10 ideias de produtos para você criar seu primeiro negócio digital

10 ideias de produtos para você criar seu primeiro negócio digital

Se você tem interesse em empreender na internet, descubra agora 10 ideias de produtos digitais para começar hoje mesmo!

Ganhar dinheiro com a internet é uma realidade.

A comercialização de produtos digitais, os chamados infoprodutos, vem se mostrando um negócio altamente rentável, mas que requer muita pesquisa, planejamento e dedicação.

Por isso, para você que tem algum conhecimento para repassar às outras pessoas, mas ainda não sabe como fazê-lo, separamos 10 ideias de produtos digitais para transformar know-how em negócio:

1. Ebooks

Os livros eletrônicos, ou ebooks, são publicações que trazem o mesmo conteúdo de uma obra impressa (livro), porém em versão digital.

Da execução à promoção, os ebooks apresentam excelente custo/benefício: basta uma ferramenta de textos (Word, Google Docs ou similar), um conversor PDF (extensão mais popular deste material) ou EPUB e um canal de promoção e venda, além de um bom conteúdo. Confira aqui o nosso guia sobre como fazer seu primeiro ebook.

2. Audiobooks

O conteúdo do seu livro pode também ser comercializado por meio de áudio.

A produção pode ser realizada em um estúdio ou até mesmo de forma caseira, com ferramentas disponíveis na internet, desde que você tenha um espaço com pouco ou nenhum barulho reservado para a atividade.

Além disso, uma boa locução também é fundamental para a absorção do conhecimento sem ruídos e para a boa aceitação do seu produto.

Se for se aventurar no mundo dos audiobooks vale a pena estudar um pouco sobre produção de áudio e investir em um microfone bacana, anti-ruído.

3. Vídeoaulas

As videoaulas consistem na gravação e distribuição em vídeo de conteúdo com cunho educativo.

O material neste formato requer um pouco mais de investimento como cenário, câmera e iluminação adequada.

Além disso, boa dicção e empatia com as câmeras para repasse do conteúdo são fundamentais para reter a atenção do seu público.

4. Screencasts

Na falta de familiaridade com as câmeras, ou na busca de um custo de produção mais baixo, você pode optar pelos screencasts, vídeos gravados a partir da tela do seu computador com o auxílio de um software.

Na internet, você encontra ferramentas gratuitas e com qualidade para a execução do projeto.

Uma outra vantagem é que este produto não necessita, obrigatoriamente, de áudio, podendo ser apenas legendado em alguns casos.

5. Podcasts

Infoprodutos em áudio são altamente eficazes, pois permite a absorção do conteúdo pelo público em qualquer lugar, até mesmo simultaneamente a outra atividade, como dirigir por exemplo.

Basta que o cliente tenha um gadget compatível com o formato de áudio do seu produto.

O conteúdo segue a linha de um programa de rádio.

Nesse formato, é possível, conforme a quantidade de conteúdo a ser oferecido, dividir a narração em episódios, trabalhar com entrevistas ou discussões entre um grupo de especialistas no assunto.

A produção pode ser feita com ferramentas gratuitas, e o conteúdo gravado distribuído com a extensão MP3.

6. eMagazines

As eMagazines são revistas disponibilizadas na Internet.

Assim como o material impresso, esse produto segue o critério de editorias e tem um período pré-determinado de publicações, além de permitir a distribuição do conteúdo gratuito (mantido por publicidade), privado para assinantes e misto (você pode escolher qual conteúdo ou trecho disponibilizar).

A produção, com custo consideravelmente inferior à publicação impressa, depende basicamente de conteúdo e diagramação.

Você pode escolher como distribuir seu produto conforme budget disponível: a versão mais simples pode ser apresentada através de um arquivo com extensão PDF para download.

É possível ainda, com o auxílio de programadores, disponibilizar o produto em um website, em aplicativo próprio para download em dispositivos móveis como tablets ou até mesmo via Newstand, aplicativo da Apple que permite download ou visualização de revistas e jornais em formato digital.

7. Websites para assinantes (comunidades de membros)

Trabalhar o seu conteúdo em um website, disponibilizando acesso a membros associados mediante o pagamento de uma taxa periódica (você pode definir taxas mensais e trabalhar descontos em assinaturas por um período maior) pode ser um ótimo negócio.

Esse formato também pode ser conhecido como clube de assinaturas, clube de membros ou membership.

Para reter leitores, invista em artigos relevantes, novidades do nicho e entrevistas com profissionais renomados da área.

Usar a interação através de fóruns de discussão e enquetes, possibilitando a troca de experiências neste canal, é também uma ótima estratégia, além de auxiliá-lo, na definição das próximas pautas.

8. Coaching on-line e grupos Masterminding

Se você é referência em um determinado assunto e sempre o procuram para dar instruções e orientações sobre este, investir em coaching pode ser um excelente negócio.

É possível realizar conferências, com horários pré-estabelecido, através de ferramentas gratuitas como o Skype ou o Google Hangout ,em grupos ou individuais, sendo a primeira opção melhor, pois ao reunir um número maior de participantes, o seu tempo é otimizado.

Os participantes em destaque ainda podem ser convocados a participarem de um grupo masterminding, que tem objetivo similar aos fóruns de discussão, porém em tempo real, gerando maior proximidade entre os integrantes.

9. Palestras, Workshops e Webinars

Palestras, seminários, oficinas em tempo real.

É possível repassar o seu conhecimento em apresentações ao vivo para grupos, com custo irrisório, à distância, através de ferramentas disponíveis na Internet como Skype, Google Hangout ou o GoToMeeting, uma ferramenta paga para webinars que é bastante popular.

10. Materiais multiformato

Não necessariamente o seu produto precisa apresentar-se em um único formato.

É possível disponibilizá-lo em mídias diversas que se complementarão.

Você pode, por exemplo, ministrar cursos através de videoaulas, disponibilizar o material de estudo em um eBook e realizar grupos masteminding para troca de experiências entre os participantes.

O mais importante é que o infoproduto escolhido esteja adequado aos recursos disponíveis e à necessidade do seu público, prezando sempre pela qualidade.

E aí, imaginou a sua ideia se transformando em algum destes produtos? Conhece outros formatos? Conte pra gente nos comentários!