Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Três dias imperdíveis para aprender tudo sobre o mercado digital!

Três dias imperdíveis para aprender tudo sobre o mercado digital!

Garanta seu ingresso

Por que seu negócio não evolui sem um senso de propósito?

Por que seu negócio não evolui sem um senso de propósito?

Qual é a marca que você quer deixar no mundo? Entenda por que atividades guiadas por um senso de propósito são mais bem-sucedidas!

Já assistiu ao filme Tempos Modernos?

Mesmo que não, provavelmente, você já viu aquela cena em que o operário Carlitos (interpretado por Chales Chaplin) está preso em uma rotina repetitiva e alienada na linha de produção de uma indústria.

É um filme clássico, mas o que ele tem a ver com senso de propósito?

Neste texto, vamos explicar por que a execução de tarefas de modo robotizado deve ser substituída por uma postura de pertencimento, engajamento e visão de futuro.

Negócios guiados por um propósito têm mais chances de sucesso! Acompanhe!

O que é senso de propósito?

Na cena citada, temos um indivíduo completamente alienado em seu trabalho — é difícil diferenciá-lo de uma máquina.

A crítica de Chaplin era direcionada ao capitalismo após a 1ª Revolução Industrial, que forçava os trabalhadores a condições de esgotamento físico e mental em busca de lucro.

Hoje em dia, temos direitos trabalhistas para assegurar que as jornadas profissionais sejam saudáveis e que essa realidade dentro das fábricas não exista mais.

No entanto, a ideia de que o ser humano se torna quase um robô em prol de seu trabalho não é muito distante da nossa rotina.

Quantas vezes você não cumpre suas tarefas de forma completamente mecanizada?

A alienação profissional leva a uma sensação de que somos só um número a mais e não estamos deixando uma marca no mundo. É aí que entra o senso de propósito!

Será que, no seu negócio, há uma ideia clara de qual é a importância de cada função e de aonde se quer chegar, no fim das contas? Ou você está desempenhando suas atividades apenas porque alguém te disse o que era para ser feito e seu chefe está cobrando resultados?

O senso de propósito se refere a objetivos profundos de atuação profissional: qual é o legado que você pretende deixar? Qual é o impacto das suas atividades no mundo? De que forma seus produtos ou serviços mudam a vida das pessoas?

Por que o senso de propósito é decisivo no negócio?

A ideia por trás do senso de propósito é bonita, não é? Mas será que ela é realmente importante para a saúde do negócio? Vejamos!

Facilidade em propor — e cumprir! — metas

Quando um empreendimento — seja uma empresa de grande porte, seja um negócio familiar ou individual — sabe o que pretende, é mais fácil propor metas.

Por exemplo: se você está criando um curso online porque quer que as pessoas conheçam sobre um assunto, terá as suas iniciativas voltadas para isso.

Mais do que o número de vendas ou a quantidade de acessos, você proporá metas para si mesmo que contribuirão para a transmissão de conhecimento, como:

  • estudar sobre oratória para melhorar a exposição do conteúdo;
  • criar conteúdo interativo para que haja um aprendizado mais efetivo;
  • investir em um estúdio de gravação para que os vídeos tenham mais qualidade;
  • preparar muito bem as aulas com roteiros e atividades etc.

E o melhor: cumprir essas metas não será uma obrigação, mas um prazer! Afinal, elas realmente dialogam com um propósito profundo da sua atuação profissional.

O aumento na produtividade é significativo quando você sente que seu trabalho faz diferença.

Engajamento coletivo

Negócios com senso de propósito também costumam ter um efeito de engajamento coletivo.

Os envolvidos na atividade profissional — colaboradores, parceiros e até consumidores — vestem a camisa e levantam as bandeiras propostas.

Isso porque propósitos profundos e consistentes geram uma sensação de pertencimento: todos se sentem participando de algo maior, um objetivo em comum que une e integra.

Por exemplo, veja a história do zelador da Nasa muito difundida em cursos sobre liderança.

Dizem que, quando foi questionado pelo então presidente John F. Kennedy sobre o que ele estava fazendo, o faxineiro respondeu: “Senhor Presidente, estou ajudando a colocar um homem na lua”.

Ou seja, mesmo as atividades que não estão diretamente relacionadas aos resultados do negócio se tornam parte fundamental para o sucesso dos objetivos. Isso ajuda a construir uma história de sucesso, com processos alinhados e que caminham juntos por uma mesma causa.

Como desenvolver o senso de propósito?

Você já viu que o senso de propósito traz vantagens para o negócio.

Trabalhar por uma causa, em vez de por uma necessidade, normalmente é mais agradável e mais satisfatório. E isso, é claro, acaba sendo refletido nos resultados.

Desse modo, os objetivos que movem a atuação profissional se ligam diretamente com a evolução do negócio, que para de se voltar aos números e foca as pessoas atingidas, os efeitos causados e as mudanças proporcionadas no mundo.

Mas como desenvolver esse traço? A reflexão é filosófica, mas a boa notícia é que existem meios práticos de se chegar ao senso de propósito. Veja algumas dicas!

1. Entenda a importância da sua atuação

Como você vai integrar seus colaboradores, parceiros e público-alvo com o seu propósito, se você nem sabe com clareza qual é?

O primeiro passo é, portanto, entender muito bem a importância da sua atuação.

Responda a perguntas como:

  • Qual é o legado que eu quero deixar?
  • De que forma meu produto ou serviço faz diferença no mundo?
  • Como as pessoas têm suas vidas tocadas, de alguma forma, pelo que eu faço?
  • Quais impactos positivos eu gostaria de trazer com a minha atuação?
  • Como cada atividade desempenhada contribui com esses objetivos?

Para chegar a essas respostas, temos uma dica “de ouro”: o círculo dourado, idealizado pelo especialista em liderança Simon Sinek.

Brincadeiras à parte, essa é uma ferramenta muito interessante para descobrir o valor do seu produto ou serviço.

2. Tenha clareza na missão, na visão e nos valores do negócio

Depois de responder a essas perguntas, uma boa prática é elaborar missão, visão e valores do negócio.

Se você tem um mínimo de noção sobre administração, sabe que esses três conceitos estão sempre presentes na fundação de uma empresa:

  1. Missão: o foco da atuação, ou seja, o principal objetivo prático com seus produtos ou serviços;
  2. Visão: os impactos previstos no longo prazo, o legado almejado;
  3. Valores: os princípios que definem seu negócio, ideias que guiam todas as estratégias, tomadas de decisão e condutas no dia a dia.

Mas queremos ir além: na hora de escrever, não se prenda a palavras vazias escritas simplesmente para preencher o “Sobre nós” do site corporativo.

A ideia é pensar com cuidado no significado de cada um desses termos para o seu negócio e desenvolvê-los com sinceridade. Durante a atuação profissional, eles precisam nortear todas as iniciativas.

3. Mantenha equipes e público alinhados com o propósito

Com essa base pronta, vem a parte mais difícil: alinhar todos em torno das motivações e causas que o negócio tem como prioritárias. Sem esse aspecto no desenvolvimento da equipe, o propósito pode se perder ou ficar apenas no papel.

Uma boa prática é priorizar equipes que sejam amigáveis aos objetivos definidos. Por isso, na hora de contratar colaboradores ou fechar parcerias, por exemplo, tenha em mente a identificação: se relacione com quem compactua com o seu propósito.

Além disso, vale a pena construir um relacionamento forte com o público para que seus consumidores abracem as mesmas causas.

Já ouviu falar no mapa da empatia? Essa ferramenta ajuda a aumentar a percepção da marca sobre as necessidades do público, de modo que o contrário também ocorra. Assim, é mais fácil trazer seus consumidores para o mesmo lado.

Já deixou a sua marca no mundo?

Já ouviu aquela frase famosíssima de Confúcio, “Encontre um trabalho que você ame e não terá que trabalhar um único dia em sua vida”, né?

Atuar com o que você realmente gosta e acredita é sinônimo de ter melhores resultados e alcançar a satisfação profissional.

Por isso, está na hora de pensar: que marca você quer deixar no mundo?

A partir dessa reflexão e seguindo nossas dicas, você conseguirá desenvolver um senso de propósito e beneficiar seu negócio!

Agora, se você não sabe nem por onde começar, aí vai uma ideia: que tal fazer uma autoavaliação primeiro?

Com o canvas pessoal, você consegue sistematizar suas prioridades de desenvolvimento pessoal e, assim, descobrir os verdadeiros propósitos que te movem profissionalmente. Leia nosso texto e aproveite essa ferramenta!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.