Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Fechar Black Week Hotmart

Quer fazer mais vendas? Participe da Black Week Hotmart. Nos últimos anos, os números foram impressionantes: aumento de 200% em vendas em um único dia!

Quero participar

10 dicas para quem vai viajar para fora do país para trabalhar

10 dicas para quem vai viajar para fora do país para trabalhar

Veja as melhores dicas para aproveitar suas viagens a trabalho no exterior!

Olá, leitor do blog. Tudo bom?

Meu nome é Thiago Machado, sou responsável pelas operações internacionais do time de Branding da Hotmart, conhecido como InterOps.

Depois de dar uma rodada pelo mundo gravando cases e fazendo eventos, acumulei o conhecimento de “me virar” fora do país.

É muito louco pensar nisso, porque antes de trabalhar na empresa eu nem tinha passaporte ou havia pisado fora do Brasil. Recebi uma oportunidade incrível e sou muito grato por ela. 

Voltando ao texto… 

A ideia aqui é dar uma ajuda para quem vai viajar para trabalhar, ou mesmo começar uma vida de nômade digital (muito comum no mercado digital). 

Nada complexo, mas detalhes que me ajudaram a aproveitar melhor as minhas visitas por aí.

Já passei pela América Latina e Europa, a lista abaixo compila coisas que aprendi visitando mais de 10 cidades fora do Brasil.

Lembro que, quando estava com a primeira viagem marcada, fiquei super ansioso e, ao mesmo tempo, com aquele receio de fazer alguma coisa errada. Mas isso é super normal!

Infelizmente, o friozinho na barriga só passa com o tempo, mas a confiança que toma o lugar é ainda melhor.

Todas as dicas abaixo ficam melhores se você fala a língua do país que vai visitar. Se não for o seu caso, vale fazer uma aula para a viagem, pode ser com um professor particular, com um curso digital focado em viagens ou até mesmo com um daqueles livros que vendem no aeroporto.

Passaporte na mão e navegador aberto, tripulação.

Vamos embarcar nas dicas!

1- Pesquise sobre o país, o estado e a cidade que você vai

Parece óbvio quando se lê uma dica assim, mas sério, gaste mais do que cinco minutos e não entre só no Wikipedia para uma leitura rápida.

Gaste alguns minutos nos dias que antecedem a viagem para entrar em artigos do TripAdvisor, no site da prefeitura da cidade que você vai, em um portal de notícias e até em comunidades em redes sociais.

Além de começar a conhecer antes de chegar, você já fica por dentro do que acontece no local, se planeja e evita situações que podem gerar algum transtorno ou desconforto.

2- Confira as condições climáticas

Ceticismo em relação à previsões de clima é algo normal, mas uma consultadinha em portais com previsões e histórico de previsões podem fazer a sua mala ir mais leve ou mais preparada.

Alguns países passam por transições brutas de clima, ter conhecimento de qual estação do ano e da média de temperatura podem ajudar a desfrutar melhor a sua passagem.

Vai que você não sabia e vai ver neve pela primeira vez? Ou que precisa dar aquela passadinha na farmácia para comprar protetor solar?

Para consultar online você pode acessar o AccuWeather ou o site do Wheater Channel, eles possuem histórico e opções em vários idiomas.

3- Pesquise sobre datas comemorativas ou feriados

Evitar feriados ou querer aproveitá-los é uma escolha sua. Para ficar por dentro, basta procurar as datas comemorativas em sites de prefeitura e portais, como o Time and Date.

Entretanto, datas como eleições e feriados municipais nem sempre estarão em calendários. Por isso, uma boa estratégia é conversar com quem mora no local ou perguntar em uma comunidade antes de ir.

Isso pode salvar horas e dinheiro, já que em feriados os valores para hospedagem e alimentação podem ficar mais altos.

4- Descubra a culinária antes de chegar 

Se você gosta de surpresas e aventuras, ignore esta dica.

Agora, se você possui alguma dieta específica ou restrição alimentar, continue lendo! 

Se você é um Foodie ou quer se programar para aproveitar ao máximo: esta dica também é para você!

O Youtube está repleto de vídeos de culinárias de todas as partes do mundo. Faça uma imersão e descubra o que é a base da alimentação local, o que é simples, o que é sofisticado e como é o acesso a estas coisas.

Assim, você não cria expectativas de comer um prato de uma região diferente da que você vai visitar e nem deixa passar a oportunidade de experimentar a sua nova comida favorita.

Uma boa ferramenta para descobrir a culinária e bons lugares para comer é o Yelp, que está cheio de depoimentos e avaliações.

5- Explore a região que você vai ficar hospedado

Já sabe onde vai se hospedar? Ótimo! Que tal explorar a região pelo Google Street View

Vale para descobrir como será a sua rua, a fachada do local que você vai visitar e o bairro em que você vai ficar. Esta dica é muito útil para quem utiliza o Airbnb para se hospedar.

O mesmo pode ser feito em relação aos locais de trabalho.

Fora do Brasil, existem países nos quais a estrutura urbana não é por ruas com nomes, mas, sim, números, quadras e até “super manzanas”. Saber disso antes de chegar vale ouro! 

Como dito acima, pelo Yelp dá pra você ver quais são os restaurantes para ir ou evitar.

Tem farmácia, lavanderia ou supermercado perto? Basta procurar.

Já sabe os lugares que vai visitar?

Confira os tempos de deslocamento com transporte público ou privado. Dá até pra ver se a região possui muito tráfego. 

6- Descubra a melhor forma de se locomover pela cidade

Rodízio de placas de carro? Proibição de Uber? Metrô eficiente?

É melhor saber isso antes de chegar no aeroporto da cidade que você vai visitar.

Alguns permitem Uber, outros possuem serviços análogos ao Uber e outros táxis baratos.

Para deslocamentos pequeno, algumas cidades possuem planos para alugar bicicletas e patinetes, o que pode ser uma verdadeira “mão na roda”. O plano aqui é já ter em mente quanto vai gastar, reservar ou baixar os aplicativos necessários. 

O Uber e o Cabify possuem sites para você descobrir em quais cidades eles operam.

7- Confira a agenda de eventos

Cursos, shows ou festivais são coisas que, muitas vezes, só ficamos sabendo quando já estamos no lugar e vemos divulgações.

Mas existem sites com a programação cultural dos locais, o EventBrite, TicketMaster e o BandsIntown são bons exemplos. Alguns locais divulgam no site oficial da região.

Vai que o seu ídolo ou o curso que você sempre quis fazer estarão duas quadras da sua casa?

Pesquise e aproveite a oportunidade.

8- Prepare-se financeiramente

Agora que você já pesquisou sobre o local, a comida, a locomoção e os eventos, está na hora de pensar no quanto gastar na viagem.

Isso começa com o mais básico, que é avisar o seu banco, para liberar os cartões de crédito. Ou, então, separar o dinheiro e pesquisar as taxas de câmbio.

A minha dica é trocar o mínimo possível no aeroporto, já que, nele, as taxas de conversão são mais altas.

Pesquise por uma casa de câmbio próxima de onde você vai se hospedar ou trabalhar e confira a melhor taxa para fazer seu dinheiro render mais.

Por segurança, eu recomendo três coisas: 

  1. Durante a viagem, no avião, tenha seu dinheiro e documentos sempre com você, não deixe em malas ou mochilas. Uma boa opção, para garantir a segurança, são as pochetes que você consegue esconder embaixo da roupa, elas também são conhecidas como doleiras.
  2. Não faça passeios levando todo o seu dinheiro e cartões, separe o que você pretende gastar por dia e leve apenas o necessário. Assim, você não arrisca perder tudo em caso de furto ou assalto.
  3. Leve mais de um cartão de crédito ou leve um cartão pré-pago e o dinheiro vivo. Assim como expliquei na última, esta recomendação é para o caso de: se você perder um, tem o outro para seguir com tranquilidade.

9- Fale com pessoas locais

Antes ou depois de chegar no local para onde você vai viajar, ninguém te dará informações mais precisas do que as pessoas que vivem no local.

Fazer parte de grupos de pessoas do seu país que vivem no lugar (ex: brasileiros no México) é uma boa oportunidade para ficar por dentro do que está acontecendo ou esclarecer dúvidas específicas. E o melhor, em seu próprio idioma!

O Facebook está cheio de grupos assim. Se não quer entrar em grupo, um post na sua rede social pedindo informações ou contatos pode ser uma boa também.

Além disso, sempre existe a possibilidade de conversar com as pessoas depois que você chegar lá. Por exemplo, um colega de trabalho ou uma pessoa que está no mesmo lugar que você vai visitar.

Começar uma amizade é sempre bom. Assim, quando você voltar na cidade, seja a trabalho ou a passeio, você já terá companhia.

10- Divirta-se!

Viajar a trabalho ainda é trabalho, mas você pode e deve se divertir. Aproveite a oportunidade de estar em um lugar novo e conheça pontos turísticos, faça novos amigos e aprenda coisas novas. 

Viajar muito pode tirar o encanto de “turistar”, mas a diversão pode estar em visitar o lugar que você mais gosta (independente de ser turístico ou não) ou até mesmo não sair, mas curtir a TV local ou cozinhar aquele prato que você mais gosta. 

A diversão deixa a viagem e o trabalho mais leves, fora que ainda pode ter dar insights da cultura, os quais você não teria em ambientes formais.

Boa viagem e bons negócios!

É isso. Espero que as dicas sejam realmente úteis para você!

Quando comecei a viajar, tive a ajuda de colegas mais experientes, mas sempre através de conversas mais informais.

Não se esqueça que, hoje em dia, temos o mundo na palma de nossas mãos, use isso a seu favor, pesquise! Boas fontes de pesquisa são: sites, vlogs, podcasts e blogs de viagens. Eles são gratuitos e muitos possuem até comunidades cheias de viajantes mais experientes.

Outra boa opção são os roteiros pagos e específicos, feitos por produtores digitais. Estes, muitas vezes, são mais completos do que os gratuitos.

E se seu sonho é abrir o próprio negócio e trabalhar viajando para onde quiser, entenda como se tornar um empreendedor digital!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.