FecharNotificações

Não perca mais nada!

Ative as notificações do blog para ser avisado sempre que tiver conteúdo novo!

FecharNewsletter

JUNTE-SE A MILHARES DE EMPREENDEDORES DIGITAIS!

Receba os melhores conteúdos para crescer seu negócio online.

Empreendedorismo digital: o passo a passo para criar um negócio na internet

BUSCA...

Empreendedorismo digital: o passo a passo para criar um negócio na internet

O empreendedorismo digital cresce à medida que aumenta o acesso à internet. Saiba o que você precisa para abrir uma empresa online!

Antes de começar este texto, atenção a algumas manchetes interessantes:  

“47% da população mundial está conectada à internet” – ItForum (2016)

“3 bilhões: cerca de 40% da população mundial usa redes sociais ativamente” – TECMUNDO (2017)

“Vendas na internet no Brasil devem dobrar até 2021, indica Google” – Folha de São Paulo (2017)

“Pela 1ª vez, internet supera shoppings como opção de compras para o Natal” – Folha de São Paulo (2017)

Se você fizer o exercício de procurar termos como empreendedorismo digital, mercado digital ou vendas online no Google, verá que aparecerão várias matérias como essas, confirmando o que falamos há algum tempo aqui no blog: empreender na internet vale a pena.

Mas como entrar nesse mercado? Será que é seguro? Como você pode se destacar de seus concorrentes?

Para começar, precisamos quebrar um mito aqui: não existem fórmulas mágicas para “ganhar dinheiro na internet, enquanto você está dormindo”.

Mas se você estiver disposto a estudar muito sobre o mercado e oferecer um serviço de qualidade para seus futuros clientes, reunimos algumas dicas que podem te ajudar nesta empreitada!

E, de quebra, você ainda verá algumas histórias inspiradoras de gente como você, que decidiu abandonar o mercado convencional para empreender na internet!     

Vamos lá?

Índice
1- O que é empreendedorismo digital?2- O que você precisa para ser um empreendedor digital?3- Vantagens do empreendedorismo digital4- Possibilidades de atuação para quem quer empreender online5- Empreendedorismo digital: partindo para ação6- Histórias para inspirar

1- O que é empreendedorismo digital?

O empreendedorismo digital consiste em criar um negócio na internet, comercializando serviços ou produtos online, sem necessidade de investir em espaços físicos. Alguns exemplos de negócios digitais são: cursos online, e-commerces, blogs, canais do YouTube e soluções tecnológicas em geral.

A principal vantagem desse modelo de negócio é que não é necessário investir muito dinheiro para começar, em comparação ao mercado offline. Além disso, esse formato permite que o empreendedor trabalhe onde e quando quiser, tendo uma maior flexibilidade em sua rotina.

2- O que você precisa para ser um empreendedor digital?

A princípio, você precisará apenas de um computador com acesso à internet para começar. Mas além do equipamento, algumas características são fundamentais para você se destacar dos concorrentes.

Curiosidade

A palavra curiosidade carrega um peso pejorativo, como se toda pessoa curiosa demonstrasse interesse excessivo na vida de outras pessoas, mas a origem do termo não tem nada a ver com isso!

A curiosidade nada mais é do que a capacidade natural de fazer perguntas e querer saber mais sobre determinado assunto.

Sabe quando uma criança começa a falar e faz perguntas sobre tudo? Ela apenas quer entender o mundo a sua volta e, às vezes, nós adultos entramos tanto no modo automático, principalmente no trabalho, que esquecemos de nos perguntar porque estamos desempenhando certas tarefas.

Portanto, para empreender na internet, uma das características que você mais precisará cultivar é a curiosidade, pois é só pesquisando muito sobre o mercado e o comportamento dos consumidores que você encontrará brechas para atuar e oferecer uma solução que realmente agregue valor à vida das pessoas.

Vontade de estudar/se especializar

É comum pessoas estudarem por um tempo e acharem que já sabem  tudo sobre aquele assunto, ignorando que o conhecimento e as ferramentas estão em constante mudança, principalmente na internet.

Ou seja, se você tem muita curiosidade, mas não gosta de estudar, o empreendedorismo digital não é para você.  

Isso não quer dizer também que você deve gastar horas de seu dia debruçado no computador. Assim como tudo na vida, é necessário encontrar o equilíbrio entre aprender mais e usar este conhecimento para implementar uma mudança.

Para começar, leia pelo menos uma hora de notícias sobre seu mercado diariamente. Com o tempo, você sentirá a necessidade de se especializar em um tema que impacta mais seu negócio.

Querer ajudar pessoas

“O empreendedorismo está muito mais associado a identificar problemas e oportunidades para implementar uma ideia que cause impactos positivos, do que ser inovador e criar algo nunca visto antes”.

Você já deve ter lido essa frase em nosso post sobre como trabalhar em casa, e ela faz todo sentido!

Pense em aplicativos como o Nubank, por exemplo. Não tem nada de inovador em um cartão de crédito, certo?

Mas se você está por dentro do assunto, sabe que o serviço deles não é possibilitar que as pessoas façam mais compras, mas sim que elas não paguem taxas.  

Uma solução simples, mas que gerou um grande impacto positivo. A partir de agora, é nisso que você deve focar seus esforços.    

3- Vantagens do empreendedorismo digital

A principal vantagem é que você pode gerir seu negócio de qualquer lugar do mundo, desde que tenha acesso à internet. Com essa mobilidade, surgem outras vantagens, como:

Passar mais tempo com a família

Responda sinceramente: quantas vezes você deixou de ir ou chegou atrasado em um aniversário porque estava trabalhando ou porque ficou preso no trânsito?

No empreendedorismo digital, isso pode acontecer, mas acontecerá menos, pois você pode  trabalhar em casa, se preferir.

É claro que isso não significa que você não terá uma rotina pré-estabelecida, nem que poderá passar o dia inteiro jogando videogame com seus filhos, mas certamente o empreendimento digital te dá mais liberdade para ajustar seus horários e participar mais da vida familiar.  

Horários mais flexíveis

No início de seu negócio, você precisará trabalhar bastante para conquistar seu espaço no mercado, ainda mais se você gerir o empreendimento sozinho. Mas trabalhar muito não quer dizer trabalhar o dia inteiro, até mesmo porque ninguém é produtivo o tempo todo.  

Ao se tornar um empreendedor digital, você define seus próprios horários, trabalha nos períodos que rende mais e pode, até mesmo, adiar um compromisso por causa de um imprevisto, algo que é bem mais difícil quando você trabalha no horário comercial de 8h às 18h.

Economia de custos

Se você só precisa de um computador com acesso à internet para começar, consequentemente, economizará muito com o aluguel de um espaço para sua empresa e todas as despesas fixas decorrentes disso, como água, luz, impostos, etc.

É claro que o valor gasto variará conforme seu modelo de negócio, mas com certeza é bem mais barato criar um negócio online do que ter um estabelecimento físico.

Facilidade de atingir muitas pessoas

De acordo com um estudo da Digitaltalks, mais da metade dos brasileiros está conectada na internet, e este número tende a crescer conforme as ferramentas evoluem.

Isso mostra que empreender online é o melhor caminho para chegar a mais pessoas a nível nacional e, até mesmo, mundial.

Enquanto em um negócio físico você teria sua atuação limitada pelas barreiras geográficas e de mobilidade, com o empreendedorismo digital e uma estratégia de marketing bem definida, você consegue chegar a várias partes do país e fazer com que mais gente conheça seu produto.

Facilidade para escalar   

Escalar um negócio significa aumentar o volume de produção e de vendas, sem aumentar os investimentos e o custo fixo na mesma proporção.

Mais uma vez, isso dependerá de seu modelo de negócio, mas é inegável que é mais “fácil” escalar um empreendimento online do que uma loja física.

Pensando em um exemplo do nosso dia a dia: cursos online. Os cursos online, como você já deve saber, são materiais educativos produzidos para serem consumidos pela internet.

Uma vez que você desenvolveu seu material e disponibilizou online, qualquer um que pagar por ele poderá acessá-lo, sem que você precise gravar as aulas novamente. Esse tipo de produto também nunca ficará fora de estoque, a não ser que você decida deletá-lo do ar.  

Diferentemente da aula presencial que você teria que ir até onde o aluno está e estaria restrito a região onde vive. Com esse exemplo, ficou mais simples entender o conceito de escalar, certo?

4- Possibilidades de atuação para quem quer empreender online

Aqui no blog, nós temos vários posts específicos sobre os modelos de empreendimento digital, por isso não vamos nos estender muito neste tópico. Nossa ideia é apenas mostrar que existe uma gama de negócios possíveis, até mesmo para quem nunca trabalhou com vendas na internet.

ebook

Os 15 melhores segmentos para trabalhar na internet

Listamos as melhores oportunidades para começar um negócio online, e ideias para você atuar em cada mercado!

Obrigado por baixar o guia

Os 15 melhores segmentos para trabalhar na internet!

Para acessar o arquivo, basta clicar no botão abaixo!

Baixar ebookClique aqui para retomar a sua leitura!

Produtor

O Produtor é a pessoa que cria um conteúdo para ser consumido online. Esse material pode ser em vários formatos, como e-books, videoaulas e podcasts. Para se tornar um Produtor, basta que você tenha um conhecimento que seja útil para outras pessoas e queira compartilhá-lo.  

Saiba mais > O que são produtores digitais?

Afiliado

O Afiliado é o profissional que divulga o produto de terceiros em troca de comissões por cada venda realizada. Essa profissão é bastante recomendada para quem já tem uma influência online, mas não quer criar um conteúdo próprio, no caso dos produtos digitais, nem gerenciar estoque, no caso de produtos físicos.   

Saiba mais > O que são afiliados?
O que são programas de afiliados?  

E-commerce

O e-commerce designa um tipo de comércio que é realizado online. Ao contrário dos produtos digitais que citamos anteriormente, os produtos vendidos em lojas virtuais não são consumidos na internet, e sim entregues na casa do consumidor.

É um exemplo de mercado que vem crescendo bastante, acompanhando as mudanças nos hábitos de compra dos brasileiros.

Saiba mais > E-commerce: tendências, plataformas e melhores estratégias 

Soluções tecnológicas  

As startups são um exemplo de negócio que pode começar online e, eventualmente, migrar para um ambiente físico, caso o empreendedor sinta a necessidade. Atualmente, esse tipo de empresa já ultrapassou o número de 10 mil, apenas no Brasil.

Para uma startup ser bem sucedida é preciso, antes de mais nada, identificar um problema recorrente, para propor uma solução.

Essa solução também deve ser simples de entender e de colocar em prática. Caso contrário, as pessoas não terão muito interesse em utilizá-la.  

Como dono de startup, você também pode desenvolver uma variedade de produtos, como software, aplicativos, serviços, isso dependerá muito do tipo de problema que você soluciona e do perfil de consumidor que quer atingir.

Saiba mais> Startup Brasil

Influenciador digital

O influenciador digital é tido por muitos como a profissão do momento, pois não tem limite de idade, nem de nichos de atuação. Você pode ter um blog ou um canal no YouTube sobre maquiagem, por exemplo, e fazer parcerias com marcas que tenham interesse em atingir sua audiência.

Além das parcerias com marcas, esses profissionais conseguem ganhar dinheiro com a exibição de anúncios, por meio do Google AdSense. Nessa forma de monetização, mais importante que a quantidade de seguidores é a quantidade de visualizações que você recebeu em sua página ou vídeo.

Saiba mais > Digital Influencer: o que é, quanto ganha e como se tornar um

5- Empreendedorismo digital: partindo para a ação

Por mais que você se prepare, sempre terão aqueles aprendizados que você só adquire fazendo.

Mesmo assim, existem alguns passos que você deve seguir, para assegurar que seu negócio não termine antes mesmo de começar. Neste tópico, mostramos alguns pontos que dizem respeito a todos os empreendedores, independentemente do tipo de atividade que você escolher exercer.

1. Planeje-se financeiramente

Conforme mencionamos no texto, ter um empreendimento online é bem mais barato do que ter uma empresa física, mas isso não quer dizer que você não precisará economizar previamente.  

Pense que você está abandonando o mercado de trabalho tradicional e benefícios trabalhistas para investir em uma ideia que você não sabe se dará certo, ainda.

Portanto, se você não tem nenhum dinheiro guardado nem um investidor para comprar sua ideia, sugerimos que fique mais atento à gestão de seu dinheiro daqui para frente.

O ideal é que você poupe o valor necessário para suas despesas fixas, por pelo menos um ano. Caso você tenha família, também é interessante conversar com todos eles, mostrar sua ideia e explicar que serão feitos alguns ajustes no orçamento. Assim, você deixa todo mundo na mesma página e evita gastos desnecessários.

Compartilhamos várias dicas de gestão financeira neste post aqui.   

2. Identifique seus pontos fortes

Para ser um empreendedor digital é preciso identificar seus pontos fortes e fracos. Para isso, existe uma ferramenta muito boa, conhecida como análise SWOT (strengths, weaknesses, opportunities e threats ou, em bom português, forças, fraquezas, oportunidades e ameaças).

Trata-se de uma matriz simples que você pode desenhar a mão ou fazer no computador.

Para criar uma, desenhe uma tabela dividida em quatro, com duas linhas e duas colunas. Na primeira coluna, liste os aspectos que impactam positivamente, enquanto na segunda, aquilo que pode atrapalhar o desenvolvimento de seu novo negócio, conforme modelo abaixo.

empreendedorismo digital - tabela de analise de SWOT

Por mais que pareça trabalhoso, fazer esse exercício é muito importante, pois te ajuda a visualizar melhor onde você se encaixa no mercado e como você deve se posicionar para se diferenciar de sua concorrência.

3. Escolha seu nicho e o tipo de produto que você oferecerá

Os nichos são segmentos com características e necessidades específicas, dentro de um mercado mais amplo de atuação.

Por exemplo:

Produtos para cabelos crespos e cacheados são uma ramificação de produtos para cabelos, que, por sua vez, fazem parte do mercado de cosméticos, que está inserido no mercado de beleza.

Para descobrir o nicho ideal para você:  

Liste suas habilidades e talentos

Aqui na Hotmart, a gente acredita que todo mundo pode se tornar um especialista em algum assunto, se estiver disposto para isso.

Mas se pudéssemos dar um conselho, ele seria: escolha algo que você goste de fazer e, de preferência, que você já tenha algum conhecimento. Dessa forma, o processo de criação do empreendimento não é só mais intuitiva, como é mais prazerosa.

Por isso, o primeiro passo para escolher seu nicho de mercado é fazer uma lista dos temas que você mais domina. Tente responder as seguintes perguntas:

  • Quais são seus hobbies?
  • Em que tipo de atividades você se destaca?
  • Que tipo de assunto seus amigos te pedem para ensinar?
  • O que você faria se tivesse que escolher uma única atividade para exercer para o resto da vida?

Avalie oferta e procura

Depois de descobrir o que você sabe fazer melhor, está na hora de entender se existe uma procura para isso. Em poucas palavras: se você criasse um negócio nesse segmento, teria clientes suficientes para viver apenas disso?

Será necessário o uso de ferramentas online como o Google, SEMRush e outras para perceber a real demanda por aquele produto ou serviço.

Uma dica que ajuda muito é pesquisar determinada palavra-chave e verificar a quantidade de anúncios que aparecem no Google. Esse pode ser um indicador de que trata-se de um termo concorrido e, portanto, que tem um mercado consumidor mais amplo.  

Fique de olho nas tendências

Você já reparou que a forma como nos vestimos muda bastante ao longo do ano? Seja por causa da estação ou de influências culturais de outros países, estamos sempre usando certas peças e deixando outras encostadas no armário.

Assim como na moda, existem alguns assuntos que são tendências passageiras, como as notícias e os memes, e outros que sempre despertam o interesse das pessoas, independentemente de quando eles são abordados, como alimentação e saúde, por exemplo.

Para empreender online é importante identificar temas que não sejam sazonais, assim você garante que terá procura pelo seu produto ou serviço durante o ano inteiro. Uma boa ferramenta para fazer isso é o Google Trends, que mostra a evolução da procura por aquele tema ao longo do período analisado.

Você também pode visitar sites e blogs voltados para seu mercado e verificar quais assuntos são mais recorrentes ou despertam mais o engajamento dos visitantes.

4. Analise o mercado e seus concorrentes

Não é raro ler na internet textos comparando o mundo dos negócios à guerra, e os concorrentes a um inimigo que precisa ser vencido, independentemente do método que você vai adotar.

Apesar de essa ser uma análise exagerada, não se trata de fazer tudo, e sim de fazer o que é certo, concordamos que conhecer bem sua concorrência é a melhor maneira de obter uma vantagem competitiva sobre eles e oferecer produtos realmente diferenciados.

Mas como fazer essa análise?

Em primeiro lugar, é preciso fazer as perguntas certas. Isso é possível traçando metas de negócio bem definidas logo nos primeiros meses.  

Exemplo:

Alguém que quer atuar no nicho fitness verá que existem vários sites sobre o assunto, com propostas bem distintas: focados em exercícios, roupas e equipamentos e/ou alimentação.   

Se o empreendedor avaliar todos esses sites, vai investir muito tempo e esforço para concorrer com empresas que, muitas vezes, nem dialogam com seu público-alvo. Por isso, foque em sites e canais que sejam relevantes para a audiência que você pretende atingir.

Depois de filtrar seus principais concorrentes, observe que tipo de conteúdo essas páginas compartilham e como elas se comunicam com os consumidores nas redes sociais.

Vale lembrar que esse processo de análise de concorrência é apenas para identificar as melhores práticas, e não para copiar o que outros estão fazendo, ok?  

5. Compre um domínio

Depois de cumprir todas as etapas analíticas, está na hora de colocar a mão na massa!

Para começar, você precisará comprar um domínio para sua página web. Essa etapa é muito importante tanto para quem deseja criar uma loja virtual quanto para o empreendedor que produzirá conteúdo.  

Antes de adquirir os direitos de um domínio, você precisa escolher um nome que sintetize sua ideia de negócio. Esse nome deve ser curto e fácil de escrever, para que os usuários tenham facilidade de encontrar sua página ou indicá-la para amigos.

Para saber se o nome que você escolheu já está sendo utilizado, acesse o site Registro.br.  A consulta é gratuita e não leva mais do que alguns segundos. Infelizmente, essa ferramenta só serve para domínios .com.br.

Caso você esteja interessado em um domínio com final .com ou .net, terá que usar outras ferramentas para verificar a disponibilidade. Porém, nossa sugestão é que você opte por domínios com final .com.br, já que este endereço é mais intuitivo para os usuários brasileiros.

Nós explicamos o processo de compra de domínio no nosso post sobre como criar um blog.

Se você pretende trabalhar com produtos digitais, temos uma boa notícia: você não precisará comprar um domínio, pois existem plataformas específicas para disponibilizar seu produto, como a Hotmart.

Além de gerar uma página de venda super completa, a Hotmart possui um meio de pagamento próprio e outros recursos para Produtores e Afiliados manterem contato com suas respectivas audiências.  

6. Faça um protótipo de sua ideia

Antes de se lançar no mercado, você precisa confirmar se sua ideia de negócio é realmente viável. Para isso, tente responder as seguintes perguntas:

  • Seu produto resolve um problema? Qual?
  • Você consegue executar essa ideia de maneira melhor do que o concorrente?
  • Sua ideia é fácil de entender?
  • Se você estivesse no lugar do consumidor, você compraria seu produto?

Caso você tenha respondido não para alguma das alternativas, seria interessante rever seu planejamento para encontrar oportunidades de melhoria.

Depois dessa etapa, você pode criar um MVP (Mínimo Produto Viável) que é, basicamente, uma versão mais simples de seu site, produto ou serviço, com o mínimo de funcionalidades que ele precisa para funcionar. Versões beta de aplicativos são exemplos de MVP.  

Para validar seu MVP, promova pesquisas de opinião, peça ajuda de um especialista de mercado e faça testes A/B.

A partir dos feedbacks recebidos, você conseguirá promover as melhorias necessárias e lançar um produto mais alinhado com as exigências do mercado, ou seja, maiores as chances de sucesso.  

7. Divulgue seu empreendimento

Você fez todos os testes, validou seu planejamento estratégico e encontrou tempo para se dedicar a seu novo empreendimento, então, está na hora de divulgar sua solução para as pessoas e, literalmente, vender seu peixe.

Uma boa estratégia de divulgação é apoiada em três aspectos principais:  

  • O perfil do consumidor;
  • Conteúdo útil;
  • Canais de comunicação.

Você precisa encontrar o público certo para seu negócio e entregar conteúdo útil para ele,  no momento em que ele precisa. E mais do que isso, essas pessoas precisam ver valor no produto ou serviço que você está oferecendo, para quererem pagar por ele.   

Esteja nas redes sociais (mas só naquelas que fazem sentido para sua audiência!)

Hoje, quase metade da população brasileira está em alguma rede social, o que é algo em torno de 103 milhões de pessoas (dado de 2016).

Isso significa que você conseguirá atingir todo mundo que está online? Não, e nem deveria! Lembre-se que sua comunicação deve ser voltada apenas para a persona que você mapeou para seu negócio na etapa de planejamento.

A partir do momento que você criou um perfil, seja no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter ou YouTube, certifique-se de produzir conteúdo específico para esses canais, levando em consideração o formato exigido por cada rede e a maneira como as pessoas consomem esse conteúdo, para que sua comunicação não seja impertinente.  

No Instagram, por exemplo, ninguém quer ler textos longos (inclusive, existe um limite de caracteres para as postagens!). As pessoas estão em busca de imagens atrativas e vídeos curtos e objetivos.

Enquanto no LinkedIn e demais redes voltadas para negócios, um texto técnico e completo pode ser mais valorizado.

Entre em contato por e-mail

Uma lista de e-mail é um dos ativos mais valiosos para o empreendedor, pois as pessoas que estão ali permitiram que você entrasse em contato com elas.

Só que esses usuários também podem se voltar contra você, caso você entregue conteúdo ruim e incompatível com as necessidades deles.

Para ter uma estratégia de e-mail efetiva, você precisará segmentar sua lista, dividindo os leads de acordo com o estágio em que eles estão na jornada do comprador.

Se você ficou confuso com o que acabamos de dizer, aproveite para assistir o episódio da série Hotmart Tips sobre e-mail marketing.

E uma última dica importante: nunca compre uma lista de e-mails pronta. Essa opção pode parecer o caminho mais rápido, mas você só gastará tempo, esforço e dinheiro com pessoas que não têm interesse no que você oferece.

É claro que existem muitas outras etapas envolvidas no envio de e-mail marketing, mas se você seguir essas dicas, já sairá na frente de muitos empreendedores.

Anuncie

Os anúncios são a forma mais rápida de impactar seus possíveis compradores, mas assim como as ferramentas anteriores, eles só surtirão efeito se você fizer a segmentação correta do público e criar um conteúdo atraente, que seja a soma de um texto direto e de uma boa imagem ou design.

E o seu trabalho não acaba depois que o anúncio estiver pronto! Uma vez que o usuário é impactado, você também precisa garantir que ele será direcionado para uma página com conteúdo útil. Caso contrário, ele clicará no anúncio, mas não realizará a ação que você espera dele. Isso mostra o quanto o conteúdo de qualidade é importante em sua estratégia de divulgação.     

Existem várias redes que você pode utilizar para anunciar e aumentar a visibilidade de seu negócio, como Google, Facebook e LinkedIn.  

Não existe um limite mínimo para investir, tudo dependerá de seu fluxo de caixa e de quanto você pode reservar para anúncios. Mas não se preocupe, pois é possível otimizar suas campanhas e ter um bom retorno em vendas, gastando pouco.

Faça marketing de conteúdo  

O marketing de conteúdo é tão fundamental para quem deseja empreender na internet, que ele mereceria um post inteiro dedicado ao assunto.

Essa metodologia consiste, basicamente, em criar um conteúdo de qualidade para seus leads e seguidores, respondendo o maior número possível de dúvidas, até que esses usuários se sintam à vontade para se tornarem clientes.

Você pode fazer isso por e-mail, tendo um blog, gravando vídeos ou criando materiais ricos.

Por que o marketing de conteúdo é tão valorizado?

Em primeiro lugar, porque você pode colocá-lo em prática sem gastar nada, apenas o tempo necessário de produzir o conteúdo e, segundo, porque ele traz resultados duradouros.  

Apesar dos anúncios aumentarem sua visibilidade instantaneamente, o que é tentador, o marketing de conteúdo te ajudará a construir um relacionamento com seus potenciais clientes a longo prazo. Esses clientes podem se tornar evangelizadores de sua marca, o que atrairá mais pessoas para sua página, criando um ciclo positivo para seu negócio.  

6- Histórias para inspirar

Nem sempre é fácil abrir mão da segurança financeira que um emprego oferece para tentar a vida de empreendedor. Mas se você fizer uma pesquisa rápida no Google, verá que existem várias histórias bem sucedidas de negócios 100% online.

Pensando nisso, reunimos alguns cases de sucesso de empreendedorismo online para você se inspirar!

Paula Abreu – Coach de desenvolvimento pessoal

Desde criança, Paula queria ser escritora, mas por causa da pressão de familiares e amigos, estudou e se formou em Direito, área na qual atuou por mais de 15 anos.

A mudança veio apenas em 2012, quando Paula foi demitida da empresa na qual estava trabalhando. Decidida a não voltar para a área de Direito, ela viu na demissão a oportunidade de criar um negócio próprio e ganhar dinheiro fazendo algo que realmente gostava.  

O livro Escolha a sua vida foi apenas o primeiro passo para a carreira de coaching que Paula exerce atualmente, com foco na internet.   

Hoje, ela é a primeira mulher do Brasil a fazer um lançamento de uma produto online com o faturamento superior a 7 dígitos.   

Anderson Rey – Produtor digital  

Depois de um momento difícil em sua vida pessoal, Anderson fez um curso técnico de manutenção de máquinas de lavar seguindo o conselho de um amigo. Esse foi o pontapé inicial para a criação de sua própria loja de manutenção de equipamentos domésticos.

Com o tempo, e o aumento de demanda pelo seu serviço, Anderson sentiu a necessidade de expandir seu alcance e compartilhar seu conhecimento com outras pessoas e, foi assim, que ele gravou os primeiros vídeos no YouTube, ensinando como fazer reparos simples em ar-condicionado.   

A popularidade dos vídeos motivou Anderson a criar um curso online sobre máquinas de lavar. No primeiro dia do produto no ar, ele vendeu 4 mil reais, o que para Anderson foi uma surpresa por causa do tipo de tema que ele abordava nas aulas.

Depois do sucesso inicial, ele ainda lançou mais três cursos online e, hoje, vive apenas de seu empreendimento na internet.  

Confira a história de outros empreendedores online na web série: Digital Makers.

Uma alternativa para gerar renda

Conforme mostramos neste post, o empreendedorismo digital pode ser uma boa alternativa para quem quer ter um negócio próprio, mas não tem muito dinheiro para investir no início.  Além dos custos reduzidos, o mercado tem um grande potencial para gerar renda devido à mudança dos hábitos de compra do brasileiro, e ainda é relativamente novo, portanto, existem muitos segmentos que ainda não foram explorados em sua totalidade.

Vale destacar que, apesar de acessível, o empreendedorismo digital demanda muita dedicação e estudo, principalmente no início de seu negócio, até que ele ganhe tração com os consumidores e você se torne uma referência no assunto. Por isso, tenha paciência e não desanime diante dos primeiros resultados!

Saiba que você já começou bem buscando mais informações sobre o assunto. Se você quiser adquirir mais conhecimentos e aprender a usar ferramentas fundamentais para empreender online, inscreva-se no Desafio 30 dias, um curso online e totalmente gratuito que ensina como criar um e-book ou curso online em um um mês.

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.