entrega

Uma boa ferramenta de e-mail marketing garante que o e-mail será entregue diretamente na Caixa de Entrada do usuário e não será barrada por filtros de SPAM. Pesquise pela opinião de outros usuários do serviço para saber o quanto ele é confiável, e escolha aquele com a maior taxa de entrega.

4) Gerenciamento da base

Sua plataforma deve gerenciar erros de envio de maneira automática e retirar de sua base os e-mails inválidos, para que você não precise revisar a lista sempre que for enviar uma nova campanha.  

5) Opções de segmentação

A segmentação permite que você seja mais assertivo ao direcionar seus conteúdos. A ferramenta de disparo escolhida deve possuir filtros variados para dividir sua lista de contatos baseado em idade, gênero, localização, interesses, etc.

6) Opções de template

Esse critério é essencial para uma comunicação mais personalizada, o que também ajuda a passar mais credibilidade para o destinatário.  

7) Métricas e resultados

Sua ferramenta de e-mail deve entregar resultados completos do desempenho de suas campanhas, pois estas informações serão fundamentais para otimizar os próximos disparos.  

8) Suporte eficiente

Independentemente se você está começando a criar campanhas agora ou se já trabalha com e-mail marketing há mais tempo, eventualmente, surgirá alguma dúvida sobre a plataforma. E nada mais frustrante do que entrar em contato com o serviço de suporte e demorar dias para ser respondido.

Pesquise opiniões de outros clientes, para identificar a empresa com o suporte mais eficiente. Nossa dica é encontrar alguma que também faça atendimento via telefone, pois isso otimiza o tempo de resposta.

Se você não fala outros idiomas, opte por ferramentas multilíngues, para que a comunicação com a prestadora de serviço seja mais efetiva.

9) Exportação rápida de contatos

Pode ser que, em algum momento, você precise ter sua lista de e-mails em mãos. Procure ferramentas que permitem exportar os dados para um arquivo e fazer download de maneira rápida e intuitiva.  

10) Testes A/B

Os testes A/B consiste em criar mais de uma versão de um e-mail e variar elementos como assunto, mensagem e call to action. Eles são importantes para conhecer melhor sua audiência e otimizar sua estratégia de e-mail marketing.

11) Opção de visualização prévia

A mesma mensagem pode ter diferentes visualizações de acordo com o dispositivo ou provedor de e-mail do usuário. Sendo assim, é importante conferir a visão prévia de seu e-mail antes de enviá-lo.

12) Integração com ferramentas de análise

Ferramentas de disparo integradas com o Google Analytics permitem que você conheça o impacto de suas campanhas de e-mail marketing no tráfego de sua página, o que é fundamental para saber se vale a pena continuar investindo.

13) Custo benefício

O e-mail marketing já é um canal bastante econômico, portanto, o preço nunca deve ser o único diferencial na hora da escolha. Estude diferentes propostas para encontrar aquela que te atenda melhor, levando em consideração todos os critérios que citamos no texto.

Passo a passo para criar um e-mail marketing  

É realmente necessário contratar um serviço de automação para enviar seus e-mails?

A resposta é sim: além de poupar seu tempo, o retorno financeiro dos e-mails enviados é quase garantido.

Sabemos que depois de ler este texto você ainda precisará de um tempo para absorver as informações, por isso, compartilhamos um tutorial completo em vídeo ensinando como criar sua primeira lista de e-mail no Mailchimp, que é uma das ferramentas mais utilizadas do mundo e oferece planos gratuitos para iniciantes.

É importante ter em mente que a opção gratuita possui algumas limitações para a quantidade de e-mails enviados, por isso, avalie se o plano oferecido por eles atende suas necessidades.

Preparado para colocar as mãos à obra? Aproveite para ler nosso texto com 4 maneiras de ganhar dinheiro com blog e aprenda a gerar renda por meio de seus outros canais.

 

Hotmart