Facebook Pixel

Como criar um curso online de graça ou gastando quase nada: 6 dicas para aplicar agora!

Como criar um curso online de graça ou gastando quase nada: 6 dicas para aplicar agora!

Aprenda como criar seu produto com um investimento baixo!

De acordo com dados do MEC, o ensino a distância é a modalidade de ensino que mais cresce no Brasil, na contramão de outros segmentos que foram afetados pela crise econômica. Nesse cenário, produzir um curso online pode ser um negócio promissor e lucrativo, desde que o Produtor tenha um bom conteúdo em mãos e uma estratégia de vendas eficiente.

Mas engana-se quem pensa que para criar um bom conteúdo é necessário uma grande produção com edição avançada e cenários maravilhosos. O que define se sua videoaula é relevante para seu público-alvo é o seu nível de conhecimento sobre aquele assunto e a quantidade de problemas que seu conteúdo soluciona.

Para romper de vez com o mito de que o produto bom custa caro para fazer, compartilhamos dicas para você criar cursos online de graça ou gastando quase nada. Preparado para ir para frente das câmeras?

O mercado EAD em números  

O último Censo EAD, referente aos anos de 2015 e 2016, mostrou que, neste período, foram oferecidos 25.166 cursos online, entre as instituições analisadas.  Quase 80% dos cursos a distância vendidos no Brasil são cursos livres: sendo 12.475 de conteúdos corporativos (treinamentos empresariais) e 7.398 sobre temas diversos.    

Ao todo, mais de 5 milhões de alunos optam por esse modelo de ensino, o que representa um aumento de 23% em relação ao dado de 2014. Desse total, 1.108.021 estão matriculados em cursos de graduação a distância e semipresenciais, enquanto 3.940.891 participam de cursos livres, independentemente da temática.

Apenas com esses dados, já deu para perceber o potencial desse mercado para gerar renda, principalmente para pessoas que desejam abandonar o mercado de trabalho convencional e trabalhar em casa.

1.Pesquise por tipos de câmera para gravar

Uma das maiores dúvidas de pessoas que estão começando a criar conteúdo para internet é o tipo de câmera mais adequada para gravar, afinal, você quer que sua audiência veja valor naquele produto, e isso inclui um vídeo com a aparência mais profissional possível.  

Apesar de existirem equipamentos superiores em qualidade de imagem, a câmera certa nem sempre é a mais cara, mas sim aquela que se adequa melhor a suas necessidades. Um produtor do nicho de esportes radicais pode utilizar uma GoPro em vídeos externos, mas isso não significa que este é o equipamento mais adequado para todos os vídeos que ele for gravar.

Existem pessoas que conseguirão gravar conteúdos de qualidade com um smartphone ou até mesmo uma câmera amadora, apenas usando os recursos que estes equipamentos oferecem. O contrário também acontece, pessoas que investiram milhares de reais em um equipamento mas o utilizam de forma amadora. 

Se você está disposto a investir mais, pode comprar uma câmera DSLR, que possui mais funcionalidades como lentes intercambiáveis, visor móvel, entre outras. É claro que ter um equipamento mais avançado agregará mais valor a seu material, mas só recomendamos comprar este tipo de equipamento quando você já estiver dominando técnicas de gravação, pois o preço de uma DSLR pode variar de R$1500 a R$13 mil reais, o que é bem acima do orçamento de muitas pessoas, e acaba não sendo a melhor opção para quem deseja economizar. Nosso conselho é deixar para investir na compra de equipamentos melhores, quando  seu negócio estiver dando algum retorno financeiro.

Recentemente, o Daniel  gravou um vídeo sobre o custo-benefício de cada tipo de câmera. Aproveite para dar uma olhada!  

2.Tenha cuidado com o áudio

Se a captação de vídeo de um celular pode ser excelente, o mesmo não acontece com o áudio. E por que você deve se preocupar com isso?

A resposta é simples: pessoas até assistem vídeos com qualidade de imagem ruins (vídeos caseiros e videocassetadas são um exemplo), mas o áudio de má qualidade atrapalha o entendimento do espectador, o que influencia no desempenho do vídeo e em taxas como quantidade de visualizações, curtidas, compartilhamentos, tempo de retenção, etc.  

Mas não se preocupe, pois existe uma forma simples (e barata!) de resolver esse problema. Basta você adquirir um microfone de lapela, que pode ser colocado na gola de quem está apresentando o vídeo, e conectá-lo ao celular utilizando um adaptador.

A boa notícia é que o custo do microfone de lapela varia de R$10 a R$500, enquanto o adaptador não custará mais que R$20. Viu? A gente avisou que era barato!

3.Cuide da iluminação do vídeo

Para obter imagens nítidas e de qualidade, ter uma boa iluminação é fundamental. E no caso de gravações, quanto mais luz, melhor.

Assim como no exemplo das câmeras e dos microfones, existem diversas formas de alcançar um bom resultado na iluminação de seu vídeo. Você pode comprar um iluminador de LED, próprio para gravações feitas em estúdio, ou ainda criar uma versão caseira de softbox, seguindo alguns tutoriais disponíveis no YouTube.

Mas a opção que te poupará tempo e dinheiro é gravar próximo à janela, em uma parede de cor sólida (de preferência clara) e aproveitar o máximo que a luz do dia pode te oferecer. Além de ser menos trabalhoso, o vídeo gravado com a luz do sol fica mais natural, o que pode te ajudar a se aproximar de sua audiência.  

4.Escolha o cenário ideal

Conforme falamos no início do texto, um conteúdo de qualidade nem sempre é aquele com cenários maravilhosos. Por isso, tenha em mente que o assunto abordado no vídeo deve chamar mais atenção do que os elementos visuais (exceto nos casos em que você utiliza objetos para fazer demonstrações e tutoriais).

Isso não significa que você deve gravar sempre no mesmo lugar ou restringir suas opções de cenário. Mas se quiser evitar imprevistos, opte por lugares calmos e evite cômodos com ruído perceptível de trânsito ou barulho de construção.

Esse lugar pode ser até um cômodo de sua casa! Se esse for o caso, avise  as pessoas que vivem com você que você está gravando naquele momento e que elas não podem transitar no cômodo, nem te interromperem, ok? Pois isso resultará em mais trabalho na edição e, em casos mais extremos, te obrigarão a regravar todo o conteúdo.

5. Dedique-se ao roteiro

Antes mesmo de criar um canal online você precisa decidir o tema sobre o qual pretende falar. Feito isso, tente identificar nesse nicho as demandas do público que estão sendo negligenciadas pelos seus concorrentes e concentre-se em descobrir como o seu produto pode atendê-las.

Um exemplo:

O mercado de stylist aborda superficialmente a moda plus size. Que tal criar um produto sobre isso? Se você se dedicar a conhecer seu mercado, verá que existem diversos exemplos como esse que citamos. Uma vez que você decide sobre o que  falará, as etapas seguintes ficam mais fáceis. Principalmente, a elaboração do roteiro.

Mas será que você realmente precisa de um roteiro? Muitas pessoas ainda têm dúvida nessa etapa, pois acreditam que o roteiro pode deixar o conteúdo artificial e afetar a espontaneidade do interlocutor.

No entanto, você há de convir com a gente que, quando você cria um curso online, os vídeos podem ficar mais extensos, e fica praticamente impossível memorizar todo o conteúdo. Por isso, é importante estabelecer uma hierarquia da informação para não esquecer de abordar nenhum tópico e prejudicar o aprendizado de seus alunos.

Recentemente, nós fizemos um post específico sobre como criar um roteiro para uma vídeoaula atraente. Lá, compartilhamos algumas dicas para quem deseja criar um conteúdo valioso, mesmo sem ter conhecimento prévio sobre vídeos, nem precisar contratar um profissional apenas para isso.

Temos certeza que, depois que você ler nosso conteúdo, verá que escrever um roteiro pode ser bem mais simples do que imagina! Lembre-se, o mais importante você já tem, que é conhecimento sobre aquele assunto.

6. Escolha a plataforma para hospedar seu produto

Não adianta nada ter um conteúdo impecável se o aluno for obrigado a assistir seus vídeos em um ambiente de aprendizagem ruim e com poucas opções de interatividade. É por isso que a escolha da plataforma para hospedar seu vídeo é fundamental para o sucesso de seu curso online!   

O ideal é encontrar uma plataforma que reúna todas as funcionalidades que você precisará para disponibilizar os vídeos para seus alunos, que tenha layout amigável e seja de fácil navegação. Dessa forma, você garante que os alunos terão uma boa experiência com o produto e reduz as objeções de futuros compradores.

Produtores de conteúdo que optam pela Hotmart para disponibilizar seus cursos online podem utilizar o Hotmart Club, nossa plataforma EAD exclusiva, que possui um reprodutor de vídeo próprio, entre outras alternativas que podem ser utilizadas para potencializar as vendas de seu produto. Esse é mais um dos serviços que oferecemos para nossos usuários sem nenhum encargo, a não ser que o produtor opte pelo player do Club. Neste caso é cobrado apenas um valor simbólico de R$ 2,49 por aluno.

Agora que você já sabe que é possível criar cursos online de graça ou com um investimento baixo, que tal começar ? Aproveite para ler nosso conteúdo sobre como gerar receita com vídeos na internet, além do YouTube. Se este conteúdo foi útil para você não se esqueça de compartilhá-lo com os amigos! 

Hotmart