Sparkle app icon

Sparkle App
Participe da comunidade exclusiva do nosso blog!
Grátis -

VER

Jornada Hotmart Masters # 8: Use sua influência digital para ganhar dinheiro com Gabi Ferreira

Jornada Hotmart Masters # 8: Use sua influência digital para ganhar dinheiro com Gabi Ferreira

Aprenda a usar a sua influencia digital para ganhar dinheiro com as dicas de Gabi Ferreira em mais um episódio do Jornada Hotmart MASTERS.

Nas últimas semanas, começamos a publicar uma nova série no canal da Hotmart no YouTube, o Jornada Hotmart MASTERS. Nela, reunimos dicas de alguns dos maiores especialistas do mercado digital que participaram da última edição do Hotmart MASTERS.

Espere um pouco. Você ainda não sabe o que é o Hotmart MASTERS? É um evento global, online e 100% gratuita, com conversas e palestras dos maiores nomes do mercado digital.

E, no oitavo vídeo da série, convidamos Gabi Ferreira, professora e influenciadora digital, para falar um pouco sobre como usar a sua influência na internet para ganhar dinheiro.

Se você ficou interessado, é só assistir ao vídeo abaixo, com apresentação de Stefânia Pereira, videomaker na Hotmart. Agora, se preferir ler a transcrição da conversa, é só rolar a tela para descobrir como avaliar as métricas mais importantes.

Vamos lá?

Stefânia Pereira

Você já pensou em usar a sua influência digital para ganhar dinheiro na internet?

Oi gente! Eu sou a Stefânia, do time de Educação da Hotmart, e você está em mais um episódio da Jornada Masters.

Então vamos aprender juntos. Eu quero dividir com vocês todo o conhecimento do nosso evento online, gratuito e global, o Hotmart Masters.

E hoje a gente vai rever os principais trechos da palestra da professora e influenciadora digital Gabi Ferreira. Seja bem-vinda, Gabi! Você vai falar sobre o quê hoje?

Gabi Ferreira

Então, hoje, além dos produtos digitais, eu vou falar quais estratégias eu usei para vender mais de R$ 1 milhão em produtos digitais, só que sem lançamentos, só com a minha influência através das redes sociais.

Conheça mais sobre Gabi Ferreira

Stefânia Pereira

Olha gente, que proposta interessante, e a gente está aqui para ouvir todas essas estratégia, Gabi. Agora me conta uma coisa: como é a sua presença digital. Quais são seus canais nas redes sociais? Qual tipo de conteúdo você cria para cada plataforma?

Gabi Ferreira

Eu tenho um Instagram principal que é o Gabi Ferreira Blog, é esse que está no meio. Eu tenho no momento 250 mil seguidores. Eu trago vários assuntos. Eu sou bem novinha. Eu tenho 22 anos.

Eu pensei, porque eu fiz há uma semana atrás aniversário, aí estou me acostumando a falar 22 anos, mas acabei de fazer 22 anos. Eu sou mãe, e eu e minha família, a gente leva um estilo de vida bem sustentável, ou pelo menos a gente tenta.

Eu compartilho todo o nosso estilo de vida mesmo nessa conta, que foi quando eu comecei como influenciadora.

Tenho uma segunda conta que é: Gabi Ferreira Marketing, onde eu falo bem especificamente com outras influenciadoras. E, marcas que querem rentabilizar, ou, então aumentar suas vendas através das redes sociais, e não necessariamente através de produtos digitais.

Nessa conta, eu não foco só em marketing digital, na verdade eu quase não falo de marketing digital, eu falo mais mesmo sobre pitch de vendas, às vezes esse produto pode ser físico mesmo, enfim, é marketing no geral da nova geração, sem aquele marketing, tipo: ah, eu vendo quando tem promoção de R$ 29,90 para R$ 19,90.

Eu sou super contra isso, e eu falo: como você consegue vender cobrando mais em seu produto, e dando mais credibilidade para sua pessoa, mesmo que você não seja a própria marca, mesmo que você venda, sei lá, bolsa. Enfim, me segue lá para me acompanhar e entender melhor o meu conteúdo.

Eu também tenho um canal no YouTube, que é o Gabi Ferreira que está com 535 mil inscritos. Está um pouco abandonado esse ano, esse começo de ano porque eu viajei, e tudo mais, mas enfim, eu vou explicar como que eu uso ele também para aumentar os meus ganhos.

Então, no total são essas três redes que eu dou atenção, carinho e amor para elas crescerem.

Stefânia Pereira

Gabi, conta pra gente quando que foi que você decidiu explorar as redes sociais? Qual foi sua motivação?

Gabi Ferreira

Não lembro, mas, basicamente, eu era uma menina do ensino médio, que amava literatura, rock, e era totalmente excluída na escola justamente por não gostar do que os outros adolescentes gostavam.

Então, eu não tinha amigas que gostavam de literatura, do mesmo estilo de música que eu, e eu fui buscar isso na internet. Aí, eu criei um canal falando sobre livros. Então, eu fazia resenhas sobre livros, eu falava sobre lançamentos, comparava as histórias, enfim, era uma coisa bem legal, é um nicho que se chama Booktubers, e foi assim que eu comecei.

Foi no YouTube falando sobre literatura, com o simples objetivo de fazer amigos com os mesmos gostos que eu.

Stefânia Pereira

Muito legal essa história, né gente? E Gabi, no início, você imaginava que o marketing digital poderia se tornar sua profissão, sua missão e seu ganha-pão?

Gabi Ferreira

Quando eu comecei, eu não comecei como um plano de negócios como eu disse para vocês, o objetivo era realmente fazer amigos, e ter pessoas com quem eu pudesse conversar sobre as coisas que eu gostava.

Então, aquela história de:  ah, comece no YouTube com um nicho, comece no YouTube com uma persona, um avatar. Eu nem sabia o que era isso. Então, eu fiz todos os tipos de vídeos que você pode imaginar.

Então, tem o vídeo contando que estou grávida, tem o vídeo sobre estudos, tem o vídeo sobre silicone, tem vídeo sobre minha prima que mora nos Estados Unidos reagindo aos funks brasileiros, têm vídeo sobre montar cozinha, quando eu for morar sozinha, tem vídeo sobre inglês, tenho sobre ser produtiva, tem sobre cabelo.

Cara, tem sobre tudo, porque como eu disse, o meu objetivo não era eu ganhar dinheiro, o meu objetivo era fazer amigos. Então assim, eu falava de tudo que eu gostava, tudo que dava na telha, tudo que dava visualização, estava eu falando.

Então assim, não era o plano ganhar dinheiro com o YouTube, eu nunca imaginei que isso fosse acontecer.

Stefânia Pereira

Depois de fazer amigos e se conectar com pessoas com interesses em comum, quando você percebeu que dava para rentabilizar seu conteúdo na internet?

Gabi Ferreira

Primeiro, quem apareceu para mim no YouTube foi o Alex Vargas, com um papo de: Vem ser afiliada. Não ele me chamando, mas um vídeo falando sobre afiliadas.

Eu fiquei tipo, afiliada? Querido, o que é isso? Quem é você ensinando a ganhar… quem você acha que é para ensinar ganhar dinheiro online? E aí, fui ver os resultados do cara, e eu fiquei tipo: é, talvez você realmente seja alguém para falar sobre ganhar dinheiro online.

Aí, eu comecei a devorar os conteúdos dele, comprei um curso dele e comecei a ser afiliada. E, só um tempo depois, mais especificamente quando o Lorenzo nasceu que eu decidi ser produtora. Foi quando o Érico apareceu no meu habitat natural, no YouTube.

E aí, eu fui descobrir que dava para eu criar meu próprio curso. Mas, hoje eu vou falar a jornada para vocês.

Mas, o estalo, ele realmente foi através do YouTube, através do conteúdo gratuito dessas duas pessoas que eu passei a conhecer o marketing digital primeiro como afiliada, e depois como produtora.

Como criar um plano de negócios na internet

Stefânia Pereira

Então a Gabi resolveu criar um plano de negócios mais robusto. A ideia era plantar links de Afiliação em seu canal no YouTube, regar os vídeos com as palavras-chave mais buscadas e publicar conteúdo com mais consistência.

Vamos ver um exemplo de como ela fez isso na prática?

Gabi Ferreira

Então, por exemplo, esse é um vídeo antigo meu, de quando eu tinha loja online. Antes de eu descobrir o marketing digital, eu vendia roupa através de uma loja online, e o que eu fiz? Esse vídeo bombou muito.

É que não está aí, mas deu mais de 200 mil visualizações, porque eu estou falando quanto são os meus custos, como foi abrir uma loja online, tudo mais, e aí,  eu fui nesse vídeo e coloquei um link de afiliada de um curso que eu conheço, que eu fiz, lembrando: não indica curso que você não conhece, tá? Não faz isso, a pessoa vai perder a confiança em você se o curso não for bom, não vai ser legal, então faz uma forcinha para conhecer o curso por dentro de alguma forma.

E aí, eu coloquei tanto na descrição, quanto nos comentários o curso que eu indicava. E como esse vídeo estava bombado, ele estava o tempo todo aparecendo para muita gente, então, muita gente estava tendo acesso. Sério, eu faço umas duas, três vendas por mês com esse vídeo que é muito antigo, tem mais de um ano e meio.

Eu plantei o link depois de um ano que eu gravei esse vídeo. Então, olha como isso é literalmente uma renda passiva, no automático, sem trabalho de pós venda, suporte, ou qualquer coisa.

Então, além das lives, stories e conteúdo de lifestyle para manter a conexão própria com o público. Então cara, eu do nada, virei a pessoa que: ensina as pessoas a trabalhar em casa, trabalho em casa, home office.

Não. Eu misturava todo esse conteúdo de marketing e loja online, assistente virtual com vlogs, com lives divertidas, stories para não perder a conexão que eu já tinha com o meu público, porque senão eu passo a ser uma pessoa chata, monótona, que sempre fala da mesma coisa, saca?

Então, aquela história de: tenha o nicho super ultra mega bem definido, não poste coisas pessoais, esteja sempre montada, perfeita, princesa. Não, isso não funciona, esquece isso, apaga isso da sua cabeça. As pessoas gostam de autenticidade e vida real, elas querem realmente se sentir conectadas com você.

Gerando engajamento nas redes sociais

Stefânia Pereira

Com a experiência no Mercado de Afiliação, a Gabi Ferreira percebeu que já tinha aprendido várias habilidades, como produzir conteúdo e gerar engajamento nas redes sociais, fechar contratos com marcas, criar vídeos lucrativos para o YouTube e influenciar pessoas. Então, ela decidiu se tornar uma produtora digital e lançar um curso online chamado Influencer Academy.

Gabi Ferreira

E aí, eu continuei usando o poder da minha história para vender esse curso, e o que foi mais massa? O meu público acompanhou toda a minha história, toda a minha jornada do herói meio que ao vivo.

Quando eu repeti de ano eles acompanharam, quando eu engravidei eles acompanharam, quando eu entrei e desisti de todas as faculdades eles acompanharam, quando o Lorenzo nasceu  eles acompanharam. Então, o que que foi massa? Eu tenho tudo isso registrado através de vlogs, sabe? Se você quiser assistir, inclusive: youtube.com/gabiferreiravlog.

Quando eu conto a minha história, não soa como algo que eu estou Inventando, ou uma dramatização, porque está tudo no YouTube, está tudo aberto, a minha vida é um livro aberto, só que um canal de YouTube aberto.

Então, isso que foi mais massa, o meu público acompanhou de fato a minha história. E aí eu te pergunto e te faço fazer essa reflexão: O que o seu público sabe sobre você? Ele sabe sua banda favorita? Sabe sua cor favorita? Seu destino de viagem favorito? Cara, não é só… eu odeio entrar no Instagram, no YouTube que só tem dica, dica, dica, dica, dica, conteúdo, conteúdo, conteúdo, conteúdo, e não tem nada que faça eu me conectar com a pessoa, sabe? 

Sério. Não faça isso, seja uma pessoa acessível até onde der, e compartilhe os seus gostos, porque isso faz você ter uma legião de pessoas que vão te defender até o último segundo, e isso é incrível.

Tenha consistência na publicação

Stefânia Pereira

Voltando ao conteúdo da aula… você também tem dúvida de qual seria a frequência ideal para publicar conteúdo nas redes sociais? O sobrenome da Gabi é consistência.

Gabi Ferreira

Cara, eu não quero que você saia daqui fazendo menos que 10 stories por dia no mínimo. E, eu aconselho muito que você divida todos esses stories de manhã, de tarde, e de noite, por quê

De manhã você vai fazer o stories, a bolinha vai ficar lá no Instagram da pessoa no começo. Aí outras pessoas vão começar postar stories, a bolinha vai indo cada vez mais para trás, então, de tarde é massa você fazer stories para sua bolinha voltar na fila, e de noite para ela voltar de novo.

Se você posta stories só num horário do dia, a chance das pessoas que só acessam o Instagram  de manhã, do dia seguinte, é quase zero. Então, stories no mínimo 10 por dia, de manhã, de tarde, de noite. Foto no feed.

Hoje eu posto todos os dias, porque eu já tenho um método, eu tenho uma rotina de criação de conteúdo, onde eu programo tudo, e eu consigo deixar todos os posts prontos, todos os nuggets, as frases motivacionais, os conteúdos em formato de desenho, enfim, tudo isso no Gabi Ferreira marketing.

No Gabi Ferreira vlog eu não consigo fazer isso porque é muito life style, não tem como eu programar a minha vida, tipo: a semana que vem o Lorenzo vai falar a sua primeira palavra. Cara, não tem como fazer isso, e aí deixa programado um post sobre isso. Mas, se você tem um Instagram de conteúdo, assim como é o Gabi Ferreira marketing, post todos os dias sem desculpa.

Ah, Gabi, mas eu divido o tempo com outro trabalho. Ok, tenta fazer então um dia sim, dia não, mas tenta não fazer menos conteúdo que isso porque você está competindo atenção com Pabllo Vittar, a bunda da Anitta, e família Pôncio. Então assim, a chance das pessoas não lembrarem de você, se você postar poucas vezes no feed é muito grande. Então, no mínimo dia sim, dia não, faz um esforcinho.

E é muito bom lembrar, para você não ser um spam humano. Se você aparecer nos stories, ou no feed só para vender o seu curso, ou só para divulgar o seu freebie, que é a sua isca digital para aumentar a sua lista, você vai se tornar uma pessoa muito chata, você vai se tornar… cara, não faz isso.

Então, nem que você possa investir sei lá, R$ 100,00 por semana, em tráfego pago para fazer ensino automático, ou enfim, fazer o sistema 80/20, 80% de conteúdo gratuito, 20% de conteúdo de venda, mas não seja pessoa chata que tenta enfiar o seu produto goela abaixo todos os dias, porque ninguém entra no Instagram, tipo: deixa eu ver umas propagandas aqui agora. Não! A pessoa quer conteúdo gratuito, quer que você gere valor na vida dela, quer uma solução para a dor dela.

Então, não seja o SPAM humano.

Saiba onde o seu público está

Stefânia Pereira

Nunca tinha ouvido esse termo SPAM humano, gente. Por favor, sigam a dica da Gabi e não façam spam. Não tentem vender alguma coisa totalmente fora do contexto e de forma inadequada. Tem mais dica, Gabi?

Gabi Ferreira

E é sempre muito bom perguntar também: onde que está o seu público? Por que onde a gente coloca o nosso foco, a nossa atenção e nosso amor, floresce, escolha uma ou no máximo duas redes sociais para dar amor e carinho com muita atenção.

Então, por exemplo,  eu escolho dois Instagram, e um canal no YouTube, mas só que no Instagram na verdade, exemplo: Pedro Sobral, ele tem o foco no YouTube e no Instagram através das lives, e dos stories dele.

O Victor Damásio é no Facebook, lá dentro do grupo pago dele, e no Instagram. Cara, cada um sabe que o seu público está em algum lugar, e às vezes você é melhor numa linguagem.

Eu falo zero a linguagem do Facebook, do TikTok, eu não sei falar essas linguagens. Eu sou programada para falar YouTube no Instagram.

Talvez eu possa desenvolver essa habilidade? Posso, mas eu sou da opinião de que não necessariamente você tem que melhorar todas as suas habilidades que você não é boa.

Abraça o que você é boa, e fica mais foda ainda nisso que é mais sucesso.

Agora é a sua vez de criar conteúdo de valor

Stefânia Pereira

E aí, onde está o seu público? Quais redes você pretende escolher para dar atenção, amor e carinho?

Agora é sua vez de criar conteúdo de valor, engajar sua audiência, reforçar sua autoridade online e alavancar suas vendas através da influência digital.

Ficou com vontade de seguir essa jornada de aprendizado? Eu quero te fazer um convite! Faça sua inscrição no Hotmart MASTERS. De 19 a 23 de outubro de 2020, aprenda com grandes nomes do empreendedorismo e da educação no evento online, global e gratuito da Hotmart. É só clicar no banner abaixo.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.