Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar
Fechar Como comprar tráfego: guia para Produtor e Afiliado

Como comprar tráfego: guia para Produtor e Afiliado

Conheça as melhores práticas para trabalhar com essa estratégia.

Download gratuito!

Aprenda mais sobre como a monetização do YouTube funciona

Aprenda mais sobre como a monetização do YouTube funciona

É possível ganhar dinheiro nessa plataforma?

Se você usa o YouTube no dia a dia, já sabe que a plataforma contém um rico acervo de conteúdos. Cada vez mais as pessoas se interessam em utilizá-la para publicar vídeos gratuitos e — por que não? — ganhar por isso. Mas, você sabe como funciona a monetização do YouTube?

Alguns youtubers famosos fazem uma verdadeira fortuna com a plataforma. Por outro lado, muitos não recebem o suficiente para cobrir os custos de produção dos vídeos, mesmo com audiência. Isso acontece porque o algoritmo do YouTube tem muitos critérios e não depende apenas do número de inscritos.

Por isso, a gente fez um artigo explicando o que é a monetização do YouTube, os critérios da plataforma, as mudanças recentes e o que ajuda a trazer dinheiro para o canal. Vamos juntos?

O que é a monetização do YouTube?

Os irmãos Neto, Whindersson Nunes, Júlio Cocielo e o pequeno Ryan. O que eles têm em comum?

Conseguiram fama e muito — muito! — dinheiro com seus canais no YouTube. Apesar de ser uma plataforma gratuita de vídeos, tanto para publicar quanto para assistir, o YouTube remunera os criadores de conteúdo relevante.

Para tanto, você precisa, obviamente, criar uma conta na plataforma. O segundo passo é alcançar uma quantidade mínima de seguidores e de horas de exibição dos vídeos.

Aí, basta fazer o cadastro gratuito no YouTube Partner Program. Quer dizer, “basta” não é exatamente a palavra, porque a monetização está cada dia mais complicada, como você verá adiante.

Como a monetização funciona?

Até algum tempo atrás, você precisava de alguns requisitos relativamente simples para conseguir monetizar seus vídeos pelo Partner Program:

  • produzir conteúdo original e em frequência regular;
  • viver em um dos países da lista do programa;
  • seguir os termos da Comunidade do Youtube;
  • ter uma conta no Google AdSense para veicular anúncios.

Depois disso, era só publicar vídeos novos com frequência, ser aprovado no Partner Program e começar a receber.

A monetização do YouTube depende da quantidade de cliques nos anúncios e do tempo de publicidade assistida, é feita em dólares e segue uma regrinha chamada de Custo por Mil (CPM).

É simples: a cada 1.000 visualizações, o youtuber ganha certo valor que não é divulgado pela plataforma, mas que já foi estimado como algo entre U$ 0,60 e U$ 5,00 (após conversão, entre R$ 2,20 e R$ 18,60).

Pode parecer pouco, mas considerando um youtuber com canal grande e um número médio de visualizações mensais de 7 milhões, o salário do mês sai entre R$ 15 mil e R$ 130 mil. Um ganho interessante, não é? Pois bem, acontece que muita coisa mudou. Acompanhe!

Principais mudanças nos últimos tempos

Muitos youtubers construíram seus “impérios” utilizando a veiculação de anúncios do Google em seus vídeos. No entanto, uma série de polêmicas aconteceu nos últimos anos e levou o YouTube a limitar a possibilidade de monetização. O grande problema é que a veiculação era feita de forma automática pelo sistema.

Então, nem os criadores de conteúdo sabiam o que apareceria em seus vídeos, nem os anunciantes tinham controle sobre onde seus produtos apareciam.

A consequência foi que anúncios de empresas sérias apareciam em vídeos considerados ofensivos, o que levou marcas como a Starbucks e a PepsiCo a saírem do Google Ads.

Uma das maiores polêmicas aconteceu no fim de 2017, quando o youtuber Logan Paul publicou um vídeo mostrando o corpo de um suicida.

Alguns anunciantes se revoltaram e pediram uma providência do YouTube, pois não queriam suas marcas vinculadas a esse tipo de conteúdo. O canal teve as receitas suspensas.

Como resultado, a monetização do YouTube recebeu novos — e mais rígidos — critérios. Por um lado, as mudanças são positivas pois preservam a credibilidade dos anunciantes.

Por outro, o futuro dos youtubers de muitos canais está em jogo pela falta de retorno financeiro. É o caso do Nostalgia, do Felipe Castanhari, que quase chegou ao fim em 2018.

E os critérios da plataforma?

Tudo bem, tudo isso é muito interessante, mas vamos ao que importa: como ganhar dinheiro com o YouTube atualmente?

Bem, os critérios da plataforma não são amplamente divulgados, já que partem de um algoritmo ainda enigmático. No entanto, algumas regras são:

  • alcançar 1.000 inscritos para se inscrever no Partner Program;
  • ter pelo menos 4 mil horas de visualização nos últimos 12 meses;
  • produzir conteúdo que esteja de acordo com as diretrizes da plataforma.

Ah, vale lembrar que o engajamento dos usuários também conta para o algoritmo. É por isso que os youtubers costumam finalizar o vídeo com o famoso “deixe um joinha e compartilhe com os amigos”.

Existe um passo a passo para ter uma boa monetização?

A boa notícia é que você não precisa desvendar os mistérios da monetização do YouTube para começar a ganhar dinheiro.

O mais importante, é claro, é produzir conteúdo de qualidade. Abaixo, deixamos algumas dicas para dar visibilidade ao seu canal e aumentar as chances de ter um bom retorno.

1. Produza um bom conteúdo

Para conseguir relevância e, consequentemente, ter seguidores e visualizações, você precisa produzir conteúdo de qualidade.

Então, pense em assuntos que você realmente domina, para que consiga organizar bons roteiros e fazer um material valioso para o seu público.

Nesse sentido, o YouTube Analytics é um excelente aliado. Com ele, você consegue entender quais vídeos chamam mais atenção dos seus seguidores, por exemplo.

Também dá para saber se as pessoas assistem o conteúdo completo ou apenas uma parte específica. Desse modo, você pode otimizar o material para agradar cada vez mais.

2. Use o AdSense

Seu canal já está bombando? Ótimo! Então, é hora de se inscrever no Google AdSense, a plataforma de anúncios do Google.

Basta criar uma conta ou vincular o seu próprio login do YouTube. Acessar o Ads regularmente é essencial para controlar as receitas geradas pelo canal e para solicitar os pagamentos.

3. Faça publicidade direta

Além de vincular os anúncios do Google, você pode aproveitar o espaço do seu canal para fazer publicidade direta. No entanto, tenha cautela aqui, hein?

Lotar o vídeo de propagandas pode gerar certa irritação no público e afastá-lo do canal. Além disso, cuide de selecionar bem seus parceiros para ofertar produtos relacionados ao seu conteúdo.

4. Contrate anúncios roll

Sabe aqueles anúncios um tanto quanto indesejados no início dos vídeos? Eles vão se tornar muito desejados por você! Afinal, podem aumentar bastante o rendimento do canal. Mas seja bem seletivo na contratação: busque produtos ou serviços estratégicos.

Assim, além de diminuir as chances de que seus inscritos pulem as propagandas imediatamente, agregará valor e poderá apresentar anúncios realmente úteis para seu público.

5. Atue como influencer

A vantagem de atuar como um influencer é que você conseguirá inscritos mais engajados.

Lembre-se de que esse é um dos critérios de monetização do Youtube. Você pode ganhar dinheiro ensinando o que você mais sabe e, ainda, se tornar uma figura influenciadora positiva para o seu público.

Enfim, dá para ganhar dinheiro com o YouTube?

Como você viu, a monetização do YouTube pode trazer bons resultados para quem tem conteúdo de qualidade, seja para dar aulas virtuais ou mesmo para um vlog pessoal.

A veiculação de anúncios com o Google Ads é a forma mais famosa e também uma das mais eficazes de ganhar dinheiro com a plataforma, mas existem outros meios.

Interessante, não é?

Aprenda também como é possível gerar receita com vídeos na internet além do Youtube.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.