Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Tudo que você precisa saber sobre o profissional liberal

Tudo que você precisa saber sobre o profissional liberal

As melhores dicas para quem trabalha de forma autônoma no mercado digital.

A conversa sobre a escolha de qual carreira seguir sempre foi tensa para quem está saindo da escola, mas hoje em dia, mudar a área de atuação e se realizar em outro setor como profissional liberal é mais comum do que você imagina.

Em outras palavras: futuros profissionais, relaxem!

O mercado de trabalho atual tem uma série de oportunidades para correção de rota caso você não tenha escolhido a formação acadêmica certa para o que deseja trabalhar.

E isso também vale para quem já tem alguns anos de carreira na bagagem. Afinal, nada é imutável, certo?

É claro que se você é um engenheiro e deseja atuar como advogado especializado na construção civil, terá que cursar uma faculdade de Direito e fazer a prova da Ordem dos Advogados primeiro.

Isso porque algumas profissões são regulamentadas. Mas, uma vez habilitado, pode unir seus dois conhecimentos e tornar-se um profissional diferenciado que todas as empresas desejarão contratar.

Neste momento, uma outra dúvida entrará em questão: trabalhar por conta própria e ter vários clientes ou aceitar o cargo em uma empresa e ser fiel a ela?

Existem algumas vantagens e desvantagens em cada relação dessas e outras tantas considerações a fazer na hora de ingressar em um novo mercado como profissional liberal.

Então, pensando nisso, fizemos este material bem completo para quem deseja buscar o sucesso neste mercado. Você vai ver por aqui:

  • Conceitos sobre a modalidade de trabalho;
  • Regulamentações e algumas profissões abrangidas;
  • Vantagens e desvantagens do profissional liberal;
  • Diferenças para o profissional autônomo e freelancer;
  • Hacks e dicas para otimizar sua performance como profissional liberal;

Uma coisa que é importante para ter em mente é que, enquanto você estiver se atualizando e inovando em suas atividades e relações profissionais, estará em uma boa posição competitiva no mercado. Então, buscar o sucesso fará parte da sua rotina.

E aí, vamos detalhar a perspectiva do profissional liberal? Acompanhe!

O que é um profissional liberal?

O profissional liberal é aquele que formou-se em uma área específica, foi legalmente habilitado para colocar seus conhecimentos em práticas que demandam técnica e é regido por estatuto próprio.

Nesse caso, ele tem total liberdade de execução de suas funções assegurada pelos princípios normativos da profissão e o tipo de vínculo empregatício é indiferente nesse sentido.

Ou seja, atuando como profissional liberal, o indivíduo não tem relações de subordinação, ele é responsável integralmente pelos resultados que oferecerá ao contratante.

É claro que ele vai cumprir o objeto do contrato determinado por quem o contratou, mas usando seus conhecimentos.

Para ficar mais claro, imagine que uma empresa tenha contratado um engenheiro orçamentista para cotar todos os valores que serão necessários para uma construção.

O objeto da contratação é o orçamento a ser realizado.

Se o contratante pedir que ele faça considerando a melhor relação de custo-benefício, ele vai atender o pedido, mas, se pedirem que ele faça um superfaturamento nas contas, ele negará considerando os princípios e ética da sua profissão.

Faz sentido, certo?

A formação do profissional liberal, portanto, é muito importante e pode ter diferentes níveis (universitário, médio ou técnico) como exigência para as atividades a serem exercidas segundo a legislação de cada área. Elas, aliás, são fiscalizadas pelos órgãos chamados entidades de classes.

O que são os conselhos ou entidades de classes?

Você provavelmente se fez essa pergunta porque quis saber qual o poder das entidades de classes para fiscalizar as atividades de alguns indivíduos, certo?

Então vamos lá!

As entidades ou conselhos de classe são coletivos da sociedade civil que buscam proteger e representar seus associados.

Quando registradas devidamente no órgão público competente, podem:

  • Representar seus filiados judicial, extrajudicialmente, administrativamente e politicamente;
  • Defender os direitos e promover o debate público sobre os interesses da categoria;
  • Emitir melhores práticas para o exercício das atividades profissionais; entre outros.

Como isso funciona na prática?

Tetos salariais dos profissionais que estão ingressando no mercado, garantia da obrigatoriedade de profissionais habilitados em funções mais estratégicas e até na apresentação de leis para votação que garantem as melhores diretrizes para a prática da profissão.

As entidades também combatem ameaças que podem prejudicar as atividades de seus associados.

Um profissional esteticista, por exemplo, que esteja aplicando produtos e realizando procedimentos prioritariamente dos dentistas estéticos, pode ser denunciado.

Essa força coletiva também pode ser colocada na situação inversa quando um de seus associados sofre pressão de outros profissionais e instituições.

Nesse caso, após avaliada a conduta correta, a entidade se posiciona em favor e na defesa de seu associado.

Tudo isso só é possível seguindo a regulamentação do profissional liberal no Brasil, que ainda prevê outros direitos e deveres que ele precisa honrar.

Vamos entender quais são eles?

Qual a regulamentação do profissional liberal no Brasil?

Como existem diferentes entidades de classe, é importante entender que cada uma delas tem suas especificidades.

Enquanto algumas demandam que seus associados realizem capacitações e testes, outras apenas fazem seus registros e cobram anuidades.

Além das diretrizes das entidades de classe, a forma como o governo dá suporte e fiscaliza tais profissionais também é importante.

Como ele trabalha por conta própria, para o governo e empresas que o contratam, deve funcionar como uma empresa, que paga seus tributos e atua dentro da legalidade.

Ele também precisa emitir Nota Fiscal ou recibo de serviço prestado e, portanto, pagar o Imposto de Renda como pessoa física ou jurídica, além do Seguro Social (INSS), Programa de Integração Social (PIS) e Imposto Sobre Serviço (ISS).

Quais são as profissões mais comuns nessa modalidade de trabalho?

Entre as profissões que se enquadram nessa dinâmica, temos:

  • médicos;
  • médicos veterinários;
  • advogados;
  • fotógrafos;
  • jornalistas
  • contadores;
  • corretores de imóveis;
  • economistas;
  • engenheiros;
  • arquitetos;
  • psicólogos;
  • dentistas;
  • tradutores e interpretes etc.

Algumas profissões têm entidades de classes específicas, como a Ordem dos Advogados (OAB), o Conselho Regional de Medicina (CRM) e o Conselho Regional de Engenheiros e Arquitetos (CREA).

As demais profissões sem um conselho específico, no entanto, acabam se associando àquele mais próximo de suas atividades para garantir o fortalecimento e proteção de suas atividades.

E, um detalhe que vale sua atenção: esses profissionais podem trabalhar por conta própria, com carteira assinada em regime CLT ou abrirem um negócio.

Se estiverem devidamente registrados em seus conselhos, manterão seus benefícios da mesma maneira.

Existe diferença entre o profissional liberal e o autônomo?

Existem algumas diferenças entre esses dois tipos de profissionais e a obrigatoriedade da formação é uma delas. Vejamos outras considerações a seguir.

Formação específica

O profissional liberal deve, obrigatoriamente, ter uma formação específica para a execução de suas atividades, mas os autônomos, não.

Assim, contador precisa ser graduado em sua área e estar regularizado com seu conselho.

Já um Afiliado de produtos digitais, não. Basta que ele entre para um programa de Afiliados, tenha mais de 18 anos e trabalhe suas estratégias de vendas.

Vínculo de emprego

Um autônomo não tem vínculo empregatício com o negócio para o qual presta serviços.

O profissional liberal pode ter ou não, dependendo do tipo de contrato estabelecido. Inclusive, ele pode prestar serviços para duas ou mais empresas.

Conhecimento x prática

Os profissionais liberais precisam adquirir conhecimentos que determinam suas atividades e execuções.

Como os autônomos não precisam disso, normalmente, aprimoram suas habilidades na prática e ganham dinheiro com seus talentos.

Isso é facilmente percebido quando as atividades desempenhadas pelos autônomos são listadas, como é o caso dos decoradores de festas, profissionais da beleza, artesãos e cozinheiros.

Mas, e os freelancers, onde se enquadram?

Eles são profissionais, autônomos ou liberais, que prestam serviços por demanda ou tempo determinado.

Nesse caso, algumas atividades exigem uma graduação técnica, mas as exigências de contratação ficam por conta da empresa ou cliente.

Além disso, os trabalhos freelancers podem ser feito paralelamente com outras funções e atividades do profissional para fazer uma renda extra.

Em resumo, os profissionais autônomos são qualquer tipo de indivíduo que esteja trabalhando por conta própria, sem a necessidade de uma formação acadêmica ou técnica para exercer sua atividade.

Esses profissionais podem constituir uma pessoa jurídica ou manter-se como pessoa física, guardadas as regras e limitações legais de cada situação, como o pagamento de tributos, declaração do Imposto de Renda etc.

Quais as vantagens e desvantagens do trabalho liberal?

Quando listamos as profissões mais comuns dessa modalidade de trabalho, vemos que muitas delas têm grandes status na sociedade, como é o caso dos médicos, engenheiros e advogados, certo?

Mas nossa sociedade já está mergulhada na tecnologia e outras profissões são tão valorizadas como elas.

Em outras palavras, existem algumas vantagens em exercer tais profissões, mas também desafios para combater. Vamos analisar alguns deles.

Vantagens

Entre suas vantagens, podemos citar a inexistência de uma hierarquia que determine as execuções de suas atividades ou com quais clientes é preciso se relacionar.

Como citamos no início do post, o profissional liberal vai seguir as diretrizes da sua contratação, como promover economias e cortes de custo, mas, na execução de suas tarefas, seguirá exclusivamente as técnicas e conhecimentos que o capacitaram para aquele projeto.

Ele também tem flexibilidade de horários e a possibilidade de trabalhar com dois ou mais clientes simultaneamente.

É claro que isso exigirá melhor controle de tempo e agenda, bem como a escolha de algumas tecnologias que possam facilitar a gestão de tempo.

Porém, o profissional está livre para escolher quais trabalhos realizar e de onde trabalhar, de casa ou em um coworking, por exemplo.

Outra vantagem é que ele recebe pelo tanto que produziu, não limitando seus ganhos em um salário fixo ao mês.

Para aquelas pessoas que se motivam com retornos financeiros para melhorarem suas performances, esse modelo de trabalho é muito bom e justo.

Desvantagens

No entanto, o ganho por performance também pode ter uma versão ruim não pela capacidade técnica do profissional, mas pela sazonalidade do mercado.

Ou seja, mesmo que o profissional liberal seja muito bom e esteja disponível, nem sempre o volume de trabalho será satisfatório para render o quanto ele precisaria e gostaria.

Ele também está por conta própria, ou seja, se passar mal, sofrer algum acidente ou ter que se ausentar por qualquer motivo, não terá alguém para substituí-lo sem que isso seja um prejuízo.

Em diferentes graus e situações, o profissional liberal também é o responsável por seu marketing pessoal e promoção.

Então, ele precisa saber fazer a gestão de sua marca, também chamada de branding pessoal, captar clientes, buscar referências e oportunidades de trabalho até que seu nome esteja fortalecido e a situação se inverta.

Se a venda de seus serviços parece desagradável para você, saiba que ela vem acompanhada de suas obrigações contábeis.

É preciso estar em dia com suas tributações e fazer a Declaração do Imposto de Renda corretamente, muitas vezes, usando uma das modalidades mais complexas que é o Livro Caixa.

Mas, muita calma nessa hora! Não é para desanimar ou desistir de se tornar um profissional liberal no mercado.

Se você otimiza sua administração pessoal e investe em ideias inovadoras, pode construir uma carreira de sucesso.

Temos algumas dicas para ajudar nisso!

9 dicas para ser um profissional liberal de sucesso

Ok, então o profissional liberal tem as entidades de classe para oferecer apoio, mas, para garantir sua receita, precisa batalhar por seus clientes e negócios, certo?

Para ajudar nisso, listamos aqui os melhores hacks de eficiência e dicas para otimizar seu desempenho no mercado.

Índice
  1. Foque no aprendizado contínuo
  2. Construa um bom networking
  3. Seja resiliente
  4. Escolha um bom nicho para sua atuação
  5. Aposte na tecnologia para gerenciar suas atividades
  6. Tenha um bom controle das suas finanças
  7. Invista nas redes sociais
  8. Busque uma fonte de renda passiva
  9. Tire férias regularmente e cuide da sua saúde

1. Foque no aprendizado contínuo

Estudar é preciso!

O profissional liberal tem seus conhecimentos técnicos como um dos elementos essenciais de sua contratação, mas isso não garante todos os trabalhos que quer e precisa executar, afinal de contas, ele também tem a concorrência de outros profissionais habilitados.

Por isso, estar em constante desenvolvimento, acompanhando as tendências do mercado, se especializando, participando de eventos, feiras e cursos do setor é essencial.

Com isso, além de aumentar seus conhecimentos, descobrir novas práticas e tecnologias que estão sendo empregadas em seu setor, o profissional também mantém o relacionamento com outros players do mercado.

2. Construa um bom networking

Citando relacionamento, é impossível não mencionar também a importância de construir um bom networking com seus clientes, fornecedores e parceiros.

Um arquiteto, por exemplo, deve ter um bom ciclo de contatos com decoradores, engenheiros, paisagistas e outros profissionais relacionados a sua área para que possa criar projetos em conjunto.

As conexões profissionais com fornecedores e parceiros também podem proporcionar melhores trânsitos para aquisição de material, descontos pela frequência de compra em uma mesma loja e muito mais.

Também deve estar em constante contato com os clientes que já atendeu ou esteja executando seus projetos, demonstrando assim atenção e responsabilidade sobre a satisfação e resultado.

Criar essa boa imagem garante que o profissional seja sempre lembrado por seus clientes e, por consequência, seja escolhido para projetos futuros ou indicado para outros amigos, familiares e colegas do cliente.

3. Seja resiliente

A liberdade de escolher os trabalhos é muito boa, mas antes disso, o profissional precisa se estabelecer, se posicionar no mercado, para que os clientes cheguem até ele.

Por isso, é preciso ter um esforço de captação de novos clientes, perseverança para propor trabalhos e maturidade para aceitar negativas.

O desânimo não faz parte de suas atividades!

Mesmo que nos primeiros contratos o profissional liberal tenha que trabalhar com valores menos atraentes, é preciso ver tais situações como investimentos na construção de sua experiência.

Ser resiliente também significa se adaptar, buscar alternativas para problemas enfrentados.

Isso é uma máxima na rotina dos profissionais liberais, por isso, não resistir a pressões e adaptar-se a mudanças é muito importante.

4. Escolha um bom nicho para sua atuação

As formações acadêmicas dão ao profissional uma série de possibilidades de atuação.

Um advogado pode atuar nas esferas cíveis, trabalhistas, tributária, mas ao se especializar em uma delas, aumenta seu conhecimento na área e também sua autoridade no tema.

Por isso, ao escolher sua especialização, tenha em mente aquela em que você sente prazer em trabalhar, diferenciais frente a sua concorrência e que tenha uma boa demanda.

Ou seja, além do conhecimento, também é importante investir seu foco em uma área que tenha potencial de negócio.

5. Aposte na tecnologia para gerenciar suas atividades

Para atender diferentes clientes e demandas com qualidade e agilidade, é preciso apostar em soluções e tecnologias que otimizem suas tarefas.

Smartphones com funcionalidades relacionadas a sua profissão, uso de aplicativos de videoconferências para acompanhar e reunir com seus clientes e sistemas para gestão de contratos e tarefas podem ajudar muito e economizar um tempo precioso.

6. Tenha um bom controle das suas finanças

Como o profissional liberal é o responsável pela sua performance de ganhos, é comum que tenha meses em que ganha mais e, outros, menos.

Algumas profissões também têm um ciclo de recebimento diferenciado, como é o caso dos advogados.

Muitas vezes, eles trabalham em uma causa durante vários meses, ganham na justiça, mas seus honorários só são integralmente pagos depois que o valor do processo é entregue ao cliente, o que pode demorar.

Por situações como essa ou mesmo pela sazonalidade que algumas profissões acabam experimentando, o ideal é que o profissional faça um bom controle de suas finanças, tenha uma reserva emergencial para meses mais fracos e crie um investimento que assegure sua aposentadoria.

Vimos que os profissionais liberais têm um tipo de contribuição específica do INSS, mas, na prática, mesmo fazendo o pagamento do teto máximo, é pouco provável que a aposentadoria da Previdência Social garanta seu estilo de vida e conforto.

7. Invista nas redes sociais

As redes sociais permitem que você faça seu branding e mostre aos seus contatos a qualidade do seu serviço. Usar as hashtags para associar com o seu público-alvo também pode ajudar a atrair novos clientes.

Elas podem ser gerenciadas para servirem de vitrine da qualidade de seus serviços. Assim, se você é um designer gráfico ou paisagista, colocar fotos de seus trabalhos pode ser um ótimo atrativo.

8. Busque uma fonte de renda passiva

Outra dica muito importante para seu controle financeiro é buscar maneiras de gerar uma renda passiva.

Alguns profissionais, por exemplo, buscam cursos de investimento na bolsa para aplicar dinheiro e ter retornos significativos a longo prazo. Porém, isso demanda tempo e controle frequente.

Outra maneira muito válida é o empreendimento digital. Você pode criar um curso ou material de sua área e transformá-lo em um produto digital. Com sua autoridade profissional, os retornos e satisfação podem ser altos.

Mas, se a parte da venda te preocupa, você pode adotar plataformas que promovem a venda mediante uma comissão para seus Afiliados. Nesse caso, do valor final de seu produto digital, uma parte é destinada a quem realizou a venda.

O interessante é que isso dispara as vendas do seu produto digital, fazendo com que o volume gere retornos financeiros e você se consolide na área.

Já pensou em tornar-se um Produtor digital de sucesso na sua área e oferecer conteúdos para quem está se formando para ela?

Pode ser uma boa alternativa, além de garantir que você continue trabalhando com o que gosta.

9. Tire férias regularmente e cuide da sua saúde

Com a flexibilidade que o profissional liberal tem e o fato de ter suas receitas diretamente relacionadas a sua performance, é comum que ele esqueça que não é uma máquina.

Não caia nessa armadilha! Tire descansos e viaje em férias.

O descanso é fundamental para sua saúde mental e física, por isso, programe-se para tirar alguns dias longe do trabalho.

Além disso, se você tiver a renda passiva trabalhando por você, isso ficará mais simples de gerenciar.

Quais as perspectivas para o profissional liberal no futuro?

O mercado digital é o destino de muitos profissionais liberais.

Médicos estão usando as redes sociais para captar novos pacientes, contadores estão criando canais no Youtube para educar seus clientes e buscar novas oportunidades de serviços e muito mais.

Em resumo, além de entender as características do profissional liberal, como ele é regulamentado, quais as vantagens para serem usufruídas e desvantagens para serem dribladas, também é preciso promover a inovação constante.

Com essas dicas, além do básico para o profissional liberal, também listamos alguns hacks que podem promover melhorias em suas finanças e, por consequências, potencial para investir em seus projetos de vida.

Conseguiu perceber que o profissional liberal deve estar em constante desenvolvimento, focado em ampliar seus horizontes e inserido no mundo digital, não é mesmo?

Ele também deve se atentar para as oportunidades, muitas vezes pouco tradicionais, que surgem em sua jornada. Isso foi, aliás, o que a advogada Paula Abreu, uma profissional liberal de sucesso, fez e tornou-se quase por acidente uma das coachs mais valorizadas no Brasil.

Quer saber como foi essa jornada? Baixe gratuitamente nosso ebook que conta como o mercado digital mudou a vida da Paula Abreu.

 

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.