Fechar

Conheça o trabalho de um videomaker e saiba como entrar nesse mercado

Descubra todas as etapas do trabalho de um videomaker!

videomaker - ícone de pessoa com uma claquete ao lado esquerdo e um ícone de arquivo de vídeo ao lado direito

Atualmente, o vídeo tem sido o formato mais usado pelas empresas para divulgar seus produtos, compartilhar conteúdos e, principalmente, interagir com seus consumidores.

Apesar de ser totalmente possível produzir vídeos amadores de alta qualidade, contar com um profissional como o videomaker pode ser muito mais benéfico.

A forma como as pessoas consomem conteúdo se modificou ao longo dos anos. E a popularização dos vídeos, juntamente com o surgimento de plataformas que facilitam a sua distribuição, só contribuiu para isso.

Esse fenômeno reflete diretamente na maneira como o criador de vídeos trabalha, já que ele precisa estar sempre atento às novas linguagens, estilos e todo o tipo de novidade que cerca o campo audiovisual para se manter ativo no mercado.

Assim, com o intuito de fazer você compreender o que um videomaker faz, elaboramos o conteúdo de hoje. Continue acompanhando e confira!

Post index MenuÍndice
O que é um videomaker e quais são suas funções? Quais softwares um videomaker usa? Quais as diferenças entre um videomaker e um cineasta? Como é o mercado de trabalho? Quais as principais tendências para a profissão?
Voltar ao Índice

O que é um videomaker e quais são suas funções?

O trabalho desse profissional faz parte de todas as etapas do processo de criação de um vídeo, e não somente das filmagens, como veremos a seguir:

Pré-produção

A pré-produção tem como finalidade o planejamento de todo o projeto. É aqui que toda a equipe, juntamente com o videomaker, decidirá quais serão as melhores abordagens para que tudo corra como planejado.

Abaixo, você vê as atividades que um videomaker realiza durante o processo de pré-produção:

Participa das reuniões de brainstorming

O brainstorming é a reunião em que a equipe se reúne para explorar as mais variadas ideias acerca do vídeo.

É o momento em que todos dão sugestões, baseadas em suas pesquisas, para começar a elaborar a produção.

Ajuda a elaborar o briefing

Logo após o brainstorming, vem a etapa de construção do briefing.

Aqui, o videomaker e a equipe se juntam para trocar informações e montar a estrutura de desenvolvimento da produção do vídeo.

Esse também é o momento em que as funções de cada pessoa no set serão determinadas.

Escolha de equipamentos necessários em cena

É do criador de vídeos boa parte da responsabilidade de definir quais serão os equipamentos e itens de cenário utilizados no filme.

Após suas escolhas, o videomaker deve passar sua lista para que o financeiro cuide das compras e aluguéis necessários.

Elabora o roteiro

262

A criação do roteiro é uma das tarefas mais importantes da pré-produção.

É nele que estarão todas as orientações para que os processos de produção ocorram sem problemas.

É crucial que o roteiro seja bem estruturado para o sucesso do filme.

Produção

A produção é a parte prática de se criar um vídeo.

O videomaker cuidará para que tudo ocorra de acordo com o roteiro, além de organizar todo o set para a filmagem, desde posicionamento de câmeras até a iluminação.

Entenda melhor como funciona esse processo:

Filmagem

O papel do videomaker aqui é se certificar de que todos os detalhes para a gravação estão em ordem.

Ele garantirá que as falas, movimentos de câmera, áudio, marcações e outros aspectos essenciais para a filmagem saiam como planejado.

E, claro, sempre seguindo o roteiro.

Direção de cenas

Apesar de ser responsável pela direção das cenas, o videomaker não trabalha sozinho, portanto, toda a equipe presente no set de gravação o auxiliará com isso.

A razão disso é que, por mais competente que seja o profissional, possíveis erros e outros detalhes poderão passar despercebidos.

Assim, o restante da equipe, que também estará prestando atenção em tudo, conseguirá identificar a falha e ajudará o criador de vídeos a manter a qualidade.

E nesses momentos, ele decidirá se a melhor abordagem é repetir ou não a cena, assim como modificar outros detalhes do cenário.

Tudo para que o vídeo seja bem-sucedido.

Pós-produção

Dificilmente um vídeo fica pronto sem a necessidade de nenhuma edição. É por essa razão que existe a pós-produção: ela dará sentido a tudo o que foi realizado nas últimas etapas.

Nessa hora, o videomaker finalizará o projeto, certificando-se que tudo está alinhado com o que foi planejado e com objetivo do filme.

Dentre as suas funções neste estágio, estão:

Desmontagem do cenário

Logo depois de finalizadas as gravações e antes de iniciar a pós-produção, o criador de vídeos arrumará todo o set de filmagem, juntamente com sua equipe

Isso inclui guardar adequadamente os materiais utilizados, como câmeras, refletores, microfones e outros itens.

Edição do vídeo

A edição é o momento em que o videomaker faz os cortes, trata o áudio, adiciona os extras e os efeitos especiais. Assim, transformando tudo o que foi feito durante as gravações em um arquivo único, de forma concisa e harmoniosa.

Os demais responsáveis pela execução técnica das filmagens também fazem parte dessa etapa.

E para que o produto final seja coerente com tudo o que foi pensado e gravado, o criador de vídeos sempre terá em mãos o roteiro. Dessa forma, ele evitará que falhas ocorram durante a pós-produção e prejudiquem o projeto.

Exportação do conteúdo

Por fim, depois de todo o processo de pós-produção realizado, o filme está finalmente pronto para ser compartilhado para o público.

Entretanto, antes de divulgar o trabalho pronto, o produtor de vídeo precisa dar uma última conferida se tudo está, de fato, em ordem.

Ainda com o roteiro em mãos, ele analisa o filme, assistindo ao vídeo algumas vezes até ter certeza de que nada saiu errado.

E para garantir ainda mais que tudo correu como esperado, outras pessoas da equipe também podem assistir ao filme pronto.

Assim, eles se certificam de que nada passou despercebido. Estando tudo dentro do planejado, o vídeo é exportado e divulgado.

Quais softwares um videomaker usa?

Da mesma forma que todas as outras profissões de criação, o criador de vídeos também precisa ter noções de diferentes formas de realizar seu trabalho. Ter diversas referências e, sobretudo, bons conhecimentos na parte técnica do seu campo de atuação.

A edição, que já foi citada anteriormente, assim como a captação de imagens, manuseio dos equipamentos, tratamento de áudio e outras etapas inerentes à produção audiovisual precisam estar dentro dos conhecimentos desse profissional.

A fim de executar cada uma dessa etapas com eficiência e de maneira correta, é preciso que ele saiba utilizar alguns programas:

  • Para tratar imagens, os mais utilizados são o Lightroom e o Photoshop;
  • Já para editar os vídeos, o Adobe Premiere, Final Cut e o Sony Vegas são os favoritos;
  • E caso seja preciso inserir motion designs e efeitos especiais no projeto, os melhores programas para isso são o Illustrator e o After Effects.

Em algumas situações, é exigido do profissional uma formação acadêmica para que ele aprenda a trabalhar com esses softwares. Contudo, é bem possível aprender a utilizá-los de forma autônoma.

Quais as diferenças entre videomaker e cineasta?

Até aqui você aprendeu do que se trata o trabalho do criador de vídeos.

Porém, dentro do segmento audiovisual, ainda existem outros profissionais que também trabalham na criação de vídeos, mas recebem denominações diferentes.

É o caso entre videomaker e do cineasta. Falando de uma forma bem abrangente, o trabalho desses dois profissionais é praticamente o mesmo; a principal diferença entre as duas profissões é a escala em que cada uma atua.

Geralmente, chamamos de videomaker o criador de vídeo que trabalha em agências ou empresas com uma equipe e recursos reduzidos normalmente; é bem comum que o time acumule funções.

Por exemplo; o videomaker conta com um time de 10 pessoas, sendo que todas elas serão responsáveis por todos os processos da pré, pós e produção do vídeo.

Já o cineasta é um profissional graduado em cinema e que atua em grandes projetos cinematográficos normalmente. Ele conta, então, com muito mais recursos para trabalhar.

Cada etapa da produção do filme, desde a criação do roteiro até a sua finalização, é executada por uma equipe diferente.

Como é o mercado de trabalho para videomakers?

Com a alta demanda por esses profissionais em todos os tipos de setores, é preciso entender como o mercado de trabalho funciona. Antes de aprofundarmos no assunto, já vamos falar de antemão: o mercado é muito promissor para o videomaker.

Mesmo assim, é bem competitivo, ainda mais com o boom da internet e redes sociais específicas para a propagação de vídeos, como o YouTube e TikTok. A facilidade ao acesso de softwares para a edição de vídeos também ajuda a aumentar a competitividade.

Apesar disso, os videomakers especializados são valorizados no mercado de trabalho.

Isso porque segundo a pesquisa Video Marketing Statistics 2021, realizada em Dezembro de 2020 pelo Wyzowl, 86% dos negócios utilizam o vídeo como uma ferramenta de estratégia de marketing. E mais:

  • 86% afirmaram o crescimento de tráfego em seus sites;
  • 78% viram um crescimento na taxa de conversão com relação direta ao vídeo;
  • 87% dos profissionais de marketing afirmaram um bom retorno no investimento com a ferramenta audiovisual.

Isto nos leva a crer que as oportunidades para a profissão estão acompanhando o crescimento do consumo de vídeos na internet, veja a seguir como é a média salarial atualmente.

Salário

A média salarial de um videomaker varia, de acordo com as experiências e as qualificações. Segundo o site vagas.com.br, o salário inicial desse profissional começa por volta de R$ 1.750,00 e pode chegar a R$ 3.470,00. Sendo assim, a média fica em pouco mais de R$ 2.500,00.

Ainda segundo o site, as formações mais comuns entre os profissionais da área são Comunicação Social e Rádio e TV. É claro que a experiência conta muito para uma boa bonificação, mas o conjunto experiência e graduação na área ajudarão no destaque profissional de um videomaker.

Campo de atuação 

Há várias possibilidades de espacialização para um videomaker, sabia? O profissional não precisa cuidar somente dos processos que envolvem a produção de vídeos. É possível obter especialização nos ramos do marketing digital e até roteiro, por exemplo.

No marketing digital, pode-se produzir vídeos publicitários, já que o consumo do audiovisual cresceu bastante com o surgimento das redes sociais. Com isso, há cada vez mais espaço entre as estratégias do marketing. Estamos falando de vídeo de vendas, vinhetas e muito mais.

Outra opção é a produção de vídeos para YouTube, o qual cresce, necessitando de profissionais mais capacitados. Nesse ramo, o videomaker consegue auxiliar com o roteiro e edição de imagens para canais dos mais variados nichos.

Além disso, é possível entrar para a produção para TV, sendo esse meio bem comum e desejado entre os videomakers. Isso porque há oportunidades voltadas para programas de auditório, documentários, telenovelas, séries e até telejornais. 

Quais as principais tendências para a profissão?

Para falarmos sobre as principais tendências é preciso ter em mente: há oportunidades tanto na internet, quanto nos meios tradicionais. Afinal de contas, a TV ainda faz parte da rotina de várias pessoas.

Sendo assim, para se tornar um grande profissional, estude aspectos como o storytelling, vídeos curtos e SEO. Entenda mais a seguir.

Storytelling

Storytelling é a expressão em inglês para a capacidade de contar histórias, e não se limita somente a quem trabalha com livros. O storytelling visual é um ponto de extrema importância para um videomaker.

Quando há envolvimento com a roteirização de um projeto, espera-se que ele seja capaz de trazer essa habilidade para a produção. As imagens podem ser de boa qualidade, mas a história contada é o que fica gravado na mente do público.

Ou seja, o vídeo é um grande complemento do storytelling e por isso é preciso ter atenção, pois uma produção audiovisual pode cometer o erro de contradizer a história contada e esse não deve ser o objetivo de nenhum negócio.

Por isso, uma boa narrativa acompanhada de vídeo deve:

  • prender a atenção;
  • ter coerência;
  • despertar emoções;
  • promover diálogos;
  • conseguir uma boa identificação com o público e estabelecer conexões;
  • ter começo, meio e fim.

Além disso, é bem valioso para o marketing digital, pois a estratégia busca educar, atrair, divulgar, conquistar e fidelizar clientes. Uma boa dica é envolver o cliente e apresentar uma solução sem necessariamente vender o produto ou serviço.

Vídeos curtos e Stories

Com o surgimento do TikTok, assim como o Snapchat, Instagram Stories, Reels e YouTube Stories, os vídeos curtos se tornaram uma grande necessidade para vários negócios. Estamos falando isso porque dessa forma é possível entregar uma mensagem em segundos.

Com os vídeos rápidos, a atenção dos usuários fica presa e por isso a criatividade deve ser prioridade no processo de produção de vídeos. Uma dica é produzir conteúdos simples, sem necessariamente contar com uma produção de alto nível. 

O objetivo aqui é educar e contar histórias rápidas — assim como falamos no tópico anterior. 

SEO para vídeos 

SEO é uma sigla em inglês muito usada no marketing digital e em português pode ser traduzida para otimização de conteúdo para motores de busca. Essa é uma estratégia usada em blogs, mas também pode ser bem aproveitada para os vídeos. 

Assim como um texto para blog, um vídeo também pode ser otimizado para aparecer entre os primeiros nas buscas do Google, Yahoo e Bing. Os benefícios do SEO para vídeos são muitos, tanto para a experiência do usuário, quanto para o negócio. De maneira geral podemos citar: 

  • aumento do tráfego orgânico;
  • aumento no tempo de permanência do usuário no site ou canal;
  • aumento do engajamento com usuários e viralização;
  • um bom ROI.

Para desfrutar desses benefícios, é preciso pensar em aspectos, como o alinhamento de objetivos da produção, a escolha do canal e o tipo de conteúdo, pesquisa de palavras-chave, uso de backlinks e outros.

Além disso, devemos falar também sobre outros pontos importantes ao utilizar vídeos e otimizá-los para os buscadores. Por exemplo, um conteúdo audiovisual assertivo chegará no usuário certo e causará a sensação de segurança.

E você concorda que o cliente certo é o ideal para o sucesso de um negócio? Isso porque fazê-lo comprar algo se tornará uma tarefa simples, comparado a persuasão necessária para quem o seu produto não é destinado.

O futuro do videomaker

Como dito inicialmente, a produção de conteúdos em vídeo segue crescendo. O que influencia de forma direta o trabalho do videomaker.

Cada vez mais empresas têm apostado em vídeos. O que gera diversas oportunidades para o profissional que atua na criação de vídeos, já que muitas vezes ter um videomaker em seu time é muito mais vantajoso do que contratar uma produtora externa.

Portanto, se você pensa em ser esse profissional, pode ter certeza de que o mercado estará cheio de oportunidades para você!

E se você deseja contratar um videomaker, esperamos que, com esse post, você tenha entendido melhor sobre a função desse profissional e sua importância para obter melhores resultados com vídeo marketing!

E então, gostou deste post?

Confira também nosso guia super completo para fazer vídeo!


Este post foi originalmente escrito em janeiro de 2020 e atualizado para conter informações mais completas e precisas.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.