Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar

Como os testes A/B podem otimizar suas campanhas e aumentar suas conversões?

Como os testes A/B podem otimizar suas campanhas e aumentar suas conversões?

Conheça o conceito de testes A/B e saiba como eles podem ser utilizados para engajar e converter mais clientes para seu negócio!

Uma das grandes vantagens do marketing digital é a mensuração de resultados. Saber quais campanhas estão convertendo e quais estratégias podem mudar é o ponto para melhorar. É nesse cenário que entra o Teste A/B.

Com a realização do teste A/B em suas campanhas de marketing, você aprenderá maneiras de direcionar mais tráfego para seu site e converter mais leads.

Mas como realizar um teste eficaz?

Confira neste artigo tudo sobre teste A/B e como ele pode ajudá-lo.

O que é teste A/B?

O teste A/B é um método para descobrir quais campanhas estão dando mais retorno. Com esse tipo de teste, você realiza comparações entre variáveis das campanhas de marketing.

Por exemplo: você saberá qual formato de e-mail marketing está convertendo mais.

Em essência, você tem duas versões de elemento, A e B, também chamados de controle (A) e variação (B). Para saber qual terá mais efeito em termos de conversão, você experimenta as duas versões simultaneamente. No final, verá qual teve mais sucesso.

Executando o teste A/B não é preciso “adivinhar” quais campanhas são efetivas, e as decisões são tomadas por meio de dados, mudando do achismo para a sabedoria.

Como funciona o teste A/B?

Vamos pegar como exemplo um e-book.

Você criou uma landing page para chamar os visitantes do site para baixar o e-book, mas somente 10 de 1.000 pessoas fizeram o cadastro para adquirir seu material.

Nesse caso, é necessário analisar a landing page e criar duas versões dela, com o design mais atrativo e os botões mais intuitivos. Assim, você tem as duas versões: A e B.

Geralmente, a versão A é para testar o design já existente e o B é para testar um novo design.

Para fazer o teste, basta dividir o tráfego entre essas duas versões, como mandar cada um para uma lista de e-mail diferente.

Assim, você irá acompanhar as taxas de conversão (pessoas que se inscreveram para baixar o e-book) e as taxas de rejeição. No final, uma das duas irá apresentar um melhor desempenho.

Por que fazer um teste A/B?

O teste A/B permite que você ou sua equipe faça alterações de forma cuidadosa, coletando dados sobre a experiência do usuário e as conversões feitas.

Como gestores, devemos saber quais elementos afetam o comportamento do usuário. Isso permite a construção e aprendizado de mais elementos que levam o usuário a tomar a decisão que irá lhe beneficiar.

O teste A/B também é utilizado por designers e desenvolvedores para a demonstração de impacto de novos recursos ou da experiência do usuário.

Porém, mais do que solucionar os problemas de conversão, o teste A/B é utilizado de forma consistente para melhorar a experiência geral do usuário, formando um padrão para seu negócio e aumentando as taxas de conversão ao longo do tempo.

O que é possível testar?

Antes de escolher o que testar no teste A/B, é importante ter bem claro quais são os objetivos.

Por exemplo: se a meta é aumentar a lista de e-mail, pode ser testado o conteúdo do e-mail (mais longo ou curto), tipos de formulário, apresentação de novos produtos ou serviços, provas sociais, etc.

O objetivo do teste A/B, nesse caso, é descobrir quais conteúdos são mais atrativos e quais são completamente ignorados.

O e-mail é muito longo? Ou sem conteúdo atrativo? Os visitantes estão procurando alguma novidade? O site direcionado está claro em relação a ação a ser feita?

Além disso, outros elementos que geralmente são testados incluem:

  • O tipo, tamanho, cor e posicionamento da call-to-action (CTA ou chamada para ação);
  • Título ou descrição de um produto;
  • Comprimento do formulário e tipos de campos a serem preenchidos;
  • Layout e estilo do site;
  • Preços e ofertas de produtos ou promoções;
  • Imagens ou vídeos em artigos ou páginas de informação;
  • Tamanho de um artigo.

Como criar meu primeiro teste A/B?

O método mais simples e direto para a realização de um teste A/B é com uma ferramenta especializada para este fim.

Existem ferramentas gratuitas que te auxiliam na realização de tais testes, como o Optimizely, que permite a realização de diversas avaliações. Entre elas a de landing pages e até mesmo como os resultados de engajamento evoluem, conforme os diferentes tipos de dispositivo utilizados pelos usuários para acessarem um site.

Para testes de emails, no entanto, não há a necessidade de uma ferramenta de auxílio específica. Isso porque o controle pode ser feito manualmente, dos tipos de emails enviados a cada pessoa e o tipo de resposta recebida e engajamento resultante deste email.

No entanto, sem o auxílio de uma ferramenta de automação de email, como o MailChimp, a mais popular do gênero no mundo, a realização de teste A/B por email será limitada.

Já que, à medida que sua lista de emails aumenta e o número de testes a serem realizados se torne maior, o controle dos resultados e envio, sem automação, se torna cada vez mais complexo e propenso a erros.

O que fazer e o que não fazer no teste A/B?

Para garantir que os testes cumpram seus objetivos e de fato trabalhem como uma ferramenta útil de avaliação dos clientes para seu negócio, algumas dicas e boas práticas devem ser seguidas:

1. Não utilize mais de uma métrica para um teste

Suponha que você esteja testando o aumento de cliques em um botão de CTA de uma landing page de seu negócio. O teste consiste em duas páginas, uma com o botão de ação do usuário com uma cor mais viva e outra com uma cor mais neutra.

A métrica a ser obtida desse teste é a variação de conversão em cliques, conforme a diferenciação do botão. E é isso que deve ser avaliado. Pois qualquer outra variação, como o número de acessos de cada página, irá depender de outros aspectos e isso poderá “poluir” seu resultado de avaliação.

2. Garanta que o teste possua um volume de amostra considerável

Novamente, supondo o teste A/B de uma landing page para seu negócio, procure garantir que a página terá um número de acessos alto ou, ao menos, dentro da realidade de seu mercado.

Isso porque um teste realizado que não tenha a quantidade amostral necessária poderá levar a conclusões erradas.

Por isso, o teste A/B, para muitos casos, especialmente o de negócios iniciantes, é uma prática que não trará tantos resultados conclusivos.

O ideal é possuir um nível de acesso considerável, antes de prosseguir com a realização de testes.

Além disso, procure garantir que a amostra A e a amostra B do teste tenham o mesmo nível de amostra, o que no caso de uma landing page é o número de acesso a ela.

3. Um teste A/B leva tempo, mas não é eterno

Não adianta rodar um teste A/B e esperar que, apenas algumas horas depois de estar no ar, ele já apresente resultados minimamente conclusivos. Isso simplesmente não irá acontecer!

Um teste A/B precisa de tempo para levar a resultados que possam ser analisados.

Para landing pages, por exemplo, são necessários alguns dias até que os resultados possam ser mensurados para análise.

Mas saiba: é preciso dar tempo ao tempo, mas não todo o tempo do mundo.

Um teste precisa ter data de validade, não podendo ficar rodando ad aeternum (eternamente, em latim).

Analise os resultados. Se a diferença entre os testes for irrelevante, parta para o próximo teste!

Ferramentas que irão te ajudar

Além do MailChimp e da Optimizely, que já citamos acima, existem outras ferramentas que podem te ajudar no controle e automação de testes A/B.

A primeira delas é o velho e bom Microsoft Excel e seus primos, o Numbers, do sistema iOS, e o Calc, do sistema Linux. Se você quiser acompanhar seus testes por si mesmo, planilhas de cálculos são as ferramentas fundamentais.

Porém, se você não quer ter o trabalho de ter de acompanhar tudo “na mão”, o melhor a se fazer é utilizar uma ferramenta de automação.

Isso porque elas já possuem todas as métricas fundamentais e todo o mecanismo de acompanhamento prontos. O que é particularmente útil, e até mesmo imprescindível, para negócios com um alto volume de acessos e de envios de emails.

A logística de acompanhar e mensurar os dados de um teste é quase impossível sem a ajuda de uma ferramenta especializada.

O Google disponibiliza uma ferramenta gratuita para testes, o Google Optimize. A ferramenta auxilia na realização de teste A/B e no acompanhamento dos resultados, com a integração dos dados do Google Analytics.

Faça testes A/B

Se o site de seu negócio já alcançou um nível de acesso considerável ou já possui uma lista de emails com muitos contatos, a realização de um teste A/B irá auxiliar a compreensão do comportamento dos clientes.

Além de como orientar as minúcias de seu negócio, para a obtenção de melhores resultados. Desde qual cor utilizar, qual tipo de linguagem abordar ou mesmo utilizar ou não uma imagem, em uma landing page.

A possibilidade de aplicação de um teste A/B irá depender daquilo que você deseja descobrir sobre o comportamento e as preferências de seu público.

Porém, atente-se às dicas que fornecemos acima. Não rode testes para sempre e nem avalie uma métrica Y para um teste direcionado para a métrica X.

Isso irá garantir que os resultados obtidos e analisados não sejam enviesados ou poluídos, e que a realização do teste cumpra seu papel: garantir maiores taxas de conversão e engajamento às estratégias de seu negócio!

Guest post produzido pela equipe de conteúdo do Webinsider.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.