Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Minicurso Hotmart

Você é professor?

Já tem conteúdo para ensinar?

Comece 2019 com o pé direito e sendo dono de seu próprio negócio.

Aprenda a criar seu curso online de forma gratuita.

QUERO ACESSAR O MINICURSO
Fechar ¿Cómo crear un curso online con videoclases?

¿Cómo crear un curso
online con videoclases?

Aprende a transformar tu conocimiento en un curso online con nuestra guía gratis.

¡DESCARGA EL MATERIAL!

Qual a diferença entre brand persona e buyer persona?

Qual a diferença entre brand persona e buyer persona?

Apesar de muita gente confundir esses conceitos, eles são bem diferentes. Entenda a importância de cada um!

Se você está estudando sobre estratégias de marketing digital, provavelmente já ouviu o termo “personas”. Geralmente, ele é usado para se referir às buyer personas, que são os perfis de consumidores ideais da sua marca.

Mas existe um outro tipo de marketing persona que é menos conhecida, porém, muito importante para que sua comunicação com os consumidores seja consistente: a brand persona.

Nunca ouviu falar nesse termo? Não se preocupe! Neste post, vamos te explicar por que você deve olhar para esses dois tipos de marketing personas e quais são as principais diferenças entre elas.

Buyer Persona

Conhecer seu mercado e seus potenciais clientes é fundamental para o crescimento do seu negócio. Por isso, a criação das buyer personas é um passo primordial na construção da estratégia de marketing de conteúdo da sua marca.

Também conhecidas como avatares, essas personas sintetizam o perfil e comportamento de pessoas que têm maior probabilidade de se interessar por seus produtos ou serviços.

Com base em um estudo de mercado e entrevistas feitas com seus atuais clientes, é possível criar personagens semifictícios que representam as pessoas que você pretende atingir com suas ações de marketing.

Ter essas personas documentadas tornará suas tomadas de decisões muito mais acertadas. Em outras palavras, aqueles momentos de dúvida sobre qual estratégia adotar se tornam muito mais tranquilos quando você entende para quem você está falando.

Mas que tipo de informações essas personas oferecem?

Diferentemente do público-alvo, que é uma visão ampla de uma parcela da sociedade que você pretende atingir, as buyer personas oferecem uma visão mais aprofundada das pessoas que compõem esse público.

Por isso, além de dados demográficos, como gênero, idade e perfil socioeconômico, é possível se aprofundar ainda mais, identificando seus gostos pessoais, hobbies, problemas que precisam resolver e desejos que elas têm.

Ainda não construiu as buyer personas da sua marca? Confira o nosso Guia Prático para criar uma persona para seu negócio.

Brand Persona

Da mesma forma que a Buyer Persona sintetiza as características principais do seu cliente, a Brand Persona representa a personalidade da sua marca. Ou seja, ela personifica os valores e as percepções que você quer que seu público tenha da sua empresa.

Muitas empresas focam apenas na definição da buyer persona e, por isso, acabam construindo uma comunicação sem identidade.

Devido a isso, criar uma Brand Persona é fundamental para quem está desenvolvendo uma estratégia de conteúdo para blog, redes sociais e funil de vendas. É ela que irá garantir que você mantenha sempre o mesmo tom de voz e que passe a mensagem desejada.

Além disso, os profissionais de marketing acreditam que, apesar de fatores como preço e qualidade, o consumidor também leva em consideração a identificação com a marca na decisão de compra.

Ou seja, se seu cliente estiver em dúvida entre marcas com preços e qualidades semelhantes, possivelmente, a aproximação com a personalidade de cada marca será o fator de desempate.

A Brand Persona é o CEO da empresa?

É muito comum que, ao criar uma brand persona, as pessoas se inspirem nas personalidades dos líderes das empresas.

Essa estratégia pode ser interessante quando o objetivo é criar uma aproximação maior com os clientes. Por exemplo, você pode enviar e-mails assinados pelo diretor da empresa e utilizar o vocabulário e a personalidade dele nas redes sociais.

Além disso, em empresas que levam o nome de seu fundador, pode fazer sentido essa associação entre a personalidade do líder e a personalidade da marca. Temos como exemplo as marcas de cosméticos assinadas por celebridades, que se aproveitam das características desses artistas para criar suas ações de marketing.

No entanto, é preciso cautela ao assumir esse tom de voz. Existem casos em que as empresas são lideradas por pessoas que não querem ser o porta-voz ou que não refletem a mensagem que a marca deseja passar.

Por exemplo, uma marca de tênis pode querer se posicionar como moderna e ousada, mas ser liderada por executivos tradicionais. Nesse caso, é necessário criar uma brand persona que sintetize os objetivos da marca.

Como criar sua Brand Persona?

Para te guiar na construção desse tipo de marketing persona, você pode tentar responder algumas perguntas pensando na sua marca como se fosse uma pessoa:

  • Quantos anos ela/ele tem?
  • Qual é a sua profissão?
  • O que ela/ele gosta de fazer nos momentos de lazer?
  • Como ela/ele se comunica com cada buyer persona?
  • Qual é seu propósito no mundo?
  • No que ela/ele se diferencia dos seus concorrentes?

Ao final dessas pesquisas, você deverá construir um documento com as seguintes informações:

  • Pilares da marca
  • Tom de voz
  • Vocabulário
  • Temas de interesses (além dos relacionados à própria marca)
  • Bandeiras ou causas que ela defende

A Brand Persona serve como um guia interno para que as equipes de marketing e vendas planejem suas ações de forma mais coerente e aumentem o brand awareness das empresas.

Por exemplo, imagine uma empresa de cosméticos que se define como uma mulher de 30 anos, empresária, que gosta de assistir séries, sair com as amigas e praticar yoga. Ela tem vontade de levantar a autoestima de outras mulheres e defende a bandeira do amor próprio.

Seu tom de voz é sensível e amigável. Ela gosta de chamar as clientes de amigas e, além de falar sobre cosméticos, dá dicas de alimentação saudável e atividades físicas, como Yoga, Pole Dance e Corrida.

Com esse perfil em mente, fica muito mais fácil planejar sua estratégia de conteúdos e se comunicar com suas buyer personas, não é mesmo?

É importante reforçar que nem sempre esse tipo de marketing persona precisa ser divulgado para os clientes. Ou seja, eles não precisam saber que sua marca é uma mulher de 30 anos, apenas precisam perceber e se identificar com os valores que você deseja associar à sua marca.

Persona ou Personagem?

Em alguns casos, essas brand personas ganham vida e se transformam em personagens. É o caso, por exemplo, da empresa PontoFrio, que deu voz ao Pinguim, o símbolo da marca.

Desde que o mascote assumiu o tom de voz das redes sociais, seus conteúdos já se tornaram virais diversas vezes ao fazerem interação com outros perfis de empresas ou brincarem com temas de novelas e séries.

Com isso, foi constatado um aumento significativo nas vendas. O sucesso está relacionado à intimidade criada entre os consumidores e o personagem, que se comunica de forma divertida e acessível, demonstrando os valores e posicionamentos da empresa.

Ou seja, na hora de decidir entre uma brand persona ou um personagem, é preciso levar em consideração os objetivos da marca. Só assim você conseguirá definir o melhor caminho para se conectar com seus consumidores.

Quer saber como usar as marketing personas para engajar seu público? Confira nosso post com dicas para conquistar fãs incondicionais com o marketing empresarial.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.