Sparkle app icon

Sparkle App
Participe da comunidade exclusiva do nosso blog!
Grátis -

VER

O que é lead e por que você deveria trabalhar com esta estratégia?

Um lead representa uma ótima oportunidade de negócio para sua marca. Por isso, é fundamental saber como gerar, qualificar e nutrir seus leads.

O que é lead e por que você deveria trabalhar com esta estratégia?

Você já sabe o que é lead e qual sua importância para seu negócio digital?

Um lead representa uma oportunidade de negócios para sua empresa. Geralmente é um usuário que demonstrou interesse em adquirir algum produto ou serviço que sua marca oferece, fornecendo informações de contato como nome, e-mail, telefone, cidade etc.

Para qualquer tipo de negócio, conquistar novos clientes é um grande desafio. Por isso, é importante contar com estratégias de marketing eficazes, que possibilitem que essa tarefa seja mais fluida e bem sucedida.

Gerar e nutrir leads são etapas base de qualquer estratégia de marketing digital que visa a aquisição de clientes.

Nesse sentido, é fundamental saber com clareza o que são leads, como gerá-los e nutri-los da maneira correta. E é para isso que preparamos este post.

Dê uma olhada no que você vai aprender com este artigo:

Índice
O que é lead? Por que o seu negócio precisa gerar leads? Qual a diferença entre visitante, assinante, lead e cliente? Como gerar leads? E o que são leads qualificados? Como qualificar um lead? Quais os tipos de leads qualificados? O que é nutrição de leads? Como nutrir a sua base de leads? Por que trabalhar com essa estratégia?

O que é lead?

O lead é um potencial cliente que, ao se interessar por saber mais sobre o produto ou serviço que seu negócio oferece, fornece dados de contato.

Os leads são atraídos por conteúdos relevantes ou ofertas de valor que solucionem suas dúvidas e/ou dores. Alguns exemplos são ebooks, materiais ricos, avaliação de produto, webinars, entre outros.

Por isso, você precisa oferecer diversos desses materiais, conteúdos e ofertas de forma estratégica, com objetivo de obter o maior número de contatos, ou melhor, leads, possíveis.

Os contatos de cada lead são extremamente valiosos para seu negócio, uma vez que correspondem a pessoas que já se interessam por assuntos relacionados ao seu negócio. Dessa forma, eles são naturalmente clientes em potencial, que precisam ser nutridos e guiados até a compra.

Tudo isso que explicamos faz parte de uma estratégia de marketing digital conhecida como inbound marketing.

O inbound marketing visa atrair usuários na internet para transformá-los em clientes por meio da produção de conteúdos relevantes, ou seja, marketing de conteúdo, e da criação de experiências personalizadas.

É uma forma muito eficiente para o crescimento saudável do negócio e que é muito utilizada no meio digital. 

A adoção cada vez maior dessa estratégia não é à toa. O inbound marketing conta com as ferramentas mais incríveis da internet para trazer resultados a qualquer tipo de empreendimento.

Desde o armazenamento de dados e a automação de marketing até possibilidades infinitas de mensuração das ações, o empreendedor tem tudo o que precisa para montar uma estratégia de sucesso. 

O funil de vendas é um dos conceitos centrais do inbound. É a partir da definição das etapas do funil que acontece o planejamento da nutrição de leads.

De forma geral, quando um usuário se transforma em lead, ele entra para o funil, lá no topo. E, a partir de esforços de marketing, o objetivo é fazer com que o lead avance cada vez mais para o fundo do funil, que é onde acontece a conversão, ou seja, a venda.

Nós vamos explicar melhor sobre cada uma dessas etapas mais adiante neste post. Então, continue acompanhando!

Por que o seu negócio precisa gerar leads?

Agora que você já sabe o que é lead, suas características e o que envolve essa estratégia, já deve ter percebido quão importante ela é para o sucesso de um negócio, certo?

Mas para você entender melhor qual é a real necessidade de gerar leads, vamos mostrar agora, em detalhes, seus benefícios. Veja só!

Geração de tráfego específico e qualificado

Quando você trabalha com leads, precisa pensar em estratégias focadas em um público específico. Ou seja, aqueles que realmente vão se interessar pelo seu negócio e fornecer dados de contato.

A partir desse planejamento, você consegue criar campanhas e conteúdos mais direcionados, focados nas reais necessidades desse público.

Assim, você atrai tráfego muito mais qualificado para seus canais.

Formação de uma lista de clientes em potencial

Como explicamos, um lead é alguém que demonstrou interesse nas soluções de seu negócio. Logo, quando você começa a gerar leads, constrói uma base mais segmentada, ao invés de manter contatos de um público aleatório.

Isso permite que toda sua base de dados seja composta por pessoas mais propensas a fecharem negócio com sua marca, o que é uma “mão na roda”.

Além disso, com estratégias mais bem definidas, você consegue pegar diversas informações relevantes sobre seus clientes em potencial. Não apenas um endereço de email ou telefone, mas também seus interesses, comportamentos etc. O que é ótimo para você conhecer melhor seu público.

Criação de um relacionamento mais próximo com os clientes

Com uma lista de leads em mãos, você pode planejar comunicações frequentes com eles, que são extremamente importantes para a construção de uma relação próxima de confiança.

Essa construção de um relacionamento que engaja o lead e o aproxima cada vez mais do negócio é a estratégia de nutrição.

Você verá mais adiante que ela é essencial para transformar o lead em cliente.

Campanhas mais segmentadas

A partir do momento que você tem acesso a dados mais específicos sobre seus leads, como explicamos, você constrói uma imagem mais clara de quem é seu cliente ideal e o que ele espera do seu negócio.

A esse perfil de cliente ideal damos o nome de persona, outro conceito que você entenderá melhor adiante.

Logo, é por meio desse entendimento profundo dos comportamentos e desejos do seu público que você consegue criar campanhas cada vez mais segmentadas e eficientes.

Melhores taxas de conversão

Geralmente, o número de pessoas que visitam seu site e depois se transformam em clientes é bastante baixo.

Afinal, nem todas elas estão preparadas para compra ou possuem interesse em sua solução naquele dado momento.

Agora, quando você usa estratégias de aquisição e nutrição de leads, oferecendo conteúdo e ofertas de valor, em troca dos dados da pessoa, o jogo muda.

Pode ser que o usuário não esteja preparado para a compra, o que é comum. Mas quando ele tem a possibilidade de saber mais sobre o negócio, de forma gratuita, ele estará muito mais propenso a continuar engajando com seu negócio, concorda?

Consequentemente, você terá muito mais abertura para enviar mais comunicações e ofertas a fim de convencê-lo da compra, de forma estratégica.

Ou seja, você ganhou uma oportunidade a mais de transformar quem não estava preparado para a compra em um futuro cliente. Em outras palavras, sua taxa de conversão aumenta com uma mudança simples de jogada de marketing.

Qual a diferença entre visitante, assinante, lead e cliente?

Até aqui falamos muitos termos diferentes além de lead, que podem ter te confundido um pouco. Esses termos, como visitante, assinante, lead e cliente representam fases diferentes dos usuários que interagem com seu negócio.

Para te ajudar a entender melhor as diferenças entre todos eles, vamos definir cada um a seguir.

Mas, além desses, pode ser que a gente use também muitos outros termos do mercado digital para falar sobre a estratégia de leads.

Para não se confundir e ficar por dentro dos termos, recomendamos que você leia também nosso post com 113 termos que você precisa conhecer.

Agora vamos às definições mais importantes envolvendo leads!

1. Visitantes

Visitante é o termo utilizado para pessoas que acessam seu site em determinado período de tempo, mas não interagem mais profundamente com o negócio.

Dentro das diferentes fases de usuários que explicamos, eles são os primeiros. E, apesar de não estarem tão conectados ao negócio, é importante levá-los em consideração, pois influenciam no planejamento da estratégia.

Os dados do Google Analytics mostram informações interessantes sobre os visitantes que você recebe, como idade, localização, aparelho que usam para acessar e outros.

Acompanhe os relatórios periodicamente. Com esses dados você consegue extrair informações importantes sobre seu público-alvo e traçar estratégias para torná-los leads.

2. Assinantes

Já quando o visitante, por algum motivo, resolve assinar seu site, por meio de newsletter ou de ativamento de notificação, por exemplo, ele se torna um assinante (ou subscriber).

Apesar de ser muito parecido com lead, a diferença é que, a princípio, o inscrito ainda não sabe que tem um problema e que precisa de solução. Portanto, ele não interage tão profundamente com seu negócio a ponto de deixar mais dados em troca de um material rico, por exemplo.

Mas o nível de interesse e o relacionamento dele com o negócio é bem maior do que o de um visitante, pois ele vai acessar seu site com mais frequência.

Então, eles são considerados leads em potencial. Isto é, estão perto de virarem leads, falta só um empurrãozinho!

3. Leads vs. Clientes

Como você já sabe, lead é aquele usuário que demonstrou um pouco mais de interesse pelo seu negócio e se dispôs a deixar informações de contato em troca de ofertas e materiais de valor.

Seguindo a lógica que demonstramos, o assinante que deixa apenas de revisitar seu site e baixa um ebook, ou assiste a webinários, por exemplo, torna-se lead.

Mas é importante saber que um visitante também pode se tornar assinante e lead direto, caso ele interaja mais a fundo com o negócio de cara.

E o cliente é quem já realizou a compra. Ou seja, aquele lead que foi convertido.

Enquanto o usuário não gerar dinheiro para o negócio, mas tiver acompanhando e consumindo conteúdos, ele é considerado lead. Apenas após a transação monetária é que ele se torna cliente.

Transformar o lead em cliente é o objetivo final dessa estratégia, que acontece com esforços conjuntos entre marketing e vendas.

Como gerar leads?

Depois desse esclarecimento, você deve estar se perguntando:

“Mas como gerar esses tão preciosos leads?”

Existem dezenas de estratégias para conseguir leads. Mas, para facilitar, vamos listar as ações mais comuns:

Blog

Ter um blog é uma das melhores formas de atrair usuários qualificados e gerar leads. Além de divulgar conteúdos relevantes e otimizados para SEO, é importante inserir nos artigos banners com CTAs para download de materiais relevantes.

Aqui no nosso blog, costumamos inserir CTAs para que os leitores acessem nossos materiais educativos ou serviços. 

Landing Page

A principal ferramenta para geração de leads é, sem dúvidas, a landing page. Nessas páginas de captura, os usuários podem trocar suas informações de contato por um material rico, como um ebook, infográfico, videoaula ou inscrição em um webinário.

De maneira geral, uma landing page conta com informações sobre o material e um formulário que o usuário deve preencher para acessar esse conteúdo.

Assim, depois que o visitante fornece as informações e adquire o material, as informações caem em sua base de dados e ele se transforma em lead. Passando, então, a adentrar o funil de vendas.

Abaixo, você confere uma de nossas landing pages, na qual o visitante pode preencher um formulário para receber um ebook com dicas para ter um perfil campeão no Instagram.

Email marketing

A partir do momento que você tiver uma base de contatos mais extensa, pode começar a usar o e-mail marketing como ferramenta de divulgação de materiais ricos, ofertas, newsletter e novidades de seu negócio. Além, claro, de ajudar em uma estratégia de nutrição de leads.

Para obter bons resultados, faça testes para definir os melhores dias e horas para os disparos. Esses detalhes dependem dos hábitos e do comportamento online de seu público-alvo.

No exemplo abaixo, você confere um e-mail automático disparado quando um visitante se cadastra para receber um de nossos materiais ricos.

Mídia paga

Quando seus canais, como blog e redes sociais, ainda não apresentam tanto tráfego, é mais complicado de capturar leads organicamente.

Nesse caso, é perfeitamente possível apostar em anúncios para acelerar o processo em um primeiro momento.

Facebook e Google Ads, por exemplo, são duas das ferramentas mais comuns para gerar leads.

Como em outras estratégias de marketing, realize testes com diferentes palavras-chave e segmentações de público até encontrar a melhor combinação para seu negócio.

No exemplo abaixo, você pode ver um post de nossa página em espanhol no Facebook que resolvemos impulsionar para divulgar um webinário sobre vendas pelo WhatsApp.

Lives e webinários

Lives e webinários, ou webinars, são ações de marketing que estão sendo cada vez mais aderidas e amadas por empresas.

São maneiras de interagir com os leads de forma mais próxima, passar conteúdos de forma mais didática, engajar e ainda fazer ofertas.

Para captar leads dessa forma, você pode usar landing pages, convites por email ou pelas redes sociais.

É importante manter contato antes, durante e depois das transmissões ao vivo com o público. Dessa maneira, as chances de eles avançarem no funil de vendas é maior.

Veja abaixo o exemplo de uma chamada para uma aula ao vivo nossa, em uma página exclusiva que temos para webinar (https://webinars.hotmart.com/pt-br/):

Formulários

Os formulários são o principal meio pelo qual você irá captar as informações do lead.

O formato e as informações que serão pedidas no formulário vão depender, entre outras coisas, de sua estratégia e do material oferecido.

Quanto mais informações forem solicitadas nos formulários, mais fácil fica de qualificar os leads e apostar nos que têm mais potencial.

Mas também não exagere, pois formulários muito grandes podem gerar objeção. O mais comum é pedir informações de contato, website e perguntar quais os interesses do usuário e quanto ele conhece sobre o negócio.

E vale lembrar que, de acordo com a lei geral de proteção de dados (GDPR), os dados de um usuário só devem ser armazenados mediante consentimento.

Portanto, é obrigatório incluir uma caixinha de aceite perguntando se o usuário concorda em receber as comunicações de sua empresa. 

Veja um exemplo de formulário específico para o download de em ebook:

Co-marketing

Co-marketing são estratégias de marketing feitas em parceria com outros negócios. Por exemplo, se você conhece um negócio que poderia produzir um conteúdo de valor para sua audiência, convide-o para uma parceria.

As parcerias de co-marketing para aquisição de leads podem ser diversas.

  • Guest posts: a outra empresa escreve um conteúdo para seu blog.
  • Collab: webinars ou lives com um convidado da outra empresa.
  • Co-criação de materiais ricos: produção conjunta de um ebook, infográfico, etc. que será divulgado pelas duas empresas.
  • Eventos conjuntos: organizar um evento em parceria com outro negócio.

Além de acrescentar muito valor para sua audiência, você tem a chance de conquistar leads que ainda nem escutaram falar do seu negócio, mas que vão te conhecer por meio da parceria.

Abaixo você vê um guest post de um parceiro para nosso blog:

Redes sociais

Também é possível gerar leads por meio das redes sociais.

Mantenha um canal aberto para a comunicação direta, responda as dúvidas e mensagens do público e incentive-os a explorar mais sobre o negócio.

Crie publicações estratégicas que gerem mais do que somente curtidas. Você pode incentivar seus seguidores a clicarem em um link para acessarem um material mais rico ou uma oferta, por exemplo. Veja como fazemos isso em nosso perfil do Instagram:

Demonstração de produtos

As demonstrações de produto são uma isca incrível para a geração de leads. Afinal, nada mais justo do que fazer um teste gratuito do produto ou serviço que está interessado em adquirir, concorda?

Por isso, oferecer essa experiência para o visitante é super vantajoso. Mesmo que ele não realize a compra, você poderá pegar as informações e conquistar um lead qualificado.

Veja como a Hubspot trabalha esta estratégia:

E o que são leads qualificados?

Se você já estudou sobre inbound marketing ou trabalha com essa estratégia, já deve ter visto esse termo antes. Mas afinal, o que são leads qualificados e qual a diferença deles para leads normais?

Embora um lead seja alguém que demonstrou interesse em sua marca, nada garante que ele vá, de fato, se tornar um cliente.

O mesmo não acontece com os leads qualificados. Eles são os usuários mais predispostos à venda, ou seja, com maiores chances de comprar seu produto ou serviço.

Isso porque esse tipo de usuário já identificou que tem um problema e está em busca de uma solução, ou seja, alguém que considera comprar seu produto ou serviço.

Saber quem são seus leads qualificados permitirá aos times de marketing e vendas traçar ações muito mais assertivas. Assim, evitam perder tempo e recursos com contatos que ainda não estão preparados para comprar.

Como qualificar um lead?

Okay, já ficou claro que os leads qualificados são o tipo de contato mais importante para sua empresa. Mas como é feito esse processo de qualificação?

Não existe uma regra na hora de qualificar um lead, já que tudo depende do produto, do mercado em que você atua e de seu investimento. A partir disso, você consegue definir quais critérios serão usados para classificar um lead.

Essa classificação é feita por meio de pontos, processo chamado de lead scoring (pontuação de lead, em inglês). Trata-se de um sistema que divide os leads em categorias, atribuindo pontos de acordo com o perfil do usuário, as ações que ele realiza e os objetivos de seu negócio.

Por exemplo, leads que vivem em regiões onde sua marca atua, ganham uma pontuação maior que aqueles que moram em outros estados.

Ao mesmo tempo, a pontuação pode aumentar ainda mais caso esse lead conclua ações, como baixar materiais educativos ou apresentar uma boa abertura dos e-mails enviados.

Tudo isso confirma que ele está tentando conhecer mais sobre seu negócio e, portanto, tem mais chances de finalizar uma compra.

Quais os tipos de leads qualificados

O processo de qualificação de leads é feito em etapas. Em cada estágio do funil os leads recebem uma classificação diferente: MQL, SQL, PQL e Service Qualified Lead.

Confira quais são as características de cada um deles:

1. Marketing Qualified Lead (MQL)

Os primeiros leads a entrarem no funil ainda estão aprendendo sobre o negócio e estão um pouco longe da decisão de compra.

Sendo assim, eles devem ser nutridos pela lente do marketing. Por isso, o termo Marketing Qualified Lead. 

Para chegar num nível de pontuação em que os leads se tornam MQL, eles precisam estar bem educados sobre o negócio e o produto/serviço.

Então, nessa qualificação o foco é em conteúdos educativos, como ebooks, webinários, emails informativos, entre outros.

2. Sales Qualified Lead (SQL)

Após a qualificação de marketing, o lead está preparado para avançar no funil e ser abordado para a venda. Uma vez que ele já foi educado e tem todas as informações para tomar a decisão da compra.

A partir desse momento, a nutrição é feita pela lente de vendas. Por isso, Sales Qualified Leads. 

Para qualificá-los nesta etapa, o time de vendas usa uma série de estratégias que abordam as qualidades do produto ou do serviço. E visam convencer o lead de que a compra vale à pena naquele momento.

3. Product Qualified Lead (PQL)

Já PQLs são qualificados em negócios que oferecem demonstrações de produtos. Por esse motivo, Product Qualified Leads.

A partir do momento que o lead opta por experimentar o produto ou serviço, ele começa a ser nutrido para que seja preparado para receber a abordagem da venda.

Como a estratégia de demonstração de produtos gratuita já permite que o lead conheça as características do produto, o trabalho do vendedor é muito mais simples e rápido com os PQLs.

4. Service Qualified Lead

Mesmo depois da compra, os clientes podem ser também leads, para o caso de uma nova oportunidade de vendas, que pode ser feita por meio de estratégias de upsell ou cross-sell.

A qualificação, nesse caso, é bem simples, basta o vendedor identificar o interesse do lead em continuar consumindo produtos da empresa.

A nutrição para Service Qualified Lead é muito benéfica para o empreendedor, uma vez que mantém o cliente engajado com o negócio. Gerando, assim, maiores taxas de retenção, menor custo de aquisição e, certamente, mais lucratividade!

O que é nutrição de leads?

Entender quem são as pessoas que têm interesse específico em sua marca é ótimo para suas estratégias de marketing. Mas você precisa pensar em maneiras interessantes para atrair e fazer com que seus leads transformem-se em clientes.

Para isso, há o que chamamos de nutrição de leads. Temos um post completo sobre nutrição de leads aqui no blog, basta você clicar aqui para acessá-lo.

Porém, vamos destacar alguns pontos principais dessa estratégia para que você comece a pensar em como aplicá-la em seu negócio.

De nada adianta ter pessoas interessadas em seu serviço, que já informaram o e-mail, se elas não gerarem lucro em algum momento.

Você precisa nutrir seus leads. Isso significa passar por todo o caminho, desde a informação do contato pessoal, até a transformação do lead em comprador.

Esse caminho até a venda é conhecido como jornada do comprador ou funil de vendas. São as experiências pelas quais uma pessoa passa até comprar seu produto.

Essa jornada é dividida em três etapas:

  1. Conhecimento: é quando uma pessoa enfrenta ou expressa sintomas de um problema. Nessa fase, as pesquisas feitas pelo usuário são mais educativas, ele quer compreender o problema que tem.
  2. Consideração: a pessoa já definiu qual é o problema que tem e deu um nome para isso. Ela quer compreender as abordagens e métodos disponíveis para resolver aquilo que descobriu.
  3. Decisão: a estratégia ou método para resolver o problema já foi escolhido. Então, essa é a fase em que a compra é realmente efetivada. O usuário torna-se cliente.

Em todas as etapas da jornada do comprador, você pode ajudá-lo a conhecer melhor seus problemas.

E como você pode fazer isso?

Criando conteúdos completos e inovadores para educar pessoas que procuram por seu serviço ou produto.

As pessoas que pesquisam sua marca e deixam suas informações para você entrar em contato com elas estão em busca de algo além da venda e compra de produtos. Elas querem ser educadas e direcionadas para tomar uma decisão inteligente para suas vidas.

É por isso que o foco de seu conteúdo não deve ser baseado apenas em vendas.

Você precisa fornecer informações impressionantes!

Mostre às pessoas que elas podem aproveitar o que você oferece em forma de material educacional.

Assim, você consegue capacitar seus clientes em potencial e eles podem até mesmo se tornar embaixadores de sua marca e indicar seus produtos/serviços para outros.

Como nutrir a sua base de leads?

Como já falamos aqui, conteúdo é a chave para a nutrição de leads. Mas o conteúdo oferecido em cada etapa do funil deve ser pensado estrategicamente.

Por isso, você precisará de um planejamento muito bom para colocar sua nutrição de leads em prática.

Então, continue acompanhando porque agora vamos mostrar o passo a passo de como planejar e executar sua estratégia de geração e nutrição de leads!

1. Defina o objetivo do fluxo de nutrição

Definir o objetivo é o ponto base de toda estratégia de marketing digital. É a partir do objetivo que o planejamento começa a se desenvolver.

2. Determine a sua persona

Persona é a representação semi-fictícia do cliente ideal de seu negócio.

Para determinar a persona, você pode se basear nos dados dos visitantes que acessam seu site, pode realizar pesquisas ou pegar informações de clientes, se você já tiver.

Com isso, crie um personagem semi-fictício, dê um nome à sua persona, uma ilustração também é importante, descreva suas características, desejos e dores.

Isso vai ajudar você a visualizar o que melhor atrai o público. E você conseguirá se colocar no lugar do seu lead com mais facilidade na hora de planejar ações de nutrição.

3. Escolha os gatilhos que disparam a sequência de nutrição

O gatilho é a ação de ativar um fluxo de nutrição. Como o download de um ebook, o clique em um CTA de um email… Seja o que for, é a partir disso que o lead começará a receber os conteúdos do fluxo de nutrição.

4. Produza os conteúdos dos emails

Esta etapa é de extrema importância para cativar o lead e mantê-lo engajado.

Os conteúdos do email devem ser relevantes e acrescentar valor ao lead. Afinal, quem gostaria de receber conteúdos vazios e inúteis?

Por isso, planeje uma série de conteúdos interessantes e, a cada email, coloque uma chamada para a ação.

Essa chamada também vai servir de gatilho para aumentar a pontuação do lead. Isto é, fazendo com que ele avance no funil e receba conteúdos cada vez mais aprofundados sobre o negócio e inclinados para a venda.

5. Determine o intervalo entre os envios e programe o envio das mensagens

Até agora você deve estar pensando: “nossa, quanto trabalho!”

Mas com as ferramentas de automação de marketing, grande parte do fluxo é automatizado, permitindo que você tenha mais tempo para pensar no conteúdo e na estratégia.

Então, na sua ferramenta de automação, defina um intervalo conveniente para mandar cada email.

Por exemplo, se o lead acabou de baixar um ebook, não mande um outro email em seguida oferecendo outro material.

O ideal é esperar entre 2 e 4 dias para mandar o próximo conteúdo.

Também não deixe passar muito tempo, porque o lead pode “esfriar”, ou seja, esquecer do seu negócio e até procurar um concorrente.

6. Analise os resultados e otimize sua estratégia

Depois de enviar seu conteúdo para os leads, você precisa analisar sua estratégia. 

Isso é importante porque você perceberá o que deu certo e o que ainda não funcionou. Assim, você conseguirá ajustar seus resultados para não repetir o mesmo erro.

Então, analise a recepção de seus e-mails. Veja se seus leads abriram a mensagem, baixaram o conteúdo e quais assuntos são os mais procurados.

Com isso, você poderá montar uma estratégia ainda melhor, aproveitar cada vez mais sua lista de e-mails de leads qualificados e obter sucesso na conversão desses leads em clientes!

Por que trabalhar com essa estratégia?

Crescer a base de clientes é um objetivo comum para muitas marcas. E, para fazer isso, é necessário conquistar novos leads.

Pessoas que têm interesse no que você pode oferecer são mais suscetíveis a tornarem-se novos compradores. Então, a importância de trabalhar com a estratégia de captação e nutrição de leads é fundamental para você conseguir contatos capazes de se transformarem em clientes.

E quanto mais satisfeitos com seus produtos e serviços, mais pessoas promovem sua marca. Assim, esses clientes espalham informações sobre seu produto para outras pessoas.

Com isso, você consegue divulgar organicamente, sem precisar de investimentos financeiros altos, seus serviços.

Uma maneira de divulgar seus conteúdos de forma orgânica e atrair leads é com um blog. Você precisa manter seus leads bem informados e atualizados sobre tudo o que você faz, por isso, crie conteúdo qualificado.

“Se você ainda não sabe como fazer isso, leia nosso post completo sobre como criar um blog.”

Trabalhar com essa estratégia ajudará a aumentar a quantidade de conversão de vendas.

E quanto mais vendas, maior será seu lucro. Sem contar que sua marca será mais conhecida, já que haverá a divulgação de seu blog em seus canais de comunicação e até mesmo o compartilhamento de seus posts por seus leads. Isso fará de você um especialista reconhecido em seu nicho.

Diante disso, é importante pensar sempre em gerar leads, educá-los e torná-los clientes e embaixadores fiéis de seus produtos, para que sua marca cresça cada vez mais e você consiga divulgá-la para mais pessoas.

Você conseguiu entender o que é lead e por que essa é uma estratégia importante para sua marca? Aproveite também para ler nosso post sobre como criar uma persona para seu negócio e aprenda a definir seu cliente ideal.

Este post foi originalmente publicado em setembro de 2017 e atualizado para conter informações mais completas com a ajuda do redator Marcos Pereira.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.