FecharNotificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

FecharNewsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Youtube Analytics: como utilizar a ferramenta para medir os resultados de seu canal e impulsionar seus vídeos?

Youtube Analytics: como utilizar a ferramenta para medir os resultados de seu canal e impulsionar seus vídeos?

Tutorial completo para verificar e entender os dados gerados por seu público no YouTube!

Se você tem um canal no YouTube, provavelmente já percebeu que não basta criar um vídeo brilhante para que ele tenha, de fato, resultados incríveis. É preciso, antes de tudo, analisar o que funciona e não funciona para sua audiência e entender de que forma você pode aprimorar seus conteúdos.

Verificar e entender os dados gerados por seu público é importantíssimo para evoluir seu negócio. Saber, por exemplo, se as pessoas assistem em média a 30% ou 90% da duração de seus vídeos pode te ajudar a moldar seu conteúdo e entregar cada vez mais valor.

Vale lembrar que cada canal tem suas particularidades. Desse modo, não existe um padrão universal de comparação de dados.

Por exemplo, não é possível dizer qual é a quantidade de comentários ou compartilhamentos esperada para um certo número de visualizações.

Além disso, o YouTube não disponibiliza muita informação para referência, pois isso poderia estimular práticas que visam enganar os algoritmos de maneira deliberada por alguns usuários.

Assim sendo, sua melhor referência são os dados de seus próprios conteúdos e, neste post, vamos te mostrar algumas formas de realizar essa análise.

Vamos lá?

Como acessar os dados no YouTube Analytics?

Primeiro, vamos acessar o painel do YouTube Analytics. Para isso, faça login e clique na imagem de sua conta, no canto superior direito. Depois, clique em Estúdio de Criação.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Na próxima tela, clique em Analytics, no menu lateral esquerdo, e aí você já terá acesso a vários dados disponíveis.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Essa primeira tela mostra a visão geral, compilando várias informações, como tempo de exibição, duração média da visualização, número de visualizações etc. No próprio menu lateral esquerdo, você pode acessar cada um desses itens separadamente, para mais detalhes.

Logo que você acessa esse painel, são exibidos dados relativos a todo o canal. Para analisar um vídeo em específico ou playlist, basta utilizar o campo de pesquisa de conteúdo.

Youtube Analytics - Imagem indicando a barra de pesquisa de conteúdo

À direita desse campo, você também pode especificar um período de tempo, por exemplo: últimos 7 dias, este trimestre, este ano etc.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Dica importante: caso você escolha uma playlist para analisar, saiba que os dados exibidos serão relativos aos acessos provenientes da própria playlist, desconsiderando os números de acessos individuais de cada vídeo.

A análise de dados de uma playlist pode levar a uma interpretação equivocada por parte do usuário. Para fazer uma analogia simples, é como se você pedisse um prato de comida ao Youtube e de fato ele te desse um prato de comida, mas sem a comida. Tal situação não seria tecnicamente enganosa, pois você literalmente teria recebido o que pediu, porém é certo que isso poderia gerar uma grande frustração.

Para exemplificar, vamos supor que você tem um vídeo intitulado Como fazer brigadeiros e esse vídeo faz parte de uma playlist chamada Receitas de Doces, dentro de seu canal de culinária.

Caso esse vídeo, Como fazer brigadeiros, tenha sido exibido individualmente em um blog ou tenha recebido vários acessos por meio de buscas no YouTube, isso não significa que os dados gerados por essas visualizações terão impacto nos dados da sua playlist Receitas de Doces. Ou seja, quando você for analisar uma playlist, os valores apresentados serão referentes apenas à playlist em si, e não à soma dos vídeos que fazem parte dela.

Então, como analisar todos os vídeos de uma playlist, independentemente da origem de acessos individuais?

Para isso, é necessário criar um grupo. Você pode fazer isso clicando em Grupos, na parte superior da tela e, em seguida, clicar em Criar grupo de vídeos.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Como analisar os dados de seu canal?

Como já falamos, sua melhor base de referência de parâmetros são seus próprios vídeos, então, faça bastante uso da ferramenta Comparação, localizada na parte superior da tela. Assim, você pode colocar dados de vídeos, playlists ou grupos lado a lado e então tirar suas próprias conclusões.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Como você vai perceber, são muitos dados disponíveis. Para deixar tudo mais claro, vamos nos basear em algumas perguntas para entender melhor o que cada seção do YouTube Analytics significa.

Por exemplo:

  1. Como meu canal está desempenhando?
  2. Quem é o público que assiste meus vídeos e no que ele se interessa?
  3. Qual o nível de engajamento?

1. Desempenho do canal

O desempenho de seu canal pode ser medido através do progresso do tempo de exibição, número de visualizações e quantidade de inscritos.

Tempo de exibição

O tempo de exibição é uma das métricas mais importantes de desempenho no YouTube. Ela mostra o interesse pelo conteúdo e o tempo que o público dedica a consumi-lo.

Essa métrica é mostrada em minutos e você pode fazer uma análise conjunta com a retenção de público. A porcentagem dessa retenção pode ser exibida de maneira absoluta ou relativa.

Retenção absoluta

A retenção absoluta diz respeito unicamente ao vídeo escolhido para análise. Nessa tela, você pode ver a média e o gráfico que mostra o desempenho ao longo do tempo.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

A porcentagem média é muito afetada pela duração do vídeo. Vídeos mais curtos, com menos de 2 minutos, provavelmente terão uma média maior (vamos supor, 75%). Vídeos longos, com 30 minutos de duração, podem mal chegar a 40%. Lembre-se disso ao comparar vídeos de tamanhos muito diferentes.

Essa tela pode te dar ótimas indicações de desempenho.

Vale a pena se atentar à curva desse gráfico, principalmente nos primeiros 15 segundos. Se a descida for muito brusca, isso pode ser um indicativo de que você não está conseguindo convencer seu espectador a continuar assistindo seus vídeos.

Uma sugestão é analisar suas introduções e ver se elas estão interessantes ou se deixam claro qual conteúdo aquele vídeo abordará. Uma perda de retenção muito grande no início também pode ser consequência de thumbnails enganosas.

Caso em algum momento a curva do gráfico volte a subir, isso demonstra que aquele trecho gerou maior interesse, podendo indicar que parte de seu público até voltou naquele ponto do vídeo. Tente entender o que pode ter agradado mais seus espectadores. Crie suas hipóteses e busque repetir o efeito nos próximos vídeos.

Do mesmo modo, analise os momentos de perda de retenção e tente encontrar o motivo, para evitar esses pontos fracos. Essas observações podem te ajudar a planejar os melhores lugares para posicionar CTAs, por exemplo.

Retenção relativa

A retenção relativa é uma forma de comparar seu vídeo com todos os outros do YouTube, de mesma duração, independentemente do tema.

Apesar de ser um recurso superinteressante, tome cuidado ao se basear nesses dados. Esse é um bom modo de ter uma noção geral, mas especificidades de seu conteúdo podem te levar a tirar conclusões equivocadas.

Youtube Analytics - Imagem indicando o botão de

Número de visualizações

O número de visualizações é talvez a métrica mais evidente no YouTube. Muita gente acredita que é o fator determinante para o sucesso de um vídeo ou canal.

Porém, em alguns casos, o número de visualizações pode representar uma métrica de vaidade, ou seja, um dado que impressiona se avaliado fora de contexto, mas que não necessariamente traz resultado prático.

Por exemplo:

Vamos supor que aquele seu vídeo ensinando a fazer brigadeiros tenha sido mencionado ocasionalmente no Twitter por alguma personalidade influente na rede. Por causa disso, nesse dia, ele teve 10 vezes mais acesso que seus outros vídeos de receitas.

Apesar do grande número de visualizações, a retenção foi péssima, já que a maior parte dos espectadores apenas clicou no link por curiosidade, assistiu por poucos segundos e fechou o vídeo.

Nos próximos dias, tudo voltou ao normal, e seu canal não teve crescimento no número de inscritos, não teve mais acessos em outros conteúdos, nem mais engajamento. Nesse caso, um grande número de visualizações pode não ter gerado benefício algum para você.

Enquanto isso, um outro canal de culinária divulgou o próprio vídeo ensinando a fazer brigadeiros em um grupo específico de Whatsapp, com pessoas superinteressadas no assunto.

Esse vídeo concorrente, comparado ao seu, teve menos de 10% de visualizações, porém se beneficiou muito mais do seleto grupo que alcançou, ganhando inscrições e gerando maior engajamento.

Quantidade de inscritos

A quantidade de inscritos é um termômetro muito importante para avaliar o crescimento de seu canal. Inscritos podem assistir até duas vezes mais seu conteúdo e ajudam muito nas visualizações iniciais quando você publica algo novo, pois recebem notificações de uploads.

O desempenho de um vídeo nas primeiras horas pode determinar o sucesso em relação ao ranqueamento, assim, esses espectadores que optaram por te seguir, ajudam a melhorar seus números de maneira expressiva.

Você pode avaliar a quantidade de inscrições obtidas por cada vídeo, assim como a quantidade de inscrições perdidas. Analise quais são os vídeos que mais ganharam inscritos e os que mais causaram cancelamentos de inscrições. Tente formular hipóteses para esses comportamentos.

Youtube Analytics - Imagem indicando o número de inscritos

Você pode testar novos modos de incentivar seus espectadores a se inscrever, por meio de CTAs em diferentes trechos do vídeo, incluindo letreiros, ou mesmo convites na seção de comentários, fixados no topo. Acompanhe os resultados pelo Analytics e veja o que mais funciona para você.

2. Dados Demográficos

Entender os dados demográficos de seu canal te ajudará a criar melhores conteúdos para seu público.

Para ver esses dados, vá em Informações demográficas, no menu lateral esquerdo. Ali, você poderá saber qual porcentagem de seu público é masculina ou feminina, quais são as faixas etárias mais presentes, além da localização por país.

Youtube Analytics - Imagem ilustrando um gráfico

Gênero, idade e país

Vamos supor que seu canal de culinária tenha um público 80% masculino. Se você acredita que seu conteúdo é de grande valor igualmente para homens e mulheres, você pode tentar encontrar a causa dessa diferença de gêneros dentre os espectadores.

Será que é a identidade visual? Descrição e linguagem textual? Identificação com quem apresenta?

Desse modo, você pode optar por implementar mudanças que atraiam mais mulheres para seu canal ou, quem sabe, mudar a estratégia e optar por focar totalmente no público masculino, se achar que é um nicho mais promissor para você.

O mesmo vale para análise da idade do espectador. Sabendo exatamente qual é a faixa etária que mais assiste seus vídeos, você pode se certificar se a linguagem utilizada (tanto no modo de apresentar ou no estilo de edição) faz sentido para seu público e, assim, fazer ajustes.

Dispositivos

É interessante investigar os dados sobre dispositivos também.

Sabemos que o consumo de vídeo em smartphones tem aumentado drasticamente nos últimos anos, e que essa é uma tendência que deve continuar, mas existem diferenças no comportamento de quem assiste vídeos pelo celular ou pelo computador (desktop e notebook).

Youtube Analytics - Imagem ilustrando um gráfico

Vídeos mais longos, ou que demandam maior imersão, assim como tutoriais de softwares, têm mais chances de serem visualizados em computadores, pois os usuários se beneficiam de uma tela maior e, provavelmente, de um ambiente mais silencioso e controlado.

Voltando a nosso hipotético exemplo do canal de culinária, vamos supor que você percebeu que o acesso através de smartphones e tablets superou o acesso via computadores.

Com esses dados, você pode se perguntar: será que os espectadores assistem os vídeos enquanto tentam replicar as receitas, com o celular na cozinha?

Se sim, isso pode indicar que você deve dar mais atenção ao tamanho da informação de letterings e dados visuais, afinal, telas de celulares são pequenas. Do mesmo modo, esses dados podem te levar a ser mais cuidadoso com o áudio.

Se as pessoas assistem os vídeos enquanto fazem as receitas em um ambiente com ruídos, você pode pensar em descartar trilhas de fundo e priorizar um áudio bem limpo, com o mínimo de interferências possível.

Origem de tráfego

Informações sobre origem de tráfego te mostram como seus espectadores chegam até você.

Se, ao analisar esses dados, você constatar que grande parte de seu público vem de vídeos sugeridos, pesquisa do YouTube e recursos de navegação, isso pode te indicar que você tem feito um ótimo trabalho de SEO, afinal, o público tem encontrado seu conteúdo de forma orgânica.

Youtube Analytics - Imagem ilustrando um gráfico

Caso você perceba que a maior parte vem de origem externa, vale investigar quais são os sites que geram esse tráfego para você. Se você constatar algum blog ou página específica, talvez seja o caso de entrar em contato e tentar fazer parcerias mais concretas ou collabs, para potencializar essas visualizações.

Buscas mais populares

Avaliar quais são as buscas mais populares no YouTube e Google que levam a seu canal também é uma ótima maneira de entender melhor seu público e o que ele procura. Para isso, após clicar em Origem de tráfego, no menu lateral esquerdo, vá em Pesquisa do YouTube na seção que aparece abaixo do gráfico.

Voltando a nosso exemplo, se você percebeu que a maior parte das buscas têm relação com receitas vegetarianas, pode ser uma ótima ideia focar um pouco mais nesse tipo de culinária.

3. Nível de engajamento

Para finalizar, podemos avaliar as ações dos espectadores com o YouTube Analytics, ou seja, o engajamento.

Curtidas positivas e negativas

Um ótimo modo de perceber se seu conteúdo está agradando é reparar nas taxas de curtidas, apresentadas como gostam e não gostam.

Os usuários podem positivar ou negativar seu conteúdo e, assim como outros tipo de métricas, é bom tomar cuidado com o que esses números representam.

Naturalmente, é esperado que a grande maioria dos espectadores marque seu vídeo como positivo. Isso ajuda outros usuários a perceberem se vale a pena ou não assistir seu conteúdo. Porém, nem sempre ser marcado como negativo indica um problema com sua produção.

Por exemplo:

Um vídeo apresentando uma reportagem sobre corrupção pode receber muitos votos negativos, pois a intenção do espectador era de demonstrar desaprovação aos atos documentados.

Até por isso, há indicadores fortes de que votos negativos não atrapalham no ranqueamento de um vídeo e, em alguns casos, podem até ajudar, pois apenas demonstram que o conteúdo gerou reações no público, ou seja: maior engajamento.

Como esses casos costumam ser exceções, recomendamos sempre que você faça conteúdos que levem os usuários a marcarem seus vídeos como gostei.

Comentários

Os comentários são outra métrica de engajamento importantíssima.

Além de ajudarem a ranquear vídeos, você pode aprender diretamente com seu público. Então, é sempre bom estimular seus espectadores a comentarem.

Você pode incluir em seu roteiro alguma fala pedindo para o público comentar algo bem específico, por exemplo: “Qual parte desse vídeo você mais gostou e quer saber mais?”, ou “O que você gostaria que eu abordasse no próximo vídeo?”.

Fazendo testes desse tipo e acompanhando os números pelo YouTube Analytics, você poderá ter uma ótima ideia do que funciona ou não com seu público. E nunca deixe de estimular o diálogo na seção de comentários, pois isso ajuda ainda mais no engajamento.

Compartilhamentos

Analisar a quantidade de compartilhamentos pode te ajudar a definir qual tipo de conteúdo é ideal caso você queira expandir o alcance de seu canal.

Nessa seção do YouTube Analytics, você também pode ver quais são os locais onde seus vídeos foram mais compartilhados e usar isso a seu favor.

Por exemplo:

Se você perceber que seus vídeos são muito compartilhados no Facebook, talvez seja uma boa ideia melhorar ainda mais sua presença nessa rede e tentar trabalhar uma estratégia interligando as plataformas.

Youtube Analytics - Imagem ilustrando um gráfico

Conclusão

Um ponto importante na hora de avaliar métricas de engajamento é entender que cada tipo de vídeo pode gerar uma ação diferente por parte do espectador.

Por exemplo:

Um vídeo no qual você procura estabelecer uma conversa com o público que já possui pode não gerar muito compartilhamento, mas sim, muitos comentários.

Por outro lado, um vídeo que busca atingir novas pessoas precisa ter um índice de compartilhamento alto, mas talvez não se beneficie tanto de uma grande quantidade de comentários.

E, por último, um vídeo que busca solucionar uma dúvida pode se beneficiar mais da quantidade de votos positivos, sem necessariamente ter um número tão expressivo de compartilhamentos ou comentários.

Tudo isso dependerá da estratégia e objetivos que você traçar, e o YouTube Analytics é a melhor ferramenta para te guiar nesse processo!

Para aprender mais sobre YouTube Analytics e estratégias de YouTube, recomendamos que você acesse o Creator Academy, que tem ótimas informações disponibilizadas pela própria equipe da Google e do YouTube!

E, se você quer saber como ganhar dinheiro com seu canal, não deixe de ler nossas dicas para gerar receitas com vídeos na internet.

Até logo!

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.