Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

O que é inadimplência e como evitar?

O que é inadimplência e como evitar?

7 dicas para você aplicar em sua gestão financeira.

Os desafios de um empreendedor digital vão muito além da criação de conteúdos de qualidade. É preciso dominar várias áreas conhecimento, como o atendimento ao cliente, o respeito às legislações nacionais e a emissão de notas fiscais de serviço.

Nessas horas, qualquer deslize pode ser fatal.

Como poucos fatores estão sob seu controle, você deve estar preparado para propor soluções adequadas em cada situação.

Um grande obstáculo para o crescimento de um negócio está associado à inadimplência. Mas você sabe o que ela é e como afeta o seu negócio?

Este post explica mais sobre o conceito e ainda mostra 7 dicas para evitá-la. Confira!

O que é a inadimplência?

A inadimplência ocorre quando há o descumprimento de algum compromisso, principalmente financeiro.

Em outras palavras, o conceito está relacionado ao atraso na hora de pagar contas antes da data de vencimento.

Se uma pessoa compra um de seus produtos a prazo, ela se compromete a pagar parcelas mensalmente.

Caso o pagamento não seja efetuado, ela pode ficar com o nome sujo e não consegue empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Como ela afeta a sua empresa?

Segundo um levantamento da Serasa Experian, foram contabilizados 60,6 milhões de inadimplentes em todo o país. Em comparação com o mesmo período de 2016, o índice teve um aumento de 1,98%.

E o problema não para por aí. O montante da dívida foi de R$ 273,4 bilhões, representando uma média de quatro dívidas por CPF e um valor de R$ 4.426,00 por pessoa.

Vários fatores podem levar à inadimplência, mas a falta de planejamento e de conhecimento são as suas principais causas.

De qualquer forma, essas questões atrapalham o desempenho do seu negócio em todas as maneiras possíveis, seja uma academia, um petshop ou uma loja online.

Quanto maior for a inadimplência entre a sua carteira de clientes, menor será a quantidade de dinheiro circulando.

Com menos dinheiro, você não consegue manter as contas e o fluxo de caixa longe do vermelho, e acaba contraindo dívidas também.

Você pode, por exemplo, ter dificuldades para pagar a folha salarial dos funcionários, contratar novos colaboradores e cumprir as determinações contratuais com seus fornecedores. Lembre-se de somar a incidência de juros e multas também.

A partir disso, conclui-se que a inadimplência cria obstáculos para consumidores e empreendedores, portanto, ela deve ser combatida a todo custo.

7 dicas para evitar a inadimplência

Abaixo, você encontra algumas orientações que não podem faltar em sua gestão financeira:

1. Conheça o cliente

Essa dica parece simples, mas ela é essencial para acabar com a inadimplência em seu negócio.

Alguns empreendedores acreditam que conhecer o cliente é importante apenas para realizar uma venda.

Na verdade, após concluir a negociação, o consumidor inicia uma nova jornada de relacionamento com a sua empresa. Essa etapa deve ser baseada em muito diálogo e atenção — principalmente quando se trata na hora de fazer cobranças.

A sua organização precisa ter todas as informações sobre seus parceiros, considerando as dores, os objetivos e as principais dificuldades.

Dessa maneira, você deve categorizá-los e criar abordagens específicas para cada caso.

Você não pode, por exemplo, usar as mesmas técnicas de negociação com uma pessoa física e um grande escritório.

Quem não se preocupa com essa questão acaba tratando todos da mesma forma e tem várias dores de cabeça no futuro, pois o que foi acordado e contratado não condiz com a realidade.

Não se esqueça de parabenizar os clientes que pagam em dia também. Crie prêmios, sorteios e outras maneiras de promovê-los.

2. Incentive o pagamento à vista ou por cartão de crédito

Uma gestão que oferece várias formas formas de pagamento consegue atrair maior quantidade de clientes.

As vendas parceladas facilitam a vida de quem está comprando e vendendo. Contudo, é preciso ter muito cuidado para gerenciá-las. Algumas opções de pagamento não são tão benéficas para a sua empresa.

Quanto maior for o prazo, maiores são as chances de atraso no envio do dinheiro até o seu negócio.

Portanto, é essencial criar benefícios para quem paga à vista ou utiliza o cartão de crédito. Você pode oferecer descontos na própria compra ou em novas aquisições.

3. Tenha uma boa equipe de vendas

Um comprador pode conhecer sua empresa de várias formas, seja pelas redes sociais ou pelo seu blog.

Em todos os casos, ele precisa entender que, ao adquirir um produto ou serviço, ele não está só adquirindo um curso online, por exemplo.

Na verdade, ele está criando um relacionamento com o seu empreendimento, confiando em sua marca. Por isso, ele deve ser muito bem acompanhado, do início ao fim.

As campanhas de marketing servem para atrair leitores e seguidores para transformá-los em leads e em possíveis consumidores.

O primeiro contato acontece de fato quando um de seus funcionários envia um email ou faz uma ligação telefônica. Essas etapas devem ser corretamente planejadas e realizadas, e isso só acontece quando você tem um bom time comercial.

A ligação telefônica inicial é tão importante quanto o momento de assinatura do contrato. Todas essas etapas dependem da definição de diretrizes corretas e adequadas às demandas do mercado.

Portanto, tenha um time de vendas afiado, que sabe dialogar com as suas personas e não desiste ao ouvir a primeira resposta negativa.

Mas não se esqueça de que as áreas de marketing, financeira e vendas precisam atuar em conjunto, sempre “trocando figurinhas” e informações.

4. Utilize tecnologias

Existem inúmeras ferramentas que auxiliam a evolução de um empreendimento.

Quem não utiliza tecnologias não consegue acompanhar os concorrentes, emitir notas fiscais eletrônicas automaticamente de maneira correta e monitorar os pagamentos dos clientes.

Hoje em dia, é possível utilizar softwares de Customer Resource Management (CRM), ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, em português, para reunir todas as informações em um só lugar.

Essa ferramenta permite o acompanhamento de todas as interações com consumidores e leads.

Cada software tem características específicas, mas, em muitos casos, eles:

  • registram emails enviados;
  • acompanham os feedbacks recebidos em redes sociais;
  • catalogam chamadas telefônicas.

Ao realizar essas tarefas automaticamente, você consegue aumentar a produtividade, reduzir erros e gastos e otimizar o tempo de trabalho.

Além disso, essa ferramenta une os setores de marketing e vendas, criando um canal de comunicação único e direto.

Desse modo, seus vendedores têm facilidade para obter informações sobre o prospect e não perdem tempo procurando, por exemplo, o número de telefone ou o email para a próxima chamada.

5. Respeite o Código de Defesa do Consumidor (CDC)

O CDC é bastante rigoroso e protege o cliente.

Tentar causar constrangimento ou usar regras indevidas de cobranças são atitudes que abrem brechas para problemas judiciais.

Portanto, faça um contrato adequado às legislações. Antes de assinar qualquer documento, reveja todas as cláusulas e proteja os seus objetivos.

6. Ofereça soluções para o pagamento da dívida

Ninguém gosta de ter o nome sujo no SPC (Serviço de Proteção ao Consumidor) e no Serasa, não é mesmo?

Em muitos casos, o cliente apenas se esqueceu de pagar o boleto, assim como acontece em casos de inadimplência e sonegação fiscal.

Nessas horas, entre em contato e mostre que você está ali para ajudar. Tente chegar em um acordo com o cliente devedor.

Você pode oferecer o parcelamento de dívidas ou até mesmo perdoar os juros ou a multa: o importante é receber grande parte do valor devido.

Lembre-se de conferir o histórico de cada consumidor no Portal do Serasa Experian também. Uma rápida visita no site pode evitar que você negocie com pessoas com o nome sujo e perca suas noites de sono no futuro.

7. Realize a gestão de cobrança

Seguir os passos anteriores não é o suficiente para acabar com a inadimplência.

Por mais bem preparado e experiente que você seja, podem surgir novos devedores a cada momento.

Nessas horas, divida as etapas de cobrança assim:

  1. Lembrança: muitos clientes atrasam o pagamento simplesmente porque se esquecem da data de vencimento. Desse modo, você pode lembrá-los da aproximação do dia da expiração do boleto ou da fatura em débito. Basta enviar um um e-mail;
  2. Descoberta da causa: se a etapa anterior não foi o suficiente, chega o momento de entrar em contato e entender melhor a situação. Extraia o real motivo do atraso e descubra o que aconteceu;
  3. Tomada de ação: com todas as informações em mãos, você consegue criar uma solução adequada, prezando pela empatia e pela educação.

Nunca deixe de lado a cordialidade em todos processos e sempre tenha em mente que, caso nada funcione, você tem o direito de acioná-lo judicialmente.

Ao ler este post, você entendeu mais sobre a inadimplência e como ela é prejudicial ao crescimento de sua gestão.

Como a situação econômica nacional ainda não é a melhor, você deve tomar atitudes certeiras para evitá-la.

Além disso, é essencial mostrar aos consumidores inadimplentes como essa questão é séria, mas que pode ser solucionada com diálogo e atenção.

Por isso, coloque em prática as 7 dicas que você aprendeu e veja como é possível obter resultados positivos em seu fluxo de vendas e de cobranças de pagamentos.

Agora, continue com a gente e descubra 8 erros de contabilidade que você não pode cometer!

Guest post produzido pela equipe da eNotas.

 

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.