Fechar

Mix de marketing: o que são os 4ps e como eles podem te ajudar?

O mix de marketing é um dos pilares de uma estratégia bem-sucedida. Aprenda mais sobre os 4Ps do marketing!

mix de marketing - desenho de um megafone inscrito em um círculo; ao redor do círculo, desenhos de um smartphone, uma mensagem de email, uma caixa de produto digital e uma mão segurando um smartphone.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o marketing envolve muito mais do que apenas a divulgação de um produto ou marca. Produção, gestão financeira, logística e análise de dados também fazem parte dessa área do conhecimento.

E é nessa mistura que mora um dos conceitos mais famosos do mundo do marketing: o mix de marketing, ou 4Ps do marketing – como também é conhecida a união entre Produto, Preço, Praça e Promoção.

Se você quer entender mais sobre o mix de marketing, sua importância e como colocá-lo em prática em seu negócio, continue lendo este artigo!

Post index MenuÍndice
Quais são os 4Ps do mix de marketing? Para que serve o mix de marketing? Por que o mix de marketing é importante? A evolução do marketing: os 7Ps do marketing Outras evoluções do mix de marketing
Voltar ao Índice

Quais são os 4Ps do mix de marketing?

Como explicamos no começo do texto, o marketing é uma área muito ampla e que abrange mais do que só a divulgação de um produto, serviço ou marca. Ele engloba todas as táticas que serão usadas para levar o consumidor a desejar e adquirir essa mercadoria.

Nesse sentido, o mix de marketing representa todos os elementos que compõem as atividades do marketing.

Esse conceito foi criado nos anos 60 pelo professor Jerome McCarthy e difundido por Philip Kotler e leva em consideração os pilares básicos em qualquer estratégia de marketing:

  • Produto;
  • Preço;
  • Praça;
  • Promoção.

Esses pilares são conhecidos como os 4Ps do marketing e precisam estar em perfeito equilíbrio para que a empresa consiga alcançar seu objetivo final, ou seja, despertar o desejo de compra nas pessoas e vender.

Para ficar mais fácil de entender esse conceito, vamos conhecer cada um dos pilares do mix de marketing:

1. Produto

O primeiro pilar do mix de marketing se refere ao Produto. Ou seja, aquilo que você ou sua marca oferece para o público.

Porém, esse primeiro pilar não diz respeito apenas ao produto físico ou serviço sem si. Ele serve para entender o valor agregado que ele oferece aos consumidores.

Afinal, muito mais do que oferecer algo de qualidade, com os melhores recursos e tecnologias, é fundamental que esse produto ou serviço resolva os problemas que o consumidor enfrenta.

Quando você define as características de seu produto, se torna mais fácil elaborar estratégias atrativas e direcionadas para o público certo.

Para isso, siga o checklist abaixo para identificar:

  • As demandas ou demanda que seu produto consegue atender;
  • Como ele atende essas demandas (suas funções, benefícios etc.);
  • Como as pessoas podem e devem usá-lo;
  • Suas características, tais como nome, descrição e formato;
  • O que diferencia seu produto dos concorrentes.

2. Preço

O segundo pilar do mix de marketing, Preço, é um dos mais importantes para sua estratégia. Não apenas por estar ligado à receita e à capacidade de investimento do negócio, mas por ser responsável pela visão que o público tem de seu produto.

Durante o processo de precificação, é importante definir um preço que seja lucrativo e, ao mesmo tempo, condizente com o mercado.

Porém, é importante ressaltar que, muitas vezes, os consumidores não se importam em pagar mais caro por um produto ou serviço se ele tiver algo valor agregado e vantagens significativas.

Chegar a um equilíbrio justo para ambas as partes é uma forma de garantir a permanência de seu negócio no mercado. Para fazer com que isso aconteça, considere:

  • Seus custos de produção;
  • Quais são os valores que o cliente está disposto a pagar pelo que você oferece;
  • Quanto seus concorrentes estão cobrando;
  • Quais são os fatores que podem alterar o preço de seu produto (épocas comemorativas, clientes especiais, áreas de distribuição, entre outros).

Como deu para perceber, precificar um produto é um processo um pouco complicado e cheio de variáveis. Se você ainda tem dúvidas sobre o tema, não deixe de conferir as dicas do Hotmart Tips:

262

3. Praça

O terceiro pilar do mix de marketing é a Praça, que é responsável pela forma como o cliente chega até sua marca e seus produtos. Ou seja, está diretamente relacionado aos canais de distribuição e venda.

Definir a Praça é muito mais complexo do que simplesmente abrir uma loja virtual ou física. Esse processo inclui identificar onde estão as pessoas que podem se interessar pelos seus produtos e, assim, ofertá-los onde eles serão vistos, desejados e, claro, comprados.

O primeiro passo para definir os canais de distribuição é descobrir se seus clientes buscam pelos produtos que você oferece nas redes sociais, e-commerce ou em pontos de venda físicos. Depois, você deve definir a logística necessária para atender essa demanda.

Algumas perguntas podem ajudar nessa tarefa:

  • Será necessário aumentar a minha equipe?
  • Quais ferramentas preciso ter para distribuir nos melhores lugares?
  • O que precisa ser personalizado em cada canal para ter resultados positivos?

No caso de negócios online, é interessante investir em anúncios, para que seus potenciais clientes tenham contato com sua marca no momento que estão buscando pelo tipo de produto que você oferece. Entenda mais em nosso post sobre anúncios no Adwords.

4. Promoção

O quarto e último pilar é conhecido como Promoção.

Ao contrário do que o nome sugere, esse pilar não trata de promoções e liquidações, mas das ações de promoção e divulgação de uma marca e seus produtos.

Você precisa investir nas ações certas para que o cliente reconheça o potencial de seu produto e enxergue nele as soluções para seus problemas.

Estes são alguns dos caminhos que você deve seguir para direcionar bem suas ações de divulgação:

  • Defina os melhores canais de divulgação, ou seja, as redes sociais mais acessadas pelos  seus potenciais clientes ou os locais mais frequentados;
  • Pesquise os dias e horários mais indicados para promover seu negócio;
  • Verifique quais ações apresentam os melhores resultados, os melhores formatos de conteúdo (vídeo, texto, imagem) e também a linguagem;
  • Confira o que seus concorrentes estão fazendo para promover seus produtos e descubra os pontos fortes e fracos dessa estratégia.

Essas informações vão te ajudar a ter uma ideia melhor sobre o tipo de ação que gera mais impacto em seu público-alvo.

Não se esqueça de prestar atenção também nas falhas da concorrência, pois elas podem ser uma ótima brecha para você atuar e suprir as necessidades não atendidas do público. Para saber mais, confira nosso texto sobre análise de concorrência.

Para que serve o Mix de Marketing?

O mix de marketing é visto com muita relevância por qualquer profissional porque é uma ferramenta capaz de orientar o planejamento de estratégias, fazendo com que elas sejam efetivas no mercado.

Tais estratégias buscam despertar o interesse do público, aumentando o desejo de compra e melhorando a experiência de cada cliente. Além disso, não se esqueça: é preciso pensar nesse mix de marketing de acordo com o nicho e a persona do negócio.

Porém, de forma geral, há alguns motivos que explicam pra que serve os 4 Ps do marketing, como:

  • transmitir o posicionamento da marca ao público-alvo;
  • criar estratégias que sejam integradas;
  • cobrir todos os pontos de contato com o consumidor;
  • diferenciar dos concorrentes.

Elencamos esse motivos com mais detalhes a seguir, confira:

Traduzir o posicionamento da marca

Qualquer que seja o posicionamento ao público-alvo que o seu negócio quer alcançar, os 4Ps do marketing certamente podem ajudar você.

Isso porque cada um dos Ps ajudam a transmitir tal posicionamento, proporcionando assim a imagem da marca na mente das pessoas. Por isso, há também uma relação com o branding, pois o mix de marketing ajuda a traduzir os pilares da marca.

Caso não cumpra com os 4Ps, o posicionamento de marca pode ser prejudicado e tende a não se consolidar no mercado — ou talvez seja transmitido de maneira errada, o que confundiria a percepção do cliente.

Integrar estratégias

Se você planeja lançar um produto no mercado, você já deve ter lido por aí que existem vários tipos de estratégia, certo? Pois bem, o mix de marketing pode auxiliar na integração de estratégias.

Até porque incluir uma marca no mercado não significa sair divulgando e vendendo sem um planejamento. É preciso alinhar a integração das várias estratégias em busca do sucesso do seu negócio.

Esse alinhamento ocorre quando há um público-alvo definido e quando existe um posicionamento de mercado já decidido — esses aspectos direcionam todos os 4Ps.

Lembre-se: o foco sempre deve ser o cliente e a imagem que a sua marca deseja passar na mente do consumidor. Estamos falando isso porque é assim que se cria uma coerência de percepção de mercado.

Aumentar a presença em todos os pontos de contato com o consumidor

Outro motivo capaz de explicar a serventia do mix de marketing diz respeito à presença em todos os pontos de contato com o consumidor. Seguindo o framework dessas variáveis, é possível contemplar todos esses pontos de contato.

Muitos empreendedores tendem a pensar no marketing apenas como promoção e divulgação da marca, porém a decisão de compra sofre influência de muitos outros fatores. Estamos nos referindo ao processo de pesquisa de preços, testagem de produto e até posts em redes sociais.

Todos esses momentos contam como interações que compõem a experiência com a marca e ajudam a construir uma imagem no mercado.

Se destacar da concorrência

Ao consolidar o posicionamento da marca, é possível se diferenciar da concorrência. Afinal, posicionar-se também significa se tornar único e relevante na mente do consumidor, buscando também não ser substituído pelo concorrente.

Sendo assim, as variáveis do mix de marketing buscam consolidar essa imagem, assim como transmitir a essência e os diferenciais da marca para os consumidores. Mas não se esqueça que é preciso prestar atenção na concorrência durante a construção de todos os pilares.

Dessa forma, pode-se identificar oportunidades de investimentos das quais os competidores deixaram de lado e aproveitar para ganhar mais um ponto de diferenciação.

Por que o mix de marketing é importante?

Depois de conhecer os 4Ps do marketing, talvez você tenha ficado com a impressão de que todos esses pilares são bastante óbvios. Afinal, a definição do produto ou serviço, sua precificação, logística de distribuição e promoção são atividades comuns a qualquer empresa.

Na verdade, o mix de marketing não serve apenas como uma simples lista do que deve ou não ser feito. Ele ajuda a descobrir o jeito mais efetivo para conquistar e fidelizar clientes e até entender por que seus investimentos não estão dando o retorno esperado.

Talvez você esteja vendendo seus produtos em locais ou canais onde seu público-alvo não se encontra. Ou sua estratégia de promoção não está sendo capaz de transmitir com clareza as características das mercadorias.

Ao inserir o mix de marketing na estratégia de sua empresa, fica mais fácil comunicar aos consumidores os principais diferenciais de sua marca. E, assim, convencê-los de que eles devem comprar de você, e não dos concorrentes.

Como exemplo, pense em uma latinha de refrigerante. Existem muitas marcas diferentes no mercado. Mas se o refrigerante estiver sendo vendido na beira da praia em um dia de verão, será percebido como um item mais valioso e desejado.

O mesmo vale caso o refrigerante tenha, em sua composição, o suco de uma fruta exótica. Nesse caso, ele pode se transformar em um artigo diferenciado e, consequentemente, mais desejado por determinada fatia do público.

E vale lembrar que cada um dos 4Ps do mix de marketing podem (e devem) ser alterados e adaptados de acordo com as características de cada negócio. Dessa maneira, você poderá se beneficiar dessa estratégia, não importa o nicho em que atua.

A evolução do marketing: os 7Ps do marketing

No começo do texto, falamos que o mix de marketing é um conceito criado na década de 60. De lá para cá, muita coisa mudou no mundo do marketing. Logo, seria de se esperar que essa estratégia fosse reformulada.

E foi exatamente isso que aconteceu!

Ainda nos anos 80, os profissionais e pesquisadores do marketing perceberam que os 4Ps já não eram suficientes para dar conta das necessidades das empresas da época.

E o motivo era muito simples: foco.

Todos os 4Ps do marketing eram voltados para o produto, deixando de lado aspectos que também eram muito importantes, como o público-alvo, o posicionamento da marca e a segmentação de mercado.

Para dar conta de tudo isso, foram acrescentados três novos elementos, dando origem aos 7Ps do marketing:

5. Pessoas

O quinto pilar do mix de marketing é centrado nas emoções humanas e na construção de relacionamentos. Agora, não basta mais apelar apenas para a racionalidade para atingir os clientes.

É preciso ir além e incluir no processo as pessoas envolvidas com o produto, principalmente quem está por trás do negócio.

Uma loja que oferece produtos de qualidade, a preço justo e em um ambiente agradável, jamais dará certo se os atendentes não tratarem os clientes bem.

A ideia é que todas as equipes – atendimento, suporte, marketing etc. – estejam totalmente alinhadas e focadas no objetivo do negócio.

Nesse sentido, uma boa gestão de pessoas pode ser um grande diferencial em relação aos concorrentes.

6. Processos

Você já parou para imaginar como é a experiência de seus clientes quando eles compram algum produto ou serviço? Essa experiência é positiva ou negativa?

É exatamente sobre isso que o sexto pilar do mix de marketing se refere.

Isso inclui desde o primeiro contato com a marca a partir de um anúncio, até a concretização da compra e o pós-venda.

Um e-commerce, por exemplo, precisa garantir uma boa experiência de navegação em seu site, com o menor tempo de carregamento possível, informações bem localizadas e suporte online para os usuários.

Uma loja física, por sua vez, deve se preocupar em oferecer um bom atendimento aos clientes e manter o ambiente agradável.

Esses processos precisam ser bem documentados e compartilhados com toda a equipe para que sejam executados da maneira correta.

7. Prova Física

Por fim, o último dos pilares de marketing diz respeito ao local de venda. E, ao contrário do que pode parecer, não é a mesma coisa que a Praça.

A Prova Física diz respeito ao espaço onde os produtos ou serviços são vendidos e entregues.

Aqui, encontram-se os aspectos tangíveis do espaço físico, como decoração, disposição dos móveis, cores do ponto de venda etc. No caso de negócios online, por sua vez, o design do site ou blog também são considerados.

Todos esses elementos precisam ser levados em consideração, já que influenciam a experiência do usuário.

Outras evoluções do Mix de Marketing

Com o passar do tempo, outros teóricos e estudiosos do marketing perceberam que os 4Ps precisavam ser atualizados para diferentes contextos, tipos de negócios e evolução do mundo digital, dando origem a outros conceitos.

Estamos falando dos 8Ps do Marketing, os 4Cs e o SAVE, já ouviu falar em algum deles? A gente te explica:

8Ps do Marketing

A proposta dos 8Ps foi trazida por Philip Kotler, que partiu dos 4Ps já existentes. Com isso, além de Produto, Preço, Promoção e Praça, adiciona-se:

  • Pessoas: refere-se ao marketing de relacionamento;
  • Processos: refere-se ao marketing interno;
  • Programas: refere-se ao marketing integrado;
  • Performance: refere-se ao marketing de performance.

Um dos principais objetivos desse novo conceito era oferecer uma visão mais holística para que o framework se torne mais completo e consistente.

4Cs

Dos anos 90 para cá muita coisa mudou, principalmente na internet. Esse boom revolucionou todos os setores do comércio e com isso o mix de marketing também mudou; os 4Cs surgiram com novas ideias e definições para suprir as novas demandas do Marketing.

Nesse sentido, os 4Cs são:

  • Cliente: diz respeito a conhecer melhor o seu cliente assim como você conhece o seu produto — foca-se em para quem se vende;
  • Custo: o conceito de precificação aqui é abrangido, pois leva-se em consideração os custos do cliente para obter o seu produto, como estacionamento, uso de dados da internet, energia elétrica, gasolina, frete e outros;
  • Comunicação: nessa variável, o cliente tem voz ativa no processo de vendas, ou seja, a troca de mensagem não será unilateral mais; portanto, há um diálogo no lugar de agentes ativos e passivos no processo de vendas;
  • Conveniência: refere-se à facilidade com que o consumidor chegou até o seu produto, por isso promover a praticidade do consumo é importantíssimo.

SAVE

O SAVE surgiu no Harvard Business Review com o objetivo de adaptar os 4Ps aos negócios B2B (business to business), para adequar à realidade atual desse tipo de consumidor. Por isso, cada variável do SAVE substitui uma letra do mix de marketing:

  • Solução: entregar soluções para o problema dos consumidores de forma cada vez melhor, em vez de focar no produto;
  • Acesso: oferecer acesso ao produto ou serviço quando e onde o cliente precisar — isso significa entender a jornada do consumidor e acompanhá-lo em seu trajeto;
  • Valor: apresentar propostas de valor para o cliente, em vez de focar somente no preço — o preço deve ser ditado pelo seu produto, e não por benchmarking;
  • Educação: educar o público com conteúdos relevantes, em vez de somente promover o produto.

O que o SAVE pretende é pensar nos 4Ps originais de maneira diferente, para atingir toda e qualquer área negligenciada pelo mix de marketing.

Contudo, saiba que nenhuma estrutura de marketing é perfeita e não será possível se sair bem se o seu negócio não conhece o cliente e não direciona bem as estratégias para atingi-los.

Sempre direcione suas estratégias para a pessoa certa

Você deve ter percebido que em todos os pilares do mix de marketing, sejam eles 4Ps ou 7Ps, sempre reforçamos que é muito importante elaborar suas ações pensando nas particularidades das pessoas que você deseja atingir.

Sabe por que batemos nessa tecla? Por que não dá para criar uma estratégia de marketing efetiva sem ter uma persona para quem direcionar suas ações.

Então, agora que você já conhece o que é mix de marketing, chegou a hora de dar um passo além. Confira nosso guia completo com tudo o que você precisa saber para criar uma persona para seu negócio.


Este post foi originalmente escrito em janeiro de 2020 e atualizado para conter informações mais completas e precisas.