Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

O que é plano de mídia e como criar um para o seu negócio?

O que é plano de mídia e como criar um para o seu negócio?

Entenda a importância do plano de mídia para o seu negócio e confira o passo a passo para montar um.

Tem um negócio com potencial, mas não sabe como divulgá-lo? Anote aí: você precisa de um plano de mídia. Ele serve para estruturar estrategicamente as ações de marketing, de forma que todas as campanhas tenham um bom retorno.

Mais do que isso, esse planejamento também ajuda a manter as iniciativas de divulgação conversando com a identidade do negócio. Afinal, não é incomum que algumas marcas tenham crises de autenticidade pelo impulso de atrair consumidores. Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é um plano de mídia?

Já se foi o tempo em que a divulgação de um produto ou serviço era feita única e exclusivamente com propagandas no rádio, na TV ou em outdoors.

Hoje em dia, as plataformas de veiculação de campanhas de marketing são muito variadas e conseguem resultados mais direcionados para o público e os objetivos do negócio.

Mas como não se perder em meio a tantas opções proporcionadas pela transformação digital?

O plano de mídia serve justamente para manter as coisas sob controle! Ele determina:

  • as metas estratégicas;
  • o tipo de abordagem;
  • as especificações de público;
  • os veículos que serão utilizados;
  • a programação de iniciativas;
  • o orçamento destinado a cada ação;
  • as campanhas em cada canal etc.

Ou seja, é um verdadeiro mapa das ações promocionais e de comunicação do negócio. A ideia é alcançar o público, filtrar as opções mais coerentes com a identidade da marca e, ainda, ser eficiente — aproveitando bem os recursos disponíveis, sejam eles humanos, financeiros ou materiais.

O que analisar ao criar um plano de mídia?

Para construir um plano de mídia bem estruturado, você precisa ter como base uma série de análises e considerações. Veja o que pesa nesse momento.

1. Mercado

Qual é o seu segmento de atuação? Quais são as principais tendências e inovações nessa área? Há alguma particularidade para se levar em conta? Como a concorrência tem se comportado em relação à veiculação de campanhas?

2. Branding

O branding se refere à gestão da identidade do seu negócio — desde as cores usadas no logotipo até o posicionamento da marca em relação aos assuntos do momento, principais valores e tom de voz empregado durante as interações com o público.

3. Público

O plano de mídia também deve se concentrar nas características do público que você deseja alcançar. Afinal, a ideia é alcançá-lo e impacta-lo. Portanto, pense em canais de divulgação e estratégias de campanha que estejam alinhadas às expectativas de quem vai consumir os produtos ou serviços.

4. Orçamento

Definir o orçamento é fundamental, porque é essa “limitação” que vai desenhar suas possibilidades.

Além disso, ter na ponta do lápis qual é o investimento possível também é um grande estímulo para a criatividade — um traço muito interessante no plano de mídia.

5. Estratégia

Outro ponto fundamental é analisar quais são os objetivos da sua estratégia. Normalmente, as mídias servem para:

  • alcance: ampliar a porcentagem de público impactada pelos seus produtos ou serviços;
  • frequência: tornar mais assídua a interação do público com o seu negócio;
  • continuidade: reforçar a comunicação para uma nutrição contínua do público.

Como fazer um plano de mídia excelente?

Depois de pensar em todas essas questões, você já tem uma boa base para estruturar seu plano de mídia e deixá-lo o mais alinhado possível com o perfil do negócio, do público, do mercado e das suas possibilidades no momento.

Então, mãos à obra!

1. Construa um briefing

O primeiro passo é construir um briefing, que significa, literalmente, “instrução”. Ou seja, é um roteiro de ação. Nele, coloque:

  • a descrição e o ciclo de vida do produto ou serviço;
  • a sua posição no mercado antes do plano de mídia;
  • a identificação dos principais concorrentes, diretos e indiretos;
  • seus objetivos (claros e mensuráveis) de marketing no curto, médio e longo prazo;
  • a amplitude da estratégia (local, nacional, internacional);
  • um escopo das principais campanhas desejadas;
  • o período de veiculação;
  • a verba disponível para cada iniciativa;
  • a descrição da persona, entre outras informações importantes.

2. Escolha os veículos

Com o briefing ganhando forma, escolha também os veículos que serão utilizados no plano de mídia. Não se esqueça de levar em conta o perfil do negócio e do público! Os principais são:

  • TV e rádio;
  • mídia externa (outdoors, cartazes, placas);
  • mídias digitais (mídias sociais, blogs, plataformas de vídeos);
  • revistas e jornais.

Depois disso, personalize todas as mídias escolhidas para que dialoguem com a identidade da marca e a estratégia definida.

3. Faça um calendário de inserção

A inserção se refere a uma iniciativa promocional ou de marketing. Alguns exemplos são: um comercial na TV, uma postagem em rede social, um anúncio no YouTube etc.

Seu calendário deve conter a melhor frequência e quantidade de ações e os principais horários de interação com o público, considerando cada inserção, veículo e campanha.

4. Crie conteúdos coerentes

Está tudo planejado, não é? Então, é hora de realmente botar a mão na massa e começar a criar seus materiais. Nesse momento, não perca o foco daqueles critérios de análise que levantamos — como o branding e o público.

O ideal é que todos os conteúdos, anúncios e as demais inserções falem a voz da marca, sirvam para criar conexões com seus potenciais consumidores e, ainda, proporcionem uma posição competitiva em relação ao mercado.

5. Acompanhe os resultados

Agora que o plano está pronto, o único trabalho é manter a inserção de materiais de acordo com o calendário, certo? Errado!

Além de continuar movimentando os veículos, é essencial empregar métricas para analisar os resultados e alterar o plano de mídia quando necessário. Afinal, a construção é contínua! Vale a pena ficar de olho:

  • no alcance das ações veiculadas;
  • na frequência com que anúncios e postagens recebem alguma interação;
  • no Custo Por Mil (CPM), que trata do investimento necessário para cada mil impressões de público;
  • no Custo por Ponto (CPP), que se refere ao valor gasto para alcançar determinado objetivo do briefing;
  • nos indicadores de tráfego e conversão, entre outras métricas.

O objetivo com esse acompanhamento é verificar o que está dando certo e quais são os pontos de fragilidade do plano de mídia.

Assim, você consegue refinar cada vez mais as táticas utilizadas e potencializar os resultados. A ideia envolve não apenas as definições iniciais, mas a capacidade de adequar o planejamento às expectativas do público e do mercado.

Qual é a importância do plano de mídia?

Como vimos, um plano de mídia reúne todos os passos para a divulgação do negócio — nos veículos tradicionais e digitais. Esse planejamento é essencial para que haja uma coerência nas campanhas de marketing e promoção. As principais vantagens são um reforço de identidade e o melhor aproveitamento de recursos.

Agora que você já sabe a importância e como criar um plano de mídia, descubra quais são as melhores estratégias de marketing digital para o seu negócio!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.