FecharNotificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

FecharNewsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

8 termos de contabilidade que todo empreendedor digital deve conhecer

8 termos de contabilidade que todo empreendedor digital deve conhecer

Conheça o significado dos principais conceitos relacionados ao planejamento financeiro de seu negócio.

A gestão de um negócio digital vai muito além da produção de conteúdos de qualidade.

Na verdade, é preciso dominar inúmeros assuntos, como o atendimento ao cliente, a gestão do negócio, o que inclui a emissão de notas fiscais e as tendências de consumo no mercado.

Nessas horas, muitos empreendedores enfrentam problemas, pois não conhecem alguns termos de contabilidade.

Conhecer o significado de simples conceitos pode ser a diferença para evitar decisões equivocadas em seu planejamento financeiro e outros imprevistos.

Este post vai te mostrar a relevância desse assunto e explicar expressões e palavras que fazem parte de seu dia a dia. Confira!

Por que é importante conhecer os termos de contabilidade?

Ao criar uma empresa digital, você precisa encontrar uma oportunidade no mercado e oferecer uma solução para ela.

A partir disso, você planeja as estratégias de marketing necessárias para atrair leads e convertê-los em clientes.

Com o passar do tempo, o negócio cresce e você alcança a tão sonhada estabilidade financeira.

Porém, essa jornada é formada por um longo caminho.

De nada adianta, por exemplo, ter um curso online produtivo se sua gestão não está legalizada e não respeita as leis fiscais vigentes em seu município.

Quando se fala em contabilidade, muitos empreendedores já ficam de cabelo em pé. Isso porque algumas questões não fazem parte do senso comum. Contudo, esse tema é essencial para aumentar as vendas e tornar o negócio escalável e economicamente viável.

Quais são os principais termos de contabilidade?

Você precisa dedicar um tempo em sua rotina para aprender os termos de contabilidade. Mas não se preocupe: isso não é tão complicado quanto parece.

Algumas palavras e expressões, provavelmente, você já conhece ou ouviu falar.

Abaixo, você encontra uma lista com 8 exemplos:

1. Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma das ferramentas contábeis mais utilizadas pelas empresas de pequeno, médio e grande porte.

Isso acontece, pois ela permite o controle financeiro de todas as movimentações financeiras, considerando as saídas e entradas de dinheiro e todos seus detalhes.

O fluxo de caixa amplia o campo de visão do empreendedor digital porque é um instrumento de verificação diária, semanal e anual.

Pequenas gestões começam com planilhas, já as médias e grandes empresas utilizam softwares online. Isso quer dizer que existem opções para todos os casos. Portanto, não há desculpa para não utilizá-lo.

Quem registra todos os dados financeiros consegue acompanhar a evolução do empreendimento e tomar decisões mais precisas.

2. Tipos de custos

Independentemente do objetivo final, toda empresa tem gastos, seja para fazer ebooks, contratar freelancers ou realizar campanhas de marketing no Google.

Em todas as situações, é importante conhecer os tipos de custos.

Além do mais, não é possível misturá-los. Veja suas variações abaixo:

  • Custos fixos: valores que têm uma certa regularidade com o passar do tempo. Ex.:o aluguel do estúdio de gravação e a conta de internet.
  • Custos variáveis: despesas que mudam de acordo com o volume produzido. Ex.: as matérias-primas utilizadas na produção e as contas de energia elétrica e água.
  • Custos diretos: quantias que estão relacionadas diretamente à produção. Ex.: os insumos produtivos e a contratação de profissionais.
  • Custos indiretos: montante que não está relacionado diretamente às atividades do negócio. Ex.: o pagamento de contas e a compra de produtos de limpeza.

Viu como existem várias peculiaridades?

Portanto, analise seu orçamento muito bem antes de tomar qualquer atitude e descubra cada tipo de custo que o compõem.

3. Capital de giro

Imagine ter que paralisar as atividades da empresa porque falta dinheiro para comprar materiais ou pagar funcionários?

Essas ocasiões atrapalham seu desempenho e não permitem o cumprimento dos prazos.

Com isso, o capital de giro é outro termo de contabilidade fundamental em sua rotina.

Ele é representado pela quantia financeira utilizada para dar continuidade às atividades produtivas. Conforme seu próprio nome diz, ele faz com que as atividades não parem, movimentando o dia a dia da gestão financeira.

Se você vende a prazo, por exemplo, precisa ter muito cuidado na hora de se planejar. Caso algum cliente não pague e você não tenha capital de giro, o pagamento das contas pode ser comprometido.

Já quem trabalha com grande quantidade de materiais em estoque precisa de dinheiro para financiar a compra, o armazenamento e a manutenção dos insumos. O capital de giro, mais uma vez, deve ser utilizado para garantir que nada saia do controle.

Ao conhecer seu capital de giro, você evita imprevistos. Portanto, calcule-o e sempre o mantenha atualizado.

4. Margem de lucro

Ter lucros elevados é o desejo de muitas pessoas que empreendem no mercado digital, certo?

Porém, isso não acontece do dia para a noite. Esse objetivo só é alcançado quando você planeja muito bem suas ações.

Nessas horas, você deve precificar seus produtos corretamente. Tentar elevar os preços de qualquer forma não é uma boa prática. E a margem de lucro é um ótimo aliado.

Esse termo de contabilidade deve ser acrescentado no valor de venda de suas mercadorias.

Tenha muito cuidado, pois a determinação de uma quantia equivocada pode abrir brechas para concorrentes roubarem seu lugar no mercado.

A principal função da margem de lucro é fomentar a rentabilidade na empresa, atraindo clientes.

Como cada setor tem particularidades, não há como definir um padrão para a margem de lucro. Dessa maneira, analise muito bem a concorrência. Apenas fique atento para reduzir os custos produtivos sem que a qualidade da mercadoria seja comprometida.

5. Contador

Esse é o profissional que nunca pode faltar em um empreendimento digital que almeja alcançar bons resultados.

As funções de um contador vão muito além da declaração do Imposto de Renda.

Ter um bom parceiro contábil a seu lado é muito importante para arcar com todos seus impostos. Assim sendo, você evita problemas com o Fisco e não precisa pagar multas.

Outro ponto importante está relacionado à realização do balanço patrimonial. Esse documento deve conter todos seus dados financeiros, considerando as dívidas, o estoque e a liquidez.

Além do mais, tenha em mente que o sistema tributário brasileiro é um dos mais complexos do mundo. Como consequência disso, você pode não entender ou deixar passar qualquer alteração fiscal. Ao ter um bom contador, você supera esses obstáculos com facilidade.

6. Tipos de investimentos

Quem administra bem seu dinheiro consegue ter um futuro mais estável e tranquilo.

Mas, além de vender mais, é preciso investir e saber poupar. Ao gastar mais do que o necessário, você abre brechas para dívidas e acaba se metendo em maus lençóis.

Conhecer os tipos de investimentos é um diferencial para tomar decisões com mais confiança e alcançar o equilíbrio financeiro.

Existem várias opções:

  • Poupança;
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Tesouro Direto.

Para não ficar confuso, busque mais dicas de investimentos neste outro post.

7. Nota Fiscal de Serviço Eletrônica — NFS-e

A regularização de um negócio é um assunto complexo. Existem várias legislações e regras que devem ser seguidas.

Nessas situações, alguns profissionais não sabem o que fazer, pois não dominam conceitos e outros termos de contabilidade. De qualquer forma, é essencial conhecer mais sobre certos tópicos, como a emissão de NFS-e.

Assim como as lojas físicas, os produtores digitais precisam emitir nota fiscal também.

A NFS-e deve ser emitida sempre que houver uma prestação de serviço, como a venda de um curso online ou quando uma academia vende um plano para um aluno.

Em outras palavras, esse documento formaliza a transação entre vendedor e comprador, considerando a validade jurídica e fiscal.

Por ser um processo digital, a NFS-e proporciona vários benefícios:

  • redução do uso de papel e, consequentemente, o aumento da preservação ambiental;
  • otimização do espaço físico da empresa, já que não é necessário armazená-las em um local;
  • simplificação de processos burocráticos;
  • diminuição dos problemas fiscais;
  • mais segurança e transparência.

Ou seja, a emissão da NFS-e é uma obrigação para a maioria dos produtores digitais. Inclusive, esse é o documento fiscal mais utilizado pelo mercado. E você não pode ficar de fora dessa, não é?

Saiba também que existem outros tipos de nota fiscal:

Neste momento, você deve estar se perguntando como emitir as notas fiscais de seus produtos digitais, não é mesmo?

Existem duas possibilidades.

No primeiro caso, você pode fazer a emissão de NFS-e no site da prefeitura de seu município. Como não há um padrão, você terá que buscar informações e se adequar às solicitações exigidas. Algumas prefeituras exigem certificado digital, login, senha e muito mais.

Por outro lado, é possível utilizar um software de emissão automática de NFS-e. Ao tomar essa atitude, você não perde tempo com burocracias e emite suas notas fiscais sem dores de cabeça.

8. Tomador e prestador de serviço

Ao preencher suas notas fiscais eletrônicas de serviço, você se depara com alguns termos que geram muitas dúvidas.

O primeiro deles é o tomador de serviço. Essa expressão nomeia quem contrata o serviço.

Isso quer dizer que quando Coprodutores e Afiliados da Hotmart contratam seus produtos digitais, eles são os tomadores de serviço.

Esse é o mesmo pensamento do comércio fora do mundo virtual. Ao contratar um mecânico ou um encanador, você está “comprando” o serviço.

Já o prestador de serviço é o profissional que realiza a atividade.

Em resumo, as relações no mercado digital acontecem da seguinte maneira:

  • Afiliado ou Coprodutor: prestador de serviço para o Produtor digital;
  • Produtor digital: tomador de serviço para o Afiliado e Coprodutor;
  • Produtor digital: prestador de serviço para o consumidor final.

O aumento das vendas é algo que todo Produtor deseja, certo?

Para que isso aconteça, é preciso ser especialista em um assunto e criar produtos que agregam muito valor a seus clientes. Além do mais, é fundamental conhecer outros tópicos, como os termos de contabilidade mostrados neste post.

E então, gostou de nosso conteúdo? Ainda tem alguma dúvida? Utilize o espaço abaixo e deixe seu comentário!

Guest post produzido pela equipe da eNotas.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.