Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar A Hotmart está concorrendo ao <b>Prêmio Época ReclameAQUI</b> na categoria Serviços Online!

A Hotmart está concorrendo ao Prêmio Época ReclameAQUI na categoria Serviços Online!

Clique aqui e vote na gente!

Motivação: você sabe o que é e como melhorar?

Motivação: você sabe o que é e como melhorar?

Leia este texto e descubra tudo sobre o assunto!

Motivação: uma palavra muito usada no nosso dia a dia e que carrega uma grande responsabilidade. Ela representa um sentimento decisivo para a nossa realização pessoal, nosso sucesso profissional e — por que não? — para nossa felicidade.

Mas de onde ela vem? Por que a falta de motivação traz tantas consequências? Há alguma técnica para desenvolvê-la? E como manter esse estado de ânimo?

Neste texto, explicaremos um pouco sobre esse assunto denso, complexo e fundamental.

Vamos encarar juntos? Confira!

Índice
  1. Afinal, o que é a motivação?
  2. Há relação entre a vida pessoal, a produtividade e a motivação no trabalho?
  3. Como aumentar a sua motivação?
  4. 9 dicas que podem ajudar na sua motivação

Afinal, o que é a motivação?

De acordo com a epistemologia, a palavra motivação vem do Latim “moverè”, representando uma força motora que impele comportamentos. Ou seja, em termos básicos, podemos dizer que significa um movimento para ação.

Não é difícil entender esse conceito partindo do nosso senso comum. A motivação é o que nos impulsiona a agir.

Mas não o agir mecânico, sem consciência. Quando estamos motivados, há algo em nosso interior que nos instiga a isso. Há uma força interna que nos leva a realizar coisas.

Então, quando dizemos que estamos desmotivados, não necessariamente vamos deixar de fazer algo, mas sim que essa ação será realizada superficialmente.

É o que acontece, por exemplo, quando trabalhamos sem motivação.

Você acorda, toma seu café da manhã e inicia sua atividade profissional apenas “porque sim” — os boletos continuam chegando, sem emprego não há poder de compra, e por aí vai.

Mas a motivação não se refere apenas ao exercício profissional — embora, como veremos mais à frente, esse seja um tópico de grande importância. Mais que isso, o estado de desmotivação é capaz de alcançar outros setores da vida.

Um relacionamento amoroso que é mantido por comodismo. Uma faculdade que é continuada por pressão social. Um projeto que não é abandonado porque, a essa altura do campeonato, não compensa voltar atrás.

Sensações péssimas, né?

Sim, mas muito comuns. Acontece que, por mais que a motivação seja essencial para as realizações pessoais e profissionais, é um sentimento muito inconstante. Tanto fatores externos como internos podem afetá-lo.

Vamos entender mais sobre isso?

A motivação extrínseca

Tudo que é extrínseco vem de fora. No caso, estamos falando de uma motivação externa ao indivíduo, ou seja, ambiental: vem ou do local que estamos inseridos, ou das pessoas presentes no ambiente.

Esse sentido de motivação é muito importante no mundo corporativo. O motivo é simples: um negócio precisa extrair o melhor de sua equipe.

Mas, como os resultados dependem dessa troca, os gestores não podem esperar que todos os colaboradores sejam automotivados.

Então, apostam em elementos externos que podem contribuir com esse sentimento:

Essas iniciativas são muito válidas! Isso porque realmente têm impactos no estado de ânimo da equipe e são essenciais para a saúde de um negócio.

No entanto, os efeitos da motivação extrínseca são um pouco mais breves do que os da intrínseca, que é aquela que parte do indivíduo.

A motivação intrínseca

A motivação intrínseca é a que vem de dentro. Essa é a mais importante para a realização pessoal, pois está intimamente relacionada ao sucesso na busca por sonhos.

Ela está ligada aos propósitos e à identidade do indivíduo. Podemos dizer, inclusive, que a motivação intrínseca é capaz de anular ou potencializar a extrínseca.

Uma pessoa pode estar no melhor emprego do mundo, com vários elementos externos que normalmente trariam ânimo.

Mas, se ela não consegue se manter automotivada, as iniciativas exteriores não conseguem despertar o melhor do seu desempenho.

O contrário também acontece: quando a motivação intrínseca é forte, mesmo as maiores adversidades externas não conseguem corromper esse movimento para a ação.

Há relação entre a vida pessoal, a produtividade e a motivação no trabalho?

Já percebeu como a vida pessoal interfere na motivação profissional?

Sim, isso é real. Quando os aspectos internos da nossa vida não vão bem, a falta de ânimo no trabalho é esperada. Isso acontece porque tudo está ligado.

Todas as áreas da nossa vida se comunicam e têm um fator em comum: giram em torno do indivíduo.

Por esse motivo, mesmo que o negócio seja excelente em motivar uma equipe, um colaborador que não encontrou seus verdadeiros propósitos pessoais pode não ter um bom desempenho.

Por exemplo, receber um feedback negativo eventualmente é absolutamente normal. Se você sabe que o seu trabalho é importante para alguma realização pessoal, não é uma crítica construtiva que vai tirar sua vontade de agir.

Ao contrário, você vai usar isso para aprender e melhorar como pessoa. Porém, para alguém com a motivação intrínseca frágil, um comentário mal interpretado já é o suficiente para que o trabalho vire sinônimo de frustração.

O que tiramos disso é que a motivação é fundamental para o sucesso pessoal e profissional. E nem estamos falando de acumular fortunas ou ser a pessoa mais feliz do mundo. Os pequenos sucessos diários já sofrem influência do estado de ânimo e do engajamento genuíno em prol de alguma ação.

Quando você se sente motivado, até mesmo o ato banal de escolher a sua roupa de manhã traz a importância de algo maior — você está pensando no seu marketing pessoal, que levará ao estabelecimento de contatos, que contribuirá com uma meta profissional, que caminhará para seu grande objetivo de carreira.

Como aumentar a sua motivação?

Você está reconhecendo seu cotidiano nessas descrições sobre os impactos da falta de motivação?

Então, é um sinal de alerta para tentar melhorar esse aspecto na sua vida.

Mas por onde começar?

Abaixo, listamos alguns hábitos que tem tudo para ajudar! No entanto, foque nessa palavra: hábitos.

O que queremos dizer?

Bem, a motivação é uma coisa muito volátil. Algumas pessoas têm uma tendência maior a se manterem automotivadas, mas, mesmo assim, é um exercício constante.

Portanto, tente transformar as dicas abaixo em um novo modo de viver sua rotina, com a preocupação sobre cada um desses aspectos diariamente. Vamos lá?

Faça uma autoavaliação: quem você é e quem você quer ser?

O primeiro passo para ter mais motivação é — adivinha! —, descobrir o que te motiva. Óbvio, né? Nem tanto assim.

Você já reparou como é difícil entender quem a gente é e, principalmente, quem a gente quer ser?

Desde crianças e adolescentes, o nosso instinto é buscar adaptação, e não autoavaliação.

Por exemplo, na escola é muito comum existirem as tais “panelinhas”, né? As patricinhas, o pessoal do fundão, os nerds. Mas vamos combinar: o ser humano é muito mais complexo do que esses estereótipos indicam.

O que ocorre é que abrimos mão de parte da nossa personalidade, dos nossos gostos e até dos nossos valores para se encaixar em algum lugar.

E o que você precisa descobrir — ou redescobrir — para ter mais motivação são justamente esses traços muitas vezes deixados de lado, ao longo de toda uma vida de adaptações.

Tente voltar às suas impressões da infância: quem você queria ser quando crescesse? Quais eram as coisas mais importantes do mundo na sua visão crua de criança?

São perguntas difíceis?

Sim, e muito! Mas entender quais são seus verdadeiros propósitos é o primeiro passo fundamental para ser uma pessoa automotivada.

Afinal, quando temos um conhecimento maior sobre o que nos move, cada vez menos as influências externas — como um dia ruim no trabalho, uma decepção pessoal ou uma porta fechada — serão capazes de abalar seu movimento para as ações.

Estabeleça objetivos e metas: aonde você quer chegar?

Depois desse verdadeiro salto para seu eu interior, vamos fazer um exercício mais prático para melhorar sua motivação.

Tendo em vista suas reflexões sobre quem você quer ser, que tal enxergar essas aspirações como algo possível?

Sim, você já sabe: é hora de estipular metas!

É por meio delas que você conseguirá dar forma, pouco a pouco, na sua rotina, de modo que ela fique mais alinhada com suas ambições positivas.

O resultado disso é que as ações do seu cotidiano serão facilmente automotivadas. Afinal, você sabe exatamente onde quer chegar com elas e o que elas acrescentam na sua vida.

Para tanto, você pode construir um mural de sonhos! E temos uma dica: para que seus objetivos sejam mais eficazes, vale a pena utilizar o método das metas SMART. Elas são:

  • S — Específicas (Specific): diga sim à clareza e não à generalidade;
  • M — Mensuráveis (Measurable): devem ser possíveis de avaliar objetivamente;
  • A — Alcançáveis (Attainable): sonhar alto? Sim! Mas nada de utopias, hein?
  • R — Relevantes (Relevant): lembre-se do que você descobriu sobre si mesmo no passo anterior e defina objetivos que façam diferença na sua vida;
  • T — Temporais (Time based): atribua um prazo para realização de cada meta.

Tenha autodisciplina: será que a motivação é mesmo tão espontânea?

Com seus principais objetivos de vida mais esclarecidos, a motivação será natural. Mas cuidado! Ela não é assim tão espontânea e exige muita dedicação. Se você se desviar das metas definidas anteriormente, o efeito será o contrário do desejado: desmotivação na certa!

Não tem nada que derrube mais o nosso ânimo do que sentir que nós próprios sabotamos nossos sonhos, não é?

Por isso, faça acontecer! O foco nos seus objetivos é essencial para manter a motivação lá em cima. Para isso, caprichar no gerenciamento de tempo é essencial.

Muitas vezes, perdemos o ânimo em relação a algum aspecto da nossa vida — seja o trabalho, os estudos, o relacionamento amoroso etc. — não é nem porque ele esteja, de fato, ruim.

O que acontece é que uma rotina descontrolada pode desencadear um estresse generalizado. A tendência é sempre enxergar nos fatores externos a culpa pela desordem interna.

Invista no autodesenvolvimento: que tal se valorizar mais?

Outro passo fundamental para ter motivação é cuidar de si mesmo. Então, anote aí: autodesenvolvimento! Não se deixe de lado: aprender coisas novas é sempre um temperinho a mais no nosso ânimo pela vida.

Lembre-se de que você precisa se tornar uma pessoa incrível, aquela que descobrimos no primeiro passo. Então, que tal começar um curso, aprender um novo idioma ou empreender no que gosta?

Não sabe o que gostaria de fazer para seu autodesenvolvimento? Existe uma ferramenta muito útil para isso: o canvas pessoal.

Ele funciona como uma avaliação do seu projeto de vida. Construindo um, você vai descobrir, por exemplo, quais são seus pontos fracos e fortes, com quem você pode se relacionar para ver seus objetivos virando realidade, entre outras coisas.

Afaste-se do que é limitante: o que te desmotiva?

Pronto! Você sabe quem você é, o que te move, o que você precisa fazer para ter realização pessoal e profissional e como estimular seu autodesenvolvimento. Tá tudo aí, a motivação estará sempre presente, certo?

Hum, não exatamente. Por causa de um grande problema: as crenças limitantes. O ser humano é cheio de pensamentos que impedem ações. O que, por consequência, traz a desmotivação.

Essas crenças podem fazer com que você jogue fora o seu mural de sonhos, por isso, vale a pena prestar atenção nelas.

É importante para o ser humano se arriscar, mesmo quando você enfiou “caraminholas” na cabeça que te fazem ir para o lado oposto: o do conformismo.

Por exemplo, é o seu trabalho que te desmotiva? Ele não acrescenta em nada nos seus propósitos de vida? Então, é uma boa trocar de atuação profissional. Que tal criar um produto digital e começar a dar aulas?

Mas e se você não for suficientemente bom para ensinar? Sua oratória não é lá essas coisas, né? Veredicto: a segurança desse emprego desmotivador é melhor do que uma aventura pela internet!

Essas são as crenças limitantes que você precisa eliminar da sua vida! No lugar delas, esforce-se para manter o pensamento positivo.

Opere uma mudança de perspectiva e dê lugar às crenças libertadoras. Você pode! Você consegue! Você merece!

Quer um bônus? Veja 9 dicas que podem ajudar na sua motivação

E aí, já sente a motivação crescendo dentro de você? Vamos ajudar um pouco mais.

Veja abaixo 9 dicas de aplicativos, livros e vídeos para te dar ainda mais ânimo!

1. App: Thirty

motivação - logo do aplicativo Thirty

Se você é daquelas pessoas que perde a motivação quando não vê resultados rápidos, esse aplicativo é uma boa pedida!

O Thirty serve para você inserir desafios para sua vida, que devem ser concluídos em 30 dias.

Vale qualquer coisa: ler um livro, completar um curso profissionalizante, aprender algo novo, e por aí vai.

A ideia do app é interessante porque, como o prazo para a conclusão da meta é curto, ele se torna mais “palpável” e estimula a mudança de hábitos.

2. App: Get Sh*t Done

motivação - logo app Get Sh*t Done

Esse aplicativo tem o mesmo objetivo do anterior: te levar a concluir metas e a terminar coisas começadas.

No entanto, o seu grande diferencial está no estilo de linguagem e nas brincadeiras em todo seu conteúdo — a começar pelo nome, que não pode nem ser traduzido por aqui.

O Get Sh*t Done funciona como um “carrasco virtual” muito engraçado, mas nada bonzinho. É um jeito eficaz de evitar a procrastinação com bom humor e alguns puxões de orelha do app.

3. App: Shuffle My Life

motivação - logo app Shuffle My Life

Agora, se a sua falta de motivação vem de uma rotina mecânica em que, pouco a pouco, você vai se esquecendo dos verdadeiros propósitos, que tal experimentar o Shuffle My Life? O nome já mostra o intuito: embaralhar sua vida!

Sim, a pegada desse app é completamente oposta aos anteriores. A ideia é que você faça uma coisa diferente por dia.

Desse jeito, sua rotina vai sendo quebrada com atividades aleatórias, como:

  • aprender alguma técnica de sobrevivência, para o caso de ficar preso na floresta;
  • comprar um novo item de decoração;
  • preparar uma receita com, no mínimo, 7 ingredientes que você nunca usou na vida;
  • escrever uma “bucket list” (coisas para fazer antes de morrer), com no mínimo 20 itens;
  • desenhar a planta da casa dos seus sonhos etc.

Quem sabe é um pouquinho de diversão inusitada que falta na sua vida para ter mais motivação no dia a dia?

4. Livro: Motivação 3.0

capa do livro motivação 3.0

Mais voltado para a motivação profissional, esse livro de Daniel Pink, um grande especialista em gestão e liderança, traz uma crítica ao modelo motivacional corporativo mais popular — recompensas financeiras e promoções, além de punições como incentivo para produtividade.

De acordo com o autor, a motivação que mais contribui com o desempenho profissional e pessoal de alguém é aquela que vem do sentido mais profundo. Encontrar os verdadeiros propósitos, valores e identidade faz com que a gente se sinta mais energizado para cumprir desafios.

5. Livro: Girl Boss

motivação - capa do livro girl boss

Se você ama histórias de pessoas que deram a volta por cima — pratos cheios para a motivação, né? — vai adorar este livro: Girl Boss, que conta a história de Sophia Amoruso.

A trajetória da moça mostra que é possível dar a volta por cima, mesmo quando a falta de motivação não depende de dificuldades ambientais, mas sim de suas próprias escolhas. No caso dela, a preocupação com o futuro era mínima: largou a escola, praticou furtos e pulava de emprego em emprego.

Hoje em dia, é dona de uma rede de moda feminina bem-sucedida e é considerada uma das mulheres mais bem pagas do mundo.

Além disso, a organização de Amoruso, a Nasty Gal, é um grande exemplo de marca alinhada a um senso de propósito.

6. Livro: Manual para Jovens Sonhadores

capa do livro Manual para Jovens Sonhadores

Outro exemplo de um bom livro de cabeceira é este aqui: o Manual para Jovens Sonhadores. A autora, Nathalie Trutmann, é uma empreendedora especialista em protagonismo pessoal.

A jovem embaixadora da Singularity University escreveu este livro para guiar os leitores na concretização de metas. Para Trutmann, os melhores investimentos no sucesso profissional ou pessoal são aqueles alinhados com nossos verdadeiros sonhos.

7. Vídeo: “Como fazer o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional”

Sabe quando o trabalho se torna uma atividade estressante e desmotivadora porque parece que não sobra tempo para mais nada? De acordo com Nigel Marsh, mudar essa realidade só depende de nós!

Afinal, “o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é importante demais para deixar nas mãos do empregador”, como diz o próprio palestrante.

Na sua TED, chamada “Como fazer o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional“, ele dá algumas dicas para essa balança funcionar, de modo que o desgaste diário não interfira na nossa motivação.

8. Vídeo: “A surpreendente ciência da motivação”

Lembra do Daniel Pink, da nossa 4ª dica? Ele também fez uma palestra que se tornou uma das mais conhecidas TED Talks para se inspirar. O assunto é o mesmo: como alcançar a verdadeira motivação?

São várias as lições deixadas por ele na sua “Surpreendente ciência da Motivação“. Entre elas, o palestrante afirma que o verdadeiro engajamento para realizar objetivos vem de três ingredientes: autonomia, domínio e propósito.

9. Vídeo: discurso de Steve Jobs em Stanford

Para terminar, você provavelmente conhece o fundador da Apple, Steve Jobs, não é?

Pois então, em 2005, o empreendedor foi convidado pela Universidade de Stanford para discursar em uma cerimônia de formatura.

Durante pouco mais de 14 min, Jobs fala de uma série de coisas que ele aprendeu em sua trajetória de sucesso.

Acontece que o discurso teve lições tão valiosas que viralizou na internet como um grande vídeo motivacional.

Ele fala, por exemplo, da necessidade de se arriscar e seguir sua intuição, além de acreditar em algo — em destino, em Deus, em você mesmo, seja lá o que for — para ter coragem de seguir seu coração, mesmo que ele te leve por caminhos diferentes do previsto.

Jobs também reforça como é importante fazer o que você realmente gosta na vida: “Eu estou convencido de que a única coisa que me permitiu seguir adiante foi o meu amor pelo que eu fazia. Você tem que descobrir o que você ama.”

E então, dá para melhorar a motivação?

Depois dessa leitura, aprendemos que a motivação corresponde a uma força interna que nos encaminha para uma atitude.

Por isso, embora existam meios de incentivá-la externamente, a questão fundamental é como desenvolvê-la a partir de dentro.

As notícias foram boas: existem, sim, alguns comportamentos que contribuem com o estado de motivação. Melhor ainda se eles se tornarem hábitos.

Agora você sabe, por exemplo, que é bom estabelecer metas e se livrar de crenças limitantes.

Mas de nada adianta estar motivado e não partir para o campo da ação, né?

Por isso, leia também nosso texto sobre como evitar a procrastinação!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.