Fechar Notificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

Fechar Newsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Saiba tudo sobre vídeo marketing e aprenda como aplicá-lo em seu negócio

Saiba tudo sobre vídeo marketing e aprenda como aplicá-lo em seu negócio

O vídeo marketing usa vídeo para divulgar produtos e serviços e, assim, atrair e converter clientes. Quer saber mais sobre essa estratégia? Então venha com a gente!

Você já deve ter escutado que os vídeos são o futuro do conteúdo na internet e que você deveria usar o vídeo marketing para divulgar sua marca e seus produtos. Mas você sabe o que é e como aplicar essa estratégia em seu negócio?

Até pouco tempo atrás, o vídeo era visto como mais um componente de uma estratégia de marketing mais ampla.

Mas os tempos mudaram. Com a transformação digital, esse tipo de conteúdo ganhou muito mais relevância e, agora, os vídeos são a peça central das ações e esforços de muitas das maiores marcas globais!

Essa mudança de postura não é à toa. Afinal, os vídeos estão dominando a internet (se é que já não dominaram!) e se transformaram no tipo de conteúdo mais consumido pelas pessoas.

Só para você ter uma ideia, a Pesquisa Video Viewers do Google apontou que, entre 2014 e 2018, o consumo de vídeos na internet cresceu em 135%, enquanto a TV apresentou apenas 13% de aumento.

Os vídeos não são mais apenas mero entretenimento. Eles funcionam como fonte de informação e até mesmo ajudam na tomada de decisão de compra de muitos consumidores. Mais da metade dos consumidores afirmam que os vídeos online ajudam a escolher uma marca ou produto específico, segundo estudo do Google.

Ou seja, se você não está aplicando vídeo marketing em seu negócio da maneira correta, está perdendo muitas oportunidades incríveis (e, com isso, dinheiro!).

Foi por isso que preparamos este guia completo com tudo que você precisa saber sobre vídeo marketing. Você vai conhecer seus benefícios, os principais tipos, o que é preciso para criar um plano de vídeo marketing e como acompanhar de perto os resultados.

Dê uma olhada no que você vai aprender neste guia completo:

Índice
  1. O que é vídeo marketing
  2. O poder dos vídeos
  3. Por que investir em vídeos
  4. Tipos de vídeo marketing
  5. Como criar uma estratégia de vídeo marketing
  6. Canais de vídeo marketing
  7. Principais métricas de vídeo marketing

Afinal, o que é vídeo marketing?

Vídeo marketing é uma estratégia que consiste em fazer marketing por meio de conteúdos audiovisuais. Ou seja, trata-se de usar vídeos, sejam eles online ou veiculados na TV, para divulgar um produto ou uma marca e, assim, atrair, converter e fidelizar clientes.

Mas não pense que o vídeo marketing consiste apenas em tentar vender através de vídeos. Essa estratégia vai muito além disso, e incluiu:

  • publicidade em vídeo para internet, ou vídeo ads;
  • vídeos institucionais para fortalecer a imagem de uma marca ou instituição;
  • vídeos educativos, parte das ações de marketing de conteúdo;
  • vídeos de apresentação e demonstração de um novo produto;
  • cases de sucesso e depoimentos de clientes;
  • conteúdos periódicos em vídeo, como vlogs pessoais;
  • transmissões ao vivo e webinars,
  • entre outros.

Como deu para perceber, o vídeo marketing é uma estratégia bastante versátil e que pode ser realizada em diversos canais e formatos, como veremos ao longo deste artigo.

Entenda o poder dos vídeos

Antes de cair de cabeça no tema e aprender a montar sua estratégia de vídeo marketing, é importante entender como os vídeos se transformaram nos queridinhos da web.

Você já assistiu a algum vídeo hoje? Temos quase certeza de que você respondeu “sim” para essa pergunta. Você e a grande maioria dos usuários de internet.

Segundo a pesquisa The State of Video Marketing 2018, as pessoas consomem, em média, uma hora e meia de vídeos online todos os dias. E 15% dos usuários vão além, assistindo a mais de três horas diárias de vídeo.

São mais de 1 bilhão de horas de vídeo assistidas todos os dias no YouTube, segundo maior buscador da internet, perdendo apenas para o Google.

Nas redes sociais, a situação não é diferente. Diariamente, o Facebook contabiliza 100 milhões de horas de vídeo assistidas. No Instagram, os Stories já contam com mais de 500 milhões de espectadores. E até no Twitter os vídeos fazem sucesso, com 82% dos usuários assistindo a vídeos na plataforma.

E o que leva tantas pessoas a gastarem seu tempo assistindo a vídeos?

Além de buscarem entretenimento, os internautas também acessam plataformas de vídeos online para aprenderem coisas novas e se manterem informados.

Os vídeos também são o canal preferido dos internautas para interagirem com suas marcas favoritas. De fato, 79% dos usuários consideram o vídeo como o melhor formato para acompanhar uma marca online, segundo dados do Brightcove.

Com a popularidade lá em cima, era questão de tempo até que os vídeos atraíssem a atenção de marcas e profissionais de marketing. É cada vez maior o número de empresas; sejam elas de grande, médio ou pequeno porte; que usam os vídeos como canal para se relacionarem com o público e divulgarem seus negócios.

No infográfico abaixo, você confere estatísticas que comprovam que o vídeo marketing veio para ficar!

vídeo marketing - infográfico com dados e estatísticas sobre o poder dos vídeos no mundo atual

Então, você deve focar apenas em vídeo marketing?

Com tantas vantagens assim e cada vez mais presença online, será que os vídeos devem virar sua estratégia número um? Chegou a hora de abandonar seu blog e virar um youtuber?

Não é bem por aí…

Como deu para perceber, se você não investir na produção de vídeos, estará perdendo grandes oportunidades de crescimento e negócios.

Porém, isso não significa que as outras estratégias, como produção de blogposts, e-mail marketing e mídia paga, ficaram obsoletas.

O mais importante no marketing é avaliar quais as necessidades de seu negócio, os objetivos que espera alcançar e, acima de tudo, o tipo de conteúdo que tem mais chances de impactar seu público-alvo.

Ou seja, fazer vídeo marketing não vai adiantar nada se você não tiver um foco e se sua audiência quiser consumir outro tipo de conteúdo – mesmo que seus vídeos sejam muito bem produzidos, com imagens lindas e ótima apresentação.

Por que você precisa investir em vídeos?

Com as estatísticas que mostramos, você já deve ter uma noção dos benefícios de apostar no vídeo marketing. Mas esses não são os únicos motivos para investir na produção de vídeos em seu negócio.

Confira mais 10 razões para você começar a investir em vídeo marketing agora mesmo:

1. São fáceis de produzir

Uma das maiores dúvidas que empreendedores e marcas iniciantes têm sobre o vídeo marketing é em relação à dificuldade de começar a aplicar essa estratégia.

Será que, para ter sucesso com essa estratégia, é preciso ter câmeras e microfones de última geração, um estúdio profissional e uma equipe especializada?

Não necessariamente. Ao contrário do que o senso comum diz, hoje em dia já não é mais tão difícil produzir vídeos.

Embora produções mais complexas necessitem de equipamentos e profissionais especializados, conteúdos mais simples como um vlog, um vídeo de demonstração ou uma live necessitam, basicamente, de uma câmera e um computador ou smartphone.

O mais importante, como mostraremos ao longo do texto, é produzir um conteúdo útil e alinhado aos interesses do público.

2. Explicam conceitos complexos com facilidade

Quando você quer aprender um conceito mais complexo ou busca um passo a passo para fazer alguma coisa, o que você prefere: um longo texto ou um vídeo explicativo?

Se você respondeu que prefere o vídeo, saiba que não é à toa. De fato, a maioria dos internautas clica nos resultados de vídeo para aprender algo rapidamente.

Isso acontece porque os vídeos reúnem, em um só lugar, elementos visuais, gráficos e sonoros. Com isso, é muito mais fácil explicar conceitos complexos ou mostrar os detalhes de um produto em um vídeo do que em um texto, por exemplo.

Além de facilitar a compreensão de informações, o vídeo ainda faz com que elas sejam mais retidas. As pessoas costumam se lembrar de apenas 10% das informações que escutam. Porém, recursos audiovisuais aumentam a retenção do conteúdo, chegando a 65% da informação três dias depois, segundo dados do Brain Rules.

Pense nisso quando quiser divulgar os lançamentos de seu negócio.

3. São mais responsivos

Outra razão para começar a investir em vídeo marketing é o fato desse tipo de conteúdo ser bastante responsivo. O usuário pode assistir a um vídeo em praticamente qualquer dispositivo com acesso à internet, como TVs, notebooks, tablets e smartphones.

Essa flexibilidade é muito importante hoje em dia, já que o celular se tornou o dispositivo mais usado para navegar na internet.

Isso significa que quem trabalha com produção de conteúdo precisa garantir que seus materiais sejam compatíveis com qualquer dispositivo e tamanho de tela. Afinal, se o usuário notar que seu conteúdo não é exibido corretamente no dispositivo que ele está usando, as chances dele abandonar sua marca são muito grandes.

E sabe quem sai ganhando essa corrida? Isso mesmo, os vídeos! Eles podem ser assistidos no smartphone, no tablet, no PC e até na TV.

4. Aumentam o engajamento do público

Por serem preferidos pelo público, mais fáceis de assistir e responsivos, já era de se imaginar que os vídeos seriam mais engajantes.

E de fato são! Quer uma prova? De acordo com a Forbes, visitantes gastam até 88% mais tempo em um site com vídeo.

Além disso, segundo a Social Bakers, postagens com vídeos apresentam alcance muito maior que outros formatos, como imagens e textos.

E quanto mais pessoas atingidas pelo seu conteúdo, mais comentários, curtidas e compartilhamentos você recebe, aumentado o número de interessados em seus produtos e serviços. E tudo isso reflete sobre as vendas!

5. Viralizam com mais facilidade

O sonho de todo empreendedor digital é ver sua marca na boca do povo e seus conteúdos viralizando na internet. E o vídeo marketing pode ajudar nesse processo.

Pare por um momento e tente recordar do último conteúdo viral que você recebeu de amigos ou familiares. Temos quase certeza de que esse conteúdo foi em vídeo, correto?

Isso acontece porque os conteúdos audiovisuais são mais engajantes e atraentes que um texto. Por causa disso, de acordo com a Simply Measured, vídeos geram 1200% mais compartilhamentos que todos os outros conteúdos juntos!

Ou seja, se você quer que os conteúdos de sua marca viralizem, então precisa começar a produzir vídeos.

6. Melhoram o SEO de seu blog/site

Provavelmente você já sabe o que é SEO (search engine optimization, ou otimização para mecanismos de busca) e quais os principais fatores de ranqueamento que o Google utiliza para classificar as páginas.

A maioria das técnicas de SEO consistem em otimizar textos e imagens. Porém, um aspecto que é pouco discutido, é que os vídeos têm grande influência na classificação e ranqueamento.

Isso acontece porque um fator analisado pela maioria das ferramentas de pesquisa é o engajamento que o conteúdo recebe. E como explicamos nos itens anteriores, os vídeos são muito mais engajantes. Além disso, já faz algum tempo que o Google passou a dar destaque para os vídeos entre os resultados de busca na plataforma.

E os dados não mentem. Segundo o estudo The State of Video Markeitng 2017, 76% das empresas que apostam no vídeo marketing disseram que ele aumentou o tráfego orgânico de seus canais.

E o resto você já sabe: quanto mais bem posicionado seu conteúdo estiver, mais cliques ele recebe e, consequentemente, mais alcance, engajamento e conversão ele terá.

7. Geram mais autoridade

Como já explicamos, as pessoas costumam assistir a vídeos para se informarem e aprenderem sobre alguma coisa. Nesse sentido, quando você produz conteúdos relevantes, automaticamente ganha autoridade em seu nicho.

Além de mostrar com mais facilidade como um produto ou serviço funciona, os vídeos online também podem ser utilizados para educar o mercado por meio de videoaulas e tutoriais, por exemplo.

Além disso, quando o material é produzido com capricho e atenção, gera na audiência a sensação de que a marca sabe o que está fazendo e tem capacidade técnica superior aos concorrentes.

8. Apresentam ótimo ROI

Na hora de escolher qual estratégia de marketing colocar em prática, muitos profissionais analisam seu ROI, ou seja, a capacidade dessa ação gerar resultados concretos, como leads e vendas.

Afinal, se uma estratégia exige grandes investimentos, mas não é capaz de trazer leads suficientes para a marca, talvez não valha a pena.

Nesse aspecto, o vídeo marketing sai na frente de outras estratégias de marketing.

Uma pesquisa realizada pelo Aberdeen Group apontou que as empresas que investem em vídeos geram 66% mais leads qualificados por ano e apresentam um aumento de 54% no brand awareness em relação às que não apostam nesse formato.

9. Ajudam a vender mais

De nada adiantaria o vídeo marketing gerar mais autoridade e engajamento ou atrair mais visitantes se não ajudasse a aumentar as vendas de seu negócio.

Como esse tipo de conteúdo é mais didático, gera mais empatia e engajamento, acaba sendo utilizado pelo público como um importante fator na hora de decidir por uma compra.

E faz todo sentido. Na hora de escolher por um produto ou serviço, um vídeo explicativo ou de demonstração consegue apresentar mais informações sobre a mercadoria de um jeito fácil de entender.

E o consumidor já sabe disso. Segundo a Forrester, três a cada cinco internautas assistem a vídeos quando estão interessados em um produto ou serviço. Além disso, 52% dos consumidores dizem que vídeos de produtos ajudam na decisão de compra.

Quais os tipos de vídeo marketing?

Agora que você conferiu todos os benefícios e vantagens do vídeo marketing para seu negócio, deve estar morrendo de vontade de começar a gravar, não é mesmo?

Mas antes de dar o pontapé inicial nesse processo, é importante definir que tipo de conteúdo você quer criar. Afinal, cada formato de vídeo apresenta suas próprias características e exige recursos diferentes.

Pensando nisso, listamos os principais tipos de vídeo para você usar em sua estratégia de vídeo marketing:

1. Vídeo institucional

Toda marca precisa se comunicar com seu público, transmitindo seus valores e objetivos e se apresentando de maneira positiva no mercado. E uma das ferramentas mais poderosas nesse sentido são os vídeos institucionais.

Esse tipo de conteúdo não serve para destacar um produto ou serviço. Pelo contrário, o objetivo de um vídeo institucional é apresentar para a empresa e seu posicionamento para o mercado. São conteúdos criados para fortalecer o branding, gerando identificação, reconhecimento e autoridade.

Quer um exemplo? Dê só uma olhada no vídeo que fizemos aqui na Hotmart mostrando para o mundo um pouco dos nossos valores e cultura:

2. Vídeo marketing pessoal

Não são apenas marcas que precisam criar autoridade e ganhar reconhecimento na rede. Profissionais e empreendedores também precisam apostar no marketing. E os vídeos podem ajudar nessa tarefa.

É perfeitamente possível incluir a produção de vídeos dentro de uma estratégia de marketing pessoal, usando esse tipo de conteúdo para evidenciar suas características profissionais de maneira mais efetiva e interativa.

3. Vídeo comercial

Esse tipo de conteúdo é fácil de identificar. São as propagandas em vídeo, produzidas para divulgar ao mercado produtos ou serviços de uma marca.

Nesse formato, o objetivo é mostrar para os consumidores não apenas o produto em si, mas como ele funciona, seus diferenciais frente aos concorrentes e qualidades.

A intenção é, basicamente, “vender o peixe” da marca e gerar na audiência o desejo de adquirir essa mercadoria.

4. Vídeo educativo

Os vídeos educativos são quaisquer tipos de conteúdos audiovisuais cujo objetivo principal seja ensinar alguma coisa para o público, como um conceito ou habilidade.

Com a popularização da internet, esses vídeos têm ganhado mais relevância, dando origem à febre das videoaulas. Afinal, é grande o número de pessoas interessadas em adquirir conhecimento. E o vídeo, como vimos, é um dos melhores formatos para transmitir informações.

Em nosso canal no YouTube temos diversos conteúdos educativos em vídeo, onde explicamos conceitos de marketing digital e vendas. Como o vídeo abaixo, sobre funil de vendas:

5. Vídeo cases

Nada gera mais autoridade e credibilidade para uma marca ou produto do que conhecer histórias de sucesso de clientes reais. São os chamados depoimentos ou cases de sucesso.

E o melhor é que esse tipo de conteúdo funciona ainda mais em formato de vídeo!

Afinal, além de conferir como o produto ou serviço ajudou o consumidor a resolver um problema, o público ainda está vendo esse cliente. Isso traz ainda mais credibilidade para o material.

Dê só uma olhada no depoimento de Lara Rogedo, a mente criativa por trás blog Aldogão Cru, que ensina corte e costura para milhares de pessoas:

6. FAQ vídeo

Com certeza você já ouviu falar das FAQ, ou perguntas frequentes, na tradução do inglês. Nada mais são do que uma lista com as questões que os clientes costumam fazer sobre um produto ou serviço.

E, assim como no caso dos cases de sucesso, as FAQ também podem ser transformadas em vídeo!

Assim, é possível aproveitar todos os recursos audiovisuais para criar um material didático e muito explicativo, estreitando o relacionamento com o público.

7. Demonstração de produto

Outro tipo de vídeo que não podia ficar de fora da nossa lista são os vídeos de demonstração de produtos. Eles são ideais para usar na página inicial de um site ou em uma landing page.

Os vídeos de demonstração mostram ao público como sua solução funciona e quais os problemas que ele resolve. E o melhor é que ele vale não só para produtos físicos, mas também para serviços, como softwares.

Um exemplo é o vídeo abaixo, no qual apresentamos uma das ferramentas da plataforma da Hotmart, o Checkout Builder:

8. Vlog

Se você costumava acessar a internet entre o fim dos anos 90 e início dos anos 2000, deve se lembrar dos blogs e fotoblogs, diários digitais onde os internautas compartilhavam seu cotidiano em formato de texto ou foto, respectivamente.

Hoje em dia, esse formato se atualizou e deu origem ao vlog, que é basicamente um vídeo que retrata o cotidiano de uma pessoa ou marca. É bastante utilizado por influenciadores digitais, que usam as redes sociais para apresentar para os fãs um pouco de seu dia a dia.

Veja um exemplo de vlog publicado no YouTube da Hotmart:

9. Vídeos animados

Vídeos animados, sejam eles em 2D ou 3D, são excelentes formatos de conteúdo para explicar conceitos complexos ou que necessitam de recursos visuais para serem compreendidos.

Eles podem, por exemplo, ser utilizados para demonstrar funções avançadas de um software ou serviço online.

Um exemplo é o conteúdo abaixo, que conta um pouco como funciona a Hotmart:

10. Transmissão ao vivo

As transmissões ao vivo se transformaram em um dos tipos de vídeo mais populares da internet nos últimos anos, principalmente nas redes sociais, que passaram a oferecer recursos de lives para os usuários.

E as lives se encaixam perfeitamente em uma estratégia de marketing, com resultados incríveis. Vídeos ao vivo estão entre os formatos com maior engajamento, apresentando uma taxa de retenção até 8 vezes maior, segundo dados do site Livestream.

Sua marca pode fazer uma transmissão ao vivo para cobrir um evento, mostrar os bastidores da companhia, entrevistar especialistas, fazer webinars ou uma sessão de perguntas e respostas com o público.

Como criar uma estratégia de vídeo marketing?

vídeo marketing - lista com 9 passos para colocar o vídeo marketing em prática

A produção de vídeos, especialmente quando falamos de conteúdos para uma estratégia de marketing, exige diversos cuidados e muito planejamento. Afinal, qualquer deslize pode impactar negativamente na imagem que o público tem da marca e seus produtos.

Mas isso não significa que essa é uma tarefa impossível. Para te mostrar que fazer vídeo marketing não é um bicho de sete cabeças, separamos os nove passos que você precisa seguir para implementar sua estratégia.

Veja só:

1. Planeje seu conteúdo de vídeo marketing

A primeira coisa que você precisa fazer antes de ligar a câmera e gravar é pensar sobre o propósito de seu vídeo.

Mas por que isso é importante?

Bem, qualquer decisão que você tomar durante o processo criativo deve ter em foco seu objetivo e a ação que você espera da audiência depois que ela assistir ao conteúdo.

Por exemplo, se seu objetivo é divulgar o lançamento de um curso online, o tipo de vídeo e o conteúdo será diferente de um material institucional.

Sem definir bem seu objetivo com a produção do vídeo, é provável que você fique totalmente perdido, sem saber por onde começar e desperdiçando tempo e recursos preciosos.

Dessa maneira, reúna sua equipe e faça uma reunião de brainstorming. Defina o que sua marca espera alcançar com a realização do vídeo. Pode ser aumentar o brand awareness, aumentar as vendas de um evento ou ajudar na conversão de uma landing page.

2. Escolha os indicadores de desempenho

Agora que você já definiu o objetivo do vídeo, é importante escolher quais serão os critérios para que o vídeo seja considerado um sucesso e, consequentemente, os KPIs, ou indicadores-chave de desempenho, que serão acompanhados.

Por exemplo. se você vai lançar um novo produto no mercado e pretende criar uma série de vídeos de demonstração, talvez seja uma boa ideia acompanhar o número de conversões após a publicação dos conteúdos.

Definir com antecedência os indicadores que serão analisados garante que você não perca tempo acompanhando dados que não serão relevantes para sua estratégia e tenha uma perspectiva mais realista de seu negócio.

3. Conheça bem seu público-alvo

Outro aspecto fundamental da produção de vídeos e que você não pode esquecer é conhecer bem o perfil do público que você quer atingir com o conteúdo.

Isso porque o conteúdo deverá ser produzido de acordo com os gostos, interesses e comportamento da audiência. Detalhes como formato, duração, tipo de vídeo, plataforma de hospedagem e divulgação dependem desse perfil.

Por exemplo, o tipo de vídeo que adolescentes do gênero masculino e usuários do Twitter costumam consumir é bastante diferente dos conteúdos mais populares entre mulheres com mais de 30 anos e que acessam mais o Facebook.

Para não errar nessa etapa, além de ter sua persona definida, é importante responder a algumas perguntas bastante simples:

  • Quais são os interesses do público que você pretende alcançar?
  • Quais canais (redes sociais, plataformas etc) ele acessa com mais frequência?
  • Qual a duração média dos conteúdos assistidos?
  • Em qual horário essas pessoas mais acessam a internet?

Compreendendo o público com mais profundidade, ficará mais fácil criar conteúdos assertivos.

4. Estude o mercado e sua concorrência

A não ser que você tenha um produto ou serviço revolucionário, nunca antes visto no mercado, é bem provável que tenham empresas concorrentes em seu nicho. E mais provável ainda é que essas marcas já estejam investindo em vídeo marketing.

O próximo passo da sua estratégia é estudar o que esses concorrentes estão fazendo e se estão alcançando bons resultados com isso.

Acompanhando o que as outras empresas de seu setor estão fazendo, fica mais fácil criar conteúdos únicos, explorando pontos que os concorrentes estão deixando de lado. E, assim, respondendo melhor às dores do público.

Mas atenção, monitorar a concorrência não é o mesmo que plagiar o que ela está fazendo. Pelo contrário. A intenção é identificar e explorar oportunidades. Sendo assim, procure prestar atenção em alguns detalhes, como:

  • Se essas marcas já produzem ou pensam em produzir conteúdos em vídeo;
  • Qual o formato e a abordagem desses conteúdos;
  • Quais os vídeos dos concorrentes com mais audiência e engajamento;
  • Se existem pontos e formatos que não foram explorados por essas marcas.

5. Planeje o conteúdo de acordo com o funil de vendas

Outro aspecto fundamental ao traçar uma estratégia de vídeo marketing é construir todo o percursos que o público fará, desde o primeiro contato com seus vídeos até a decisão de compra.

Por ser um tipo de conteúdo bastante versátil, o vídeo se encaixa em qualquer etapa do funil de vendas, auxiliando desde leads que estão descobrindo que possuem um problema até pessoas que procuram informações que as ajudem a decidir entre dois produtos similares.

Mas é preciso ter um pouco de cuidado, afinal cada formato de vídeo se adequa mais a uma etapa específica do funil. Tenha isso em mente na hora de traçar sua estratégia.

Topo do funil

No estágio de aprendizado e descoberta, o público desconhece sua empresa e, consequentemente, os serviços que você oferece. Aqui, as pessoas ainda estão e entendendo que têm um problema a ser resolvido.

Por isso, o ideal é produzir conteúdos mais relacionados aos interesses da persona em vez de tentar vender seus produtos. Prefira vídeos que explorem os principais problemas que o público enfrenta. Isso ajuda a construir uma relação de confiança com a marca.

Entre os formatos que você pode explorar nesse momento estão webinars, entrevistas, vlogs e tutoriais em vídeo.

Meio do funil

Depois de reconhecerem a existência do problema, o público passa para o meio do funil, na etapa de consideração. Agora ele está pesquisando como resolver essa necessidade e é o momento de produzir conteúdos mais direcionados, apresentando dicas práticas e conteúdos de fácil consumo.

Entre os formatos de vídeo que se encaixam no meio do funil, estão tutoriais, entrevistas, vídeos explicativos e de demonstração.

Fundo do funil

Agora que a audiência já sabe como resolver suas dores, é hora de posicionar sua marca como a melhor opção. A chave na etapa de decisão é oferecer dados que acabem com qualquer dúvida em relação a sua empresa e transforme esses leads em oportunidade.

No fundo do funil, os vídeos podem ajudar a explicar um produto ou serviço, mesmo aqueles mais complexos. Além disso, apostar em provas sociais, como depoimentos, também é importante para convencer quem ainda estava em dúvida se fechava negócio com você.

Vídeos institucionais, estudos de caso, animações, vídeos explicativos e demonstração de produtos são ótimas opções para a fase de decisão.

Bônus: vídeos no pós-venda

Quem trabalha com vendas sabe que o relacionamento como cliente não acaba depois que a compra é concluída. Pelo contrário, ele só está começando, já que, depois de vender, é preciso reter esse cliente e transformá-lo em embaixador da marca.

Nesse sentido, o vídeo marketing pode ajudar na etapa de pós-venda, aumentando a fidelização de clientes. Portanto, aposte em conteúdos personalizados, feitos sob medida para quem já é seu cliente.

Você pode, por exemplo, usar vídeos para anunciar condições exclusivas e ofertas, explicar funções avançadas de um produto ou serviço e até apresentar, em primeira mão, algum lançamento.

Alguns formatos são excelentes nesse estágio do funil, como webinars e lives em geral, cases de sucesso, vídeos personalizados (aqueles conteúdos padronizados que apresentam nome e informações de cada usuário) e vídeos explicativos.

6. Elabore o roteiro

Embora seja tentador ligar a câmera e sair gravando, existe um detalhe que você não pode deixar de fora: o roteiro.

O roteiro de vídeo, ou script, é um documento que condensa todas as informações e indicações necessárias para a produção do conteúdo. E isso inclui coisas como movimentos de câmera, cenário, posicionamento dos atores, falas, animações, legendas, trilha sonora e até mesmo efeitos de edição.

Elaborar um roteiro permite que você já defina, de antemão, detalhes cruciais, como a duração do conteúdo, o tom de linguagem e os recursos visuais que serão utilizados. Além disso, também fica mais fácil identificar e corrigir qualquer problema que surgir durante a produção, evitando imprevistos.

7. Hora de gravar!

Pronto! Com todos os detalhes anteriores prontos, chegou o tão esperado momento de ligar a câmera e começar a filmar!

Na hora H, é muito importante que você tenha em mãos o roteiro que você elaborou, além de conferir com cuidado todos os equipamentos que você vai usar, como câmeras, microfones e iluminação.

Não se preocupe se não acertar tudo de primeira. Caso erre alguma fala ou tomada, pare um pouco, respire, e comece de novo. Depois, durante o processo de edição, os devidos cortes serão feitos.

A seguir, separamos algumas dicas para se dar bem na produção de vídeos:

Câmera

Sabemos que o sonho de qualquer produtor de conteúdo é ter a melhor câmera do mercado, mas isso nem sempre é possível. Afinal, elas são equipamentos bastante caros e difíceis de manusear.

Mas não se preocupe. Você não precisa necessariamente de modelos profissionais para produzir conteúdos profissionais. Câmeras compactas e mais básicas dão conta do recado, desde que você saiba explorar seus recursos.

Sabendo exatamente o tipo de conteúdo que você quer produzir, fica fácil escolher o modelo mais adequado. E se você ainda estiver em dúvida, basta conferir nosso artigo com as melhores câmeras para gravar vídeos.

Microfone

Não adianta ter uma câmera top de linha, com imagens perfeitas, se o áudio de seu vídeo estiver baixo ou cheio de ruído. Lembre-se que muitas das informações que um vídeo transmite estão em formato de áudio.

Por isso, evite gravar com o microfone interno da câmera. Sua qualidade não é das melhores e você fica mais suscetível a interferências.

Existem diversos modelos de microfones dedicados que você pode usar em suas produções, desde os mais básicos e baratos, até equipamentos profissionais. Reunimos alguns modelos em um artigo aqui em nosso blog, além de dar dicas para escolher o melhor microfone.

Iluminação

Para ter uma boa imagem, não basta apenas ter uma câmera de gravação top de linha. Você precisa garantir que o ambiente onde a filmagem é feita esteja bem iluminado.

O ideal é ter os equipamentos de iluminação adequados, como refletores, painéis de LED e rebatedores. Porém, caso seu orçamento não permita, prefira gravar em ambientes iluminados, preferencialmente à luz ambiente.

Para ajudar você nessa tarefa, separamos algumas dicas de como fazer iluminação caseira de vídeos em um post aqui em nosso blog.

Edição

Depois de desligar a câmera, é bem provável que você tenha horas e mais horas de tomadas. Agora, é preciso organizar todo esse conteúdo de maneira lógica, cortando os excessos e inserindo os efeitos necessários.

É durante a edição de vídeo que você irá inserir legendas, animações, transições, efeitos sonoros e trilha, além de fazer cortes e montar o conteúdo de maneira lógica.

O ideal é contar com um profissional especializado nessa tarefa, mas já existem programas de edição intuitivos e mais simples, garantindo um resultado muito bom.

Se você quiser conhecer alguns dos melhores programas de edição de vídeo, não deixe de conferir nosso artigo completo sobre o assunto.

8. Divulgue o conteúdo nos lugares certos

Quem não é visto, não é lembrado. Se você quer que sua marca tenha alcance e reconhecimento, é muito importante saber onde e como divulgar seus vídeos. Afinal, se você não colocar seu conteúdo na rede, ele não será acessado e, portanto, todo seu trabalho e esforço não terá valido a pena.

Mas não pense que basta hospedar seu vídeo no YouTube e esperar os views e o engajamento caírem do céu. Essa tarefa demanda planejamento estratégico e muito cuidado para alcançar o resultado esperado.

O primeiro passo é saber exatamente onde seu público está. Lembra-se que logo no começo dissemos que você precisa conhecer sua persona?

Então, com base nesse perfil, você consegue saber exatamente quais os canais mais acessados pelo seu público-alvo e, o mais importante, os horários em que ele costuma ficar online.

Em seguida, procure conhecer as características de cada canal. Por exemplo, o LinkedIn é uma rede social voltada para o público corporativo. Logo, os conteúdos postados por lá precisam ser mais sérios e podem ser um pouco mais longos. Ao contrário do Instagram, que prioriza publicações mais visuais, curtas e fácil compreensão.

Use essas informações para criar um calendário editorial, organizando de maneira lógica quando e onde cada vídeo será publicado. Defina também a frequência de postagens e as chamadas que serão usadas para atrair a atenção das pessoas.

9. Mensure os resultados

O último passo é também um dos mais importantes. Depois de produzir e divulgar os vídeos, é hora de acompanhar se eles estão performando bem. Assim, você consegue dizer se sua estratégia está indo no caminho certo ou se alguns ajustes são necessários para alcançar os objetivos que você definiu lá no começo.

Mas como fazer isso? Simples. Ficando de olho em algumas métricas de desempenho. Existem dezenas de dados que você pode avaliar, mas as mais comuns em uma estratégia de vídeo marketing são:

  • taxa de retenção;
  • taxa de abandono;
  • conversão e
  • engajamento.

Vamos explicar cada uma delas em detalhes mais abaixo, mas por enquanto é importante que você acompanhe esses dados de perto. Também preste atenção nos KPIs que você definiu logo no início do planejamento.

Caso os números estejam abaixo do esperado, tente identificar o que deu errado em sua estratégia e, se possível, mude a abordagem o mais rápido possível.

Quais os canais de vídeo marketing?

Agora que você já entendeu como planejar e executar uma estratégia de vídeo marketing, vamos conhecer um pouco mais sobre os principais canais onde seus conteúdos podem ser divulgados.

Lembre-se que é importante conhecer sua persona para saber em quais dessas plataformas investir.

Youtube

O YouTube não é um site comum. É a maior plataforma de vídeos online do mundo, sendo o lugar preferido por 44% dos usuários para assistir a esses conteúdos, segundo a Pesquisa Video Viewers.

Isso significa que, se você quer ter alcance e relevância, precisa criar um canal no YouTube. É lá que a grande maioria dos usuários espera encontrar conteúdos de qualidade, fazendo da plataforma uma excelente vitrine para seu negócio.

Instagram

Quando o Instagram nasceu, o foco era no compartilhamento de fotos. Porém, com o passar do tempo, a rede social cresceu e se abriu também para os vídeos.

Hoje em dia, já é possível compartilhar vídeos cursos no feed e também nos Stories, além de aproveitar o IGTV, uma ferramenta voltada exclusivamente para a publicação de vídeos mais longos.

Se o seu negócio depende de conteúdos mais visuais, como moda, por exemplo, você não pode deixar o Instagram de fora de sua estratégia de vídeo marketing.

Facebook

A maior rede social do mundo, com mais de 2 bilhões de usuários ativos em todo mundo, não poderia deixar de ser um dos melhores canais de vídeo marketing.

A ferramenta conta com diversos serviços voltados para a publicação de conteúdos audiovisuais, como o Facebook Watch, concorrente direto do YouTube.

Além disso, o algoritmo da rede social privilegia conteúdos em vídeo no feed dos usuários, aumentando o alcance de posts desse tipo.

Twitter

O Twitter, famoso por permitir publicações com até 280 caracteres, também se abriu para o poder dos vídeos. Principalmente depois a plataforma adquiriu o Periscope e incluiu a função de transmissão ao vivo sem seu aplicativo.

Além de vídeos nativos no Twitter, as lives também ajudam a conquistar e engajar seguidores. Além disso, se seu conteúdo for bem produzido e cativante, são grandes as chances de viralizar, conquistando milhares de compartilhamentos e curtidas em pouco tempo.

LinkedIn

Se seu público tem interesse em temas profissionais, então não deixe de investir em vídeos para o LinkedIn. A maior rede social corporativa também é uma ótima plataforma de vídeo marketing.

De fato, um vídeo no LinkedIn tem cerca de 20 vezes mais chance de ser compartilhado que um texto, por exemplo. Ou seja, você não pode deixar essa ferramenta de fora da sua estratégia.

Blog

Mesmo que você invista em uma ou em todas as outras plataformas que citamos, é importante publicar seus vídeos também no blog de seu negócio.

Você pode incorporar o conteúdo em um blog post, complementando as informações do texto, ou criando uma página reservada só para eles.

Quais as métricas de vídeo marketing você deve acompanhar?

Então, você criou seus primeiros vídeos, publicou os conteúdos nos canais mais usados pelo público e as primeiras visualizações e comentários começaram a aparecer. Mas como saber se essa estratégia está dando certo?

O segredo, como você deve se lembrar, está na definição dos KPIs e métricas adequados para seu negócio e para os objetivos que você espera alcançar. Somente assim você terá dados precisos, essenciais na hora de corrigir possíveis erros e melhorar ainda mais a estratégia.

Existem dezenas de métricas que você pode acompanhar para saber se seus vídeos estão performando bem. Porém, separamos algumas das mais comuns para você ficar de olho. Confira:

a) Taxa de retenção

A nossa primeira métrica diz respeito ao tempo médio de seus vídeos que as pessoas assistem antes de abandoná-los. Ou seja, quanto tempo demora até que alguém pare de assistir.

A taxa de retenção dá uma excelente ideia da relevância e interesse que o público tem no assunto que cada vídeo aborda.

Se a métrica estiver muito baixa, é sinal de que você precisa mudar a abordagem. Ou o tema não é interessante para a audiência ou o vídeo é longo e cansativo demais.

b) Taxa de abandono

Em seguida, temos a taxa de abandono. Esse indicador permite saber o momento exato em que as pessoas estão deixando de assistir ao seu vídeo.

De acordo com o resultado, você pode adotar estratégias para diminuir o abandono. Por exemplo, se o público para de assistir ao vídeo muito cedo, talvez seja um sinal de que ele prefere conteúdos mais curtos e objetivos.

c) Taxa de conversão

Se você quer usar vídeos para vender um produto ou serviço, precisa ficar de olho na taxa de conversão! Ela indica quantos usuários acessaram a landing page de um produto, se cadastraram em uma newsletter ou baixaram um material rico a partir de seu vídeo.

Se essa taxa estiver alta, é sinal de que seu conteúdo foi bem pensado e consegue convencer o público a dar mais um passo na jornada de compras. Agora, se o resultado está abaixo do esperado, talvez você precise revisar o conteúdo ou inserir um CTA melhor.

d) Engajamento

Esse indicador reúne todos os dados sobre curtidas, comentários e compartilhamentos que uma publicação teve em todos os canais em que foi compartilhado.

Por meio do engajamento, você consegue saber quais vídeos o público considera mais atraentes e relevantes. Use essa informação para reproduzir as estratégias que deram mais certo ou corrigir aquelas que não estão indo tão bem.

Comece agora a investir em vídeo marketing

Viu só como o vídeo marketing não é um bicho de sete cabeças?

E como os vídeos estão se consolidando como o formato preferido do público, você não pode deixar essa estratégia de fora dos planos de seu negócio.

Com os avanços da tecnologia e a popularização da internet, produzir vídeos ficou mais fácil e acessível. Criar conteúdos incríveis é possível até mesmo por quem não tem tantos recursos ou equipamentos profissionais.

O importante é planejar com cuidado todas as ações, de modo a produzir vídeos 100% focados nos interesses do público e, claro, acompanhar de perto os indicadores de desempenho.

Então, não perca tempo, siga as dicas deste texto e dê o pontapé em sua estratégia de vídeo marketing!

E se você quiser se aprofundar ainda mais no mundo dos conteúdos audiovisuais, confira nosso guia completo sobre como fazer vídeos.

Este post foi originalmente escrito em outubro de 2018 e atualizado para conter informações mais completas e precisas.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.